Menu
Projetos e Obras
Busca

O porcelanato para piscina pode ser usado para revestir as partes internas e externas (Foto: Portobello S.A.)

Conteúdo Técnica

Porcelanato para piscina: como acertar no assentamento?

13/01/2021

Entenda como escolher o porcelanato para piscina, quais são as vantagens que esse revestimento oferece e como assentar adequadamente!

O porcelanato para piscina é uma excelente alternativa, pois necessita de pouca manutenção e é resistente, além de contar com uma infinidade de opções, oferecendo inúmeras possibilidades em termos de projetos.

Os revestimentos cerâmicos — como o porcelanato — podem ser usados no deck, na borda e no interior das piscinas. Quer saber mais sobre o material e embelezar a sua piscina? Siga conosco!

Quais são os revestimentos mais apropriados para a piscina?

Os revestimentos cerâmicos, de uma forma geral, são os mais indicados para a área da piscina, incluindo os porcelanatos e as pastilhas (Projeto: Ivanilza de Alencar)

A indicação, de forma geral, é usar revestimentos cerâmicos na piscina. Além dos porcelanatos, outros materiais que podem ser utilizados são as pastilhas de vidro ou porcelana.

Cada um desses produtos possui as suas próprias características e os seus efeitos estéticos. Portanto, é sempre recomendada a orientação de um profissional.

“Procure por um revestimento com baixa manutenção. Por isso, é bom evitar as pedras vulcânicas e outros materiais naturais e artesanais”, orienta o arquiteto André Moral, da Lab 88.

As pastilhas de porcelana trazem um charme extra ao interior das piscinas, graças à versatilidade de cores e acabamentos (Projeto: Portobello S.A.)

Outro ponto a se atentar é em relação ao deck e à borda. De acordo com a NBR 9818, é necessário que o revestimento usado nessas áreas seja seguro, lavável e não agressivo ao contato.

A norma NBR 9050 complementa essas informações, destacando que os pisos no entorno das piscinas não podem ter superfícies escorregadias ou excessivamente abrasivas. As bordas e os degraus de acesso à água também devem ter acabamento arredondado.

Referente ao atrito, a NBR 13818 estipula que os produtos com atrito igual ou superior a 0,4 são ideais para uso em áreas que requerem resistência ao escorregamento, como é o caso das áreas externas e das piscinas.

Porém, a Portobello, preocupada com o bem-estar e a integridade dos usuários, recomenda que sejam usados produtos com atrito igual ou superior a 0,6 para os decks de piscina.

Outro fator muito importante a ser considerado na hora de escolher o revestimento para os decks e as bordas de piscina é o Índice de Refletância Solar (SRI) — um dos indicadores usados para calcular a eficiência energética de edificações e construções.

Basicamente, quanto mais clara é a superfície do revestimento, maior é o seu SRI. Essa propriedade física, aliada a outras, ajuda a manter a temperatura do material e, portanto, trazer mais conforto térmico.

Assim, quando for revestir decks de piscinas, prefira produtos claros. Porém,  tome cuidado, pois os produtos extremamente claros podem trazer desconforto visual devido ao grau de refletância solar.

Então, busque aqueles que ofereçam bom conforto térmico e também visual.

Porcelanato para piscina: quais e como usar?

Detalhe do interior da piscina com a linha Barlavento Caribbean, da Portobello, trazendo mais charme e sofisticação à nova área (Projeto: Alex Garibalde)

O porcelanato para piscina é uma tendência, principalmente graças à enorme variedade de opções que ele oferece, deixando essas áreas diferenciadas.

Moral explica que não há muito segredo na hora de escolher o porcelanato para piscina. “Exceto o polido, todos os outros são bem-vindos”. Lembrando que isso se aplica apenas para piscinas com profundidade inferior a 60 cm, bordas e decks.

O porcelanato retificado oferece mais uniformidade durante a instalação, já que as placas podem ser assentadas com uma junta menor, dando uma sensação de continuidade e deixando o visual mais elegante.

Não se esqueça de verificar se o porcelanato em questão é indicado para uso externo e, se possível, dar preferência àqueles com acabamento EXT, que contam com mais atrito e, portanto, não são tão escorregadios, evitando acidentes. 

Você poderá optar por uma infinidade de alternativas em termos de textura, como as que recriam madeiras, pedras naturais e cimento. A vantagem é que você terá o efeito visual desses materiais, porém com a facilidade de limpeza e manutenção do porcelanato.

O porcelanato, como dissemos, pode ser usado tanto para revestir o interior da piscina quanto para compor as bordas, os decks e outros espaços da sua área de lazer externa.

O porcelanato também pode ser usado para compor decks, recriando diferentes texturas, porém com muito mais facilidade nos cuidados (Projeto: Tomas João)

Tipos de piscina

Em relação às normas técnicas, existem algumas questões a serem consideradas na hora de escolher o porcelanato para o interior da piscina.

  • piscinas com profundidade superior a 60 cm: a NBR 9818 não impõe nenhuma restrição quanto ao uso de revestimentos. Para escolher a melhor opção da Portobello, procure pelos produtos com local de uso FA. Em relação ao acabamento superficial, é possível usar produtos polidos (POL), naturais (NAT) ou externos (EXT). Porém, atenção, porque a norma estipula que a superfície dos revestimentos não pode causar desconforto, danos ou ferimentos aos usuários;
  • piscinas com profundidade inferior a 60 cm: profundidade inferior a 60 cm e, nas bordas, com máximo de 30 cm de fundura, além de inclinação máxima do fundo de 8%. Os produtos cerâmicos usados nessas piscinas, de acordo com a NBR 13818, devem contar com atrito igual ou superior a 0,4. Os produtos Portobello recomendados são os com indicação de uso FA e atrito superior ou igual a 0,4, com acabamento NAT e EXT.

Por que investir no porcelanato para piscina?

Obra de revitalização trouxe a beleza do porcelanato no revestimento da piscina (Projeto: Lab 88)

O uso do porcelanato para piscina traz uma série de vantagens. Justamente por isso, esse é um dos revestimentos mais usados nesse espaço.

Moral destaca, principalmente, a questão da manutenção. “O porcelanato tem pouca manutenção. Eventualmente, precisará de uma troca de rejunte depois de cinco anos”.

Essa praticidade torna o custo-benefício do material muito interessante, evitando dores de cabeça constantes com a sua área externa.

Além disso, o porcelanato para piscina:

  • possui diferentes texturas, permitindo recriar materiais diferenciados, sem a preocupação com a manutenção deles;
  • pode ser usado no interior e exterior, inclusive com variações para diferentes tipos de piscinas;
  • conta com opções específicas para áreas externas que não são escorregadias;
  • oferece mais conforto térmico aos usuários em relação aos materiais naturais;
  • é fácil de limpar.
Versatilidade do porcelanato, usado no deck e no interior da piscina, criando um visual diferenciado e com mais facilidade de limpeza e manutenção no dia a dia (Projeto: Nayara da Nóbrega)

Lastras

Outra opção interessante de porcelanato para piscina é a lastra.

Lastras são superfícies de porcelanato. Como são placas maiores, elas contam com algumas vantagens interessantes, como a sensação de amplitude e continuidade.

As lastras da Portobello contam com diferentes opções de espessura, dependendo das dimensões. Por isso, os arquitetos devem avaliar qual é a mais indicada para o uso na piscina em questão.

Porém, atenção, porque as lastras não são recomendadas para as bordas e os decks, apenas para o interior das piscinas. Isso porque elas não contam com acabamentos com atrito suficiente.

A principal vantagem das lastras é que elas permitem replicar a beleza de diferentes tipos de materiais, como pedra, madeira, cimento, concreto e até metal.

Soluções Portobello

A Portobello conta com inúmeros produtos que podem ser usados no interior das piscinas, com revestimentos de pequenos e grandes formatos, que podem ser aplicados tanto para revestir as paredes quanto os pisos.

Trazendo ainda mais facilidade, a Portobello desenvolveu acessórios que podem ser usados em todas as áreas da piscina, como borda filetada, borda curva, filete e revestimentos para pisos.

Todos têm acabamento EXT e contam com atrito igual ou superior a 0,6, oferecendo mais segurança aos usuários.

Um bom exemplo é a linha Barlavento com superfícies EXT. Mas você também poderá ousar, investindo em produtos que geralmente não são pensados para esses locais, como a linha Bianco Covelano (natural e retificado) para o interior da piscina.

Quais são os cuidados com o assentamento de porcelanato para piscina?

Para um resultado mais elegante, bonito e durável, é fundamental considerar alguns pontos no momento do assentamento (Projeto: Carla Bertuol)

Transporte e armazenamento

Todo o processo de assentamento do porcelanato para piscina se inicia com o transporte e o armazenamento adequado do material a ser usado. 

Moral explica que é importante “não haver torção. As peças não devem ser apoiadas diretamente no chão e, sim, sobre um tablado”.

As caixas devem ser armazenadas em local coberto, livre de água e sobre estrado de madeira, para que não absorvam a umidade proveniente do piso. O armazenamento inadequado poderá inutilizar o produto.

Se você tem dúvida de como armazenar o material corretamente, procure deixá-lo da mesma forma como ele chegou no pallet, pois essa é a maneira adequada.

Assentamento

Além de escolher corretamente o porcelanato para piscina, é preciso tomar alguns cuidados em relação ao assentamento. No caso de piscinas novas, Moral explica ser necessário esperar a cura de 30 dias do contrapiso.

Também é importante “impermeabilizar o contrapiso para minimizar a ação da eflorescência, fazer o assentamento sob cobertura e usar argamassa ACIII branca para piscina, além de rejunte epóxi”, comenta o arquiteto.

Após realizar a impermeabilização, Moral enfatiza a necessidade do teste de estanqueidade e, somente então, realizar o contrapiso.

Outro cuidado quando for realizar o contrapiso é o caimento.

“Com relação ao caimento de água, é usado em torno de 5% de queda do contrapiso para o ralo. Isso é suficiente. Piscina não tem tanta necessidade de caimento acentuado, porque é raro esvaziar”, explica Moral.

Em relação ao rejunte, o ideal é usar o epóxi, que oferece maior resistência a manchas e mofo, além de ser mais fácil de limpar no dia a dia. Porém, a sua aplicação é mais complicada que o rejunte cimentício. O acabamento também é diferente, sendo mais fino e liso que os dos demais.

Antes de começar o assentamento do porcelanato para piscina, sempre alinhe os produtos conforme as setas oferecidas pelo fabricante no verso. Não se esqueça de inspecionar cada placa e verificar se há defeitos visuais; caso haja, use essas peças em recortes.

Os cuidados devem ser iniciados com o correto transporte e armazenamento do porcelanato, garantindo, assim, um resultado ainda mais exuberante (Projeto: Portobello S.A.)

Outros cuidados importantes que devem ser seguidos são:

  • observar no projeto de paginação a indicação do início do assentamento (onde está localizada a primeira placa a ser assentada);
  • deixar 5 mm livre entre as peças da parede e as peças do piso para fazer a junta de dessolidarização. Em seguida, esticar uma linha de nylon para garantir a ortogonalidade do assentamento;
  • usar entre as placas espaçadores plásticos com a dimensão das juntas de colocação que serão usadas no assentamento;
  • o assentamento de placas com área maior ou igual a 900 cm² deve ser feito usando a técnica da dupla colagem (com argamassa colante aplicada na base do assentamento e no verso da peça). A dupla colagem deve ser feita com cordões em sentido paralelo, para garantir até 25% mais aderência do que se os porcelanatos fossem assentados com os cordões cruzados;
  • as juntas estruturais nunca devem ser cobertas com o revestimento;
  • deixar uma junta de 5 mm por todo o perímetro do piso, no encontro com as paredes. Não rejuntar esse vão, pois ele será coberto pelo revestimento da parede.

Para rejuntar a piscina, aguarde a cura da argamassa colante (se foi usada uma argamassa de 24 horas, esperar esse período e assim por diante).

Para encher a piscina, aguarde ainda a cura do rejunte epóxi, que vem descrita na embalagem do produto.

Para a limpeza pós-obra, use apenas sabão neutro e água. Para a manutenção no dia a dia, tente manter o pH da água da piscina e faça a limpeza também com sabão neutro e água. 

Gostou de saber mais sobre o uso do porcelanato para piscina? Então, veja os segredos para construir uma piscina de borda infinita e transforme o seu projeto para área externa!

Foto de destaque: Versátil e elegante, o porcelanato para piscina pode ser usado para revestir as partes internas e externas, como decks e bordas (Foto: Portobello S.A.)

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *