Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Matérias

Vai viajar para a Ásia? Conheça os melhores destinos para arquitetos no maior dos continentes

26/09/2018

O que a região pode oferecer de inspiração para os profissionais do segmento? Confira neste post alguns destinos imperdíveis!

Viajar é tudo de bom! Com tantos destinos possíveis, a nossa vontade é de sair por aí todo ano, para conhecer desde os lugares mais próximos até aqueles do outro lado do planeta. E, se você é arquiteto ou um apaixonado pela arquitetura, ver obras incríveis sempre faz parte da programação. Então, já pensou em explorar as maravilhas da Ásia?

O maior continente do mundo é marcado por sua variedade impressionante de etnias, de idiomas, de tipologias arquitetônicas, de culturas e de sabores — em geral bem diferentes do que estamos acostumados no Brasil.

Continue conosco e conheça destinos maravilhosos na Ásia, perfeitos para quem ama arquitetura!

Tóquio

A capital do Japão tem a maior área metropolitana do mundo e uma população de cerca de 38 milhões de pessoas — além de reunir edificações diversas, desde as tradicionais às mais modernas.

Uma característica muito inspiradora dos japoneses é a educação. Não só com relação a conhecimentos técnicos e científicos, mas também quanto à compreensão de que é função de todos cuidar bem dos espaços, ser grato e gentil com as pessoas. É uma filosofia de vida que contagia!

Prada Building

Localizado no bairro de Aoyama, o Prada Building é um edifício impactante, com fachada toda em placas de vidro com formato de diamante. O projeto é dos arquitetos suíços Herzog e De Meuron, e a construção foi finalizada em 2003.

Por dentro, é repleto de tapetes brancos e paredes arredbancoqueondadas, e permite vistas externas muito ricas. Também conta com os clássicos e exuberantes produtos assinados por uma das maiores grifes do mundo.

Prada Building

Yoyogi National Gymnasium

Erguido especialmente para as Olimpíadas de 1964, esse ginásio se transformou em um grande ícone da arquitetura japonesa ao longo dos anos.

É muito diferente de tudo o que se espera de uma edificação esportiva. De autoria do modernista Kenzo Tange, o projeto mescla em uma mesma obra os traços da arquitetura moderna ocidental com o uso abundante do concreto e as linhas orgânicas da estética tradicional japonesa. Na época de sua inauguração, era a construção com a maior cobertura em sistema de suspensão do mundo.

Yoyogi National Gymnasium

Bancoque

Por ser um pouco menos conhecida pelos brasileiros do que o Japão, a Tailândia é ainda mais exótica. Para muitos, a impressão transmitida pela capital Bancoque pode ser de um meio urbano nada interessante, por contar com aspectos como desorganização e pobreza.

No entanto, quando nos despimos dessa imagem inicial, a cidade é incrivelmente atraente. E, assim como na maioria das cidades orientais, podemos perceber a linda mistura da tradição com a contemporaneidade.

Wat Pho

É um dos templos mais antigos de Bancoque, com mais de 300 anos de história e religiosidade. Tem muita influência da China, e é aqui que podemos encontrar a icônica imagem do Buda deitado — a maior do mundo feita na posição horizontal, com 46 metros de comprimento.

O nome “Pho” vem da figueira sagrada do Budismo, sob a qual Buda meditava. A arquitetura tem dourado em abundância, de modo a transmitir a imagem que se tem do Paraíso.

Além disso, conta com fragmentos de cerâmica de alto valor, que eram aproveitadas de utensílios quebrados. O templo também é considerado a primeira universidade tailandesa.

Grand Palace

O Palácio Real de Bancoque é a casa do Buda de esmeralda — que, na verdade, é feito de pedra de jade. É também um dos locais mais sagrados do país e sempre é muito visitado: recebe cerca de 20 mil pessoas em um único dia e oito milhões em um ano.

Com seus muitos pavilhões e templos ricos em detalhes construtivos, já foi a moradia do rei da Tailândia e sede do governo. Uma curiosidade é que a maior parte das edificações do complexo mantêm suas portas centrais fechadas: por elas, passa apenas o rei. Já os visitantes podem acessar os interiores através das entradas laterais.

Grand Palace

Dubai

É um emirado pulsante de novas construções e inacreditáveis arranha-céus, materializando o gosto pela ostentação, futurismo e valorização extrema de todo tipo de tecnologia relacionada à engenharia e à arquitetura.

Com ilhas artificiais para condomínios de luxo ou para sediar uma nova construção, a maior cidade dos Emirados Árabes ostenta o edifício mais alto do mundo e um fabuloso hotel de sete estrelas. Sem dúvidas, Dubai é o um dos destinos asiáticos dos sonhos de qualquer arquiteto.

Burj Khalifa

É o edifício mais alto do mundo, cujo nome é uma homenagem ao presidente dos Emirados Árabes Unidos: Khalifa Bin Zayed Al Nahyan. A construção dirigida pelo americano Adrian Smith foi inaugurada em 2010, com 828 metros de altura, 160 pavimentos e 49 elevadores.

Abriga quartos para hospedagem, restaurantes, piscinas, moradias, locais para observação da paisagem e uma mesquita. Fica bem ao lado de outra grande atração: o Dubai Mall, maior shopping do mundo com 1,1 milhão de metros quadrados, 1.200 lojas e 120 restaurantes — bem ao gosto ostensivo da região.

Burj Khalifa

Torre Cayan

Outra construção ícone da cidade, inaugurada em 2013, é em espiral. Localizado na marina artificial, o projeto conta com vista privilegiada para a ilha artificial em formato de palmeira, cerca de 310 metros de altura e 75 andares, cada um com uma rotação de 1,2 graus em relação ao inferior.

O prédio foi desenvolvido a partir de uma base hexagonal para que todos os pavimentos pudessem aproveitar a vista para o mar. Além de tudo, também é multifuncional: conta com apartamentos, salas de conferências, escola, piscinas, quadras de tênis e muito mais.

Torre Cayan, em espiral, juntamente com outros edifícios

Burj Al Arab

É impossível falar de Dubai e não comentar o famoso Hotel Vela. Ainda que não seja tão alto quanto outros na cidade, ele atrai visitantes do mundo todo e é um dos símbolos dos Emirados Árabes, reconhecido por qualquer pessoa que o veja em uma fotografia.

Foi erguido entre 1994 e 1999 sobre uma ilha artificial feita especialmente para recebê-lo, e é o único hotel sete estrelas do mundo, com suítes luxuosas e preços astronômicos.

Burj Al Arab

Pequim

A capital da China também tem uma arquitetura repleta de contrastes encantadores, com seus monumentos históricos — como a Praça da Paz Celestial e as muralhas vermelhas da Cidade Proibida, por exemplo — lado a lado com edificações surpreendentes, projetadas pelos maiores arquitetos da atualidade.

Estádio Nacional Olímpico

É bastante conhecido pelo apelido de Ninho do Pássaro, pelos numerosos elementos entrelaçados por todo o perímetro da fachada. O estádio feito para as Olimpíadas de 2008 é um dos símbolos da modernização da China.

Assim como o Prada Building de Tóquio, foi projetado pelos arquitetos Herzog e DeMeuron e, além de competições esportivas, recebe também vários outros tipos de eventos.

Estádio Nacional Olímpico

Edifício CCTV

Também icônico, foi projetado pelos arquitetos Rem Koolhaas e Ole Scheeren. É um edifício impossível de ignorar: instigante, pensado para desafiar a busca por arranha-céus. É praticamente uma escultura, com parte dos pisos em balanço, todo em vidro e com linhas marcantes de fachada que refletem os esforços da estrutura.

A construção começou em 2004 e foi finalizada em 2012. Em seus 473 mil metros quadrados, acomoda estúdios de TV, escritórios, equipamentos de produção e broadcasting. É uma visão espetacular, vista de cima ou do chão.

Edifício CCTV

Istambul

Ainda que não seja a capital do país, a maior cidade da Turquia tem uma importância histórica e geográfica inigualável. É localizada exatamente entre a Ásia e a Europa e, em seus 2.700 anos de idade, já sediou impérios, trocou de nome algumas vezes e emana cultura com suas cores, aromas e arquitetura.

Em Istambul, é possível observar e apreciar a coexistência entre burcas, minissaias, ruínas do império romano, feiras ao ar livre, sons e luzes diversas. Pela mesma influência islâmica, muitas partes da cidade têm grandes semelhanças com locais em Portugal e na Espanha.

Grande Bazar

É um ponto que você não pode deixar de visitar. É conhecido como o maior mercado coberto do mundo, com mais de quatro mil lojas — nas quais são vendidos tecidos, joias, louças, especiarias, entre outros — distribuídas em uma série de ruas labirínticas. Os preços nunca estão estampados nos produtos à mostra: a regra aqui é negociar os valores com cada vendedor, o que eles fazem com grande prazer.

Uma curiosidade animadora é que, assim como o Brasil, a Turquia ama futebol. Portanto, se você for reconhecido como brasileiro, poderá até ouvir os nomes de jogadores famosos ou um “obrigado” após as compras.

Grande Bazar

Palácio Topkapi

Pode ser avistado de praticamente qualquer lugar da cidade. Por muitos anos, o palácio foi a sede do governo e a moradia dos sultões, que perderam seu poder político quando a democracia foi instaurada no país.

A construção é datada de 1453 e conta com diversas obras de arte da época do império otomano. Desde 1923, um museu dentro do complexo exibe peças como armas, joias, louças e itens religiosos — entre eles, um dos exemplares mais antigos do Corão, livro sagrado do Islamismo.

Palácio Topkapi

Aqui na cultura ocidental, muitas vezes os destinos da Ásia não recebem o prestígio que merecem. No entanto, são viagens enriquecedoras em termos culturais, históricos e até mesmo religiosos, uma vez que entrar em contato com visões de mundo tão diferentes é capaz de marcar profundamente qualquer pessoa.

Agora que você já sabe quais são os destinos mais inspiradores para arquitetos na Ásia, que tal conhecer alguns locais incríveis na nossa América do Sul? Confira!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *