Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Matérias

Dia dos Pais: pai e filho compartilham paixão pela arquitetura

07/08/2020

A paixão pela arquitetura pode atravessar gerações. Quer ver um exemplo? Confira uma interessante história de Dia dos Pais.

Apesar de não existirem evidências concretas que confirmem essa história, dizem que o Dia dos Pais surgiu em 1910, nos Estados Unidos. Na ocasião, uma moça chamada Sonora Louis Dodd teria feito um evento para homenagear o seu pai, William Jackson Smart, que era um veterano da Guerra Civil Americana.

Dessa época até a atualidade, o Dia dos Pais ganhou notoriedade e é uma data celebrada em praticamente todos os países. Claro que a figura paterna merece todas as homenagens possíveis, já que, muitas vezes, é a nossa maior inspiração.

Nossos pais, além de nos educarem, são nossas referências em valores, comportamentos e, em muitas situações, profissões. É esse o caso de Mauro e Thomaz Sacchi, pai e filho que nutrem verdadeira paixão pela arquitetura.

Foi essa história que escolhemos para contar neste Dia dos Pais. Acompanhe!

Arquitetura: uma paixão passada de pai para filho

Thomaz herdou do pai, Mauro, o gosto pela arquitetura (Foto: Arquivo pessoal)

Thomaz herdou do pai, Mauro, o gosto pela arquitetura (Foto: Arquivo pessoal)

Mauro já era arquiteto quando Thomaz nasceu e, desde pequeno, o menino observava o trabalho do pai e percebia que gostava muito daquilo.

“Desde criança sempre visitava obras com ele. Ia ao escritório e ficava desenhando. Usava a prancheta, o computador e os milhares de lápis de cor. Tenho uma memória muito viva fazendo essas coisas e, quando tive que escolher uma profissão para seguir, a arquitetura foi uma opção meio que óbvia”, lembra o jovem arquiteto.

Thomaz também conta que a convivência com o pai o ajudou a ter mais sucesso como profissional. Ele explica que, na faculdade, tinha mais facilidade do que os colegas para entender as matérias, já que havia crescido ouvindo Mauro falar sobre o que os professores ensinavam.

Mauro acredita que influenciou a escolha profissional do filho, mas enfatiza que essa foi uma opção totalmente dele, sem qualquer tipo de exigência. “Desde criança, o Tho desenhava muito bem, e aí acho que, percebendo isso, influenciei de certa forma. Eu sabia que ele tinha potencial para arquitetura, mas sem imposição. Foi de livre escolha”.

Desde criança Thomaz já demonstrava interesse pela arquitetura (Foto: Arquivo pessoal)

Desde criança Thomaz já demonstrava interesse pela arquitetura (Foto: Arquivo pessoal)

O pai também comenta que observava que o filho tinha uma visão aguçada para decoração desde pequeno. “Logo que mudamos para a casa que construí, ele tinha quatro anos e acompanhava encantado o movimento da mudança, incluindo a distribuição dos quadros nas paredes. Alguns dias depois, quando voltei do trabalho, ele pegou seus desenhos da escolinha e colou em toda a sala. Fiquei admirado com a atitude, apesar de ter que repintar a sala”, recorda.

Thomaz em frente à casa projetada por Mauro, na qual o arquiteto vive até hoje (Foto: Arquivo pessoal)

Thomaz em frente à casa projetada por Mauro, na qual o arquiteto vive até hoje (Foto: Arquivo pessoal)

O dia a dia profissional entre pai e filho

Hoje, pai e filho desenvolvem alguns projetos em parceria (Foto: Lex Photography)

Hoje, pai e filho desenvolvem alguns projetos em parceria (Foto: Lex Photography)

Atualmente, pai e filho (de São Paulo) desenvolvem alguns projetos juntos e a convivência de duas gerações de arquitetos é muito rica. Apesar de terem maneiras distintas para realizar as atividades, no final os resultados são sempre positivos.

“O Thomaz tem uma maneira de projetar diferente da minha. Eu projeto em 2D já visualizando em 3D. Ele já projeta direto em 3D. O resultado é o mesmo, porque sempre discutimos a plástica final dos projetos”, conta Mauro.

Thomaz também tem uma visão positiva ao contar sobre o trabalho que desenvolve com Mauro. Em suas palavras: “Nosso relacionamento é muito bom! Temos gostos e personalidades diferentes, mas quando nos juntamos para conversar e trocar ideias, o resultado sempre surpreende. Com a pandemia, estamos ficando mais tempo juntos e nos ajudando em diversos aspectos, tentando desenvolver novas frentes em nossa profissão e a entender o mercado“.

Assim como em qualquer relação de trabalho, divergências de opiniões e linhas de pensamento acontecem. No entanto, isso não parece ser um problema para a dupla.

Ao comentar sobre essa relação, Mauro diz: “o Thomaz tem um estilo de desconstrução com uma pegada mais industrial nos detalhes. Eu já prefiro escolhas mais bem-acabadas, mas também gosto de viver pesquisando materiais para utilizar nos projetos contemporâneos”.

Thomaz vê essa divergência de ideias como algo positivo. “Nossos gostos batem algumas vezes e outras não, e isso é um ponto positivo, porque se fosse igual, ficaríamos engessados em um único lugar. O fato de levarmos novas ideias um para o outro gera uma discussão interessante, de modo que criamos coisas novas e continuamos crescendo e expandindo limites. Eu tenho um estilo mais despojado e meu pai é mais detalhista nos projetos”, observa.

Projetos criados por pai e filho

Um dos projetos desenvolvido pela dupla foi uma casa com amplo espaço de lazer (Foto: Arquivo pessoal)

Um dos projetos desenvolvido pela dupla foi uma casa com amplo espaço de lazer (Foto: Arquivo pessoal)

Mauro e Thomaz já desenvolveram projetos juntos! Um exemplo é a casa da imagem acima, projetada para um jovem casal e duas crianças. O terreno era bastante extenso e a dupla resolveu fazer um sobrado para aproveitar melhor a área verde, que serve como um espaço de lazer.

“No projeto, fizemos a integração das salas com a área externa, criando um ótimo espaço para convivência. Uma funcionalidade interessante foi a churrasqueira, que fica na varanda e é diretamente ligada à cozinha”, explica Mauro.

Nesse projeto, pai e filho puderam trabalhar diferentes técnicas e modos de pensar, cada um contribuindo com a sua visão, opiniões e conhecimentos.

Mensagem de Dia dos Pais

A paixão pela arquitetura foi passada de pai para filho (Foto: Arquivo pessoal)

A paixão pela arquitetura foi passada de pai para filho (Foto: Arquivo pessoal)

Ao ser convidado para deixar uma mensagem de Dia dos Pais para Mauro, Thomaz disse o seguinte: “Queria desejar um feliz Dia dos Pais e dizer que todos os dias ele me inspira, tanto na vida pessoal quanto na profissional. E que possamos crescer cada vez mais com o que fazemos”.

E é isso que toda a equipe do Archtrends e da Portobello deseja a todos os pais que confiam em nossa marca e que acompanham o nosso trabalho, sejam eles arquitetos ou não. Esperamos que tenham gostado da história que contamos!

Agora, recomendamos você assistir ao vídeo que a Portobello preparou especial para o Dia dos Pais, com a participação dos arquitetos Ruy Ohtake, filho da artista plástica Tomie Ohtake, e Rodrigo Ohtake, que falam do amor pela arte e pela arquitetura que vem de família e relembram histórias da carreira dos dois, em uma conversa amorosa entre pai e filho.

Assista aqui!

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *