Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Técnica

Grandes formatos e lastras: usabilidade da argamassa ao assentamento

02/09/2020

Para garantir a segurança e a qualidade das obras com lastras e grandes formatos, os cuidados com a argamassa e o assentamento são essenciais. Confira!

A usabilidade da argamassa ao assentamento em grandes formatos e lastras foi o tema de uma live que realizamos em nosso IGTV Portobello, no Instagram. Participaram da conversa a especialista em capacitação da Portobello, Carol Werner e o Rodrigo Santos, parceiro da empresa Sika Brasil.

Na ocasião, foram esclarecidas diversas dúvidas sobre o tema, para que você possa ter ainda mais sucesso em seus projetos. A seguir, apresentaremos os principais tópicos que foram discutidos. Acompanhe!

A usabilidade da argamassa em grandes formatos e lastras foi tema de live em nosso IGTV (Projeto: Portobello S.A.)

A usabilidade da argamassa em grandes formatos e lastras foi tema de live em nosso IGTV (Projeto: Portobello S.A.)

Especificações da argamassa colante e as indicações de uso

Os termos ACI, ACII e ACIII são muito comuns no Brasil, em termos de construção. No entanto, para a realidade de  hoje, essas referências não são mais indicadas. Agora, a melhor maneira de indicar uma argamassa colante é por especificações.

A argamassa Clássica é ideal para aplicação em pisos internos (Foto: Portobello)

A argamassa Clássica é ideal para aplicação em pisos internos (Foto: Portobello)

Veja um exemplo: a argamassa colante Clássica da Portobello é uma ACII, que faz o básico, utilizada para porcelanatos para pisos internos, cuja especificação é para peças de até 1,90 x 1,90.

O diferencial químico da argamassa Múltipla + garante uma aplicação em ambientes internos e externos (Foto: Portobello)

O diferencial químico da argamassa Múltipla + garante uma aplicação em ambientes internos e externos (Foto: Portobello)

Ao especificar corretamente, você consegue otimizar custos, sem colocar os ambientes em risco. Exemplo disso acontece com a argamassa colante Múltipla +, que tem um diferencial químico, que possibilita aplicação em ambientes internos e externos.

Além disso, essa  argamassa pode ser utilizada em ambientes domésticos e em locais comerciais de tráfego leve, como um restaurante ou loja de shopping, por exemplo.

O assentamento sobre outros pisos é facilitado por a argamassa Superior Branca (Foto: Portobello)

O assentamento sobre outros pisos é facilitado por a argamassa Superior Branca (Foto: Portobello)

Já a argamassa colante Superior Branca é do tipo ACII e faz sobreposição interna e externa. Ela permite que sejam feitos assentamentos sobre outros pisos e também em grandes formatos, com secagem rápida. Além disso, apresenta um bom desempenho em áreas externas, sendo resistente às intempéries da natureza.

Para áreas externas a Máxima Branca é a argamassa mais indicada (Foto: Portobello)

Para áreas externas a Máxima Branca é a argamassa mais indicada (Foto: Portobello)

A argamassa Máxima Branca, por sua vez, é um produto que tem uma tipologia ACII, indicada para áreas externas, como piscinas, saunas, churrasqueiras etc. Ela garante mais flexibilidade para situações com variações térmicas, oferecendo segurança e aderência.

Um líquido para o preparo acompanha a argamassa Ultra (Foto: Portobello)

Um líquido para o preparo acompanha a argamassa Ultra (Foto: Portobello)

Para projetos de gigantes formatos em pisos externos e internos, como os locais com grande circulação de pessoas, a argamassa indicada é a Ultra Bicomponente. Essa argamassa também vem acompanhada com um líquido para o preparo, não sendo necessário fazer a mistura com água.

A melhor maneira de aplicar a argamassa

Ao aplicar a argamassa, é sempre recomendado seguir as orientações do fabricante. As empresas que desenvolvem esse tipo de produto realizam diversos testes antes de colocá-los à venda no mercado.

A quantidade de água a ser misturada na argamassa, por exemplo, precisa ser exatamente a que é indicada pelo fabricante. Se o assentador acrescentar mais ou menos líquido, não terá uma garantia de segurança e qualidade da obra.

Os cuidados devem ser ainda mais intensos quando falamos de assentamento no teto. Por conta do peso, o melhor formato a ser usado é o 60×120 e a melhor argamassa é a ultra bicomponente. Nesse caso, também é necessário fazer um escoramento por 14 dias, para garantir a colagem. A dupla colagem também é fundamental, assim como a desempenadeira com o tamanho correto.

Técnicas de assentamento para lastras e grandes formatos

Para garantir a qualidade no assentamento das lastras e grandes formatos, alguns cuidados devem ser tidos (Projeto: Portobello S.A.)

Para garantir a qualidade no assentamento das lastras e grandes formatos, alguns cuidados devem ser tidos (Projeto: Portobello S.A.)

As técnicas de assentamento são as mesmas para as lastras e grandes formatos. Para fazer a aplicação, é necessário realizar a dupla colagem com argamassa colante, no verso da placa e na base do assentamento.

De tal maneira, é necessário garantir que 100% do verso da peça esteja preenchido, independentemente do seu tamanho. Por serem materiais muito finos, caso o fundo não tenha uma base sólida, as lastras podem quebrar, causando até mesmo ferimentos nas pessoas.

Para fazer o assentamento de lastras e peças de porcelanato em grandes formatos é necessário utilizar equipamentos específicos, como um carrinho que segura a placa durante a aplicação da argamassa. Os assentadores também devem ter preparo e treinamento para isso, sabendo como fazer a colocação de ventosas e o arraste das peças de maneira correta.

Rejunte em lastras e grandes formatos

O rejunte Prime não contém areia na formação, o que proporciona mais qualidade (Foto: Portobello)

O rejunte Prime não contém areia na formação, o que proporciona mais qualidade (Foto: Portobello)

A Portobello também disponibiliza rejuntes de grande qualidade para os clientes. Um dos principais produtos é o Prime, que é cimentício, sem areia na formação, o que dá um melhor desempenho e durabilidade para a cor.

O Prime tem a tecnologia dual mix, que possibilita fazer ajustes de água, melhorando a consistência, sem perder qualidade. Isso faz com que o produto possa ser aplicado em lastras e porcelanatos maiores.

O rejunte epóxi Máximo tem características antibactericidas (Foto: Portobello)

O rejunte epóxi Máximo tem características antibactericidas (Foto: Portobello)

Para grandes formatos, também pode ser utilizado o rejunte epóxi Máximo. Cada ambiente tem suas características. Por isso, deve-se pesquisar qual é o melhor rejunte para cada situação.

Os rejuntes epóxi também têm ação antibactericida, conseguindo eliminar até 99% de fungos e bactérias existentes no local. De tal maneira, se evitam que os espaços possam armazenar agentes contaminantes que  transmitem doenças. É por isso que eles são muito indicados para a arquitetura hospitalar, por exemplo.

Outra indicação do epóxi é para piscinas, já que ele não esfarela e tem ação antibactericida. Assim, se evitam problemas de contaminação no ambiente, principalmente quando não há a possibilidade de fazer a limpeza e manutenção com frequência.

Na aplicação de fachadas, no entanto, os rejuntes acrílico e epóxi não são recomendados, tendo em vista que as variações térmicas podem comprometer a qualidade. Por ter mais flexibilidade, o Prime é o rejunte mais interessante, entregando um desempenho fantástico.

Já para os porcelanatos antiderrapantes, os rejuntes acrílico e epóxi também são indicados, já que são mais rugosos. Eles também são mais fáceis de serem limpos, o que é uma necessidade, principalmente em locais com grande circulação de pessoas e veículos.

Cuidados com o rejunte

Na limpeza do rejunte, é preciso ter cuidado com a água, que deve ser sempre limpa. Assim, os resíduos de material não voltam para a aplicação, tampouco sujeiras que podem entrar em contato com o líquido.

Outra dica interessante é em relação às condições do tempo. Em épocas ou regiões mais quentes, o acabamento deve ser feito mais rapidamente, por exemplo, já que a secagem é mais rápida.

Também não é recomendado aplicar e limpar rejunte no sol, já que o calor causa desidratação no material. Por isso, as áreas com sombra e mais úmidas são as mais interessantes para realizar esse trabalho.

Correção de eflorescência na argamassa

A impressão de que o rejunte está escorrendo é um fenômeno chamado de eflorescência (Foto: Torange)

A impressão de que o rejunte está escorrendo é um fenômeno chamado de eflorescência (Foto: Torange)

A eflorescência é o fenômeno que ocorre quando se tem a impressão de que o rejunte está escorrendo na parede. Isso ocorre por uma série de fatores, como o não obedecimento do tempo de cura, falta de tratamento com impermeabilizantes, que causam infiltração etc.

É por isso que todos os cuidados devem ser tidos, para que essa reação química não aconteça. O assentamento e as orientações do fabricante devem ser sempre seguidas, para que isso não aconteça. Também se deve evitar que as paredes tenham infiltrações.

Assentamento de lastras em bases especiais

As lastras podem ser assentadas em bases especiais, como a madeira, o metal ou o MDF, como em painéis de TV e portas, por exemplo. Nesse caso, a argamassa de extrema aderência é a mais indicada, por ter base epóxi.

Essa argamassa é tricomponente, sendo necessário o preparo com dois líquidos que acompanham o produto. Assim, se garante a qualidade da obra.

As argamassas que citamos aqui fazem parte de uma linha exclusiva feitas pela Sika, em parceria com a Portobello Shop. Você pode encontrar esses produtos em todas as nossas lojas.

Gostou de aprender mais sobre a usabilidade da argamassa em lastras e grandes formatos? Para saber ainda mais, recomendamos que você acesse o nosso IGTV e confira a live na íntegra. Temos a certeza de que será muito produtivo para você!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *