Menu
Projetos e Obras
Busca
Kokedama, cadeira vintage

Kokedama brinca com a lei da gravidade quando é pendurada por fios de nylon, parecendo que levita (Foto: Gergely Hideg)

Conteúdo Matérias

Kokedama: conheça a técnica japonesa de arranjos suspensos

21/06/2021

Mergulhe na essência da kokedama, uma técnica japonesa de arranjos suspensos, com simplicidade e elegância. E aprenda a fazer o seu!

Tornar os ares mais calmos, vivos e naturais são conquistas possíveis com a kokedama. Esses arranjos de plantas suspensos no ambiente entregam simplicidade e elegância aos projetos, ao melhor estilo oriental de decoração.

Se preferir, clique no play abaixo para ouvir o artigo completo:

No universo dos arranjos florais, a kokedama tem destaque. Inclusive, ela ganha ainda mais fôlego hoje em dia, graças aos novos conceitos de projetos sustentáveis com foco em bem-estar.

Neste artigo, você vai conhecer a tradição e beleza da kokedama com a ajuda da designer e proprietária do Wabi-Sabi Ateliê, Laura Sugimoto. Também vai aprender como montar o seu arranjo e decorar com ele.

Boa leitura!

O que é a kokedama?

Kokedama
Fios de nylon ou cordas de sisal dão o suporte para que o arranjo fique ao alto enquanto decora o ambiente (Foto: Laura Sugimoto)

A kokedama é, literalmente, uma bola de musgo, pois koke significa “musgo”, e dama, “bola”. Essa união de palavras caracteriza muito bem esse tipo de arranjo floral que atravessa séculos.

De origem japonesa, a kokedama nasceu para levitar. Ou seja, esse é um arranjo que deve ser pendurado, o que dá a essência e o design típicos de plantas suspensas.

Laura, que tem um ateliê dedicado aos arranjos orientais, explica como a kokedama se caracteriza na prática. “Sua montagem é feita com um passo a passo específico e materiais selecionados, que podem variar de acordo com a necessidade, para que o arranjo pronto se torne mais simples de cuidar”.

Fora o musgo — que dá a liga ao arranjo —, ele leva os mesmos “ingredientes” que o cultivo de espécies em vasos exige. Dessa forma, terra, argila e até pedrinhas fazem parte da kokedama, garantindo a consistência e o design da peça.

Qual é a história da kokedama?

Kokedama
“Pode ser considerada uma técnica simplificada de bonsai”, afirma Laura sobre a kokedama (Foto: Pexels)

A kokedama tem uma origem curiosa. No Japão, famílias imperiais e ricas decoravam seus palácios e suas casas com o bonsai. No entanto, esse tipo de arranjo tinha alto custo para as pessoas com menores condições financeiras.

Assim, as famílias menos favorecidas começaram a montar arranjos suspensos usando as cordas de sisal e a técnica de misturar terra com argila. Dessa alternativa econômica é que nasceu essa arte que foi aperfeiçoada e hoje se destaca.

Quais plantas cultivar nos arranjos suspensos?

Várias kokedamas
Há um certo limite técnico que faz com que nem todas as espécies possam ser usadas (Foto: Laura Sugimoto)

Esses arranjos orientais são bastante democráticos quanto aos tipos de plantas que podem ser cultivadas. 

“Basicamente, todas as plantas podem virar uma kokedama, mas existem aquelas que são mais resistentes e se adaptam melhor ao arranjo”, explica Laura.

Algumas das principais espécies de plantas para cultivar na kokedama são:

  • palmeira chamaedorea;
  • costela-de-adão;
  • chifre-de-veado;
  • samambaia;
  • filodendros;
  • zamioculca;
  • suculentas;
  • orquídeas;
  • begônias;
  • cactos;
  • jiboia;
  • jade.

Como montar os arranjos orientais?

Os arranjos de kokedama são bem fáceis de confeccionar. Ou seja, é uma ótima pedida juntar a família e fazer diversos em pouco tempo.

Separe os materiais

Primeiramente, você deve separar alguns materiais para fazer o seu arranjo. Confira os artigos para montar a sua kokedama:

  • pedrinhas — caso queira dar mais consistência ao arranjo;
  • rolo de corda de sisal;
  • argila ou musgo vivo;
  • fio de nylon;
  • tesoura;
  • água;
  • terra.

Limpe a raiz da planta

Depois de escolher a planta que será usada na kokedama, você deve limpar as raízes dela, removendo o excesso de terra.

Também procure deixar as raízes um pouco mais separadas, para que elas se acomodem melhor na “casa nova”.

Misture a terra

Aos poucos, misture a terra com a água, para que ela comece a ficar grudenta. Nesse momento, você pode adicionar as pedrinhas, se quiser. Com a terra bem consistente, o seu arranjo já poderá tomar forma.

kokedama
Com a montagem adequada, sua kokedama só precisa de espaço e regas adequadas para ficar bonita (Projeto: Mylena Bonfim)

Coloque a mistura na planta

Pegue a planta e comece a grudar a terra nas raízes, formando uma bola. Faça isso até atingir o tamanho desejado, sempre respeitando o limite do espaço onde você pretende decorar com o arranjo.

Amarre a bola de terra

Com a bola de terra feita, é hora de “selar” a peça.

Você pode usar o musgo vivo ou a argila, passando-os na bola de terra. Depois de espalhar o material escolhido, comece a amarrar o arranjo com a corda de sisal.

Passe a corda várias vezes na bola até atingir o design que você quer e que dê o suporte necessário para que o arranjo não se desmanche.

Por fim, é só dar um nó e cortar o excesso de corda.

Pendure

Você pode usar a corda de sisal ou o fio de nylon para pendurar. O primeiro garante um aspecto mais rústico, enquanto o segundo dá a impressão de que a kokedama flutua no ar.

Feita a escolha, passe o fio algumas vezes em volta do arranjo e o suspenda, apoiado em ganchos no teto. Está pronta a sua kokedama.

Como cuidar de uma kokedama?

As kokedamas requerem alguns cuidados bem básicos para que fiquem vistosas e sejam perenes.

Laura ensina que os tratamentos com os arranjos são “como em um vaso normal, pois os cuidados de iluminação, adubação e rega dependem de cada espécie de planta”.

Iluminação

Toda planta precisa de sua dose diária de iluminação. Portanto, veja se a espécie que você escolheu para o arranjo gosta de sol direto ou indireto.

Assim, você deve posicionar a kokedama no local mais estratégico para que a planta receba os raios do sol na quantidade certa.

Adubação

A adubagem para a kokedama deve ser feita com adubos líquidos misturados em água. Seja para crescimento, fortalecimento ou floração, certifique-se sempre qual é o ciclo da sua planta e adube de acordo com o tempo dela.

Kokedama
Durante a rega, use um paninho para enxugar a água que cair no chão e deixar o ambiente limpo (Foto: Laura Sugimoto)

Regas

Há, basicamente, dois jeitos de regar uma kokedama: com um balde d’água ou um borrifador.

No primeiro modo, você deve encher um balde com água e afundar a kokedama nele, pendurada ou não. Para que a terra absorva bem o líquido, deixe por alguns minutos e depois retire.

Já no segundo, basta borrifar água na terra e nas folhas. Esse modo é mais indicado quando a espécie exige poucas regas, como as suculentas.

Como decorar com a kokedama?

A kokedama ganhou versatilidade e contemporaneidade com o passar dos anos. Por isso, mais do que ficar pendurada, ela pode ser usada de diversos jeitos e em muitos locais, para além de ser suspensa.

Com moldura de madeira

Há molduras de madeira próprias para kokedamas, que dão um ar bastante contemporâneo à peça e combinam com espaços nesse estilo decorativo.

As molduras ficam bem quando usadas em ambientes internos, como salas e quartos, já que a madeira exposta tende a apodrecer com o tempo.

Com elementos naturais

As kokedamas podem ser encaradas como se fossem canteiros de jardim, com decorações naturais para adorná-las.

Madeiras, pedras e outros artigos que acompanhem a proporção e o estilo do arranjo são bem-vindos nesse modelo.

Kokedama
Kokedamas em prateleiras e estantes combinam bastante com o ambiente e dão leveza à mobília (Foto: Gergely Hideg

Com suporte de ferro

Do mesmo modo que as molduras de madeira, os suportes de ferro, pintados ou não, garantem um aspecto muito moderno aos arranjos.

Há bases de ferro pintadas de preto ou branco, que servem para vasos e podem sustentar a kokedama. Meça o diâmetro de cada suporte para fazer bolas de terra em medidas que se encaixem.

Direto na mesa

Sejam pequenas ou grandes, as kokedamas podem ser usadas diretamente em mesas, apoiadas em um pratinho ou outro apoio, ou mesmo sem. Isso funciona bem em ambientes externos, como varandas e sacadas.

Kokedama em mesa
Home offices merecem um toque da natureza, que traz ganhos de saúde e produtividade (Foto: Gergely Hideg

Jardim vertical

A kokedama pode ser usada também para a montagem de jardins verticais. Basta colocar vários arranjos apoiados em ganchos no teto, quase encostados na parede, formando uma cascata de plantas.

Em termos de design, tanto o desenho da cascata quanto o preenchimento da parede só dependem do que o ambiente e o seu gosto permitem.

Suspensa

O estilo mais tradicional de kokedama não tem limites para ser utilizado na decoração. Nessa linha, o arranjo pode decorar salas, quartos e banheiros, seguindo a aplicação japonesa original: apenas uma peça em um local estratégico, para dar destaque.

No teto

Apesar de terem sido criadas para serem apreciadas de perto, as kokedamas podem ser usadas bem ao alto, formando painéis no teto. Essa alternativa se adapta bem a projetos que contem com boa luminosidade e pé-direito alto.

Kokedama no teto
Deixar os arranjos a pouca distância do teto fará com que a beleza das plantas seja apreciada e criará um “lustre vegetal” (Foto: Gergely Hideg)

Para ter uma kokedama sempre vistosa, Laura orienta: “as plantas nos dão os sinais de que precisam de mais cuidado. Afinal, jardinagem é um exercício de observação e paciência. Cultivar é estar em contato com a natureza“.

Decorar com kokedama é uma maneira de destacar um ambiente de maneira sutil. Esse equilíbrio talvez seja um dos grandes presentes da cultura japonesa ao mundo, bem traduzido em arranjos de plantas que ensinam novos jeitos de ver a si e a vida.

Mergulhe mais fundo no orientalismo e conheça suas contribuições para uma vida leve. Descubra o estilo Wabi-Sabi e confira dicas de aplicações!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *