Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Matérias

Um clássico da arquitetura em Paris: Centre Georges Pompidou

19/11/2014

Quando o Centre Georges Pompidou abriu as suas portas em 1977, a maioria dos parisienses não gostava da arquitetura desse edifício vanguardista em meio aos prédios mais tradicionais. O projeto foi escolhido mediante um concurso idealizado pelo então presidente da França, Georges Pompidou. O design da construção e as decisões projetuais, além do fato de(…)

Quando o Centre Georges Pompidou abriu as suas portas em 1977, a maioria dos parisienses não gostava da arquitetura desse edifício vanguardista em meio aos prédios mais tradicionais. O projeto foi escolhido mediante um concurso idealizado pelo então presidente da França, Georges Pompidou.

O design da construção e as decisões projetuais, além do fato de ambos os arquitetos, Renzo Piano e Richard Rogers, serem desconhecidos na época, causou grande impacto sobre a população.

O projeto do complexo, que abriga museu, biblioteca, teatros, entre outros equipamentos culturais, foi baseado nas possibilidades da alta tecnologia, estruturado através de sistema de conexões, tubos e cabos de aço. O conceito buscava externalizar a infraestrutura do edifício, tornando-a um componente do aspecto visual do edifício. Esse exoesqueleto estrutural e infraestrutural permite, por um lado, identificar claramente a função de cada elemento do edifício, e, por outro, que o interior seja completamente livre e desobstruído.

Cada um dos componentes do edifício pode ser identificado por suas cores específicas. A estrutura de ar condicionado está pintada em branco; escadas e elevadores, em prateado; dutos de ventilação, em azul; instalações hidráulicas e de incêndio, em verde; os elementos do sistema elétrico são amarelos e laranjas; e os elementos de circulação do edifício estão pintados de vermelho.

O Centro abriga o Museu Nacional de Arte Moderna, o maior museu europeu do tipo. No interior, ainda está a Bibliothèque Publique d’Information e um centro para música e investigações acústicas conhecido como IRCAM. No exterior, há uma praça plana e livre, utilizada para eventos urbanos.

O Centro Georges Pompidou recebe anualmente cerca de seis milhões de visitantes, sendo uma das obras mais visitadas na França. Alguns teóricos afirmam que o Centro é um dos marcos do início da pós-modernidade nas artes.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *