Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Entrevistas

Projeto de Ana Lívia transforma moradia em um perfeito ambiente de convivência familiar

25/07/2018

Com o tempo cada vez mais escasso de permanência no próprio lar, as pessoas tentam aproveitar momentos juntos para cozinhar e fazer suas refeições. Por isso, criar um ambiente aconchegante e funcional é extremamente essencial nos dias de hoje. Para falar desse tema, o Archtrends convidou a arquiteta Ana Lívia Bruno, que projetou um espaço integrado, proporcionando praticidade a uma família de São Paulo.

Arquiteta Ana Lívia Bruno (foto: arquivo pessoal)

Arquiteta Ana Lívia Bruno (foto: arquivo pessoal)

As cozinhas ganharam destaque nas construções atuais e integrá-las ao restante dos ambientes é cada vez mais comum. A proposta é permitir uma conexão maior entre os moradores da residência, principalmente porque eles passam a maior parte do tempo fora de casa. Unir sala, cozinha e também a área de lazer é uma das soluções. “Um espaço complementa o outro, reduz espaços e, consequentemente, custos de construção e manutenção”, reforça a arquiteta paulista Ana Lívia Bruno.

Em um projeto assinado pela profissional, os moradores de um condomínio residencial localizado em Mogi Mirim (SP) solicitaram que além da união dos cômodos a integração fosse eficiente, funcional e de baixo custo. Ela explica que o casal trabalha durante o dia e os filhos pequenos também estudam em tempo integral. “Eles ficam pouco tempo reunidos, especialmente à noite, e unir os ambientes foi uma maneira de incentivar a comunicação entre eles”, pontua.

No projeto, sala, cozinha e área de lazer com churrasqueira permitiram a otimização dos espaços e a ampliação das dimensões da casa, outro ponto avaliado como essencial pela arquiteta. Ana Lívia esclarece que unindo essas áreas não há a necessidade de criar duas infraestruturas de uso com geladeira, fogão e utensílios, por exemplo.

O uso do mesmo material de piso e parede reforça a integração. A escolha do piso Concretíssymaversão Matiz Grigio, natural 90X90cm -, com aspecto cimentício, que segue a instalação desde a garagem, acentua a harmonia dos cômodos. O destaque ficou para as paredes com a escolha do revestimento Black 07X24cmLinha Liverpool.

A proposta buscou trazer modernidade e aconchego à cozinha e ao lazer, amplamente abertos para o exterior e, portanto, com bastante iluminação natural.

O formato retrô remete a uma memória coletiva, ao mesmo tempo que é tendência. Além disso, a cor preta traz a modernidade e aconchego para uma área bastante iluminada”, completa.

Desta forma, a cozinha  tornou-se o espaço de encontro da casa, merecendo, assim, toda atenção ao seu projeto arquitetônico e de acabamentos, de forma a se tornar cada vez mais funcional e ao mesmo tempo belo e aconchegante para os poucos momentos de folga dos moradores, familiares e amigos.

Ambiente da piscina também ganha integração com os outros cômodos da casa

Ambiente da piscina também ganha integração com os outros cômodos da casa

Tijolinhos conquistaram a arquiteta

A arquiteta confessa que sempre admirou azulejos em geral e aprovou a tendência de resgatar os tijolinhos estilo subway tile nesses últimos anos, porque, segundo ela, são atemporais, simples, mas que causam grande efeito pelo formato e possibilidades de assentamentos. Além disso, combinam com tudo, desde um revestimento mais neutro até um modelo mais decorado. “O mais interessante é que remetem a revestimentos populares, muito usados em bares antigos e metrô. Acredito que esse sucesso está relacionado à simplicidade”, completa.

Tijolinhos black, da Linha Liverpool (Portobello) dão personalidade aos ambientes integrados

Tijolinhos black, da Linha Liverpool (Portobello) dão personalidade aos ambientes integrados

Especificadora da Portobello Shop Mogi Mirim, Ana Lívia Bruno é apaixonada pelo trabalho de arquitetos renomados, como Eduardo Souto de Moura e Álvaro Siza. Ela conta que, desde pequena, gostava de fazer plantas de casa e reformas. Desenhava no papel, na rua com tijolos de construção (quem sabe daí surgiu sua paixão pelo revestimento?) e gostava de montar os ambientes para as bonecas, usando caixas, objetos decorativos da mãe, ou qualquer coisa que encontrasse, e que pudesse configurar espaços e decoração pra casa da boneca.

Parece que os desenhos criados de forma inocente levaram a arquiteta a compor lindos projetos profissionalmente, não é mesmo? Continue navegando por archtrends.com e inspire-se com ambientes e outras histórias dos profissionais da arquitetura!

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *