Menu
Projetos e Obras
Busca
Biomimética, Metrosol Parasol

Metropol Parasol, em Sevilha, teve sua estrutura inspirada em cogumelos (Foto: monezimone)

Conteúdo Matérias

Biomimética: o que a arquitetura pode aprender com a natureza?

09/02/2022

Conheça a biomimética, uma área da ciência que estuda as estruturas biológicas e a importância da natureza na arquitetura e construção civil!

A biomimética é o estudo das estruturas biológicas e de suas funções, de modo a aprender com as estratégias e soluções da natureza. 

Para ouvir o artigo completo, clique no play abaixo:

Essa forma de observação pode ser aplicada em arquitetura, engenharia, design, tecnologia e também em outros campos. 

Atualmente, as mudanças associadas a lifestyle e consumismo resultam em uma sociedade que se preocupa cada vez menos com a sustentabilidade

No entanto, quando utilizada no setor de construção civil, a biomimética é uma das formas de diminuir o impacto ao meio ambiente. 

Nesse caso, alguns dos grandes problemas enfrentados são o desperdício, o excesso de resíduos e o alto gasto de energia elétrica.

Por isso, é preciso pensar em soluções que sejam econômicas, eficazes e sustentáveis, o que é possível com a arquitetura biomimética. 

Saiba mais!

O que é biomimética? 

Biomimética, Research Pavilion
Research Pavilion, localizado na Faculdade de Stuttgart, na Alemanha, é um dos maiores símbolos da biomimética (Foto: MSeses)

Trata-se de uma área da ciência dedicada ao estudo das estruturas biológicas e de suas funções, como forma de entender as soluções e estratégias utilizadas por elas e reproduzi-las em outros campos. 

Sendo a natureza autossustentável — ou seja, nada é rejeitado ou inutilizado —, tudo é parte de alguma cadeia, o que resulta na harmonia entre os ecossistemas. 

Derivado do grego, o termo “biomimética” significa “imitação do que é vivo”: 

  • bio = “vida”;
  • mimésis = “imitação”.

Apesar de ser considerada tendência, a biomimética tem aplicações identificadas ao longo da história, pois os humanos já observam e replicam o funcionamento das estruturas da natureza há séculos.

Um de seus grandes estudiosos foi Leonardo da Vinci. Ainda que o termo não existisse em sua época, o polímata utilizou muitas referências extraídas da natureza em suas invenções.

A criação do avião é um exemplo clássico, uma vez que partiu da observação dos pássaros e da forma como eles voam longas distâncias sem gastar tanta energia.  

Atualmente, diferentes setores utilizam os preceitos da biomimética para criar produtos ou melhorar aqueles que já existem. 

Como a biomimética se aplica à arquitetura? 

Biomimética, Museu de Arte de Milwaukee
Museu de Arte de Milwaukee é inspirado em um torso humano (Foto: BriBra)

Atualmente, a biomimética é uma corrente que busca soluções que sejam sustentáveis na própria natureza. 

Não se trata apenas de replicar formas naturais em termos de estilo, mas também de entender as regras que as direcionam e dominam, seguindo seus princípios. 

Portanto, a natureza não é somente uma fonte de recursos para a extração da matéria-prima. É uma extensa matriz de exemplos bem-sucedidos e ensinamentos a serem praticados. 

No setor de construção civil, podemos dizer que o objetivo da biomimética é criar empreendimentos que sejam inteligentes.

Afinal, construções funcionais — ou seja, que produzem poucos resíduos ou utilizam menos energia elétrica — diminuem seus impactos sobre os ambientes nos quais estão inseridas. 

A seguir, conheça as principais soluções inspiradas na natureza que podem ser aplicadas na construção civil.

Manutenção da temperatura interna 

A manutenção da temperatura interna de um ambiente foi inspirada no jacaré, pois a parte de seu corpo que fica em contato com o meio conta com uma camada de pele grossa, que reduz a troca de calor. 

Nesse sentido, a parede com maior exposição ao sol pode ser construída em um material mais grosso que tenha boa inércia térmica.

Energia solar fotovoltaica 

Assim como as plantas, uma edificação pode se alimentar da luz do sol. Com isso, é possível desenvolver casas e edifícios que sejam autossuficientes por meio da energia solar fotovoltaica. 

Aquecimento de ambientes 

Para que a temperatura seja confortável em ambientes frios, é possível usar um sistema de aquecimento semelhante ao sistema circulatório humano. 

Nesse caso, podemos utilizar o vapor da água — que, após o processo de condensação, pode ser reaproveitado. 

Biomimética, energia fotovoltaica
Atualmente, a energia fotovoltaica é uma solução sustentável para as construções (Foto: pvproductions)

Reaproveitamento de água 

Outro exemplo é a construção de sistemas para a captação de água das chuvas em coberturas com o emprego de níveis. Isso se assemelha à forma como os rios são alimentados na natureza. 

No entanto, a arquitetura biomimética vai além do que é ambientalmente sustentável para a mitigação de problemas. Ela busca a reformulação de cidades e edificações por inteiro.

Na Europa, profissionais perceberam que muitas aves colidiam com vidros de edifícios. Algumas acabavam morrendo ou os quebrando.

Assim, após a realização de um estudo, percebeu-se que os pássaros são capazes de detectar teias de aranha.  

Essa informação inspirou a criação de um vidro com fibras internas que podem ser percebidas somente pelos olhos das aves, tornando-se uma solução para que esses animais evitem colisões com os prédios. 

Quais são os principais exemplos de biomimética na arquitetura?

A seguir, conheça projetos arquitetônicos que contaram com as premissas desse conceito para o seu desenvolvimento e uso.

Votu Hotel 

Biomimética, Votu Hotel
O projeto Votu Hotel utilizou a biomimética para melhorar a ventilação (Foto: GCP)

Diferentemente do que se pode imaginar, não é preciso ir tão longe para alcançar os objetivos da biomimética. Basta se inspirar em um ecossistema ou ser vivo da própria região. 

É o caso do Votu Hotel, projeto desenvolvido na Bahia. Nele, os profissionais se inspiraram na troca de calor do bico do tucano para solucionar um superaquecimento na cozinha. 

Dessa forma, foi implementada uma laje jardim, que mantém a temperatura agradável no ambiente e reduz os gastos com climatização.  

Além disso, a equipe buscou soluções que permitissem a criação de um sistema de ventilação natural e constante, aproveitando os ventos em abundância da região.

A ideia veio após a observação do comportamento do cão-da-pradaria, um mamífero que vive na América do Norte.  

O animal cava buracos com o objetivo de criar entradas e saídas, permitindo que o ar circule de maneira constante.

Observando essa estratégia, o projeto do Votu Hotel incluiu janelas e portas estrategicamente posicionadas, de forma a aproveitar ao máximo a circulação natural de ar da região. 

Por fim, houve uma inspiração na capacidade de autossombreamento dos cactos, que influenciou no fechamento dos chalés.  

Estádio Nacional de Pequim 

Biomimética, Estádio Nacional de Pequim
Estádio Nacional de Pequim utilizou a biomimética ao se inspirar em um ninho de pássaro (Foto: Werni)

Palco dos Jogos Olímpicos de Verão de 2008, o Estádio Nacional de Pequim é uma obra mais conhecida como Ninho de Pássaro. 

Naturalmente, o nome se dá por materiais como ferro e aço entrelaçados, que realmente lembram um ninho.

Mas o emaranhado vai além da beleza impressionante, visto que sua estrutura oferece estabilidade ao projeto, assim como os ninhos de pássaros sobre os galhos finos. 

Os metais utilizados ainda auxiliam para que a estrutura seja resistente a terremotos, já que o estádio foi construído em uma região propensa a tremores de terra. 

Por que a biomimética é uma tendência para o mercado? 

Visto que muitas obras são ineficientes em termos de conforto térmico e acústico, os custos se tornam ainda mais elevados pela necessidade de equipamentos de climatização.  

Além disso, existem casos em que a funcionalidade da construção não atinge os padrões desejados, principalmente se considerarmos os avanços tecnológicos disponíveis. 

Por esses motivos, é necessário pensar em soluções que ajudem a melhorar a sustentabilidade no setor de construção civil, como a biomimética. 

São diversas as alternativas que podem ser trabalhadas em conjunto para resolver tais questões. 

Contudo, a biomimética está cada vez mais presente em projetos. Afinal, parte do simples princípio de observar e aprender com a natureza. 

Sua aplicação pode ir além de construções isoladas. Isso porque vivemos em um momento em que falamos cada vez mais de cidades inteligentes, conectadas e ecológicas. 

Nesse caso, soluções podem vir dos ecossistemas naturais e seres vivos, pelo fato de serem adaptáveis e resilientes.  

Basear-se nas premissas da biomimética, pensando de forma sustentável, não é somente uma tendência para a arquitetura e a construção civil, mas sim uma exigência no mercado atual. 

O respeito ao meio ambiente proporciona melhor qualidade de vida a todos. Portanto, para se manter competitivo, é preciso investir nisso.

Gostou deste conteúdo? Então, aproveite para conhecer um hotel na Ucrânia totalmente integrado à natureza

Foto de capa: Metropol Parasol, em Sevilha, teve sua estrutura inspirada em cogumelos (Foto: monezimone)

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Jerônimo Coura-Sobrinho says:

    Excelente matéria. É impressionante como a modernidade provocou a padronização das construções cujos designs são “copiados” ao redor do mundo, sem se considerar as condições climáticas e topográficas locais. A biomimética aplicada à arquitetura e à construção civil traz à tona essa discussão, apontando um caminho importante para a humanização das edificações, coisa que a humanidade desaprendeu com o tempo…