Menu
Projetos e Obras
Busca
feira de arte da América Latina

0 SP-Arte, principal feira de arte da América Latina, volta a acontecer no Pavilhão da Bienal (Foto: Ênio Cesar _ SP-Arte)

Conteúdo Eventos

O que fazer em São Paulo em abril

01/04/2022

A SP-Arte tem seu grande retorno à Bienal, agitando a cena das artes em São Paulo. Veja também ótimas exposições em unidades icônicas do Sesc e em outros importantes centros culturais.

1 | SP-Arte

Peças únicas em série, do designer Rodrigo Silveira, um dos expositores do setor de design da SP-Arte (Foto: Ana Paula Moreno)

A principal feira de arte da América Latina retorna ao Pavilhão da Bienal, após uma edição 100% virtual, em 2020, e outra híbrida na Arca, em 2021. Voltar à arquitetura icônica de Niemeyer, claro, faz toda a diferença, retomando o protagonismo tradicional da SP-Arte de catalisadora do mercado nacional das artes visuais e impulsionadora da economia criativa em São Paulo. Participam 100 galerias de arte, oito das quais internacionais, e 30 galerias de design. Guilherme Wentz, designer parceiro da Portobello, participa pela primeira vez com sua marca Wentz. Assim como a Revestir 2022 ficou conhecida como a Revestir do reencontro no universo da arquitetura, o mesmo deve acontecer com a SP-Arte 2022 para o mercado das artes.

Serviço
Período: 6 a 10 de abril
Entrada: R$ 50
Horários: das 12h às 20h
Localização: Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n, Moema

Dica: No segundo andar da Bienal, acontece o programa de Talks, nos dias 7, 8 e 9. Jacopo Crivei Visconti, curador da última Bienal de São Paulo, e Ana Roman, curadora assistente, conduzem conversas com artistas e curadores.

2 | Sebastião Salgado no Sesc Pompeia

Sebastião Salgado, Rio Negro. Estado do Amazonas, Brasil, 2019

Amazônia – Sebastião Salgado é a exposição mais badalada do momento em São Paulo. O Sesc Pompeia recebe cerca de 200 fotografias, frutos de sete anos de imersões de Sebastião Salgado na Amazônia brasileira. É a primeira vez que as imagens são expostas no Brasil, depois de passarem por Paris, Roma e Londres. “Esta exposição tem o objetivo de alimentar o debate sobre o futuro da floresta amazônica. É algo que deve ser feito com a participação de todos no planeta, junto com as organizações indígenas”, defende Sebastião Salgado, fotógrafo brasileiro de grande reconhecimento internacional. A arquitetura icônica de Lina Bo Bardi engrandece ainda mais as fotografias.

Serviço
Período: até 31 de julho
Entrada: gratuita
Horários: terça a sábado, das 10h30 às 21h; domingos e feriados, das 10h30 às 18h
Localização: Rua Clélia, 93, Pompeia

Dica: Após a temporada em São Paulo, a exposição seguirá para o Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro (RJ), de 19 de julho a 29 de janeiro; e para Belém (PA), ainda sem data confirmada.

3 | Além da Semana de 22 no Sesc 24 de Maio

Exposição Raio Que O Parta, no Sesc 24 de Maio. Foto Alberto S. Cerri

Raio Que O Parta: Ficções do Moderno no Brasil reflete sobre a arte moderna brasileira para além da década de 1920 e do protagonismo paulista. Foram reunidas obras que datam do final do século 19 até meados do século 20, incluindo artistas de diversos estados. O título da exposição é inspirado nas fachadas das antigas casas de Belém do Pará, elaboradas com a justaposição de azulejos quebrados, formando desenhos geométricos. Conhecido como “raio que o parta”, este estilo arquitetônico foi influenciado pelo modernismo nas artes plásticas e popularizado na década de 1950.

Serviço
Período: até 7 de agosto
Entrada: gratuita
Horários: terça a sábado, das 10h às 20h; domingos e feriados, das 10h às 18h
Localização: Rua 24 de maio, 109, República

Dica: O Sesc 24 de Maio é um projeto de Paulo Mendes da Rocha. Então, além da exposição, vale uma visita pela arquitetura do centro cultural.

4 | Instalação de Flávia Junqueira no Pátio Higienópolis

Flávia Junqueira, Revoada #3 (Foto: Divulgação)

Cerca de 150 balões de resina, com transparência e brilho, ocupam o vão central do Pátio Higienópolis e a entrada do Paço das Artes. A instalação Revoada #3, da artista Flávia Junqueira, inaugura o projeto cultural Galeria Suspensa, parceria entre o shopping e o centro cultural, que fazem parte do mesmo complexo. No shopping, a obra de grandes dimensões ocupa área de cerca de 250 metros quadrados, com 50 metros de altura, se tornando visível de todos os andares. Em paralelo, o Paço das Artes recebe exposição de fotos da artista.

Serviço
Período: 2 de abril a 15 de maio
Entrada: gratuita

Shopping Pátio Higienópolis
Horários: segunda a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 11h às 22h
Localização: Avenida Higienópolis, 618, Higienópolis

Paço das Artes
Horários: terça a sábado, das 11h às 19h; domingos e feriados, das 12h às 18h
Localização: acesso pelo Boulevard do Shopping Pátio Higienópolis

5 | Lucas Arruda no Instituto Tomie Ohtake

Lucas Arruda, sem título, 2010 (Foto: Beatriz Toledo)

A exposição Lucas Arruda: Lugar Sem Lugar está em cartaz em São Paulo após sucesso na Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre. Foram reunidos 15 anos de produção, desde o início da carreira do artista até os dias atuais. As pinturas de Arruda tensionam os limites entre o figurativo e o abstrato, depurando a paisagem como construção do olhar. O artista é um expoente da nova geração da arte brasileira, já tendo sido foco de exposições individuais na Alemanha, na Itália, em Xangai e na Cidade do México, entre outras. Suas obras integram as coleções do Tate Modern, do Guggenheim e do Pompidou, entre outras instituições.

Serviço
Período: até 17 de abril
Entrada: gratuita
Horários: terça a domingo, das 11h às 20h
Localização: Rua Coropés, 88, Pinheiros

Dica: Aproveite para visitar as outras exposições do Tomie: We Are Here: Intimidades Radicais, até 3 de abril; Prêmio de Arquitetura, até 10 de abril; Tunga: Conjunções Magnéticas, até 10 de abril; e Tomie Ohtake: Os Sons dos Sins, até 3 de abril.

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *