Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Matérias

7 lições para montar um portfólio de arquitetura que agregue valor

21/02/2018

Montar um portfólio de arquitetura nem sempre é fácil. A maioria dos profissionais não consegue mostrar de forma sucinta os trabalhos que já realizou. É importante mostrar que é capaz de oferecer diferentes projetos e que tem o seu estilo próprio bem desenvolvido. Isso, é claro, se adaptando ao que é pedido por cada cliente.

Para a maioria das áreas, é quase impossível mostrar o resultado do trabalho em um portfólio. Porém, na arquitetura, um projeto (e até mesmo o processo criativo para chegar até o produto final) pode muito bem ser exposto e divulgado dessa forma. Assim, as pessoas conseguem visualizar o que cada profissional é capaz de fazer.

Por isso, o portfólio virou uma das principais maneiras de avaliar um candidato antes da entrevista. Quase todas as vagas hoje pedem um currículo e uma amostra do trabalho, mas os recrutadores da área dizem que apenas uma minoria sabe como fazer um material adequado, sucinto e prático.

Então, neste post, vamos explicar o que fazer com o seu portfólio e currículo para passar pelas primeiras fases de recrutamento e conseguir uma entrevista.

Continue lendo para descobrir uma nova maneira de expor o seu portfólio de arquitetura!

1. A apresentação vale tanto quanto o conteúdo

A apresentação é fundamental para que o seu portfólio seja considerado pelos recrutadores. Eles recebem várias amostras de trabalho diariamente e costumam analisar cada uma em até um minuto. Por isso, você deve saber chamar a atenção sem dificultar a vida de quem está avaliando.

Um material muito complexo, grande demais ou com uma fonte difícil de ler não é uma boa ideia. Qualquer coisa que demore para ser entendida pelo recrutador pode fazer com que o seu portfólio vá para a pilha de descarte. Ele deve ser visualmente limpo e evitar o acúmulo de informações.

2. Inclua projetos dedicados a determinados nichos

É importante demonstrar flexibilidade e criatividade. Expor a maneira como você concebeu diferentes ambientes (apartamentos, casas, escritórios e ambientes comerciais, por exemplo) é uma boa opção para ilustrar o seu trabalho.

Tente manter o seu portfólio voltado para a área de que você mais gosta. Se prefere planejar apartamentos, mostre que é bom nisso. Mas deixe claro que também dá conta de desenvolver outros projetos conforme o necessário. Aliando esses dois conceitos, a chance de ser contratado é muito maior.

3. Seja objetivo, mas não se esqueça dos detalhes

Seu portfólio precisa ser conciso, apresentando as principais informações sobres os projetos nos quais trabalhou. É necessário destacar as coisas que efetivamente realizou na obra, mesmo que sejam detalhes. Muitas vezes, esses detalhes é que diferem você dos outros candidatos que colocam uma quantidade absurda de dados que ninguém vai ler.

Porém, existe um limite para a simplificação do portfólio. Ele precisa conter informações essenciais, como os seus dados, uma pequena descrição do que você fez nos projetos e um pouco do seu processo criativo para chegar ao resultado que aparece nas fotos que ilustram o material.

Uma boa escrita, o uso de fontes que combinam, margens e espaçamentos bem-pensados são detalhes que não passam despercebidos aos olhos dos recrutadores e enriquecem o seu portfólio. Essas pequenas coisas testemunham que você é cuidadoso com o seu trabalho e reforçam seu comportamento como profissional.

Dependendo da empresa para a qual você vai se candidatar, é possível que um material menos formal seja interessante. Ele pode mostrar como as suas características pessoais influenciam no processo criativo e se adequam à cultura do escritório. Em um cenário de empresas mais jovens ou startups, esse perfil de profissional pode ser visto como ideal.

4. Deixe seu traço autoral em evidência

Com a experiência, é normal que você desenvolva um traço autoral, um jeito particular de fazer as coisas. Mostre seu trabalho sempre deixando essa característica explícita, já que alguns escritórios precisam desenvolver projetos com personalidade e procuram pessoas com esse traço mais evidente. É útil para a empresa saber se o seu estilo se enquadra ao que eles costumam atender, então deixe isso claro.

É normal que algumas vezes seja preciso fazer apenas o que foi pedido, de forma direta e simples. Se é muito importante para você trabalhar de maneira autoral, talvez seja melhor deixar esses projetos fora do portfólio. É mais conveniente ter poucos exemplos mostrando o que você pode fazer de melhor, em vez de apresentar uma grande quantidade de criações modestas.

Explicitar seu estilo de arquitetura pode fazer com que você consiga uma vaga para fazer exatamente aquilo em que é bom. Selecionar projetos de acordo com a empresa é importante, assim ela sabe que você é capaz de fazer as atividades propostas para a vaga. Mas apagar sua própria natureza para ser contratado pode ser o caminho de uma carreira infeliz.

5. Destaque o nome de clientes importantes

É provável que você já tenha feito projetos maiores e outros menores. Se já trabalhou para grandes empresas ou fez obras mais elaboradas, esses são os pontos que devem estar em evidência. O portfólio precisa mostrar até onde você consegue ir, e não como faz bem um projeto pequeno — isso já é esperado de qualquer profissional.

Se ainda estiver no início da carreira, ou nunca tiver liderado uma obra, não tem problema. Os trabalhos da faculdade também são boas opções para entrar no currículo. Projetos pessoais ou que você fez por hobby são ainda melhores e mostram proatividade e independência.

6. Anexe uma página de currículo resumido

Quando for enviar seu portfólio para uma vaga de trabalho, lembre-se de adicionar uma página de currículo resumido, mostrando o que você fez, onde estudou, qual é a sua experiência de trabalho e as áreas com as quais tem mais afinidade.

Enviar apenas o portfólio não diz muito sobre você, assim como enviar somente o seu currículo não mostra o seu trabalho, seu traço pessoal e o seu processo criativo.

Quando for se candidatar, não se esqueça de alguns detalhes como: ter um endereço de e-mail profissional que não soe engraçadinho. Seu e-mail descolado pode ser até legal, mas não é a melhor opção para quem está procurando emprego em um grande escritório.

7. Mantenha seu perfil atualizado no Archtrends

Archtrends é um portal totalmente gratuito, com espaço para o arquiteto se cadastrar e expor seus projetos. Assim fica mais fácil ganhar visibilidade, já que o site tem milhares de acessos por mês. Neste link aqui é possível se cadastrar e montar seu próprio portfólio.

Quanto mais completo e atualizado for o seu perfil, mais fácil é para um recrutador ou um cliente em potencial ver os seus projetos e entrar em contato. O portal é uma excelente vitrine. Com a ajuda de fotos, é possível mostrar detalhes, como qual revestimento foi usado para obter aquele resultado.

Agora ficou muito mais fácil montar o seu portfólio de arquitetura, não é? Para outras dicas, siga nossas redes sociais! Estamos no FacebookLinkedInTwitter e Instagram.

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Marcos Feliciano da Silva says:

    Muito obrigado pela valiosa orientação! Estou começando e não havia pensado no currículo. Voltarei aqui para relatar meus passos. Abraços!