Menu
Projetos e Obras
Busca

Viviany Amorim e Juliana Pippi (Foto: Gabriela Daltro/divulgação)

Conteúdo Colunistas

Arquitetura para o corpo

05/11/2021

Coleção Mineral, primeira collab Viviany Amorim + Juliana Pippi, foi lançada com Lilian Pacce, em São Paulo.

Na microescala de uma joia ou na macro de uma arquitetura, o projeto sempre é desenvolvido com foco nas pessoas. E é essa sintonia de entendimento sobre o partido para a criação e com temas convergentes relacionado ao feminino que as criativas Viviany Amorim, designer de joias, e Juliana Pippi, arquiteta, idealizaram sua primeira collab e lançaram a Coleção Mineral em uma live com a jornalista especializada em moda e curadora-adjunta de moda do MASP, Lilian Pacce.
[live disponível aqui]

Juliana e Viviany na live de lançamento em São Paulo com a jornalista Lilian Pacce (Foto: Iara Morselli/divulgação)

O maior desafio na criação em escalas tão diversas como arquitetura e joias foi entender e conhecer as pedras, o material e a verdade de cada objeto. “Pra mim foi interessante poder enxergar a arquitetura de outra forma, acho que a joia tem delicadeza, é uma arquitetura para o corpo. Adoro acessórios, moda, mas nunca tinha pensado nesse sentido”, conta Juliana, que já tem cinco collabs com outras marcas no portfólio de criação.

Viviany Amorim já voltava seu olhar para a arquitetura antes mesmo de conhecer Juliana. A coleção Poesia Urbana foi inspirada na arquiteta paisagista Rosa Kliass, considerada uma das mais importantes na história do Paisagismo brasileiro moderno e contemporâneo. E foi durante uma Casa Cor em Santa Catarina que as duas se conectaram. 

“Me conectei com a Ju por um projeto lindo que ela fez na Casa Cor SC, a sala Cor de Rosa e Carvão. Ali percebi que tínhamos muito em comum (bem, sou apaixonada por esse álbum tão feminino): o background em torno do espetáculo, contamos histórias com nossas obras, e mais que tudo queremos gerar emoção”, explica Viviany.

Além do traço e do interesse temático, as duas encontraram na música mais um ponto em comum: o marido de Viviany, Luiz Gustavo Zago, é pianista, diretor musical e compositor. Juliana inicia um projeto perguntando ao cliente qual sua música favorita e finaliza com uma playlist personalizada. A música acompanha a profissional há muito tempo, várias vezes a vi carregar seu violão e o caderno de músicas nas viagens e eventos no universo do décor.  

Com tanto em comum, música, poesia e o desenho, a parceria se deu praticamente de forma natural já que as duas criativas gostam mesmo é de contar histórias. “De longos papos sobre arquitetura, música boa, viagens, moda e boas taças de vinho conversando sobre tudo que a vida pode nos oferecer de melhor nasce nossa coleção que é o nosso elo de entrega com toda a nossa paixão pelo design com poesia e arte”, diz Juliana, que fez o projeto quando o ateliê de joias de Viviany completou sete anos.

Coleção Mineral

Sonhei, de Lenine, foi a música que deu início ao processo criativo da dupla, que é muito diferente. Acostumada a pressão do ofício, Juliana explica que o seu processo tem hora marcada e projeto para entregar ao cliente. “Eu planejo um projeto de trás pra frente, perguntei pra Vivi quando ela queria fazer o lançamento”, diz. Já Viviany se deixa levar pelo tempo necessário de maturação de uma peça, que escolhe seu próprio caminho, segundo a designer. “As vezes levo um ano pra desenvolver”, diz.

A Coleção Mineral foi uma sinergia que se deu desde o projeto do ateliê até o tempo de consumo de três garrafas de vinho. Isso mesmo! Juliana conta que foi para o ateliê de Viviany com os vinhos e pediu lápis e papel. Entre conversas, música e vinho, as duas se entregaram à energia do encontro e das pedras, dando início a coleção.

Cores terrosas

Coleção Mineral
Colar Lume com Topázio Imperial (Foto: Wagner Alves/divulgação)

Influenciada pelas cores terrosas, Juliana criou uma coleção conectada à terra por isso a escolha das pedras que estavam na última gavetinha no ateliê de Viviany fazia algum tempo. São cores como o quartzo fume, o diamante negro, o topázio imperial e o citrino riogrande em composição com ouro rose e amarelo. Além das cores, o conforto foi outra premissa para o desenvolvimento das peças, a maioria em duplas já que foi criada a partir da collab. A pedra Topázio Imperial foi a primeira a ser escolhida, traz a ideia de camadas, e dá forma a quatro colares.

Cada etapa do processo da parceria foi levada para a coleção:

Chama: quartzo fume gold, com design aberto para evidenciar o processo do duo;

Coleção Mineral
Anel Chama em quartzo fume e ouro amarelo (Foto: Wagner Alves/divulgação)

Fogo: citrino riogrande com ouro rose;

Coleção Mineral
Anel Fogo, Citrino Riogrande, em ouro amarelo (Foto: Wagner Alves/divulgação)

Fusão: o anel de falange, o piercing e o bracelete representam o movimento e os traços da arquitetura;

Carvão – diamante negro, a pedra faz uma associação ao ambiente Sala Cor de Rosa e Carvão, inspirado no álbum de Marisa Monte, que Juliana Pippi fez para a Casa Cor SC.

Acesse a playlist da Coleção Mineral:

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *