Menu
Projetos e Obras
Busca

Portobello Tendências

Pre/Mood/View: materiais essenciais da arquitetura e pluralidade dão o tom de 2019

20/02/2019

Primeiro lançamento do ano da Portobello, produtos focam nas necessidades dos clientes com a possibilidade múltipla de estilos. Conheça!

De olho no ritmo do varejo, a Portobello planeja diferentes lançamentos ao longo do ano de 2019 que vão muito além das novidades mostradas, tradicionalmente, na Expo Revestir. Às vésperas da maior feira de soluções em acabamentos da América Latina, a “primeira leva” de produtos, digamos assim, acaba de ficar disponível para o público a partir do conceito Pre/Mood/View, o qual mostra o olhar da marca sobre novos moods e novas formas de morar.

Mais do que uma tendência específica, o preview antecipa um caminho (sem volta!) em direção à autenticidade, em parte possibilitada pelo uso de diversos materiais que multiplicam as possibilidades nos projetos. “Este ano, a gente não queria falar muito de estilo, tampouco trazer à tona estilos pré-definidos. Esse trabalho fica por conta do arquiteto com o cliente dele. Então, em respeito aos diferentes estilos, em respeito ao que cada um gostaria de criar, a gente está reforçando o clima que permite tipos plurais de decoração e não uma decoração definitiva”, explica Eduardo Scoz, Coordenador de Produto da Portobello.

Linha Boreal, versão Mix, aplicada em uma sala de estar

A partir disso, um universo de escolhas se abre com a personalização e seus possíveis moods, o que, segundo Scoz, é muito importante para uma empresa de design antenada com o mundo a sua volta: “O Pre/Mood/View está, de fato, antecipando esse movimento que colabora, cada vez mais, para criações exclusivas com base na pluralidade. E, claro, também brinca com a questão dos moodboards, porque a gente está fazendo bastante uso desse recurso. O moodboard é isso: uma paleta de possibilidades”.

Além de destacar uma tendência para 2019 que, na verdade, já é uma realidade, o preview ganha ainda mais força ao contemplar produtos sempre muito aguardados pelos clientes, como por exemplo, madeiras e mármores. A seleção, portanto, engloba materiais essenciais da arquitetura, aqueles que os profissionais precisam, gostam e usam. “Nós queríamos algo que fosse comercial e que funcionasse, na prática, para os projetos dos nossos parceiros”, afirma Eduardo, que completa: “Ambos são superfáceis de usar e os arquitetos precisam muito, seja para fazer bancada, piso ou parede”.

Linha Husky em sua versão mais escura aplicada na parede

Confira abaixo algumas linhas de destaque do Pre/Mood/View

Boreal

No intuito de interpretar a flora da região das florestas boreais, a linha Boreal reproduz uma seleção de madeiras, como abetos, pinheiros, faias e bétulas, que tem como característica comum a cor clara com nuances douradas e a presença de nós. Em duas versões, a Natural e o Mix, Boreal é uma nova opção para ambientes internos e externos que possibilita uma atmosfera aconchegante, mas pouco óbvia.

É uma madeira que surpreende para uso no piso e também na parede, ampliando a versatilidade. “Boreal carrega a bandeira da coleção e é um produto muito importante para a gente por ser bem diferente de tudo que temos. É sempre um desafio criar uma nova madeira exatamente por saber que estamos bem servidos nesse sentido. Na Portobello, nós temos madeiras que já trazem um ótimo resultado conforme o feedback dos próprios arquitetos. Com a Boreal, no entanto, a gente se superou e desenvolveu uma destonalização que não existe aqui”, garante Eduardo Scoz.

Boreal Natural pode ser vista no piso e em parte da parede

Husky

As florestas da Sibéria, onde as coníferas são espécies nativas, inspiraram a superfície dessa madeira, que teve os veios graficamente alinhados em tom sobre tom. “Husky é mais simples e vem em duas versões, uma mais escura e outra bem clara, ideal para fazer painel e cai muito bem como madeira de apoio por sua discrição”, indica Scoz. Husky propõe uma certa audácia que será percebida por olhares mais atentos, já que a simetria dos veios e a suavidade das cores a faz parecer sóbria à primeira vista.

St. Martin

Ser despretensiosamente sofisticado é a proposta desse mármore francês em tons de greige, característica natural dos parisienses, que sabem como poucos aliar simplicidade com belezas monumentais. Com desenho elaborado e traços orgânicos, a superfície do mármore St. Martin é iluminada por nuances de branco, tudo em uma escala que nem passa despercebida nem aparece demais.

Todo o charme de St. Martin, no tamanho 120×120, aplicado na sala

Oro Bianco

A região de Carrara, que se estende dos Alpes Apuanos ao Mediterrâneo, se tornou única por ter o mais precioso dos mármores brancos. O “ouro branco” conduziu a história da arte e arquitetura através dos tempos e se mantém um protagonista contemporâneo no design.

Oro Bianco Portobello reproduz o mármore estatuário, com veios de um dourado solar imersos na intensidade do branco puro com sombras acinzentadas. Uma joia para projetos atemporais. Nos grandes formatos 120×120 e 120×260, Oro Bianco tem a versão de veios contínuos formada por quatro lastras 120×260, uma proposta que transforma a parede em um painel de arte.

Oro Bianco é a joia “rara” do projeto que aplica o produto em todo o piso

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *