Menu
Projetos e Obras
Busca
piso de granito

Conteúdo Tendências

Porcelanato, mármore e granito: quando usar cada um desses materiais?

21/12/2018

Neste artigo, falaremos sobre porcelanato, mármore e granito para ajudá-lo a escolher o mais adequado à sua obra.

Conhecer os diferentes tipos de possibilidades que podem ser empregadas em um projeto é fundamental para atingir uma boa funcionalidade e estética. Porcelanato, mármore e granito podem apresentar algumas semelhanças, mas é preciso diferenciá-los para garantir uma boa escolha com o ambiente final.

Às vezes, depois de já ter gastado quantia considerável do orçamento em outras partes da obra, produtos mais populares acabam sendo escolhidos a fim de compensar as despesas anteriores. Porém, essa economia nem sempre vale a pena. Dependendo de como o ambiente será usado e do efeito estético procurado, um revestimento mais barato acaba não compensando.

Para escolher adequadamente, a primeira coisa a considerar é a função do local que será revestido e quem utilizará esse espaço. Assim, fica mais fácil definir aspectos importantes, como o tipo de piso, o acabamento e o estilo.

Neste artigo, falaremos sobre porcelanato, mármore e granito para ajudá-lo a escolher o mais adequado à sua obra.

Porcelanato, mármore e granito para ajudá-lo a escolher o mais adequado à sua obra.

Porcelanato, mármore e granito para ajudá-lo a escolher o mais adequado à sua obra.

Granito

O granito não é tão caro quanto o mármore e é uma ótima opção se você procura durabilidade. Ele é pouco poroso, ou seja, quase não absorve água, por isso não mancha com facilidade. A sua composição (feldspato, quartzo e mica) permite que ele seja resistente a arranhões e a desgastes químicos e abrasivos, podendo ser usado dentro ou fora de casa.

Existe a possibilidade de renovação do piso, por exemplo, apenas polindo a superfície, sem trocar todo o revestimento. Isso serve para retirar manchas ou restaurar o brilho original. Ele também traz praticidade, já que você necessita apenas de um pano úmido e sabão neutro para limpá-lo.

Porcelanato para cozinha imitando madeira.

Nem sempre o piso de granito precisa ser igual na casa inteira, mas deve haver algo em comum entre os cômodos. As peças diferentes podem ter cores que combinam ou você pode usar soleiras na transição de uma área para a outra, assim a mudança é mais sutil.

Em ambientes integrados, como uma cozinha americana, o ideal é usar o mesmo piso para toda a extensão, garantindo a sensação de que o espaço é contínuo e amplo.

Quanto maior o tamanho das peças, melhor seu efeito estético, já que os pisos grandes não precisam de tanto rejunte e passam a ideia de uniformidade.

Lembrando que ele deve sempre ser assentado com junta seca, porque, ao contrário das cerâmicas convencionais, o granito não absorve a água da argamassa tradicional. Portanto, se ela for usada, o resultado vai ser um piso desnivelado e mal-acabado. A junta seca também previne a dilatação e o acúmulo de poeira no rejunte.

Mármore

Banheiro revestido em porcelanato que imita mármore.

O mármore é constituído de calcita, um dos componentes do calcário. Na cor branca traz um aspecto de limpeza e tranquilidade, além de ser muito elegante e remeter às esculturas clássicas da Grécia Antiga.

É um material que parece frio ao toque e, por isso, é mais usado em países tropicais onde a sensação de frescor ajuda a aliviar o calor. Em regiões mais frias, o mármore pode ser usado com um sistema de aquecimento do piso ou com tapetes para deixar o ambiente aconchegante.

O mármore é o mais luxuoso e o menos resistente entre os três. Ele é mole, poroso e acaba sendo suscetível a arranhões e manchas. Além disso, ele não pode ser exposto a soluções ácidas, pois elas costumam danificar seu acabamento.

Por ser um revestimento menos resistente do que os outros, ele não é indicado para lugares com um trânsito grande de pessoas ou muito impacto no piso. Ele é vulnerável a manchas por causa da sua porosidade, então evite usá-lo em locais que têm contato frequente com água — como cozinhas, banheiros e áreas externas.

Para aumentar a durabilidade do mármore, é indicado impermeabilizar as peças e sempre limpar da maneira correta.

O emprego do mármore no piso, por exemplo, deve ser sempre uma escolha cuidadosa. A melhor alternativa é usá-lo como revestimento para as paredes (que naturalmente sofrem menos impacto e são pouco expostas à água) ou apenas como acabamento.

Porcelanato

É um dos revestimentos mais populares tanto para áreas internas quanto externas.

O porcelanato, assim como o granito, requer uma mão de obra especializada no assentamento. Como ele não absorve a água da argamassa comum, é preciso preparar argamassa e rejunte secos.

Mesmo precisando de cuidados na instalação, esse revestimento sai muito em conta, se comparado ao mármore ou ao granito. E ainda tem as vantagens de trazer ao ambiente o mesmo ar de requinte e ser mais resistente do que o mármore com relação a choques mecânicos.

É um piso prático que pode ser limpo apenas com um pano macio, água e sabão neutro, sem precisar de ceras ou produtos impermeabilizantes — uma vez que ele já vem de fábrica com um acabamento impermeável.

O porcelanato, por ser feito em diversas cores, texturas e estilos, permite também uma variação no preço de acordo com essas características. Ou seja, é fácil encontrar um modelo que atenda às suas necessidades estéticas e caiba no orçamento da obra.

Diferentes lotes de um piso podem vir com pequenas variações de cor, portanto o indicado é sempre comprar uma quantidade um pouco maior. Assim, se for preciso trocar alguma peça, você tem uma substituta exatamente da mesma cor.

Os porcelanatos, no geral, são pisos lisos e escorregadios, com exceção dos que têm um acabamento mais rústico. Por isso, escolha com cuidado esses revestimentos se o ambiente for muito usado por crianças, idosos ou pets, que correm o risco de escorregar e se machucar.

Sala integrada revestida em porcelanato polido.

Existem 3 tipos de porcelanato:

ACETINADO

O porcelanato acetinado não risca ou mancha com facilidade, e é ideal para áreas externas, salões de festa e garagens. Resiste muito bem ao choque mecânico e é bem fácil de limpar.

RÚSTICO

Por ter um acabamento mais texturizado, o porcelanato rústico acaba sendo ótimo para usar ao redor de piscinas, lavanderias, varandas, decks e jardins. É resistente ao escorregamento e não tem problema em ser exposto à água.

POLIDO

É mais liso e brilhante do que os outros e costuma ser usado em quartos e salas, por apresentar uma estética mais refinada. Mas é preciso se lembrar de que o porcelanato polido pode ser escorregadio, o que o torna ideal para ambientes secos, e costuma ser riscado com mais facilidade do que os outros tipos.

Linhas de porcelanato que reproduzem outros materiais

Sala revestida em porcelanato que imita madeira.

Uma das maiores vantagens do porcelanato vem da sua grande versatilidade estética. Isso porque seus padrões de revestimento variam muito, oferecendo um grande leque de opções para quem deseja um bom toque na estética de sua casa.

Por isso que as linhas que reproduzem a aparência de outros materiais, como o mármore, merecem uma atenção especial. Elas permitem o efeito de decoração perfeito, que antes não podiam ser obtidos, devido a características próprias do ambiente. Existem várias linhas assim, cada uma com suas próprias especificações e, portanto, apresentaremos algumas para que você possa escolher a que mais se encaixa na sua necessidade.

RIPA MOOD

A linha Ripa Mood oferece painéis de porcelanato que ficam incríveis, seja na parede inteira ou usado como quebra de um padrão de decoração. Apresenta-se em faixas retangulares, podendo reproduzir a aparência de diferentes tipos de mármore e concreto. Devem ser usadas para paredes internas, fornecendo um toque contemporâneo a materiais que são tão tradicionais.

UNIVERSAL COLLECTION

Indicada para paredes e pisos, essa linha foi desenvolvida para ambientes nobres residenciais e comerciais que têm baixo nível de tráfego. A Universal Collection reproduz a aparência de mármores polidos, com um leve efeito espelhado. Além da polidez em seu aspecto, o seu tamanho também ajuda no requinte buscado, com peças grandes, de 60x60cm e 80x80cm.

MARMI CLASSICO

Feito para pisos, a linha Marmi Classico reproduz a aparência do mármore francês, encontrado na região dos Pirineus Atlânticos. Sua principal característica é seu tom acinzentado, com seus veios de aparência orgânica, em Ton Sur Ton, ou seja, com diversos tons de uma mesma cor se sobrepondo.

Eles trazem delicadeza, leveza e finesse ao ambiente. Deve ser usado em áreas residenciais ou comércios com tráfego leve.

TRAVERTINO NAVONA

A linha Travertino Navona foi inspirada na clássica rocha travertino. Essa pedra possui tons compostos por branco, rosa e verde, com marcas de folhas e foi amplamente utilizada na arquitetura clássica romana.

Dessa forma, essa linha foi feita em homenagem à arquitetura, tanto tradicional quanto moderna, possuindo aplicação para pisos. Estando disponível tanto com aspecto natural quanto polido, pode ser usada tanto em residências, quanto em ambientes com tráfego mais intenso, aguentando até equipamentos leves

DANSK

Dansk, traduzido do dinamarquês, significa exatamente “dinamarquês”. O nome se dá pela inspiração no minimalismo da Dinamarca. Essa linha apresenta, portanto, uma reprodução de concreto, em tons sóbrios e bem lisos, para quem busca praticidade e simplicidade, sem abrir mão da qualidade no aspecto estético.

Sua superfície tem aspecto natural e para ampliar sua sobriedade, as peças têm uma grande dimensão, de 120x120cm. Além disso, ele possui alta resistência, aguentando alto tráfego de pessoas e trânsito leve de veículos e equipamentos leves.

ESSENCIAL

O nome já diz tudo sobre essa linha: ela é baseada naquilo que é realmente essencial para representar os revestimentos de uma casa da atualidade — mármore, concreto e granilite. Pode-se encontrar a reprodução básica desses materiais em mate e natural, mostrando toda a beleza e sofisticação daquilo que é simples.

GOTHAM

Inspirando-se nas grandes metrópoles, com sua vasta diversidade e mistura, a linha Gotham reproduz a superfície de concreto. Ela mostra seu lado cosmopolita na forma única de pigmentação de cimento que é representada em manchas suaves, com formas rústicas e aleatórias na peça.

Além de poder ser usada tanto em áreas externas quanto internas, possui diversos tamanhos, que aumentam suas possibilidades de usos. Pode ser aplicada tanto em residências quanto em comércios com movimentação leve de pessoas.

HANGAR

A linha Hangar foi criada a partir do conceito de mistura entre concreto e mármore, exibindo uma fusão entre cimento e pedras naturais. Pode ser usado tanto internamente quanto externamente, porém não é indicado em ambientes em que equipamentos serão transportados.

PEGGY

Na década de 50, a artista Peggy Guggenheim escolheu a cidade de Veneza para expôr a sua coleção de arte moderna. Essa mesma cidade usa, desde do século VIII, um material chamado Terrazzo Veneziano para pavimentação, composto de cimento e mármore.

Mesclando-se essas ideias, surgiu a linha Peggy. Ela busca trazer o lado rústico do Terrazzo, porém com toques urbanos e modernos, provindos da arte, usando formas e cores, transformando a superfície numa tela. Está disponível em diversos tamanhos, podendo ser usada dentro e fora da casa e em locais sem trânsito de equipamentos.

BURLINGTON

A linha Burlington reproduz a aparência do limestone encontrado no noroeste da Inglaterra. Sua característica principal é sua coloração levemente acinzentada com sedimentação em Ton Sur Ton.

É disponibilizada em cinza claro e cinza claríssimo, com superfície polida e tamanho 90x90cm e 60x60cm. Pode ser usada em comércios com tráfego mediano, sem equipamentos ou em áreas residências, externas e internas.

BROADWAY

Sendo uma linha versátil, as peças Broadway podem ser usadas tanto para o revestimento de pisos quanto de paredes. Reproduz a aparência de concreto, com toques urbanos, sendo disponível com acabamento polido, natural e externo.

Assim como a linha Burlington, deve ser usada em comércio com tráfego mediano de pessoas, sem trânsito de equipamento, além de áreas residenciais internas e externas.

Conhecer melhor sobre os usos e especificações do porcelanato, granito e mármore é o que garante um bom investimento e assegura que você está adquirindo o produto certo para o seu projeto. Portanto, sempre pesquise bastante, para que você encontre o material que mais se encaixe na sua necessidade e obtenha o melhor resultado possível, certificando, assim, a satisfação do seu cliente .

Gostou das nossas informações? Nosso artigo foi útil na elaboração do seu projeto? Então, que tal divulgá-lo no Archtrends? Para isso, basta criar uma conta ou conectar-se diretamente com seu Facebook ou G-mail. Assim, você passa a fazer parte da nossa vitrine de referências em design e arquitetura, podendo tornar-se inspiração para diversos profissionais, além de ser uma ótima ferramente de networking da área. Para saber exatamente como fazer parte de nossa comunidade, basta ler o passo a passo, disponível nesse link!

7 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *