Menu
Projetos e Obras
Busca
novo mobiliário urbano

Adaptação ao novo mobiliário urbano (Por: Antonio Lanzillo e parceiros)

Conteúdo Correspondentes Internacionais

Novos modos de usufruir do espaço urbano

13/01/2021

Os mobiliários urbanos também sofreram adaptações durante a pandemia. No post, a seguir, compartilhamos alguns detalhes de adaptações criadas por grandes designers europeus; vem conferir!

Começamos com o projeto criado pelo studio de design milanês Antonio Lanzillo e parceiros. ‘’Shield’’ é uma invenção que propõe como podemos viver em nossas cidades durante e pós-pandemia. Nascidos da necessidade de retornar à normalidade, preservando a saúde e limitando a disseminação da COVID-19, os bancos possuem divisórias de plexiglass para manter as pessoas a uma distância social segura e, assim, limitar a possibilidade de contágio.

Novo mobiliário urbano
Novo mobiliário urbano por Antonio Lanzillo e parceiros (Imagem: Antonio Lanzillo e parceiros)

Os bancos, que antes eram espaços de socialização e permanência no espaço urbano, viraram grandes vilões e locais de contágio. A pandemia mudou a vida de todos nós e também o meio urbano das nossas cidades. Já não é mais viável sentar, relaxar e interagir com outros cidadãos no espaço público, por isso, Lanzillo resolveu propor uma solução para a situação atual.

Adaptação do mobiliário urbano por Antonio Lanzillo e parceiros (Imagem: Antonio Lanzillo e parceiros)

Com um design que protege e é completamente funcional, a coleção de bancos do escritório traz um design limpo e inovador. Uma versão em metal e outra em concreto, são capazes de garantir a distância social necessária através de divisórias em vidro ou acrílico. Os materiais com transparência permitem a barreira necessária, porém com um senso estético pouco invasivo, em harmonia com o ambiente onde estão inseridos. O projeto marca uma contribuição de Antonio Lanzillo e parceiros para a nossa nova normalidade durante a pandemia da COVID-19.

Adaptação do mobiliário urbano por Antonio Lanzillo e parceiros (Imagem: Antonio Lanzillo e parceiros)

Já Corona Crisis Kruk é um banco com uma alça projetado para respeitar o distanciamento social pela empresa de design holandesa Object Studio. O projeto permite que os usuários se sentem juntos, mas, ao mesmo tempo, separados. A peça do novo mobiliário urbano leve foi selecionada para o Dezeen Awards 2020 na categoria de design de assentos.

Corona Crisis Kruk por Object Studio (Imagem: Object Studio)

O projeto foi criado para ajudar as pessoas a se adaptarem à nova vida, seguindo as diretrizes dos governos em relação ao coronavírus. Formado por dois banquinhos unidos por uma viga com uma alça no meio, os móveis são feitos de pedaços de compensado que se encaixam e são parafusados um ao outro.

Corona Crisis Kruk por Object Studio (Imagem: Object Studio)

Eles podem ser facilmente manuseados e transportados para diferentes lugares, assim as pessoas podem socializar permanecendo a 1,5 metros de distância umas das outras. O Corona Crisis Kruk foi projetado para ajudar as pessoas a respeitar e visualizar a distância segura a ser mantida, graças às linhas de medição em estilo de régua gravadas na viga que conecta os dois bancos.

Corona Crisis Kruk por Object Studio (Imagem: Object Studio)

Assim que os bancos começaram a ser utilizados pelos parques e espaços urbanos na Holanda, a resposta foi incrível. As pessoas começaram a entender, imediatamente, a funcionalidade do projeto e adoraram usá-los. Atualmente, o Object Studio está oferecendo versões personalizadas para qualquer organização que queira seu próprio Corona Crisis Kruk, com todos os lucros doados para o Médicos Sem Fronteiras.

Gostaram do post? Os projetos são um ponto de partida para viver em nossas cidades nos próximos meses, durante a nova normalidade. Uma simples ideia que permite que as pessoas continuem a compartilhar espaços públicos e de permanência com segurança, podendo apreciar a área urbana com qualidade e sem preocupações com o contágio. Os cidadãos estão fartos do vírus e das regras de distanciamento social, mas temos que ser firmes e aguentar mais algum tempo, nos adaptando às novas medidas.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *