Menu
Projetos e Obras
Busca
metropol2

Conteúdo Correspondentes Internacionais

Os cogumelos arquitetônicos de Sevilha

08/06/2018

Maior estrutura de madeira do mundo, o Metropol Parasol ganha forma e revitaliza praça antiga na Espanha.

“Os cogumelos de Sevilha”, originalmente do espanhol “Las setas de Sevilla”, é o apelido carinhoso que ganhou a maior estrutura arquitetônica do mundo, que tem esse nome por seu formato que se assemelha a vários cogumelos — corpos delgados e cúpulas redondas em cima.

Com nome oficial Metropol Parasol, o complexo está localizado no coração de Sevilha, cidade na Andaluzia e famosa por cultivar as raízes e a cultura local. Sevilha é uma típica cidade espanhola, em que até hoje é possível ver mulheres com roupas típicas, rosas na cabeça e bailando com suas castanholas, algo que já não é tão comum em locais que se tornaram mais internacionais e modernos, como Barcelona e Madri.

Metropol Parasol

Vista da parte de baixo da cobertura (Foto: Eduardo Bittencourt)

Justamente por isso, no meio do centro histórico da cidade, mais precisamente na Plaza de la Encarnación, se vê o contraste desse novo edifício contemporâneo feito de madeira, que engloba toda a praça, formando uma grande cobertura.

O projeto se deu por meio de um concurso, em que um arquiteto alemão chamado Jürgen Mayer foi o ganhador, entre 335 outros projetos.

A obra basicamente consiste em seis pilares de concreto, envolvidas por uma trama de madeira laminada que se entrelaça e se une ao topo do complexo. Cada um desses pilares tem uma trama distinta que, quando se unem, trazem a sensação de que todo o conjunto faz um movimento ondulado.

Metropol Parasol

Ilusão que o complexo traz fazendo o movimento ondulado (Foto: Eduardo Bittencourt)

A obra começou em 2005 e só terminou em 2011. O projeto teve muito retraso em sua construção, o que triplicou os gastos. Há muitas críticas e controvérsias sobre essa superestrutura no centro da cidade, o design e o material escolhido, além de questionamentos sobre esses gastos do governo.

Porém, a ideia do edifício era justamente trazer um toque moderno para o centro de Sevilha, convertendo-se em um atrativo turístico. O que podemos dizer é que o objetivo foi alcançado, já que o complexo chegou a receber um milhão de visitantes somente no seu primeiro ano de inauguração.

Metropol Parasol

Vista da passarela da parte superior da estrutura (Foto: Eduardo Bittencourt)

metropol_arcos

Detalhe do enquadramento da estrutura para a cidade antiga de Sevilha (Foto: Eduardo Bittencourt)

No topo da estrutura de madeira, há uma grande passarela de concreto com 250m de largura, em que os visitantes podem andar e apreciar a cidade de cima em um tour 360º. O complexo também abriga um mercado, um museu, um espaço multifuncional para eventos, restaurantes e um espaço arqueológico, que conta com ruínas antigas conservadas.

caminho_

Visitantes caminham sobre o Metropol (Foto: Eduardo Bittencourt)

Apesar das críticas arquitetônicas, o Metropol Parasol é um grande exemplo de que a arquitetura antiga e a moderna podem conviver bem indica, inclusive, que a arquitetura contemporânea é criada para ressaltar e trazer mais vida para a arquitetura antiga. O que antes era uma praça sem vida, hoje é palco para encontros de cidadãos, turistas e todo o tipo de gente. É a prova de que, às vezes, a desproporção e o inusitado é a melhor solução para engajar pessoas em um entorno histórico esquecido.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Carmen Romero says:

    Artigo maravilhoso, objetivo e real… estive aí e confirmo todas as informações mencionadas, acrescentando a emoção de ver e estar diante e no interior de tal obra de arte.
    ESO ES Barbara!

    • Portobello says:

      Olá Carmen, tudo bem? 😊

      Sério? É um sensação extraordinária, não é mesmo? 😍
      Ficamos felizes que você tenha gostado da nossa matéria, continue acessando o nosso portal para ficar por dentro das novidades!

      – Equipe Archtrends Portobello