Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Técnica

Fachadas ventiladas: 13 benefícios para o seu projeto

09/10/2019

Descubra o que são as fachadas ventiladas, entenda como elas ajudam a modificar os projetos e confira quais são os principais benefícios dessa inovação!

Sem tempo para ler? Que tal OUVIR esse texto? Clique no play!

Você busca opções que ofereçam mais segurança e valor agregado aos seus projetos? Então, precisa conhecer a enorme versatilidade das fachadas ventiladas.

Embora elas ainda sejam pouco conhecidas, mais de 40 projetos arquitetônicos país afora já testaram e atestaram que esse tipo de revestimento é belo e durável.

Para ajudá-lo a identificar as melhores opções, elaboramos este conteúdo completo com todas as informações importantes sobre as fachadas ventiladas. Confira!

O que são as fachadas ventiladas?

Trata-se de um sistema cujas placas são fixas por meio de uma estrutura metálica no lugar do tradicional reboco com argamassa colante. Isso o coloca à frente da estrutura dos edifícios como um revestimento extra.

Vale destacar que as fachadas ventiladas não levam esse nome por acaso, pois existe um espaço (mínimo de 7 cm e máximo de 50 cm) entre o revestimento e a parede.

Assim, constrói-se uma câmara de ar, gerando o “efeito chaminé”, que isola termicamente o interior (do frio ou calor) e o exterior da obra, aumentando o conforto e economizando a energia.

Exemplo de fachada ventilada em Ilha Pura, Rio de Janeiro (Projeto: Arquitetos do Rio)

Exemplo de fachada ventilada em Ilha Pura, Rio de Janeiro (Projeto: Arquitetos do Rio)

O “efeito chaminé” acontece quando o ar frio entra pela parte inferior e o ar quente é removido pela parte superior. Assim, há uma ventilação contínua no sentido vertical, que oferece maior conforto térmico e reduz a necessidade de energia elétrica da edificação.

Outra vantagem do “efeito chaminé” é que a circulação do ar ajuda a eliminar manifestações patológicas causadas por problemas de umidade.

No entanto, o maior benefício para o proprietário é a segurança, pois as fachadas ventiladas são sistemas industrializados projetados e montados que contam com até 10 anos de garantia das empresas fornecedoras — um modelo de negócio muito diferente do tradicional sistema aderido.

Por fim, a flexibilidade arquitetônica é outra novidade, já que as placas que formam as fachadas ventiladas não têm nenhuma limitação de altura ou tamanho, além de permitirem volumetrias inovadoras.

Como surgiram as fachadas ventiladas?

As fachadas ventiladas foram criadas na Escandinávia na década de 1940, ajudando a melhorar o desempenho térmico dos prédios. O principal objetivo dessa criação era conter os ventos gelados do inverno sueco, norueguês e dinamarquês, que é bastante rigoroso.

Em 1980, os ingleses adicionaram uma função estética à criação e incorporaram mais qualidade acústica. Assim, as fachadas ventiladas começaram a agregar novos conceitos e os britânicos se tornaram os maiores exportadores desse tipo de construção.

Atualmente, investimentos em tecnologias para fachadas ventiladas ainda são feitos com novas opções de revestimentos capazes de se integrar à estrutura e sistemas de encaixe com mais segurança, entre diversas outras inovações.

Projeto de fachadas ventiladas para o Shopping Pátio Brasil, em Brasília (Projeto: Portobello S.A.)

Projeto de fachadas ventiladas para o Shopping Pátio Brasil, em Brasília (Projeto: Portobello S.A.)

Como é a composição das fachadas ventiladas?

O sistema de fixação das fachadas ventiladas é muito mais simples do que o do aderido porque não requer a aplicação de chapisco, emboço, argamassa colante e rejunte.

Por ser uma instalação a seco, a limpeza final é feita com pano úmido. Ou seja, muito mais prática do que aquela realizada com ácidos e hidrojato.

A fachada ventilada pode ser empregada tanto em obras novas quantos em reformas (retrofit), sendo que cada sistema é projetado de acordo com as exigências estéticas e funcionais do empreendimento em questão.

As fachadas ventiladas são soluções sustentáveis como a aplicação no Supermercado Tauste, em Campolim (SP) 

As fachadas ventiladas são soluções sustentáveis como a aplicação no Supermercado Tauste, em Campolim (SP)

De forma geral, o processo de execução é rápido, pois os revestimentos e as ancoragens mecânicas são materiais pré-fabricados.

Abaixo, confira os componentes que dão suporte às placas das fachadas ventiladas:

  • uma camada aplicada de material isolante, que atenua a transferência de calor ao longo dos elementos nos quais ela é aplicada. Embora o seu uso seja opcional, ela é bastante indicada;
  • a base, que serve essencialmente como um suporte de fixação e que deve ser protegida com uma camada de isolamento térmico para evitar problemas relacionados à umidade (também pode ser pintada com aditivos hidrófugos);
  • o material de revestimento de sua preferência. Os painéis são fixos à estrutura de apoio por meio de encaixes metálicos;
  • uma subestrutura que tem como principal objetivo o auxílio à fixação das camadas. Ela pode ficar visível ou oculta, dependendo dos sistemas de fixação usados, dos revestimentos e dos dispositivos de ancoragem;
  • a câmara de ar, citada previamente, que garantirá o espaço de circulação e escoamento de água. Ela fica localizada entre a base de suporte e as placas da fachada ventilada, permitindo a ventilação natural. É preciso possuir uma espessura mínima de 2 cm (quanto maior for a medida, melhor será o “efeito chaminé”);
  • as juntas, que serão instaladas entre as placas ou os painéis, podendo ser horizontais ou verticais. O tipo de junta dependerá da estrutura de fixação e do espaçamento entre as placas ou os painéis.
Edificio Reñaca Norte (Projeto: MK Inmensamente Exclusivo)

Edificio Reñaca Norte (Projeto: MK Inmensamente Exclusivo)

Como deve ser um projeto de fachadas ventiladas e quais são as etapas de instalação?

O primeiro passo deverá ser o planejamento, com um detalhamento sobre a fixação e a modulação das placas. Depois, deverá ser planejada a pré-fabricação, com detalhes e informações sobre o corte dos revestimentos e outros pontos.

A instalação somente deverá ser feita depois de o projeto executivo estar pronto e aprovado, reduzindo, assim, os custos, o tempo e a necessidade de mão de obra.

É importante que a execução seja sempre feita por profissionais qualificados e especializados, pois será preciso instalar os componentes de fixação e alinhá-los com o prumo da fachada.

Como as fachadas ventiladas podem contar com diferentes revestimentos (porcelanato, cerâmica, fibrocimento, fenólicos etc), é importante avaliar muito bem as exigências de eficiência energética do projeto.

Outros detalhes que merecem atenção são os dispositivos metálicos usados para sustentar o sistema, além dos demais componentes, como os selantes estruturais, que podem ser necessários para fixar os painéis, variando de acordo com o revestimento usado.

Quais são vantagens das fachadas ventiladas?

Com base no que vimos, dá para ter uma boa ideia das vantagens que os arquitetos e as empreiteiras identificam no uso das fachadas ventiladas, não é mesmo? Mas vamos analisar em detalhes os principais pontos positivos desse tipo de construção.

1. Apelo estético

Partindo do óbvio, que salta aos olhos para quem observa um edifício com a fachada ventilada, vale mencionar que o projeto adquire um apelo estético irresistível.

Isso sem falar que a estrutura é diferenciada em relação ao que vemos nos prédios atualmente. Assim, é possível criar um efeito interessante, que chama a atenção das pessoas nas ruas de imediato.

Outro ponto interessante é que esse sistema remove algumas barreiras à criatividade, como:

  • não ter limitações para a altura do edifício;
  • permitir o uso de placas de porcelanato de grandes formatos e lastras;
  • possibilitar a criação de volumes sem ter que fazer enchimentos ou estruturas complexas;
  • permitir a composição com outros elementos, como brises e vidros, para ventilação ou ocultação de máquinas de ar-condicionado.

É justamente por isso que as fachadas ventiladas são tão usadas em projetos de retrofit, dando uma “cara nova” aos prédios, ao mesmo tempo em que os torna mais eficazes e sustentáveis.

2. Durabilidade

Os sistemas são desenhados para a máxima performance, oferecendo entre 200 e 300 vezes mais área de fixação do que os grampos simples ou inserts metálicos.

3. Garantia

Em geral, é oferecida uma garantia de 10 anos pelos serviços prestados de materiais, projeto e instalação.

O Boulevard 14/32, que fica de frente para o novo Aeroporto Internacional de Florianópolis, tem uma fachada ventilada composta por porcelanatos da Portobello (Projeto: Juliana Castro)

O Boulevard 14/32, que fica de frente para o novo Aeroporto Internacional de Florianópolis, tem uma fachada ventilada composta por porcelanatos da Portobello (Projeto: Juliana Castro)

4. Segurança

São poucas as empresas do mercado capazes de entregar laudos de laboratórios independentes, atestando que a solução oferecida atende à normativa brasileira de ventos e impactos.

A Portobello é uma delas. Todas as obras são asseguradas por apólice de seguro e registro de um responsável técnico brasileiro.

5. Fácil gestão da obra

Gerenciar todos os aspectos de uma obra é um serviço muito complexo e demanda total conhecimento da equipe técnica.

O modelo de venda da solução completa consiste em um único contrato de fornecimento que já contempla materiais, projeto, instalação, fiscalização e garantia.

6. Fácil manutenção

Os painéis das fachadas ventiladas são independentes, o que facilita a manutenção, permitindo reparos, mudanças e checagens de forma mais ágil.

Eventuais defeitos de projeção ou instalação são cobertos por 10 anos de garantia.

7. Rapidez na instalação

A fachada ventilada permite a instalação em um tempo pelo menos quatro vezes menor do que o método tradicional. O motivo para isso é que se trata de um sistema industrializado a seco de alta produtividade.

8. Conforto térmico

O “efeito chaminé” de circulação natural do ar por dentro da fachada isola o ambiente interno do externo, reduzindo em até 20% o consumo de ar-condicionado.

9. Sistema respirante

O sistema da fachada permite a dispersão do vapor de dentro das paredes, o que elimina a umidade nos edifícios.

Isso significa que as fachadas ventiladas também ajudam a melhorar a conservação da estrutura e reduzir os problemas causados pela umidade.

A fachada ventilada também tem um grande apelo estético, ajudando a destacar os edifícios, como é o caso do Sunset Plaza Residence Club, em Maringá (Projeto: Mendes Cardoso Arq.)

A fachada ventilada também tem um grande apelo estético, ajudando a destacar os edifícios, como é o caso do Sunset Plaza Residence Club, em Maringá (Projeto: Mendes Cardoso Arq.)

10. Estanqueidade à água

Outra vantagem importante é que o sistema, quando bem dimensionado, consegue controlar a entrada de água da chuva e eliminar as infiltrações — uma das causas mais usuais de deterioração das fachadas.

Além disso, há a possibilidade de idealizar uma fachada com soluções de reaproveitamento de água da chuva, o que é capaz de tornar um projeto ainda mais sustentável.

11. Facilidade de limpeza

Considerando a alta durabilidade desse tipo de fachada e o baixo grau de absorção de água, a limpeza das placas pode ser realizada pela própria água da chuva, reduzindo o acúmulo de sujeira e inibindo a fixação de produtos químicos, como compostos, tintas e até pichações.

As fachadas ventiladas também são ótimas para destacar pontos comerciais (Projeto: Portobello S.A.)

As fachadas ventiladas também são ótimas para destacar pontos comerciais (Projeto: Portobello S.A.)

12. Sustentabilidade

As fachadas ventiladas são boas soluções para projetos sustentáveis, especialmente devido ao uso de materiais recicláveis e ecologicamente corretos no seu processo de fabricação e pela menor geração de resíduos durante a obra.

Além disso, como vimos, elas oferecem mais eficiência energética às construções graças ao seu “efeito chaminé”, que gera uma ventilação contínua e melhora o conforto térmico no interior dos edifícios, diminuindo a necessidade de uso de aparelhos de ar-condicionado e outros, o que reduz o consumo de energia elétrica.

Ainda é possível aliar outras soluções capazes de deixar o projeto ainda mais sustentável, como o reaproveitamento das águas das chuvas.

Detalhe da fachada do Hotel Bristol, no Rio de Janeiro (Projeto: Portobello S.A.)

Detalhe da fachada do Hotel Bristol, no Rio de Janeiro (Projeto: Portobello S.A.)

13. Outras vantagens

Além de todos esses benefícios, as fachadas ventiladas ainda contam com muitos outros, como:

  • uso do espaço entre as placas e a parede para instalações hidráulicas ou elétricas ou para a adição de materiais que proporcionem maior conforto térmico ou acústico;
  • grande variedade de cores, formas e texturas;
  • menos ruídos.

O sistema de fachadas ventiladas é extremamente versátil e pode ser aplicado em todas as tipologias arquitetônicas, como obras comerciais (uso do shaft para passagem de instalações e menor custo de reposição), residenciais (considerável redução do prazo), equipamentos urbanos (redução do custo de manutenção), hotéis (reforma rápida, com menor interdição e menos ruídos para os hóspedes) e hospitais (com a opção de incluir um revestimento bacteriostático).

Como você viu neste conteúdo, as fachadas ventiladas são uma maneira inovadora de transformar os edifícios, principalmente favorecendo o conforto térmico e a eficiência energética dos projetos, deixando-os mais sustentáveis e, claro, muito mais bonitos e diferenciados.

Se você se interessou pela versatilidade das fachadas ventiladas, temos um convite: aproveite para dar uma conferida em nosso artigo Arquitetura sustentável: como as lastras contribuem para alcançar esse objetivo. Até a próxima!

Foto de destaque: Fachadas ventiladas aliam modernidade e sustentabilidade em projetos, como na fachada do Edifício Ilha Pura, no Rio de Janeiro (Projeto: Arquitetos do Rio)

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *