Menu
Projetos e Obras
Busca
Estilo rústico na decoração

Decoração

Estilo rústico na decoração: veja como criar ambientes lindos e aconchegantes

08/11/2019

O estilo rústico na decoração traz para as casas ou os ambientes comerciais uma noção de conforto somada a sentimentos como saudade e afeto. Esse estilo também remete ao contato com a natureza e proporciona a criação de cenários tanto lúdicos, como elegantes. Conheça seus principais elementos, suas funções e um pouco da história.

Foi-se o tempo em que uma residência com estilo rústico era exclusividade das casas de campo. A decoração moderna entende que esse movimento traz um charme único, que além de confortável e atual, remete a elementos da natureza na escolha que pode conviver muito bem tanto em ambientes de campo, como em ambientes urbanos.

Para entender melhor esse recurso e todas as possibilidades do estilo rústico na decoração, fomos em busca de mais informações, ideias, dicas e aproveitamos para conversar com um arquiteto experiente na área, Reinaldo Lopes, do escritório ATC Arquitetura, com quase 25 anos de projetos residenciais, comerciais e corporativos.

Com toda sua experiência, Reinaldo fala sobre esse estilo que tem sido cada vez mais buscado nas decorações atuais: “os materiais com características rústicas possuem uma proximidade maior com a natureza e, portanto, em um mundo moderno e tecnológico como o que vivemos, proporciona o resgate de memórias afetivas que, por vezes, nos trazem boas recordações”, explica o arquiteto. Para ele, afetividade e lembrança de momentos em que estivemos mais próximos da natureza ajudam a constituir o que faz parte desse estilo.

Principais características da decoração rústica

Estilo rústico na decoração

Sala de jantar com parede rústica revestida com Terracotta Di Siena | Reinaldo Almeida Lopes

Os materiais de acabamento com características rústicas têm, em sua essência, algo de mais próximo ao natural, ou seja, pode-se dizer que são encontrados ou comercializados na forma mais semelhante à encontrada na natureza. “Essa característica, subjetivamente, reserva aos materiais rústicos uma espécie de memória afetiva, de aconchego, de proximidade à natureza”, explica Reinaldo Lopes.

A palha, o barro, a pedra, o cobre e a madeira são exemplos de elementos que nos remetem propositalmente ou não às origens, aos nossos antepassados. Assim, consequentemente, experimentamos sensações de nostalgia, afeto, conforto, e carregamos recordações do que vivemos e até do que gostaríamos de ter vivido. A decoração rústica tem esse efeito e, para saber lidar com ela, separamos algumas dicas.

Partindo do ponto que a decoração rústica é aquela que apresenta recursos que convidam para essas sensações descritas, vale conhecer uma lista dos principais elementos que trazem consigo esse convite. Vamos relatar os cuidados, as maneiras de usá-los e de combiná-los.

Móveis de madeira

A madeira convoca a rusticidade, quando as palavras “rústico” e “madeira” se encontram na mesma frase é natural que a primeira imagem que venha à mente seja a de um espaço com móveis todos da mesma cor e com a madeira brilhante, cortada à mão. Mas nem sempre a decoração com esse elemento precisa aplicar apenas o conceito apresentado, há inúmeros projetos que podem ser desenvolvidos com a madeira.

Os móveis de madeira trazem conforto visual, são convidativos e podem se combinar com diversos outros materiais e acabamentos. A madeira é versátil e, ao mesmo tempo, também um clássico, por isso, as suas possibilidades são infinitas.

“Os materiais com características rústicas podem ser aplicados em inúmeras situações, mas dois conceitos fundamentais podem direcionar um trabalho de arquitetura com ótimos resultados: os conceitos de contrastes e harmonia”, relata Reinaldo Lopes quando conta sobre as possibilidades de jogar entre o rústico e o novo num mesmo espaço e ambiente.

Dos móveis de pallets e caixotes de madeira aos móveis feitos em madeira de demolição ou madeira antiga, a decoração com este material pode elevar o estilo rústico de múltiplas maneiras. Rodinhas em um pallet já criam uma mesa de centro charmosa; quatro pallets lixados no chão fazem uma cama; caixotes de madeira pendurados na parede criam lindas estantes, e quando empilhados um sobre o outro, viram um criado.

Para quem quiser dar um toque sofisticado, basta decorar esses móveis com objetos em metal ou em vidro. Essa mistura que faz o rústico elegante é tendência já há algum tempo e faz todo sentido para o ambiente urbano: a madeira e o vidro; a madeira e o metal; a madeira e o acetato. Enfim, muitos materiais combinam com a madeira se a intenção for criar um ambiente rústico com toques modernos.

Plantas na decoração

O primeiro significado de rústico é relativo ao campo, à zona rural. A palavra também evoca àquilo que é próprio da vida no campo, ou rusticano. Por isso, quando a ideia for de criar um ambiente rústico, o uso de plantas pode ser um ótimo recurso.

A vegetação traz mais vivacidade à decoração, é ela que leva para a experiência mais próxima da natureza e pode ser uma boa mesclar, em cada ambiente, flores e folhas. Se o cliente tiver dificuldade de cuidar delas, visto que demandam luz, água, adubação e nem todo ambiente ou revestimento aceitam facilmente luz e água, use plantas falsas ou secas. A iniciativa de criar um Urban Jungle é tentadora, mas é preciso conhecer quais espécies de plantas se adaptam melhor ao ambiente que se quer decorar.

Vale apostar em diversos recursos para posicionar os vasos no local. Por exemplo, os vasos pendurados dão uma noção diferente do uso do espaço, ao mesmo tempo que exigem uma atenção no que diz respeito à irrigação (para não haver goteiras no chão). Para facilitar, já existem no mercado as opções de vasos autoirrigáveis, e há quem formule técnicas para realizar a irrigação por capilaridade em plantas que acabam por ficar em locais de difícil acesso nas casas ou apartamentos.

Além dos vasos pendurados, vale também pensar em diferentes alturas de suportes para as plantas. E aí, se a ideia for manter um estilo rústico, aposte muito na madeira, em pedaços de troncos recuperados, tudo que fizer essa referência aos elementos da natureza.

Expô-las em prateleiras, ainda que seja em meio a livros e fotos, cria todo um aspecto rústico simpático para aqueles que frequentam os ambientes. O jardim vertical está em alta e é uma ótima forma de aproveitar o espaço e levar o verde para uma parede que antes era só concreto (via de regra).

Nesse caso, por estar encostada em um muro ou parede, o ideal é que o ambiente receba um revestimento que o impermeabilize, para que a rega da planta não resulte em qualquer consequência danosa para a estrutura que fica atrás.

Objetos em cobre

A decoração com toques de cobre voltou a ser referência em 2012 e, poucos anos depois, já estabelecia sua notoriedade. A beleza do cobre é incontestável, mas sua ligação com a decoração rústica talvez não seja tão evidente em uma primeira abordagem.

Se pensarmos que a decoração de casa com elementos em cobre ressurgiu como tendência com os (as) designers e as (os) blogueiras (os) há poucos anos, entenderemos que não é algo tão antigo assim a ponto de ser considerado rústico. Porém, o cobre já está presente há muitos anos nos tachos de fazer doce das fazendas e no alambique da cachaça, por exemplo.

Essa tendência chegou junto a uma série de outras que buscavam o retrô e o vintage como elementos de moda e decoração e até como forma de viver — um resgate à natureza, aos hábitos dos avós.

O cobre martelado é um elemento que será muito mais facilmente encontrado nas casas dos avós ou bisavós. A rusticidade está exatamente em ter objetos que remetem a um uso de longa duração, que independem da moda, que sejam resistentes, que se adaptem aos diversos ambientes e ao tempo. Por isso, o cobre traz essa memória e essa sensação de rusticidade, ainda que seja em um objeto novo.

Artesanato

A diferença entre arte e artesanato ainda é sutil. Na idade média, onde os artistas e artesãos não assinavam suas criações, arte e artesanato eram percebidos e comercializados de forma quase idêntica.

O artesanato, nos dias de hoje, tende a ser visto como aquele artefato realizado manualmente com objetivo mais comercial que artístico. Por isso, é mais acessível que a peça de arte, ainda assim, ele traz uma rusticidade característica. É uma modelagem comprada em uma cidade histórica, ou um objeto carinhosamente feito e oferecido por alguém. Esses elementos, combinados a uma decoração cuidadosa, auxiliam na criação do conforto do ambiente.

Objetos em Vime e Rattan

Uma dupla que marca presença frequentemente no estilo rústico é o Vime e o Rattan. O Vime, um material de origem primitiva, retirado de varas moles e também flexíveis, é quase um conto de História. Documentos contam que ele é encontrado em referências desde o Egito Antigo até em peças sobre a Pérsia da Antiguidade.

Com ele, eram produzidos desde objetos para casa até escudos. Hoje, mesmo quando não se usa a matéria vegetal, é chamada de Vime aquela técnica que leva um trançado — o mais comum é vê-lo em cestos e móveis como poltronas.

Já o Rattan é como é chamado o que, na verdade, representaria em torno de 600 espécies de palmeiras que pertencem à família Calamoideae. E aqui também se volta ao mundo antigo, quando o elemento era usado para fabricação de nós de lanças, extração de óleos essenciais e, claro, para entrelaçados que formassem móveis.

Hoje, seu uso é tão reconhecido que as florestas que apresentam esse elemento são, inclusive, mais preservadas, uma vez que sua origem é totalmente vegetal, necessitando de um tratamento especial para mantê-lo conservado nos móveis dentro de casa.

Esse material também é conhecido como manila ou malaca, ele é chamado assim como homenagem aos portos de embarque Manila e Malaca City na Malásia. A preferência por utensílios de origem vegetal, renováveis e com fabricação artesanal também é um ponto forte do estilo rústico — quanto menos ele agredir o meio ambiente, maior pode ser a sensação de bem-estar.

Após reconhecer os principais elementos de uma decoração rústica, resta saber se o desejo está em decorar um ambiente residencial ou comercial, e seguir algumas dinâmicas para isso.

Como usar a decoração rústica em ambientes residenciais?

Uma casa pede, naturalmente, mais aconchego, por isso, os ambientes residenciais são os espaços mais abertos para se jogar com conceitos, experiências, misturar memória afetiva com o novo e o inovador. Reinaldo Lopes põe em ação os conceitos de contrastes e harmonia dentro da arquitetura e da decoração residencial.

“Em um ambiente predominantemente moderno, por exemplo, se aplicarmos alguns materiais, sempre bem dosados, com características rústicas, estes podem adquirir um ‘sabor’ especial”, conta o arquiteto, que continua “isso pode estimular a memória afetiva ou até mesmo incitar ou estimular os sentidos de forma inusitada”.

O contrário também pode oferecer um resultado bastante satisfatório, ou seja, um ambiente predominantemente rústico pode reservar como “surpresa” algo clássico ou moderno que pode surpreender o usuário ou frequentador desse espaço.

Os materiais a serem selecionados para cada ponto da casa também podem variar. A exemplo de uma cozinha, onde é preferida a madeira crua para mesas e cadeiras, e no banheiro ou lavabo, se busca a rusticidade com pedras naturais ou a cerâmica.

O estilo rústico na decoração Provençal

Esse estilo tem a origem na região da Provença, no sudeste da França. Lá a população é conhecida por viver entre a produção de uvas para vinho, azeitonas para o azeite e lavandas para os óleos essenciais e perfumes. Por isso, a forma de vida permanece ligada ao campo, ainda que na cidade grande.

A região também contempla uma arquitetura única, com portas e janelas pintadas de tons pastéis e uma decoração interior rústica e romântica ao mesmo tempo, geralmente com pedras, móveis brancos, muitas flores e madeira.

E em ambientes comerciais, como criar um estilo rústico que combine?

A solução para esta criação pode ser semelhante ao processo de uma decoração rústica em ambientes residenciais, mas Reinaldo Lopes enfatiza uma diferença. “Nos ambientes comerciais, deve-se procurar uma afinidade entre os materiais que serão especificados para os acabamentos com os produtos em questão”, ele explica, “por exemplo, numa pizzaria artesanal, materiais rústicos são muito bem-vindos”. A ideia deve casar com o objetivo do ambiente!

Em um ambiente que convida à leitura, a madeira e a luz direcionada também formam o cenário ideal para a atividade. Assim como num espaço em que se vende uma vida saudável, as plantas podem incrementar a ideia.

Reinaldo ainda exemplifica para situações em que o imóvel está localizado em regiões mais tradicionais da cidade, ele cita a própria experiência: “meu escritório, atualmente, fica na região da Mooca, que é um bairro antigo de São Paulo, portanto, em alguns trabalhos de reforma costumo aplicar o tema rústico, fazendo com que dentro do mesmo projeto, o rústico, o antigo e o original convivam harmoniosamente com o tecnológico, com o moderno e com o atual”. Um toque de mestre!

O rústico gastronômico

Os espaços que lidam com alimentos como cozinhas, copas e espaços de restaurantes já trazem um elemento naturalmente rústico: a comida. A decoração pode se distanciar da rusticidade deste elemento, oferecendo cores frias, materiais de inox e metais, ou pode entrar em cheio no estilo, com muitas peças em madeira, lareiras quando for o caso, fornos rústicos, plantas comestíveis, velas e até cachos de uva sobre as mesas.

Ainda é possível, como já mencionado, mesclar os elementos com maestria. Colocar objetos arrojados junto a uma tábua de madeira para pães; abusar dos utensílios de inox junto à decoração com plantas. Tudo isso cria uma atmosfera inovadora e convidativa. A experiência imemorial de se alimentar remete ao prazer de lembranças passadas, de cheiros e sabores queridos que combinam com o rústico.

O rústico sofisticado

Nem todo ambiente rústico necessita manter-se 100% nessa temática, pois essa decoração é muito mais flexível e adaptável do que parece. Elementos rústicos podem trazer sensações de aconchego ao mesmo passo que, combinados com elementos modernos, criam sensações secundárias de um conforto sofisticado. É assim com aquela mantinha jogada sobre a poltrona, ou o espelho pendurado em tiras que imitam couro.

Conhecendo todas essas dicas sobre como decorar cada ambiente, falta entender um pouco mais como os grandes arquitetos conseguem unir estilos diversos em um mesmo espaço sem dar a sensação de bagunça ou menos harmonia.

Como o arquiteto mescla o estilo rústico com outros estilos?

Para Reinaldo Lopes, o conceito de contraste pode e deve ser amplamente utilizado para oferecer ótimos resultados. “Pode-se, por exemplo, utilizar um revestimento rústico em uma parede de um lavabo ou de uma cozinha e contrastar com uma bancada clássica ou moderna, oferecendo um resultado muito rico em termos de contrastes”.

A mistura funciona quando as cores são bem pensadas, os objetos fazem sentido entre si o ambiente atende à funcionalidade que foi proposta. A partir daí, a escolha de um bom revestimento e dos elementos que serão adicionados faz todo o estilo do ambiente. Os clientes buscam esse trabalho criterioso que os arquitetos sabem fazer, por isso, na hora de buscar os revestimentos, é bom conhecer muito bem as opções.

O papel do porcelanato para compor a decoração

O porcelanato vem de forma definitiva resolver as questões que impediam muito os arquitetos de utilizar a rusticidade com maior amplitude. Reinaldo Lopes comenta que, muitas vezes, os profissionais deixavam de lado materiais rústicos por possuírem características como porosidade, baixa resistência ou possibilidade de mancha ou mudança de características com o tempo por falta de boas opções de revestimentos como o porcelanato.

“Os porcelanatos com características rústicas preservam as desejáveis características das pedras, das palhas, das madeiras ou dos barros e argilas, mas, ao mesmo tempo, conservam a durabilidade e resistência dos materiais mais nobres que o mercado oferece”, ensina Lopes.

Segundo ele, atualmente, fabricantes como a Portobello, oferecem tons de cinza, marrom, bege, e outros que permitem inúmeras combinações e contrastes possibilitando que se trabalhe com a rusticidade em quase qualquer tipo de projeto ou situação. “O porcelanato vem, definitivamente, substituir inúmeros materiais que, como disse, não eram mais utilizados por questões de fragilidade, de dificuldade de obtenção ou de difícil manipulação e, portanto, aplicação”, conclui.

Conheça, abaixo, algumas das características do porcelanato para escolher na hora de revestir sem erros em uma decoração estilo rústico.

Porcelanato que reproduz madeira

O revestimento em madeira ou em porcelanato que reproduz a madeira também pode trazer essa sensação de aconchego desejada no ambiente. Mesmo em uma sala com um estilo mais voltado para o moderno, o decorador pode convidar ao rústico revelando um revestimento em textura de parte do ambiente. A vantagem da opção pelo porcelanato que reproduz a madeira ao invés da madeira é a facilidade de conservação.

Porcelanato branco

O porcelanato branco veio para compensar essa memória afetiva, visto que contrasta com o que é rústico. Em diversos tamanhos, esse item decorativo, além de resgatar sensações, ainda facilita a combinação com outros elementos rústicos que podem ser inseridos no ambiente, por exemplo, a madeira, o cobre martelado, as plantas e outros.

Tijolinhos

A textura de tijolinhos, muito usada no norte da Europa, é quase lúdica — uma casa com esse estilo à mostra ganha o status de lar.

Por isso, os tijolinhos são considerados elementos que remetem, na fachada dos imóveis, a um estilo mais rústico. O cuidado aqui deve ficar com a manutenção, evitar que o material sofra alguma perfuração, se desgaste ou chegue a acumular muita poeira, ou até mesmo, vire toca de animais.

Para isso, já existe o porcelanato que traz o tema do tijolinho. Assim, além de conservar a sensação, ele mantém o revestimento limpo, sem demandar muita manutenção.

O estilo rústico moderno

Finalmente, pode-se dizer que o estilo rústico apresenta tantas possibilidades que é impossível esgotar o tema. Os tempos modernos, em vez de eliminarem a possibilidade do estilo rústico, ampliaram as formas de realizá-lo. Uma visita ao Pinterest é capaz de fazer os olhos de qualquer arquiteto e cliente brilharem diante de suas possibilidades. Por isso, o principal conselho com relação ao tema ainda é buscar entender o que se procura e conhecer o que se tem à disposição.

O estilo rústico na decoração é um clássico e não sairá de moda, no entanto, o arquiteto e o cliente devem considerar a funcionalidade de cada ambiente para que a beleza e o conforto que ele oferece sejam também úteis e convidativos.

Depois de tantas ideias sobre a decoração rústica, é hora de você mostrar o seu trabalho para o cliente. Aproveite e faça seu cadastro profissional na Archtrends — temos uma grande plataforma de contatos e portfólio dos profissionais da arquitetura de todo o país.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *