Menu
Projetos e Obras
Busca

(Imagem: Luiza Vegini)

Conteúdo Correspondentes Internacionais

Arte moderna norte-americana, uma abordagem de 1961 a 2001

29/09/2021

Um resumo da mostra no Palazzo Strozzi, em Florença, que conta o percurso da arte moderna norte-americana e seus grandes nomes, de Andy Warhol a Kara Walker.

Compartilhamos recentemente com vocês uma instalação artística de JR na fachada do famoso Palazzo Strozzi no centro de Florença, na Itália. La Ferita é uma obra que além de instigante nos faz refletir sobre a cultura durante o período pandêmico.

Palazzo Strozzi abre as portas novamente em Florença (Imagem: Luiza Vegini)

Com a liberação da abertura dos museus em toda a Itália, o renomadíssimo Strozzi abriu suas portas preparando uma mostra imperdível que nos conta a história da arte moderna dos Estados Unidos da América, uma abordagem de 1961 a 2001.

Exposição apresenta grandes nomes da arte moderna norte-americana (Imagem: Carolini Gomes)

São mais de mais de 80 obras de 53 artistas diferentes como Andy Warhol, Mark Rothko, Louise Nevelson, Bruce Nauman, Barbara Kruger, Cindy Sherman, Frank Stella, Matthew Barney, Kara Walker, entre outros – alguns deles pela primeira vez na Itália, graças à colaboração com o Walker Art Center em Minneapolis.

Os famosos traços de Frank Stella (Imagem: Luiza Vegini)

A curadoria ficou por conta de Vincenzo de Bellis e Arturo Galansino e toda a exposição testemunha a multifacetada produção artística norte-americana. Ao entrar nas salas do museu nos deparamos com uma verdadeira e extraordinária viagem por obras importantes e icônicas que marcaram a arte norte-americana desde o início da Guerra do Vietnã até o ataque de 11 de setembro de 2001.

Período do minimalismo (Imagem: Luiza Vegini)

Da Pop Art ao minimalismo, da arte conceitual à geração de imagens, até as pesquisas mais recentes dos anos 1990 e 2000: são diversas pinturas, fotografias, materiais de vídeo, arte, fotografias e instalações, que propõem uma releitura inédita de quarenta anos de história, abordando questões como o desenvolvimento da sociedade de consumo, a contaminação entre as artes, o feminismo, as lutas pelos direitos civis, entre outros movimentos.

As obras de Andy Warhol são símbolo do Pop Art (Imagem: Luiza Vegini)
As obras de Andy Warhol são símbolo do Pop Art (Imagem: Luiza Vegini)

Num percurso que oferece tantas obras, a atenção especial é dada a algumas figuras-chave destes quarenta anos. O artista central é com certeza Andy Warhol, que apresenta 12 obras, incluindo o famoso Sixteen Jackies (1964), dedicado a Jackie Kennedy após a morte de JFK.

Andy Warhol – Sixteen Jackies (1964) (Imagem: Luiza Vegini)

A grande temporada dos anos 60 é testemunhada por obras de mestres como Donald Judd, Bruce Nauman, John Baldessari, figuras que se tornam referências para as gerações subsequentes de artistas. Estes incluem a reflexão sobre a figura da mulher por Cindy Sherman, as apropriações do mundo da publicidade por Richard Prince e Barbara Kruger, a denúncia do estigma da AIDS por Felix Gonzalez-Torres ou as perturbadoras narrativas pós-humanas de Matthew Barney, apresentadas de forma inédita.

Obras que representam os movimentos entre 1900 e 2000 (Imagem: Luiza Vegini)

Um foco especial é dedicado às pesquisas mais recentes dos anos 1990 e 2000, incluindo figuras de referência para a comunidade afro-americana, como Kerry James Marshall e Kara Walker, onde uma ampla seleção de trabalhos em vídeo e desenhos é oferecida ao público.

Movimento More voices representado pela arte nos Estados Unidos (Imagem: Luiza Vegini)

Ficou nítida a demanda por arte após um período em que o acesso a ela estava um pouco restrito – a necessidade de interagir com esses elementos é tão grande que estamos vendo uma busca incessante da parte dos museus por grandes obras, exposições e inovação, da parte dos admiradores e consumidores de arte pelo fato de estarem enchendo novamente os corredores desses lugares incríveis.

Movimento More voices representado pela arte nos Estados Unidos (Imagem: Luiza Vegini)

A exposição de arte moderna esteve aberta ao público até o dia 29 de agosto de 2021.

Gostaram da experiência? Compartilhem com a gente!

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *