Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Matérias

Quarto montessoriano: entenda os conceitos e a funcionalidade desse estilo

20/07/2018

Um local repleto de estímulos é tudo o que uma criança precisa para explorar suas ações e se autoconhecer. E para colocar essa afirmação em prática, nada melhor que conceber um quarto montessoriano. Você já ouviu falar sobre esse estilo? Sabe para que ele serve e quais são suas características? Acompanhe este artigo e veja!

Um espaço para crianças deve oferecer diferentes estímulos e proporcionar liberdade para a criação. É o que propõe o quarto montessoriano, um conceito que leva em conta as necessidades do público infantil para compor ambientes personalizados e adaptados à sua rotina.

Essa solução se baseia nos estudos da médica, educadora e pedagoga italiana Maria Tecla Artemisia Montessori. Maria foi responsável pela criação do Método Montessori, um conjunto de teorias e práticas bastante conhecido na área da educação e que também pode ser aplicado em forma de estilo na arquitetura.

Para saber mais, continue acompanhando este artigo. Vamos apresentar informações sobre o estilo e dicas para você aplicá-lo ao montar e decorar quartos infantis!

O Método Montessori

Chamado de Pedagogia Científica pela própria criadora, o Método Montessori visa libertar e compreender a verdadeira natureza do indivíduo para que a educação da criança se desenvolva com base em sua evolução, e não o contrário.

O estudo tem ênfase no respeito pelo desenvolvimento natural das nossas habilidades sociais, físicas e psicológicas. Afinal, em cada fase da vida de uma criança, predominam necessidades e comportamentos que não devem ser ignorados.

Para descobrir como o método Montessori pode ser aplicado para chegar ao quarto ideal, é importante entender primeiro os seis pilares que o compõem:

  • autoeducação: trata da ideia de que toda criança tem capacidade de aprender sozinha, especialmente se puder contar com o meio adequado para isso;
  • educação como ciência: considera que é possível descobrir quais ações ajudam no desenvolvimento dos pequenos a partir da constante observação das crianças;
  • educação cósmica: mostra que há muitas maneiras de despertar o interesse do público infantil pelo mundo. Basta que as informações fiquem organizadas para que sejam interpretadas e compreendidas;
  • ambiente preparado: reforça a necessidade de manter o local de aprendizado adequado para atender às exigências físicas e psicológicas dos pequenos. Pode-se tomar como exemplo o quarto de criança;
  • adulto preparado: considera que o adulto também deve se transformar a partir da interação com os pequenos, observando seus atos e oferecendo o espaço ideal para a execução de diferentes atividades;
  • criança equilibrada: trata da existência do guia interior, algo que indica o tipo de esforço exigido em cada fase da vida da criança (ex: falar, andar, correr, pular etc.).

Os seis princípios do Método Montessori devem funcionar simultaneamente. Desse modo, são maiores as chances de oferecer aquilo que os pequenos precisam para um desenvolvimento completo e equilibrado.

O conceito aplicado ao espaço

Um local pensado e projetado para as crianças: essa é a definição do quarto montessoriano. Ainda que pareça óbvia a importância de adaptar o espaço às necessidades dos pequenos, nem todo adulto sabe como fazer isso na prática.

Em situações como essa, o trabalho do arquiteto se torna indispensável. Seguindo os princípios do Método Montessori, o profissional consegue selecionar os melhores elementos para compor o ambiente e estimular o desenvolvimento infantil.

A aplicação do conceito exige a escolha cuidadosa de mobiliário, materiais e cores, bem como a disposição planejada dos objetos, brinquedos e acessórios. Isso vale para qualquer tipo e tamanho de cômodo, para quarto de menina ou quarto de menino.

Ponto de partida

Para começar, pense em soluções que permitam conceber um ambiente organizado e preparado para a ação infantil.

O quarto montessoriano deve “falar” com a criança e fornecer itens que se aproximem de sua realidade. É interessante dispor objetos atrativos, trabalhar com elementos didáticos e criar ambientes acessíveis.

O modo como o local se organiza determina as atividades que podem ser realizadas pelos pequenos. Logo, procure facilitar o uso das diferentes áreas do quarto e faça com que sua decoração aguce a criatividade para a descoberta de novos saberes.

Veja como exemplo o projeto desenvolvido pelo escritório Stilo Arquitetura (Rio de Janeiro — RJ) que traz móveis adaptados ao tamanho da criança. As prateleiras são de fácil alcance e possibilitam o uso de qualquer brinquedo ou material. O mesmo acontece no dormitório criado por Andrea Simas e Andréa Nygaard (Salvador — BA).

A composição de um quarto montessoriano

Os quartos baseados no Método Montessori devem promover a autonomia dos pequenos de maneira equilibrada. Esse cuidado é essencial para garantir liberdade e, ao mesmo tempo, segurança no espaço de permanência das crianças.

Quer dicas para começar? Então fique de olho na lista de itens considerados essenciais para montar e decorar um quarto de bebê com esse estilo.

Cama no chão

A ausência de berço é uma das características que mais geram estranheza em quem pretende seguir o método de Maria Montessori. Como alternativa, os pais devem utilizar um colchão confortável, que ficará apoiado diretamente sobre o piso.

A solução permite aos pequenos subir, descer, deitar e rolar sobre a cama sempre que quiserem, sem a interferência de um adulto. Para evitar o chão frio e manter tudo mais macio, vale distribuir almofadas, tatames de borracha ou futons ao redor do colchão.

Além da cama, outros móveis devem ser adaptados ao tamanho da criança para que ela consiga explorar a área e encontrar o que deseja. Portanto, instale prateleiras, cômodas e mesas baixas para facilitar o acesso a brinquedos, roupas e objetos.

Elementos funcionais

Não deixe de incluir móveis para quarto que sejam multifuncionais. Existem modelos criativos que decoram ao mesmo tempo em que atendem a diversas funções: guardar, apoiar ou suspender itens de uso da criança.

Para complementar, adicione elementos que facilitem o uso do espaço e que instiguem a criança a experimentar cada canto do quarto. Bons exemplos são as barras de apoio, que podem ser afixadas nas paredes em sentido horizontal ou vertical.

O espelho é outro item interessante, já que permite a visualização do ambiente a partir de ângulos distintos — o que costuma aguçar a curiosidade. O reflexo da própria imagem também faz com que a criança passe a se reconhecer.

Cores, estampas e texturas

As cores do quarto montessoriano devem ser variadas para que a criança aprenda a diferenciar as nuances. Muitos arquitetos preferem aplicar tonalidades neutras nas grandes superfícies (paredes, teto e piso) para trabalhar tons mais vivos e alegres nos detalhes.

Além da pintura tradicional, você pode aplicar adesivos ou papel de parede com desenhos e figuras divertidas. Nichos, quadros e plaquinhas com o nome da criança ficam interessantes em cores fortes e servem como peças decorativas.

Para adicionar texturas e minimizar o toque frio do piso, nada melhor que os tapetes. Escolha modelos com tramas e espessuras distintas, a fim de fornecer experiências sensoriais variadas aos pequenos.

Brinquedos e materiais lúdicos

Livros, jogos e materiais para desenho ou pintura acabam se tornando parte da decoração porque precisam ficar aparentes e ao alcance das crianças. Caso prefira pendurá-los ou colocá-los sobre os móveis, o ideal é que permaneçam na altura dos olhos.

Se a quantidade de brinquedos for muito grande, a dica é guardar parte das peças em caixas organizadoras ou em baús. Assim, é possível fazer um rodízio de tempos em tempos para manter o quarto organizado e, ainda, trazer sempre novidades à criança.

Itens de segurança

Toda casa com crianças precisa prezar a segurança. Portanto, planeje a disposição dos móveis de modo a esconder tomadas ou invista em protetores que bloqueiam o acesso à rede elétrica.

Para evitar acidentes, instale grades ou redes nas janelas e outras saídas do cômodo. Assim o bebê consegue explorar o local sem ficar exposto a riscos.

Quanto aos móveis, evite modelos com quinas ou detalhes pontiagudos (há protetores específicos para esses elementos). Também priorize peças leves, como porta-retratos e quadros com molduras em EVA ou acrílico. Estas não exigem pregos e podem ser afixadas com fita dupla face.

Gostou da ideia de compor um quarto montessoriano? Pois então guarde as dicas que separamos e procure novas inspirações para seus projetos. Quem sabe você não ajuda a garantir que mais crianças desfrutem de espaços personalizados com todo o carinho?

Caso queira receber outras publicações na área de arquitetura e design, siga o nosso perfil nas seguintes redes: Google+TwitterFacebookLinkedIn e Instagram. Aproveite que todas estão recheadas de ideias para você!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *