Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Colunistas

Nossa rotina mascarada

24/08/2020

Durante uma pandemia global, que já custou a vida de quase um milhão de pessoas ao redor do mundo, enquanto o povo se estapeia lá fora, eu me agarro à minha máscara. 

Sempre fui apaixonado por rotina

Por treze anos tive um bulldog francês adorável cuja mera sobrevivência dependia de uma série de hábitos meus. Quem tem bicho sabe como é. Acorda, alimenta, vai à rua, brinca, desce de novo, dá um petisco, joga bola, leva para fazer xixi, dorme e no dia seguinte faz tudo igual. Com o passar do tempo, o mundo lá fora mudava – estações, empregos, presidentes – mas nosso cotidiano seguia inabalável. 

A obrigação de levá-lo para passear de manhã cedo acabou tornando-se um dos grandes prazeres da minha vida. Há algo de mágico em ver a cidade acordando. O cheiro de pão fresco, vizinhos regando plantas, donos de barracas de rua arrumando suas minivitrines, pais levando seus filhos à escola, passarinhos distribuindo “bons dias” – ou, aqui, “good mornings” – moradores varrendo a calçada e uma energia quieta que abastece nossa alma para aquilo tudo que o dia inevitavelmente vai trazer. 

Miles, meu cachorro, faleceu alguns anos atrás, no entanto, minha caminhada matinal resiste firme e forte até hoje. Mesmo quando viajo, dou um jeito de acordar cedo só para observar como aquele lugar desperta. 

rotina mascarada

(Arquivo: Pedro Andrade)

Em NY é diferente. Bem, ao meu ver, tudo em NY é diferente. Minha relação com a Capital do Mundo é absolutamente humana. Sinto saudade de Manhattan como a gente sente saudade de uma pessoa amada, defendo-a a qualquer custo e conto a “nossa história” com o fervor com o qual descrevo uma grande paixão. Talvez por isso minha rotina na Big Apple tenha o gosto singular de envelhecer ao lado de quem a gente escolhe para a vida. Desde 1999, quando me mudei para cá, passamos por muitos altos – pessoas interessantes, exposições memoráveis, caminhadas pelo Central Park, ostras às margens do Rio Hudson, beijos no Washington Square Park, jazz no Joe’s Pub, martinis no Dante, música no Boom Boom Room e a Quinta Avenida toda enfeitada no mês de Dezembro – e baixos – 11 de Setembro, Furacão Sandy, Crise de 2008 e, é claro, a pandemia

rotina mascarada

(Arquivo: Pedro Andrade)

Nesse exato momento, as ruas de Manhattan transpiram esperança. Restaurantes, lojas, bancos e parques se adaptaram de forma eficaz e disciplinada, no entanto, o COVID-19 foi capaz de mudar até aquilo que sempre me pareceu inabalável. O cheiro do café fresco sumiu, as escolas ainda estão fechadas, os mercados agora abrem mais tarde, o vendedor de rua sumiu, os pássaros voam em silêncio, as calçadas pertencem aos locais e as máscaras se tornaram um item obrigatório.

rotina mascarada

(Arquivo: Pedro Andrade)

Infelizmente, essa ferramenta criada para nos proteger, virou um item politizado que burramente divide o planeta.

Nos Estados Unidos, o uso da máscara virou sinônimo de falta de liberdade imposta pela esquerda. É difícil imaginar um argumento mais descabido, no entanto, cá estamos. Políticos ignoram mais de 170 mil mortes enquanto a comunidade científica é injustamente difamada por membros de um culto nocivo. Não seguir normas médicas em pleno século XXI não é ideologia, mas sim, o que chamo de autosabotagem irresponsável.

rotina mascarada

(Arquivo: Pedro Andrade)

A ideia de permitir que uma instituição pensasse por mim sempre me gerou desconforto, por isso, não tenho partido, não tenho religião, não faço parte de torcida organizada e recuso o convite de qualquer clube exclusivo. Prezo minha autonomia e abrir mão do meu raciocínio independente seria um preço alto demais em qualquer circunstância. Com isso dito, durante uma pandemia global que já custou a vida de quase um milhão de pessoas ao redor do mundo, enquanto o povo se estapeia lá fora, eu me agarro à minha máscara. 

Além de ser uma proteção, é um ato de generosidade com o próximo e respeito por aqueles que lamentavelmente perderam a própria vida nesse período tão difícil.

O uso da máscara não é uma novidade. Em 1897 os cirurgiões Johan Mikulicz e Paul Berger decidiram usar uma gaze no rosto com o objetivo de proteger seus pulmões de doenças facilmente transmissíveis dentro do hospital parisiense no qual trabalhavam. O hábito foi adotado no mundo todo no início do século XX durante a Gripe Espanhola, que por sinal, matou mais de 50 milhões de pessoas.

Este modelo primário era relativamente eficaz na época, mas não se compara às máscaras que usamos hoje em dia. As N95, na verdade, surgiram em 1958 quando uma americana chamada Sara Little Turnboll foi contratada para criar um sutiã com um tecido novo que permitia maior circulação de ar quando em contato com a pele. Como a designer na época era responsável por três parentes idosas (duas tias e a própria mãe), ela decidiu usar este material revolucionário na criação de uma máscara cirúrgica em vez do acessório feminino. Dessa forma, poderia visitá-las no hospital com mais conforto e tranquilidade.

A invenção virou item obrigatório em clínicas e hospitais no mundo todo do dia para a noite.

Na Ásia, graças a outras pandemias nas últimas décadas, o uso de máscaras é algo incorporado na sociedade. Para eles, a resistência ao uso de uma N95 é equivalente a um motorista que insiste em dirigir bêbado. Simplesmente não faz o menor sentido.

O sudeste asiático é um fenômeno à parte. Países com densidade populacional alta, como Tailândia, Camboja, Myanmar e Laos, registraram números microscópicos de mortes. O Vietnã, com mais de 90 milhões de habitantes, acaba de registrar a primeira morte por COVID-19 na semana passada, a Tailândia, com seus 70 milhões, perdeu menos de cinquenta cidadãos para o coronavírus. De uma maneira geral, culturalmente, eles se encostam menos, não apertam mãos, beijo no rosto nem pensar e muitos de seus hábitos diários acontecem ao ar livre, o que dificulta a transmissão do vírus. 

Além disso tudo, é claro que a resposta governamental foi rápida e eficaz. Uso de máscara obrigatório, distanciamento social em todas as circunstâncias possíveis e fechamento de fronteiras logo no início da pandemia. Ainda assim, a comunidade científica não descarta a possibilidade da contribuição de um fator genético que tornaria essas populações menos vulneráveis ao coronavírus. Só o tempo dirá. 

Outra questão inusitada é o sucesso absoluto de vários países africanos. Ruanda, por exemplo, um país pobre e problemático com mais de 13 milhões de habitantes, registrou apenas sete mortes por COVID-19. Mais uma vez, liderança responsável fez toda diferença. Nessas horas fica claro que a escolha de um presidente não deveria ser baseada em número de seguidores no Twitter, carisma no palco, promessas vazias ou mero magnetismo. Da mesma maneira que um médico, um advogado, um piloto de avião ou um diplomata precisam conquistar aquele cargo ao longo de muitos anos, líderes políticos deveriam demandar o mesmo nível de expectativa e preparo. 

Outro motivo pelo qual parte do continente africano vem surpreendendo o resto do planeta durante a pandemia tem a ver com a quantidade de desgraças pelas quais os povos em questão já passaram – ebola, AIDS, malária, terrorismo, genocídios, fome, dentre outras. A ideia de mais uma carnificina é o pior dos pesadelos. 

De certa forma, a qualidade de vida da qual muitos de nós desfrutamos no Brasil e nos EUA no último século, pode sim, ter nos dado a perigosa ilusão da invencibilidade. Talvez a maior das lições pós-pandemia seja a modéstia, em outras palavras, a exata noção do quão frágeis nós somos perante algumas circunstâncias. 

rotina mascarada

(Arquivo: Pedro Andrade)

Nova York, por ter sido o epicentro da pandemia logo no início dessa catástrofe, presenciou meses pontuados por ambulâncias, caminhões que viraram frigoríficos de corpos, mais de oitocentas e cinquenta mortes por dia e as decisões inimagináveis que médicos tiveram que tomar graças à superlotação dos hospitais. Por essas e por outras, nós, nova-iorquinos, vamos pular a briga ideológica pelo uso de máscaras. 

Até que a vacina chegue, minha N95 virou hábito, assim como o passeio dos nossos cães de cada dia. 

79 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Fátima Vasconcelos Nunes - Jornalista editora do site Viajar Travel News says:

    Excelente texto. Parabéns, colega!

  • José Williams Mota says:

    Acessível, direto e político excelente texto.

  • Gloria Angela Xavier says:

    Reflexão maravilhosa que compartilho integralmente. Máscara sim! É respeito a si e aos outros.

  • Heloísa Maia says:

    Maravilhoso e real este texto
    Mas vindo do Pedro, eh o que se espera. Humanidade e coerência !

  • Lucila Moraes says:

    Sensatas palavras! Parabéns pelo texto e expressão. 👏🏼👏🏼 Vamos seguir as orientações científicas e buscar o melhor para o mundo, pessoal e coletivo. Convido, desde já, você para um café, assim que esse momento de distanciamento amenizar. 🙏🏻❤️☕️

  • Beatriz Jardim says:

    Texto coerente e tão necessário neste momento, obrigada Pedro!

  • Márcia Diniz says:

    Claro e objetivo. Obrigada!

  • Dayane Soares says:

    Você conseguiu transmitir responsabilidade e coerência, o que mais precisamos nesse momento. Obrigada.

  • Rosana says:

    Perfeito 👏🏼👏🏼. Ótima reflexão !! Máscaras sim!! Gentileza e respeito com o próximo!! 😷

  • Mônica Peres says:

    Nunca tinha lido nada escrito por você. Seu texto é perfeito, simples. Uma delícia de ler.
    Além de traduzir o que penso.
    Parabéns!

  • Alexandre Beja de Almeida Moutinho says:

    Muito bom texto!!!
    Perfeito e real…
    Parabéns

  • Danilo Misko says:

    Lindo texto. Exatamente como você, não tenho clube, partido político e religião. Prefiro me guiar pelo meu bom senso. Corro na rua sem máscara por conta da hematose que não acontecerá de forma saudável com excesso de Co2. No mais, utilizo sempre a máscara na espera de uma vacina. É importante apenas lembrar que isso é para proteger aqueles que tem problemas crônicos. Eu me protejo mantendo vitamina D, zinco, magnésio, sono e boa alimentação em dia. Adoro seu equilíbrio, aconchego em descrever lugares e coisas. Escreva mais !!!

  • PAULA BARBOSA COELHO says:

    Amei seu texto, super coerente, deveria ser publicado em algum jornal, muitas pessoas precisam lê-lo, ter acesso a essas informações reais, concretas e maravilhosas. Depois de 5 meses de pandemia vejo pessoas descrentes do vírus, acham que essa doença só acomete os outros, pensam ser invencíveis até perderem alguém que amavam. Isso é revoltante, aínda mais para mim, que perdi minha tia/madrinha, dia 21/05/2020. Espero em breve o anúncio de 100% de eficácia da vacina, para termos um pouco de tranquilidade, embora acredite que não voltaremos mais à normalidade. Grande beijo.🥰 Sucesso sempre.🌷

  • Sílvia Maria de Almeida São Pedro says:

    Amei, gosto muito do seu trabalho, consciência e responsabilidade faz bem e ser necessário para o convívio !!! Paraben A

  • Cláudia Porto says:

    Pedro e sua forma simples e acertiva de expor sua visão sobre questões da vida, consegue nos tocar fundo.

  • Cláudia Villas Boas de Moraes says:

    Texto excelente!!

  • TICIANA Petean says:

    Excelente. O pensamento sobre a rotina, sobre fazermos o que é certo, o uso da máscara e o negacionismo da ciência. … perfeito.

  • Andrea Bischoff says:

    Excelente texto, para refletirmos, pensar de forma coletiva! Liderança responsável é o mínimo que esperamos de nossos governantes. Tenho seguido da mesma forma, minha rotina com os cuidados que o momento exigem e vários hábitos novos que serão incorporados Tb!

  • Maria do Carmo dos Santos says:

    Leitura agradável e um texto coerente. Vindo do Pedro só poderia esperar isso. Show! Obrigada pela aula de simplicidade e empatia.

  • Beth Lucas says:

    Gostei muito de seu texto acompanhado das cenas do cotidiano dessa incrível cidade!
    O Japão, com sua consciência coletiva, as pessoas sempre usaram máscaras para se proteger e, principalmente, proteger os outros em lugares públicos ou fechados. Parabéns e vamos continuar com nossa máscara protetora!

  • Aureo Augusto says:

    I totally agree
    Congrats

  • Ana Maria Capanema says:

    Muito bom. Parabéns! Sou sua fã.

  • Selma Loureiro Cardoso says:

    Amei o texto contém muitos verdades! Também acho que o ato de usar máscara além de me proteger é um ato de amor para com o próximo!!!👏👏👏🥰

  • Marcia Zoratti says:

    Belo texto Pedro e fico sempre me perguntando o que mais temos a aprender nesses tempos difíceis. Talvez, para muitos, o aprender é somente tirar as máscaras da ignorância, prepotência e invencibilidade e colocar a única máscara que hj, pode salvar a própria vida!

  • Carla Juliana says:

    Texto reflexivo… Em meio ao caos da pandemia ainda temos que ter esperanças de que tudo vai passar, nós conscientizar cada vez mais… Hoje me encontro ansiosa, fragilizada com sentimento de impotência por tudo que está acontecendo… Peço saúde mental a todos para não desanimar…Independente de religião a Fé é tudo… Seguimos enfrente. Parabéns pelo texto.

  • Silvana B lima says:

    Parabéns Pedro! Texto maravilhoso!👏👏👏

  • Sonia says:

    Admiro sua sensatez e compartilho sua opinião . Sou sua fā, quando fui Portugal parecia que já conhecia depois de haver assistido o seu programa.

  • Lígia Leandro Soares says:

    Excelente ! Parabéns pelo texto e por todos os seus trabalhos ! Sou fã mesmoooo! Obrigada ❣️

  • Marly Nolasco says:

    Pedro está pandemia veio para nós avisar o quanto a vida é efêmera. A parte mais triste é vc interna seu familiar e aguarda notícias médicas por telefone , e vem a temida notícia ,não tem um abraço ,nada. Apenas um vazio . Trabalho na saúde e muitas vezes sair chorando do hospital . Termos pessoas responsáveis na direção do país independente de partido faz toda diferença. Hoje meu marido deu positivo para Covid e mais uma vez estou triste . Perdi amigos , colegas . nesta luta diária . Que o futuro possa nos trazer a rotina e as pessoas queridas próximos de nós . Máscara sempre!!!

  • Eliane says:

    Um dos textos mais sensíveis e profundos que tive a oportunidade de ler. Recomendo a todos . Ótima reflexão .

  • Ana Maria Roiter says:

    Muito bom seu depoimento. Poderia ser
    Aplicado aqui – acho que você bem sabe disso. Concordo , o uso da máscara veio para ficar – talvez no nível da Ásia. O uso político dela é simplesmente estupido _ aqui e aí. No mais, adorei a descrição de sua rotina em NY e posso entender a que você referiu pós pandemia : a falta do cheiro de café , das pessoas nas ruas acordando com a cidade e o silêncio dos passarinhos. Sigo o Manhattan desde o início , amo vocês. Dê um abraço especial para o Lucas , cada um de vocês são
    diferentes entre si , mas juntos, fazem uma grande Connection.

  • Tânia Maria Vieira Racy says:

    Como sempre texto maravilhoso e verdadeiro, escrito pelo Pedro, te admiro muito. Venci o Covid-19, uso máscara e não deixarei de usar, todos merecemos respeito. Parabéns Pedro.

  • Eliana Marina Redi Pontin says:

    Muito claro talvez pela sua idade cheia de frescor que promete quando da pos-pandemia, por outro lado a tempo vivo quarentena interna com rituais rotineiros que traz paz e inquietação no dia a dia. Mas concordo que a ignorância de nosso líder trouxe consequências vergonhosas aos brasileiros e conto com a lucidez sua e de muitos pra que Nosso povo não cometa mais erros e se conscientize que um benefício por poucos meses sem a devida consideração não é um fator positivo pra acreditar que tudo mudou. Sempre leio o que escreve a adoro sua generosidade ao descrever seus lugares. Continue assim lúcido e fiel
    Beijão

  • Elza Bastos Marcos says:

    Excelente seu texto.
    Não perco seu programa e não estou gostando do novo modelo do Manhattan
    Connection.

  • Andre Barbosa says:

    Mais um excelente artigo, parabéns! E super parabéns particularmente pelas fotos – há tempos venho destacado isso nos comentários que faço. Li o texto pensando no nosso Brasil e nos paralelos que podemos fazer. Entre as semelhanças – esse inacreditável questionamento da ciência e a politização do uso de máscaras, certamente. Infelizmente com tantas diferenças, Brasil e EUA vivem momentos políticos bem parecidos. Algo que não gostaria de fosse uma diferença, mas acredito que seja, é essa força de reconstrução – nosso povo parece migrar entre a negação e apatia…

  • Tania melgueiro says:

    Que texto maravilhoso!!! Excelente reflexão!! Parabéns Pedro!! 👏👏👏

  • Renata almeida says:

    Muito bom pedro👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

  • Darsônia Pereira says:

    Parabéns👏👏
    Lindo texto

  • Márcia says:

    Seu texto é completo, é limpo e justo na medida do que esta situação nos impõe, mostra, desvela e principalmente ensina. O belo é que ele é você! És um ser belo.

  • Nilma Braga Rosa says:

    Muito bom, 👏👏👏👏👏👏👏👏, parabens!!

  • Margarida says:

    Parabéns pelo texto!!!
    Necessário, coerente, acertivo!!
    Vc faz a diferença no mundo!

  • Juratan Moura says:

    Excelente matéria, poxa, viajei no maravilhoso relato do Pedro.

  • Marcos Aurélio Mello says:

    Que texto, foda, assim como você! Amo de paixão! Parabéns por nos inspirar a sermos melhores a cada dia Pedro Andrade

  • Eduardo says:

    Texto claro, que nos faz refletir quão complexa é nossa rotina.

  • Cristina Pelluci says:

    Excelente texto, Pedro!
    Ele reflete toda a fragilidade desse momento difícil que a humanidade atravessa, mas traz o alento de dias melhores.
    Você consegue transformar sentimentos em palavras…
    Amei😍😍

  • Ana Lúcia M Neves says:

    Maravilhoso o texto, muito bom !!! Vc é muito bacana Pedro , obrigada !!!

  • Toni Souza says:

    Sua humanidade e simplicidade são suas maiores belezas ao meu ver.
    Texto que reflete o que mais preciso para meus dias: humanidade e simplicidade com conteúdo reflexivo. Obrigado, Pedro.

  • Valéria Tournillon says:

    Um texto agradável e impecável como sempre

  • Maria Salete says:

    Muito lindo e com grandes verdades. Talvez essa pandemia sirva para melhorar algumas pessoas, mas com certeza só algumas vão conseguir sair melhor, pois outras vivem em suas bolhas que pra elas tanto faz. Ótima visão. Como muitas pessoas já te disseram, além de lindo, culto e inteligente tem uma enorme sabedoria. Parabéns!!

  • Maria Heloisa Simi Kuhne says:

    Concordo com vc em tudo! Parabéns pelo texto! 👏👏👏👏❤💋

  • Paulo Farias says:

    Você é sempre brilhante como apresentador, jornalista ou escrevendo uma matéria. Tudo tão claro, tanta paz, tudo tão simples seja usando as palavras ou as imagens. Abração!

  • Cezário Aschar says:

    Texto tão gostoso de ler quanto sorver um cafezinho da hora!

  • Enedina Souza says:

    Texto maravilhoso. Reflete a pessoa que sempre achei que vc é ( mesmo sem conhece-lo pessoalmente) . Parabéns. Sou sua fã. Cada vez mais.

  • Joselma Maria Farias Ferreira Lima says:

    Pedro, Parabéns pelo Texto !
    Simples como deve ser a vida ! Usar Máscara de Proteção Hoje é Respeitar o Próximo seja nosso Sangue ou não, significa não Usar Máscara da Falsa Aparência para ser o que não é, isso é o que importa !

  • Rejane says:

    Texto perfeito!
    Faço minha as suas palavras!

  • Aristides Neto says:

    Parabéns pelo excelente texto! Necessário, sensato e agradavel.

  • Roger Galvão says:

    Excelente texto, Pedro. Tenho fé e acredito muito que passaremos dessa pandemia, como pessoas mais fortes e resilientes. Acredito que o caminho é continuarmos ajudando o próximo, termos empatia e ter fé em Deus. Infelizmente, vivemos o pior ano de nossas vidas, mas não podemos desistir e de nos cuidarmos o melhor que pudermos. Que tudo fique bem, em breve e possamos ser pessoas MELHORES depois de tudo isso!! Usem máscara e que possamos respeitar os enfermos e os que se foram. Sairemos dessa!!

  • Sebastiana Luiza Bragança Lana says:

    Fui durante muito tempo assídua no Manhattan. Achei seu texto ótimo. Acontece que como vc bem diz a briga lá fora é ventre a “ciência” e o poder. Nunca as palavras científico, ciência estiveram tão na moda. E mais: absurdamente os poderosos aqui vc do país que amo, desviaram fundos, corromperam as missões, desrespeitando “a ciência” e os seres humanos, principalmente os menos favorecidos. Não acredito q uma vacina nos salvará.

  • Marilda Passos says:

    Gostei Pedro da sua explicação e aceitação: é necessário sim, o uso de máscaras , para o bem de todos!

  • Carlos Alberto Stein Moser Filho says:

    Texto maravilhoso! vou compartilhar. Parabéns Pedro Andrade você é um ser humano extraordinário, talentoso e humilde.

  • Carlos Alberto Moser Filho says:

    Parabéns pelo texto Pedro você é incrível e um excelente profissional.

  • Marli says:

    Uauu. Adorei, aprendi, pensei, repensei é concordei. Grande abraço.

  • Vera Lucia Manso says:

    Pedro querido que belo texto! Escreves com tanta sensibilidade que consigo sentir o cheiro das manhãs com você! E com máscara!! Cuide -se muito bem por favor!! Beijos e abraço apertado!!🙏🏻😘❤👏👏👏✌🤗😉😉

  • Vivian says:

    Ótimo texto. Amei. No quesito politizar o uso de máscara, Brasil e EUA estão na mesma vibe. A ignorância impera

  • Flavia Emerich says:

    Texto claro e objetivo que retrata a necessidade do cuidado e proteção. A simplicidade como retrata sua rotina e as mudanças que a pandemia trouxe me fez refletir ainda mais sobre tudo que estamos vivendo.
    Máscara + distanciamento social = um ato de amor.
    Por mais textos assim, parabéns!

  • Giselda motta says:

    Otimo texto,Pedro! Você me inspira! Abraços! Giselda motta, Florianópolis

  • Walter Antônio de Almeida says:

    Sua posição demonstra o quanto vc nos faz admirar os seus.pensamentos suas atitudes e preocupação com o proximo

  • Tania Kowarick says:

    Texto maravilhoso que nos lembra que a humildade e a generosidade são algumas das qualidades essenciais a vida em comunidade.

  • Rose says:

    Excelente texto!!! Simples, mas sem ser superficial!!!

  • Waleska says:

    Oi Pedro, gratidão pelo texto! Que nós, Seres Humanos, possamos ter consciência da nossa responsabilidade.

  • Rejane de Almeida says:

    Texto brilhante Pedro! Estou relendo, pois adorei! Parabéns!

  • Mônica da Costa says:

    Excelente texto. É inconcebível identificarmos em pleno XXI ,uma mentalidade tão retrógrada de milhões de pessoas, incluindo alguns governantes. Só temos a lamentar e usar nossas máscaras.

  • Ângela Guimarães Pinto Dias says:

    Adorei seu texto , parabéns!!!

  • Ângela Ghizi Guimarães says:

    Olá Pedro, sou Ângela e tento acompanhar, sempre que posso, teus artigos, reportagens, viagens, fotos, enfim… nos trazem conhecimento, beleza, nos faz repensar o Mundo e, creia, me dá alento.
    Neste teu texto sobre o uso das máscaras (aliás minha cia inseparável tbm), escreveste que a Esquerda deturpou o uso das máscaras em NY. Foi isso, não é?!
    Pois aqui no Brasil foi a Direita que, além de apregoar que as máscaras são para os fracos, não seguem nada do que a OMS nos orienta! Well, seguimos com respeito e empatia, nós, “os fracos”!
    Muita Saúde, Fé e Paz!
    Muito Obrigada!

  • Vera Lucia Manso says:

    Pedro querido…que nunca percamos o doce e maravilhoso milagre do despertar de um dia com seus aromas e frescor das manhãs…é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã! Máscaras sempre! Nova ordem mundial! Viva a vida! Obrigada pelo lindo texto!🙏🏻😘🤗😍✌❤

  • Marlene Arakaki says:

    Gostei do Texto e das reflexões porém acho que quando comenta sobre “líderes” me pareceu antagônico com o resto da sua reflexão. Não me parece que as pessoas usem máscaras porque o tal líder influenciou e sim porque cada um tem e deve ter a sua responsabilidade com o coletivo, ensinado pela cultura e pelos valores. Continuo a te admirar como sempre . 😘😘

  • Haline says:

    Pedro, excelente texto. Infelizmente, estamos tão distantes e ao mesmo tempo sofrendo as mesmas aflições. Que tudo isso seja só uma fase. Espero e desejo a toda população mundial essa clareza de vida que seu texto traz. A cada dia te admiro mais. Obrigada por fazer a diferença e ser essa pessoa tão interessante.

  • Maria Cristina Biasuz says:

    Muito obrigada querido Pedro por nos deixar participar do seu dia a dia em NY e das relações máscara/respeito. Agora, enquanto estás na Amazônia, sinto falta do seu contato diário. Mas, logo teremos relatos fantásticos de sua visão dessa parte de nosso Brasil.

  • Cristina Perlingeiro says:

    Admiro muito seu trabalho, ainda mais Pedro pelo mundo o qual me identifico por seu meu segmento de trabalho. Belo texto! E que o mundo seja mais modesto pós pandemia. Abraços Cristina/Rio de Janeiro/Brasil