Menu
Projetos e Obras
Busca

(Imagem cortesia: Atelier Lai)

Conteúdo Correspondentes Internacionais

Bridge Gallery, a incrível livraria localizada em uma aldeia na China

15/09/2021

Conheça todos os detalhes dessa incrível arquitetura da nova livraria Bridge Gallery, que está localizada em meio a uma aldeia rural na China. Confira!

A livraria Bridge Gallery, recém-finalizada, está localizada na vila de Taoyuan, condado de Qimen, província de Anhui. Longe do centro cultural da cidade de Huizhou, que está a cerca de 100 quilômetros, a vila de Taoyuan é um antigo assentamento no sul de Anhui, sem muitas vantagens em termos de transporte, economia e infraestrutura urbana. 

Bridge Gallery
Inserção do projeto Bridge Gallery na aldeia (Imagem cortesia: Atelier Lai)

A nova livraria Bridge Gallery foi construída em uma mansão abandonada, com uma arquitetura que cobre uma área de 70 metroS quadrados, distribuídos em dois pavimentos. No contexto específico de vielas estreitas e muros altos da aldeia, a livraria deve ser interpretada como um novo gesto, trazendo para o lugar um instigante turismo cultural, renascimento das áreas rurais e oportunidade econômicas para a região. 

Bridge Gallery
Bridge Gallery (Imagem cortesia: Atelier Lai)

“Galeria da ponte é o significado do nome do projeto e está atrelado a uma heterogeneidade homogênea de tipos espaciais”, explicam os responsáveis pelo projeto, os fundadores do Atelier Lai. O protótipo espacial da Bridge Gallery é derivado da ponte coberta por Huizhou, onde as pessoas atravessam a ponte no nível superior enquanto o riacho flui lentamente por baixo. 

Significativamente, a ponte coberta não é apenas um caminho, mas também um lugar para passear, descansar e se comunicar, e até mesmo um espaço espiritual para rituais e adoração, lugar de permanência e interação social. 

Bridge Gallery
Bridge Gallery (Imagem cortesia: Atelier Lai)

Como a água que corre sob a ponte, o piso térreo da Bridge Gallery abre-se verticalmente para as ruas e pátios. É um espaço dinâmico que pode ser visto e usado para a seleção e compra de livros. 

Bridge Gallery
Bridge Gallery (Imagem cortesia: Atelier Lai)

O primeiro andar, como área de leitura, é um espaço estático horizontal relativamente fechado, com uma abertura voltada para a velha parede de um dos lados e, ao outro lado, voltada para os campos. O térreo e o primeiro andar são conectados verticalmente por uma escada, criando uma ligação dramática entre o “riacho”, que flui sob a ponte e os pedestres que atravessam por ela.

Bridge Gallery
Bridge Gallery (Imagem cortesia: Atelier Lai)

A sobreposição de lajes curvas apresenta uma estrutura com múltiplos significados. Todo o edifício é uma estrutura de suporte simples e de vão único, as lajes de concreto foram dobradas pela gravidade e depois empilhadas, formando vigas secundárias no ponto de sobreposição e um vão ligeiramente curvado para cima. 

As claraboias nas laterais das paredes compensam a iluminação interna e tornam-se aberturas na superfície curva.

Bridge Gallery
Bridge Gallery (Imagem cortesia: Atelier Lai)

O piso e o telhado são moldados em concreto em uma única peça. Todos os tubos e acessórios de iluminação são pré-embutidos na estrutura. Devido à construção da sobreposição de laje curvada, o espaço no piso térreo parece ser dominado pela gravidade para que assim possa interagir com o meio externo, reforçando o protótipo espacial da ponte coberta. 

Bridge Gallery
Bridge Gallery (Imagem cortesia: Atelier Lai)

Todo o conceito do projeto é uma narrativa completa da hidrovia. Os ladrilhos nas paredes e as fendas no piso usam linhas curvas para criar uma concepção de ondas de água. A arquitetura da livraria não passa despercebida na aldeia, ela se destaca em meio aos outros edifícios de forma coerente e harmoniosa. 

Bridge Gallery
Bridge Gallery (Imagem cortesia: Atelier Lai)

Gostaram do projeto? Em um momento em que a leitura está sendo fragmentada pela internet, a livraria convida o indivíduo para um espaço atraente e de qualidade, onde as palavras se encantam com os livros e com a arquitetura. 

Segundo os arquitetos responsáveis pelo projeto, o campo precisa das livrarias contemporâneas, e as livrarias físicas também precisam nutrir o campo com um senso de presença.

LEIA TAMBÉM: Requalificação de espaço urbano em uma vila chinesa

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *