Menu
Projetos e Obras
Busca

Portobello Matérias

Semana de Arte Moderna de 1922: em busca de uma identidade nacional

17/08/2020

A linha Superquadra, da Portobello, é inspirada na Semana de Arte Moderna de 1922. Leia o artigo para saber mais a respeito!

A Semana de Arte Moderna de 1922, que está próxima de seu centenário, é um dos mais importantes eventos artísticos que ocorreram no Brasil, revolucionando as artes em praticamente todos as suas vertentes. Inclusive, a Portobello tem uma linha de porcelanatos inspirada nessa data marcante para a cultura brasileira, que agora também oferece produtos no formato 90×90 cm

Antes de falarmos sobre isso, no entanto, vamos recordar qual é a magnitude desse evento e entender como ele contribuiu para que as artes brasileiras tivessem uma identidade verdadeiramente nacional. Também apresentaremos alguns dos principais nomes que se destacaram na época e seguem até hoje influenciando os nossos artistas. Pronto para saber mais sobre a Semana de Arte Moderna de 1922? Então, siga a leitura!

A Semana de Arte Moderna de 1922 e suas consequências

A Semana de 22 ocorreu no Theatro Municipal de São Paulo (Foto: Prefeitura Municipal de São Paulo)

A Semana de 22 ocorreu no Theatro Municipal de São Paulo (Foto: Prefeitura Municipal de São Paulo)

Também conhecida como Semana de 22, a Semana de Arte Moderna de 1922 aconteceu em São Paulo, entre os dias 11 e 18 de fevereiro, no Theatro Municipal da cidade. O evento teve o apoio do governador do estado de São Paulo na época, Washington Luís.

Na Semana de 1922, a cada dia eram expostas diferentes artes, como a pintura, a escultura, a poesia, a literatura e a música. O evento fez com que um movimento artístico surgisse e ganhasse força no Brasil: o modernismo.

Foi a Semana de 22 que proporcionou uma verdadeira quebra de paradigmas na sociedade, criando uma linguagem para as artes, muito mais moderna e com muito mais liberdade. Novos conceitos artísticos surgiram, assim como formas de praticá-los.

A poesia, que antes era só escrita, passou a também ser declamada; a música começou a ter cantores acompanhando as orquestras sinfônicas; e as artes plásticas puderam ser representadas em telas e maquetes de projetos arquitetônicos, com desenhos muito mais arrojados.

Vale lembrar que, antes desse evento, a elite brasileira, principalmente a paulista, era totalmente influenciada por padrões estéticos europeus conservadores. Não havia no Brasil uma identidade própria, algo que representasse o nosso país nas artes.

Tudo era muito formal e acadêmico. A Semana de 1922 mudou esse aspecto, trazendo características do nosso país para todas as expressões artísticas desenvolvidas pelo e para o nosso povo.

O contexto histórico em que a Semana de 22 se realizou

É interessante perceber, no entanto, que nem tudo ocorreu de forma pacífica na Semana de Arte Moderna de 1922. O evento ocorreu em meio a um cenário delicado do nosso país, que estava envolto a tensões políticas, econômicas e sociais da República Velha, na época da chamada política do Café com Leite.

Os Sapos, de Manuel Bandeira, foi alvo de vaias quando foi declamado para o público (Imagem: SlidePlayer)

Os Sapos, de Manuel Bandeira, foi alvo de vaias quando foi declamado para o público (Imagem: SlidePlayer)

Também houve resistência de intelectuais da época, que preferiam que as artes brasileiras seguissem tendo inspirações europeias. Uma prova disso é o que ocorreu quando Roland de Carvalho declamou o poema Os Sapos, de Manuel Bandeira. O texto, uma crítica aberta ao parnasianismo, chocou muitas das pessoas presentes, que vaiaram e fizerem algazarra, para que a leitura fosse interrompida.

O maestro Villa-Lobos, na foto com a cantora Bidú Sayão, foi vaiado por entrar de chinelo no palco da Semana de 22 (Foto: Arquivo Nacional)

O maestro Villa-Lobos, na foto com a cantora Bidú Sayão, foi vaiado por entrar de chinelo no palco da Semana de 22 (Foto: Arquivo Nacional)

Outro fato inusitado aconteceu quando o músico Villa-Lobos entrou para uma apresentação com um pé calçando sapato e o outro usando um chinelo. O público interpretou isso como uma afronta, uma atitude desrespeitosa, que foi alvo de muitas vaias.

Mais tarde, o maestro explicou que a vestimenta não era uma expressão artística. Ele apenas usou chinelo em um dos pés porque estava com um calo inflamado e não havia a possibilidade de colocar um calçado fechado.

As reações negativas de parte do público também geraram publicações conservadoras na imprensa. Muitos críticos e colunistas dos jornais da época trataram os artistas com termos como “futuristas endiabrados” e “espíritos cretinos e débeis”, entre outros.

Uma das exceções foi o jornal Correio Paulistano, que tinha um viés mais progressista e fez uma cobertura mais positiva do evento, destacando o novo movimento que surgia.

Com o passar dos anos, percebeu-se a grandiosidade da Semana de Arte Moderna de 1922. Ela reflete até hoje na forma como nós, brasileiros, produzimos e consumimos arte. Sem os movimentos modernistas, é bem provável que o Tropicalismo e a Bossa Nova, marcas da nossa cultura, não fossem como conhecemos hoje ou sequer existissem.

A música, a literatura, a poesia, o cinema, a televisão, a publicidade, a arquitetura… São diversos os segmentos que até hoje bebem da fonte da Semana de 1922.

A minissérie Um só coração retrata a Semana de Arte Moderna de 1922

Em 2004, a Rede Globo lançou uma minissérie chamada Um só coração, que conta a história da socialite Yolanda Penteado (na série, interpretada pela atriz Ana Paulo Arósio), conhecida como “a princesinha do café”. Em forma de dramaturgia, foi narrada a forma como a Semana de 22 foi planejada, executada e recebida pelo público.

Principais nomes que se destacaram na Semana de 1922 e influenciaram as artes

Mario de Andrade (primeiro à esquerda, no alto), Rubens Borba de Moraes (sentado, segundo da esquerda para a direita) e outros modernistas foram destaque na Semana de 22 (Foto: Autor desconhecido)

Mario de Andrade (primeiro à esquerda, no alto), Rubens Borba de Moraes (sentado, segundo da esquerda para a direita) e outros modernistas foram destaque na Semana de 22 (Foto: Autor desconhecido)

São diversos os nomes de artistas hoje consagrados que surgiram ou se destacaram na Semana de 1922.

Nas artes plásticas, os nomes de maior destaque foram:

  • Vicente do Rego Monteiro;

  • Tarsila do Amaral;

  • Di Cavalcanti;

  • Anita Malfatti.

Na literatura, destacaram-se escritores e poetas como:

  • Carlos Drummond de Andrade;

  • João Cabral de Melo Neto;

  • Oswald de Andrade;

  • Vinícius de Moraes;

  • Mário de Andrade;

  • Graciliano Ramos;

  • Manuel Bandeira;

  • Clarice Lispector;

  • Cecília Meireles;

  • Jorge Amado.

Já na música, os nomes de maior destaque foram:

  • Heitor Villa-Lobos;

  • Guiomar Novaes;

  • Frutoso Viana.

Superquadra: a linha da Portobello inspirada na Semana de Arte Moderna de 1922

Os traços do modernismo são encontrados na linha Superquadra, da Portobello (Projeto: Portobello S.A.)

Os traços do modernismo são encontrados na linha Superquadra, da Portobello (Projeto: Portobello S.A.)

As formas da Semana de Arte Moderna de 1922 inspiraram os ladrilhos da coleção Superquadra.

Linhas mais livres e orgânicas formam desenhos bem contemporâneos que atualizam os conceitos tradicionais, como pode ser visto na imagem acima, que traz aplicações das peças Superquadra nas versões Art Concreto, Art Cru, Art Luna e Art Zinco.

Com a linha Superquadra, pode-se desenvolver projetos criativos sem perder o requinte e a sofisticação. Será possível brincar com as formas e criar ambientes inovadores, assim como a Semana de 22.

Pisos revestidos com Superquadra 90×90 cm deixam os ambientes aconchegantes, ideais para reunir a família (Projeto: Portobello S.A.)

Pisos revestidos com Superquadra 90×90 cm deixam os ambientes aconchegantes, ideais para reunir a família (Projeto: Portobello S.A.)

O concreto é uma das matérias-primas símbolos da arquitetura modernista e, por sua vez, Superquadra é uma das fortes linhas da Portobello que interpretam esse material.

O concreto é sempre atual e transita entre diversos estilos sem ser datado ou parecer vintage. É a companhia perfeita para um mix com outras superfícies e pode ser o protagonista.

Superquadra foi criada a partir dessa perspectiva livre do concreto. As superquadras de Brasília e o seu ideal conceitual de não limitar os espaços, criar superfícies contínuas e com permeabilidade de movimento foram a inspiração desse novo concreto Portobello.

A Portobello valoriza a diversidade em revestimentos, oferecendo um portfólio com inúmeros tipos de porcelanato, em suas mais variadas dimensões. Tudo para ter o produto ideal, de acordo com a necessidade de cada projeto.

Por isso, a linha Superquadra inova na Coleção Unlimited. Agora, além dos tamanhos 60×60 cm, 20×120 cm, 60×120 cm e 120×120 cm para as versões Zinco, Cru, Concreto e Conhaque, Superquadra conta também com a dimensão sofisticada do 90×90 cm.

O formato 90×90 cm traduz em porcelanato a versatilidade do material. São cores com personalidade para revestirem todo o ambiente ou para serem compostas com madeira, metal ou mármore.

Grandes placas de concreto moldadas em fôrmas metálicas resultaram em uma superfície com movimento de tons e pequenos pontos impressos aleatoriamente pelo ferro

Na linha também existem as versões Concreto Dobraduras MixHalf Concreto e Half Cru. Com elas, é possível revestir as paredes de modo que os ambientes fiquem tão bonitos quanto os de uma exposição de obras de arte. Certamente, todos que visualizarem ficarão encantados.

Combinações de Superquadra 90×90 cm com tijolinhos podem ser feitas para que o seu projeto seja uma verdadeira obra de arte (Projeto: Portobello S.A.)

Combinações de Superquadra 90×90 cm com tijolinhos podem ser feitas para que o seu projeto seja uma verdadeira obra de arte (Projeto: Portobello S.A.)

Para redecorar a sua casa — seja em área interna ou externa — com ambientes modernos que remetem à Semana de Arte Moderna de 1922, Superquadra é a opção perfeita. O novo formato também permite revestir pisos ou paredes de projetos comerciais.

Na cozinha, composições maravilhosas podem ser feitas com o porcelanato Superquadra 90×90 cm (Projeto: Portobello S.A.)

Na cozinha, composições maravilhosas podem ser feitas com o porcelanato Superquadra 90×90 cm (Projeto: Portobello S.A.)

Sala, cozinha, quartos, banheiros, áreas externas… Há inúmeras possibilidades para reformar o seu espaço com o Superquadra na versátil dimensão 90×90 cm. O revestimento traz a modernidade e o conforto para você aproveitar a casa da melhor maneira — até para trabalhar junto aos seus pets com estilo!

O bom de ficar na casa — decorada com Superquadra — é aproveitar momentos importantes ao lado de quem amamos (Projeto: Portobello S.A.)

O bom de ficar na casa — decorada com Superquadra — é aproveitar momentos importantes ao lado de quem amamos (Projeto: Portobello S.A.)

Vale enfatizar os tons elegantes do conhaque, que são unidos com a brasilidade da Semana de Arte Moderna de 1922, trazendo composições interessantes com o porcelanato Superquadra Conhaque.

Sofisticação é algo sempre visto em projetos com o porcelanato Superquadra Conhaque (Projeto: Portobello S.A.)

Sofisticação é algo sempre visto em projetos com o porcelanato Superquadra Conhaque (Projeto: Portobello S.A.)

Um dos princípios do modernismo é romper com todos os padrões que possam impedir as criações. Por isso, usar porcelanatos como o Superquadra Cru é interessante para destacar ainda mais as cores e os detalhes dos projetos.

Para todos os arquitetos ou amantes das artes, conhecer a Semana de Arte Moderna de 1922 é essencial. Esse movimento foi um divisor de águas nas expressões artísticas de nosso país e, portanto, cabe a nós valorizá-lo.

Com a linha Superquadra, da Portobello, você também pode expressar e homenagear esse evento tão importante em seus projetos!

Ladrilhos Superquadra homenageiam Semana da Arte Moderna de 1922 (Projeto: MAIS|D Arquitetura e Interiores)

Ladrilhos Superquadra homenageiam Semana da Arte Moderna de 1922 (Projeto: MAIS|D Arquitetura e Interiores)

E se você gosta de História, que tal conhecer um pouco mais sobre a Cidade Matarazzo? Desenvolvemos um artigo que conta sobre o passado, o presente e o futuro desse patrimônio histórico que deverá ser o novo símbolo de São Paulo. Leia agora mesmo!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *