Coleção

Tudo que você deve saber para aplicar o porcelanato esmaltado

Os modelos são muitos: porcelanato esmaltado, polido, estruturado, natural, acetinado e outros. Em comum, todos eles têm a preferência de quem preza a qualidade do revestimento escolhido. Em relação à cerâmica usual, o porcelanato apresenta mais resistência, cortes com acabamento superior e maior homogeneidade em suas peças. Além disso, é muito versátil. Pode revestir bancadas(…)

Os modelos são muitos: porcelanato esmaltado, polido, estruturado, natural, acetinado e outros. Em comum, todos eles têm a preferência de quem preza a qualidade do revestimento escolhido.

Em relação à cerâmica usual, o porcelanato apresenta mais resistência, cortes com acabamento superior e maior homogeneidade em suas peças. Além disso, é muito versátil. Pode revestir bancadas de cozinhas e de banheiros, e existem modelos adequados a áreas de maior ou menor tráfego.

É preciso, portanto, conhecer as especificidades do porcelanato desejado para, então, tomar os devidos cuidados relativos a sua aplicação, adequação ao ambiente e limpeza para conservação das peças, por exemplo.

Neste post, apresentamos quais cuidados práticos você precisa adotar ao optar pelo porcelanato esmaltado. Esse modelo se caracteriza pela camada de esmalte que recebe por cima da massa com a estampa desejada. Sua superfície pode ser brilhante, lisa, áspera ou mate. Acompanhe e aprenda a fazer o melhor uso desse tipo de porcelanato!

Cuidados de aplicação do porcelanato

Ao aplicar materiais de acabamento como o porcelanato, é preciso ter alguns cuidados específicos. Por isso, atente-se aos procedimentos apresentados a seguir.

Pré-aplicação

Antes da aplicação, é preciso realizar a limpeza das superfícies. Comece certificando-se de que estão secas, limpas, sem restos de argamassa, tintas ou óleos. Também verifique se estão regulares, sem poças ou caroços.

Além disso, defina se utilizará Argamassa Porcelanato Externa ou Interna, conforme o ambiente em que o revestimento será aplicado. Depois, verifique a paginação do piso no projeto e o local de início de aplicação.

No dia anterior ao assentamento do porcelanato, não é necessário molhar e nem deixar a cerâmica de molho. Tomados os cuidados de pré-aplicação expostos acima, inicie o assentamento do porcelanato em base totalmente curada. No caso de cerâmica, o ideal é que tenha 14 dias de cura.

Paginação

Ao fazer o estudo de desenho e padrão do piso, seu material deve ser considerado. Quando se trata de revestimento cerâmico, é importante ter atenção ao sentido de assentamento.

Placas de cerâmica devem ser assentadas do fundo do cômodo em direção à porta, para que, ao circular no ambiente, o instalador não pise nas peças que acabaram de ser aplicadas. Isso poderia causar danos como desalinhamento, afundamento ou quebra.

Quando o arquiteto define que o ideal é aplicar a peça completa a partir de uma parede, é necessário assentar uma linha mestra de placas a partir da qual as outras peças serão instaladas, começando sempre pelo fundo do cômodo.

Esquadro

Para que as paredes estejam no esquadro, devem estar paralelas e seus encontros devem formar um ângulo de 90º, o que é essencial para que o piso assentado favoreça a estética do ambiente.

Se estiverem desalinhadas, procure o ponto onde haverá menor número de recortes para, a partir daí, começar a instalação do porcelanato. É importante buscar alternativas para que os recortes não sejam dispostos por todas as paredes.

Uma opção é distribuí-los em um único canto, de modo a deixar o restante das paredes com peças inteiras, ou posicioná-los em paredes onde estarão móveis, como estante ou sofá.

Argamassa para porcelanato

Em todo o processo de execução, é importante estar atento às orientações que constarem nos materiais usados. É fundamental conhecer as especificidades dos produtos.

Por exemplo, certifique-se de que a argamassa usada é própria para porcelanato e adequada ao ambiente em que será aplicada. Áreas externas expostas ao sol exigem argamassas mais resistentes e rejuntes especiais de maiores espessuras.

Outros fatores interferem na escolha da argamassa, como a cor do porcelanato. Caso seja clara, é recomendável dar preferência à argamassa de cor branca. O tamanho do piso também deve ser levado em consideração, pois a argamassa precisa ser mais potente se as placas forem maiores.

Rejunte para porcelanato

O rejunte é fundamental para absorver deformidades das peças e para garantir um acabamento plano e firme. Para porcelanato, recomenda-se que seja feito com epóxi, que é resistente à penetração de água, a manchas, ao mofo e à formação de bactérias. Por isso, não suja facilmente, mas seu uso exige muitos cuidados.

Os restos de rejunte epóxi sobre a placa de cerâmica devem ser eliminados imediatamente depois da aplicação, pois a remoção desses resíduos fica impraticável se ultrapassar o tempo de secagem do material.

Essa remoção pode ser feita com o uso de uma esponja úmida ou com produtos próprios para limpeza de rejunte, isentos de ácido. Também é possível utilizar uma esponja umedecida com água e um pouco de sapólio líquido.

Basta esfregar a esponja sobre a superfície e, após 3 minutos, o epóxi começa a amolecer. Para não arranhar o piso, a esponja utilizada deve ser lisa e, se a superfície do porcelanato for brilhante, é importante preservá-la de contato com produtos abrasivos.

Uma alternativa ao uso desse tipo de rejunte, que muitas vezes é considerado trabalhoso, é optar por rejuntes próprios para porcelanatos, que se diferem do rejunte comum.

Resistência do porcelanato esmaltado

Para saber quais são os ambientes em que o porcelanato esmaltado poderá ser usado, é preciso avaliar a resistência de sua superfície, que é definida pela qualidade do acabamento esmaltado.

Portanto, é necessário considerar seu PEI, a marcação que categoriza materiais em função de sua durabilidade frente a situações de tráfego e de desgaste. Quanto maior for o PEI, maior é a resistência do esmalte do porcelanato.

A classificação dessa marcação vai até 5. Esmaltes mais frágeis possuem PEIs mais baixos. As variações se dão da seguinte maneira:

  • PEI 1: corresponde aos materiais mais frágeis e delicados, que não suportam quase nenhum atrito. Por isso, são indicados exclusivamente para paredes;
  • PEI 2: corresponde a materiais que podem ser usados como pisos em locais onde haja pouco tráfego, mas são mais recomendados para paredes;
  • PEI 3: corresponde a materiais cuja resistência é própria para pisos internos de residências;
  • PEI 4: corresponde a materiais adequados a locais como corredores e entradas, onde há maior tráfego de pessoas;
  • PEI 5: corresponde a materiais ideais para serem aplicados em ambientes onde objetos e móveis são arrastados com frequência. Para garagens, calçadas e locais externos, é a opção ideal.

Nota-se, portanto, que para determinar que tipo de PEI deverá ser usado, é preciso considerar o local onde o porcelanato será instalado.

Vale ressaltar que a segurança do porcelanato esmaltado também pode variar entre as superfícies brilhante, mate, áspera ou lisa. Quanto mais brilho, mais escorregadio, por exemplo.

Limpeza diária do porcelanato

Para a limpeza de porcelanato, é recomendado utilizar detergente diluído em água (1 colher para cada 5 litros). A solução deve ser aplicada com pano macio depois de varrer e aspirar o chão, quando se trata de porcelanato em piso.

O aspirador deve ser utilizado com bico que tenha escova, pois evita arranhões. Outro cuidado que deve ser tomado para não arranhar o piso é fazer a higienização do rejunte com saponáceo líquido cremoso e nunca usar o granulado.

Amoníaco, acetona, soda cáustica, água sanitária, sabão em pó, saponáceo em pó, ceras, escovas e ácidos podem danificar o esmalte do porcelanato e até o rejunte. Por isso, devem ser evitados. Mesmo sendo altamente resistente, o porcelanato pode ser afetado pela aplicação de substâncias químicas inadequadas ou produtos abrasivos.

Em caso de manchas de suco, vinho, graxa, giz de cera, lápis, ferrugem ou óleo, por exemplo, remova com detergente alcalino e álcool ou saponáceo líquido. Manchas de tinta podem ser retiradas com detergente ou com solvente orgânico, os quais também são indicados para remover restos de cimento e de cal. Mas se tiver que utilizar esses materiais, é importante enxaguar bem logo depois.

Siga essas dicas e mantenha seu porcelanato esmaltado conservado por mais tempo, lembrando-se sempre de seguir as instruções dos materiais utilizados para limpeza.

Se o porcelanato esmaltado é a sua escolha mas você continua com dúvidas, entre em contato com a Portobello, entenda mais ainda sobre esse modelo e conheça as opções disponíveis!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *