Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Tendências

Quadros com azulejos Portobello viram obras de arte nas mãos de Laís Piazza

20/12/2019

​Ser contemporâneo é reinventar, quebrar paradigmas, criar estéticas ousadas e inspiradoras. Assim é o perfil da arquiteta e cenógrafa Laís Piazza. Ela ​exibe sua arte com Paysage e Athos Bulcão, revestimentos que interpretam os tradicionais azulejos, tendência no décor 2020.

Os microazulejos quadrados e coloridos estão de volta! Essa tendência foi anunciada na maior feira de revestimentos do mundo, a Cersaie, e também divulgada no catálogo anual da marca sueca de decoração, a IKEA. Impulsionados por essa novidade, arquitetos e designers de interiores estão cada vez mais inspirados a criar projetos únicos. E por que não, obras de arte?

Essa foi a ideia da arquiteta Laís Piazza. Ela criou composições de quadros artísticos com porcelanatos da Portobello que interpretam azulejos, emoldurados com madeiras de descarte. A intenção foi decorar a festa de lançamento da 12ª edição da Revista Rio Arquitetura & Design, ocorrida na capital carioca. As obras contaram com a parceria da Portobello Shop Ipanema/RJ (local da festa) e da Everaldo Molduras (tradicional loja de molduras no Rio de Janeiro). 

“Considero-me uma pessoa bem criativa. É que as ideias surgem muito rapidamente. Quando vi o material disponível, já tinha criado na minha cabeça o que e como fazer. Minha primeira preocupação, no entanto, foi de como eu iria colar as peças dos azulejos em uma placa de mdf sem que elas caíssem  no meio da festa (risos)”, conta bem humorada a arquiteta.

Os azulejos Paysage e Athus Bulcão foram a cereja do bolo dos quadros. Segundo ela, além de eles serem belíssimos e com um design delicado, seus formatos ajudaram na paginação.  “Eu separei as peças por combinação de tonalidade e formato. Pouquíssimas delas precisaram de cortes – parece que as molduras foram feitas sob medidas para essas composições! Também utilizei prego líquido para a colagem que deixaram os azulejos superfirmes”, explica Laís.

Assista ao vídeo abaixo e inspire-se para criar o seu quadro com azulejos também!

Sustentáveis quadros com azulejos 

Laís Piazza faz questão de comparar os revestimentos da Portobello – inspirados nos traços artísticos de Athos Bulcão e os desenhos botânicos de Paysage -, somados à  criatividade de paginá-los, em verdadeiras obras de arte. E comenta sobre a liberdade de criação: “deixei essas peças de arte móveis e livres para serem usadas fora do padrão que estamos acostumados a ver, que são nas paredes e pisos”. 

Além disso, para quem faz parte da cultura “faça você mesmo” e deseja decorar a própria casa, Laís sugere usar a imaginação, o bom senso no equilíbrio de cores, texturas e formatos e uma dose de sustentabilidade. É que, segundo ela, para montar um novo objeto de décor, na maioria das vezes não é necessário investir muito; é perfeitamente possível utilizar materiais e ferramentas que já dispomos em casa. 

“Sei que o reaproveitamento de materiais não é uma ideia nova, mas acho que ainda existe muito tabu, sendo difícil sair da teoria e ir para a prática. Mas sempre bom lembrar que criar, restaurar, customizar ou reciclar objetos é uma forma de contribuir para um futuro mais consciente!”, defende a arquiteta. 

quadros com azulejos

Quadros com azulejos criados por Laís Piazza

Integração à cenografia

quadros com azulejos

Arquiteta e cenógrafa Laís Piazza

A arquitetura não é apenas a profissão que corre em suas veias. Além de ser arquiteta e urbanista graduada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com atuação em Interiores desde 2014, Laís Piazza também é cenógrafa e diretora de Arte formada pela Academia Internacional de Cinema e Televisão.

Ela conta que na época da graduação já estava envolvida com cursos de teatro e de cinema na UFSC. Mas foi no trabalho de conclusão de curso, o famoso TCC, que “ensaiou” o primeiro passo sobre como seria sua vida profissional de arquiteta e cenógrafa ao mesmo tempo. 

“Muitas pessoas acham que trabalhar com dois nichos profissionais é algo difícil. Na verdade, eu  vejo a cenografia como um campo da arquitetura, mas com o diferencial de que você pode, na maioria das vezes, desconstruir o conceito, criando algo diferente e, ao mesmo tempo, fazer com que consigam entender a mensagem do projeto. Na arquitetura ocorre igual, porém, é um trabalho com mais pés no chão”, afirma Laís, catarinense que vive hoje no Rio de Janeiro.

quadros com azulejos

Uma de suas composições cenográficas para capa de uma revista (Foto: @ricardomrp)

E você, também é versátil como Laís Piazza e criou lindos projetos com produtos Portobello? Que tal divulgar aqui no Archtrends? O momento certo é agora para ter seu perfil e inspirar milhares de pessoas na nossa vitrine virtual. Cadastre-se e publique suas imagens!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *