Menu
Projetos e Obras
Busca
urban jungle

Conteúdo Matérias

Tendência entre os millenials, urban jungle virou febre e conquistou o mundo todo

19/06/2019

Diante da busca por resgatar o contato com a natureza, a tendência de urban jungle ganha destaque em todo o mundo. Conheça suas características e como aplicá-la!

Na hora de decorar um imóvel, é cada vez mais comum não olhar só para dentro. No lugar de considerar apenas os móveis, quadros e itens “internos”, há uma tendência de enxergar o mundo de fora como componente do lar — esse movimento tem nome e sobrenome: urban jungle.

Febre entre os Millennials, os jovens adultos de hoje, essa decoração tem ganhado projeção. E para explicar melhor essa alternativa, Dieiny Kipper e Lízia Witzel, as Arquitetas Online, contaram o que direciona as escolhas de tal possibilidade.

Ao entender as características marcantes dessa abordagem, fica fácil replicar em seus projetos para clientes exigentes. Além de trazer muita personalidade, é uma forma de resgatar um contato com a natureza que parece perdido nas grandes cidades — mas que está mais próximo do que dá para imaginar.

Que tal descobrir como essa tendência pode ser utilizada? Continue a leitura e descubra as características da pegada urban jungle.

O que é urban jungle?

Em tradução livre, a tendência de decoração é conhecida como “selva urbana”. O nome já indica que se trata de uma ideia com bastante verde e máximo contato com a natureza.

“O estilo Urban jungle nasceu para trazer a natureza para dentro dos lares e inseriu o verde na decoração como forma de gerar vida, aconchego e bem-estar nas moradias urbanas”, revela a dupla de profissionais.

Além do verde como aspecto central, existe uma tendência de criar um local com materiais naturais. Madeira, palha e outros componentes que remetem ao ambiente externo ganham espaço entre as paredes do imóvel. Mais que um estilo com regras definidas, é um movimento de recuperação por parte dos jovens adultos que, muitas vezes, ocupam seus próprios lares pela primeira vez.

Como oferece bastante versatilidade, também garante um nível elevado de adaptação. Qualquer pessoa que entenda como cuidar das plantas tem a chance de explorar essa possibilidade.

“É para todos aqueles que adoram cuidar de plantas e conhecem a necessidade de cada espécie. Para quem deseja muito ter uma casa nesse estilo, mas não tem intimidade com plantas, pode pesquisar sobre os cuidados de cada tipo. Assim, dá para começar esse ‘relacionamento’ que traz grandes benefícios para o imóvel e seus moradores”, ponderam.

Como surgiu a tendência?

As mudanças na sociedade são, na verdade, os grandes motivadores para o surgimento do urban jungle. O motivo é simples: com um volume crescente de concreto e com cidades populosas, a natureza fica distante.

No mar de concreto que são as grandes cidades, a busca por algo natural é um movimento que faz sentido. Isso vale para uma sociedade que está progressivamente conectada aos celulares e que pouco vê o mundo lá fora. Trata-se de uma tendência relativamente moderna, já que esse desenvolvimento e a imersão na tecnologia têm alguns anos.

“Com o aumento das grandes construções e, consequentemente, do desmatamento, estamos cada vez mais afastados da natureza. Quando tiramos férias, procuramos ficar mais próximos, mas quando voltamos para casa, sentimos falta da qualidade de vida e da incrível sensação visual que ela nos traz”, explicam as Arquitetas Online.

Essa decoração, portanto, não tem um caráter apenas estético. A intenção inclui recriar o visual de uma floresta urbana e montar um ambiente único. No entanto, também tem a ver com bem-estar, sensação de satisfação e estímulo aos sentidos.

Como inserir plantas dentro de casa?

Não existe floresta sem plantas, certo? Então, é imprescindível pensar em como inserir esses elementos dentro de casa para adotar a proposta de urban jungle. Você só precisa de algum planejamento e do cuidado correto para garantir o resultado que tem tudo a ver com os interesses de quem contrata um projeto de arquitetura.

A seguir, descubra como inserir as plantas no lar e crie um espaço particular de floresta!

Entenda as necessidades das plantas

urban jungle

Mulher regando as plantas em casa

Cada espécie apresenta um conjunto de características, então não dá para criar uma fórmula única de cuidado. No entanto, é essencial compreender que plantas são seres vivos, por mais resistentes que sejam. Logo, a atenção tem que ser constante — e o comprometimento, também.

Como bem explicam as Arquitetas Online, “todas elas necessitam de empenho para darem certo: luz (direta ou indireta), ventilação, adubação e rega correta são essenciais”. Então, saiba que dedicar um pouco de tempo será fundamental para obter o sucesso ao adotar esse estilo.

Você não precisa ser profissional no tema e nem fazer cursos ou ter experiência. No entanto, deve estar pronto para reconhecer as necessidades de cada vaso e o melhor jeito de cuidar. Assim, é possível selecionar as alternativas indicadas para deixar os clientes satisfeitos.

Utilize o espaço da sacada

De acordo com a experiência de Dieiny e Lízia, a sacada é um local ideal para abusar das plantas. Se houver a incidência adequada, elas ainda podem ser do tipo que gosta de sol. O importante é que nesse ambiente elas recebem a luminosidade e a ventilação necessárias, o que ajuda a garantir um bom desenvolvimento.

Além de posicioná-las no local correto, é preciso pensar na melhor disposição. Considere qual é a área disponível e, a partir disso, selecione os elementos que ficarão expostos. “Se a sacada tiver um bom espaço, pode apostar em uma composição de vasos no piso e mesclar com plantas suspensas e jardim vertical”, ensinam.

Com uma boa configuração, é fácil criar uma selva em casa e aproveitar ao máximo o lugar disponível.

Fique de olho nos vasos pendurados

Para diversificar o ambiente e conseguir uma finalização interessante, vale pensar no uso de vasos suspensos. Ao mesmo tempo, é preciso ter alguns cuidados para que o resultado não cause problemas extras.

Os autoirrigáveis, segundo as arquitetas, são as melhores opções para usar de maneira suspensa. Isso evita o aparecimento de goteiras, o que ainda impede a sujeira no espaço — seja na sacada, seja dentro de casa.

Além disso, é preciso ficar atento à altura onde houver circulação. Ela deve ser maior que o tamanho médio de uma pessoa, para evitar impactos e acidentes. “Caso estejam acima de móveis ou perto da parede, é só usar a imaginação e variar as alturas dos vasos e espécies de plantas”, ensinam.

Invista em suportes elevados

Outra possibilidade consiste em adotar suportes elevados para que os vasos possam ser compostos em diferentes alturas. Essa é uma opção conveniente para quem não pode ou não quer usar vasos suspensos, bem como para quem deseja complementá-los de uma forma distinta.

A proposta inclui utilizar prateleiras e até estantes para dar suporte aos vasos. A verticalização permite o aproveitamento do ambiente, só que adota uma escolha simples e que funciona para muitos casos.

Recorrer a prateleiras em diversos níveis, inclusive, é um jeito de dar dimensão e profundidade à composição. O cuidado principal tem a ver com a distribuição e com o planejamento, de modo a garantir um resultado interessante.

Crie um jardim vertical

É quase impossível falar de urban jungle sem citar um dos principais queridinhos de quem deseja ter o verde em casa: o jardim vertical. Essa é uma opção que aproveita o espaço da melhor maneira e ainda ajuda a criar uma parede verde muito especial. Tendência em boa parte dos projetos com essa pegada, pode ser elaborado no imóvel, desde que algumas características sejam observadas.

O primeiro aspecto é o lugar escolhido. É indispensável que ele tenha luz e ventilação para que as plantas vivam. Não adianta selecionar um canto escuro e isolado do corredor, porque o resultado não vai ser interessante. Também é indicado recorrer às plantas com cuidados semelhantes — ter todas de sol ou todas de sombra garante que elas estejam sempre bonitas e vistosas.

Quanto à estrutura, não faltam opções. É possível usar pallets, suportes ripados ou treliçados ou até canos de PVC. Além de adotar a proposta de urban jungle, é algo que tem tudo a ver com a sustentabilidade.

Já sobre os cuidados com a rega, há duas possibilidades principais — mas isso tem que ser definido com antecedência. “Ela pode ser manual ou automática. Para os jardins menores, a irrigação manual funciona muito bem, mas para paredes grandes o ideal é optar pelo sistema de irrigação automático. Desse modo, as plantas são regadas em um acionamento por igual”, explicam as arquitetas.

Como as plantas ficam em contato direto com a parede, é fundamental ter cuidado com as infiltrações. A impermeabilização é indispensável e ajuda a evitar problemas com o revestimento, por exemplo. Para o piso, vale usar calhas para reter o excesso de líquido.

“Se quiser ter acesso a técnicas mais avançadas para a criação, prevenção de infiltração e manutenção do jardim vertical, o ideal é fazer uma parceria com um paisagista para o projeto e execução .”, indicam.

Quais plantas mais indicadas para cultivar em casa?

Além de pensar em como dispor as espécies, é muito importante conhecer quais serão as eleitas para ocupar a floresta particular. É fundamental considerar que, em alguns casos, elas serão mantidas dentro de casa, então, a escolha deve focar as necessidades específicas.

Para não ter dúvidas sobre a seleção, veja como definir quais plantas usar na tendência urban jungle e as mais indicadas!

Conheça as características do ambiente

urban jungle

Mulher cultivando plantas em casa

Antes de elencar as opções recomendadas é preciso, em primeiro lugar, entender onde cada item ficará. Se você pretende decorar a sacada e criar um jardim vertical interno, as espécies serão diferentes para cada local.

O ideal é considerar a quais condições a planta estará exposta. Iluminação e ventilação, como visto, são essenciais em qualquer caso. No entanto, a incidência solar também faz diferença, pois cada tipo tem exigências específicas.

Além de tudo, veja qual é a área disponível. Se o lugar não for amplo, escolher plantas com grande estrutura pode impedir o bom desenvolvimento. Em vez disso, o ideal é selecionar várias pequenas para obter a melhor disposição.

Dê preferência para plantas de sombra

urban jungle

Detalhes da decoração urban jungle que aumenta o contato com a natureza em casa | Arquivo Diorela Kelles

Há plantas para todos os gostos e necessidades. Algumas espécies, consideradas de sol, precisam de exposição prolongada ou até contínua aos raios solares. Elas são mais indicadas para a sacada, se o local receber a incidência direta. Dentro de casa, não vão crescer como deveriam.

Já as de sombra se dão bem apenas com a incidência indireta. Só de abrir as cortinas e janelas já é o suficiente para que se desenvolvam. Para a maioria dos jardins verticais e projetos, essas são as melhores escolhas. Então, dê preferência para as que apresentam esse “regime” de incidência.

A boa notícia é que há muitas opções disponíveis e todas garantem belos resultados. Entre as indicadas pelas arquitetas, estão:

●    samambaia;

●    cactos;

●    suculentas;

●    cróton;

●    palmeira-leque;

●    iuca (Yucca);

●    árvore-da-felicidade;

●    zamioculcas;

●    espada de São Jorge;

●    peperômia;

●    ciclanto;

●    camedórea-elegante;

●    palmeira ráfia;

●    maranta;

●    costela-de-adão;

●    jiboia, entre outras.

Pense na resistência das espécies

Outro ponto que merece atenção tem a ver com a resistência. Se o cliente não tiver muito tempo para dedicar às plantas ou se quiser algo prático, fique longe das que são sensíveis. O melhor é recorrer às resistentes, já que a manutenção é menos intensa. “As que exigem menos cuidados e por precisarem de menor frequência na irrigação são as suculentas e os cactos”, pontuam as profissionais.

No entanto, não se esqueça de que abraçar a tendência de urban jungle não é uma questão apenas estética. Tem tudo a ver com bem-estar e até com desenvolver um novo hobby. Para completar, as plantas precisam de cuidados, mesmo que sejam resistentes.

Portanto, indique ao cliente, sempre que puder, que dê atenção aos elementos. Recomende a verificação se as folhas estão na cor que deveriam, se há indícios de alguma praga ou se é preciso mudar a adubação. Esse contato faz toda a diferença para tornar a proposta ainda melhor!

Tenha mais folhagens e menos flores

urban jungle

Sala tendo como protagonista as folhas verdes | Arquivo Diorela Kelles

Quando se fala em criar uma floresta urbana, é comum logo pensar em folhagens, em árvores vistosas e muito verde — na tendência de urban jungle, isso não é diferente.

Para chegar ao resultado que realmente vem à mente, a indicação das profissionais é que “as folhas verdes sejam as protagonistas”. Então, dê preferência para composições e espécies que apresentam essa característica prioritária.

As flores, é claro, não precisam ficar de fora. “Elas também são bem-vindas e podem ser usadas para dar toques pontuais de cor no meio da selva urbana”, explicam.

O truque, portanto, está em selecionar mais verde que o colorido das flores, mas sem deixá-las totalmente de lado. Assim, é possível aproveitar ao máximo essa alternativa!

Aposte na diversidade

urban jungle

Uma das características marcantes desse ambiente é que ele é diverso e repleto de variedade | Arquivo Diorela Kelles

Pense em uma floresta tropical de verdade. Uma das características marcantes desse ambiente é que ele é diverso e repleto de variedade. As plantas surgem em diferentes formas, tamanhos e cores. Então, para mergulhar na abordagem de urban jungle, vale pensar de maneira semelhante.

Em vez de selecionar a mesma planta em vários vasos, por que não optar por diversos tipos? As suculentas são ótimos exemplos. Todas exigem cuidados parecidos, mas surgem em várias formas e tamanhos. Ao investir na diversidade, o resultado dará ainda mais a ideia de selva urbana.

Apenas fique atento para criar uma composição harmônica. O ideal é que todos os elementos conversem, pois é isso que ajuda a estabelecer um visual marcante pelos motivos certos.

Entenda as necessidades dos moradores

urban jungle

Quarto com plantas e móveis em madeira que deixam o ambiente mais natural

Como dito, a proposta de urban jungle não tem apenas o objetivo de montar um espaço bonito. Ela tem tudo a ver com aumentar o bem-estar, a qualidade de vida e o contato com a natureza. Então, é preciso se envolver com o cuidado das plantas para que os componentes estejam sempre bonitos.

Por conta dessa questão, é fundamental conhecer o estilo de vida dos moradores e entender quais são as suas exigências. Isso permite escolher as espécies ideais para quem viaja muito ou para quem tem uma disponibilidade maior para cuidar dos vasos todos os dias.

Sem fórmulas prontas, o interesse consiste em criar uma composição que funcione no cotidiano e em cada espaço. Assim, há um nível reforçado de satisfação com o projeto.

Quais são os outros aspectos para compor o ambiente?

Como tendência e, principalmente, movimento para o cotidiano, o urban jungle não tem grandes regras. Além da adição de plantas ao ambiente da melhor maneira, não há determinações específicas sobre elementos que devem ser usados no espaço, por exemplo. “Qualquer casa, com qualquer estilo, pode ser transformada em uma selva urbana”, explicam as arquitetas.

Mas para deixar os locais ainda mais bonitos, vale a pena investir em outros aspectos. Quer descobrir o que faz parte do ambiente? Veja algumas sugestões que fazem sucesso!

Use a cor verde na decoração

urban jungle

Sala de estar minimalista decorada com plantas e tons de verde, uma das principais marcas do urban jungle

Como dito, uma das principais marcas do urban jungle é a adoção de verde no espaço. Em contraste aos tons frios e neutros que surgem na cidade, essa nuance adiciona vida e faz com que o lugar se torne mais interessante. Para a selva urbana, as folhagens se destacam e recebem máxima atenção. Mas sabia que também é possível investir no tom na decoração, em geral?

É o caso de adotar um revestimento verde para as paredes, por exemplo. Fazer com que a cor “ganhe” a maior parte do ambiente garante um toque único e faz com que todo o espaço entre no clima.

Também é viável adicionar o tom em outros componentes, como nas estampas de itens de decoração. A intenção é sempre equilibrar as nuances para conseguir o melhor resultado.

Aposte em quadros e objetos de plantas

Para evocar o sentimento de natureza e fortalecer a ideia de urban jungle, também dá para recorrer a itens complementares de decoração. As Arquitetas Online são categóricas quando afirmam que “as fotografias e os quadros de paisagens e plantas são uma bela aposta para as paredes”.

Ou seja, você pode trabalhar a linguagem da natureza em todo o ambiente para compor algo diferente e repleto de personalidade. Aproveite aquela parede livre para posicionar quadros com imagens de folhagens e representações do tipo.

Tudo fica especialmente atraente quando é feito no ambiente em que estão os elementos naturais. Usar quadros perto do jardim vertical ou na sacada, por exemplo, é uma das melhores alternativas.

Use móveis de materiais naturais

urban jungle

Sala de estar tendo o verde como aspecto central e elementos de materiais naturais, como madeira e palha

Além do verde, é possível apostar em outros elementos que remetem à natureza para dar o toque ideal para o espaço. Um dos jeitos de fazer isso é com a escolha adequada de móveis para certos ambientes.

Em vez de investir no metal ou no acrílico, por que não recorrer a materiais naturais? Móveis de madeira são clássicos, mas também há outras opções versáteis. Bambu e rattan são duas escolhas principais e que ajudam a compor a decoração e elevar a proposta de urban jungle.

Novamente, vale focar em usar esses itens onde as plantas estão. Assim, é possível estabelecer uma conexão de forma prática, o que garante êxito nos resultados.

Invista em roupas de cama com estampas de folhas

Ao falar em urban jungle, deu para ver que a maioria das plantas e dos demais elementos fica nas sacadas ou na sala. Esses ambientes preferenciais de convívio social são ótimos para criar uma selva integrada e que é repleta de beleza. Mas você sabia que também é possível adotar a proposta nos quartos?

Mesmo que os cômodos sejam um tanto “isolados”, eles podem entrar na tendência de forma fácil. Basta apostar em roupas de cama com estampas de folhagem para explorar todo o potencial. Também vale recorrer a almofadas e outros componentes de decoração que levam a natureza diretamente para o cômodo do repouso.

Invista em objetos ligados ao tema

urban jungle

Sala conjugada com cozinha e copa com plantas distribuídas pelos ambientes

Além de tudo, é interessante utilizar os objetos certos para decorar o ambiente de um jeito ainda melhor. Para quem tiver uma sacada com uma minifloresta, vale a pena investir em estátuas de barro ou gesso, se houver espaço disponível.

Do lado de dentro, bibelôs de cactos e outras plantas dão um toque divertido e que combina com o ambiente. Dá até para recorrer a terrários de suculentas para adicionar mais verde.

No sofá, as almofadas estampadas dão o tom e a sala ainda pode contar com cordas de amarração, cestas de palha e banquinhos de apoio. Assim, o ambiente todo conversa e combina de um jeito diferente.

A tendência de urban jungle tem tudo a ver com a nova geração e seu interesse por elementos naturais e pela sustentabilidade. Com essas dicas, é possível adicionar florestas urbanas aos seus projetos de um jeito fácil e com excelentes resultados!

Aproveite e compartilhe esse post nas suas redes sociais para debater sobre essa tendência com seus colegas de profissão!

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *