Menu
Projetos e Obras
Busca

Detalhes do projeto (Imagem cortesia: Make Architects)

Conteúdo Correspondentes Internacionais

Um novo oásis na Oxford Street em Londres

07/02/2022

A famosa rua londrina, Oxford Street, ganhou um projeto acessível ao público que se tornou referência de espaço urbano.

Um antigo escritório de triagem do Royal Mail, próximo à Oxford Street, em Londres, foi transformado em um empreendimento de uso misto de alta qualidade com um novo jardim acessível ao público.

oxfort street projeto
Detalhes do prédio que cerca o jardim na Oxford Street
(Imagem cortesia: Edmund Sumner)

Projetado como um escritório de triagem em 1951, o local era anteriormente inacessível ao público. Atualmente, dois blocos em forma de L, de seis a nove andares, cercam um jardim interno, em um projeto assinado pela Make Architects.

Um dos acessos ao jardim (Imagem cortesia: Make Architects)

O jardim dá uma sensação de descoberta e oferece um oásis longe da agitação da Oxford Street. 

Os percursos pelo esquema variam, alguns são largos e abertos ao céu, entrando por portões de bronze patinado desenhados por Robert Orchardson e serpenteando pelo jardim. 

Enquanto outros são cobertos e menos óbvios, com passagens de cerâmica vitrificada verde jade que evocam o precedente de a Passagem de Newman do século XVIII. 

Aqui, os detalhes e acabamentos em esmalte crepitante encapsulam o alto nível de detalhe e acabamento do projeto.

Detalhes do projeto (Imagem cortesia: Make Architects)

As proporções dessas passagens também variam, uma é mais estreita com uma ponte de vidro que liga os elementos residenciais ao norte e a oeste do terreno, enquanto a outra é mais larga. 

Os arcos cerâmicos são pontuados por janelas que permitem vislumbrar as unidades de varejo localizadas logo atrás.

O edifício e as rotas foram deliberadamente projetados como plano de fundo para o jardim, com tijolos de cerâmica vitrificada refletindo as cores de cada estação.

Detalhes do projeto (Imagem cortesia: Make Architects)

O jardim de 1.800 metros quadrados complementa a arquitetura com uma série de espaços que incluem uma rica paleta de plantio, recursos hídricos e assentos públicos. 

Um gramado central é emoldurado por árvores semimaduras, arbustos e plantações. O gramado se eleva suavemente em direção a um banco de madeira curvo tátil que divide o gramado da plantação, sua cor escura contrasta com a plantação e a pedra ao seu redor.

Detalhes do projeto (Imagem cortesia: Make Architects)

Os edifícios atingem nove andares ao lado norte e descem para se encaixar na arquitetura eclética do bairro Fitzrovian, formado por grandes apartamentos dos séculos XVIII e XIX, que misturam os estilos vitoriano, georgiano e eduardiano.

Tijolo, cerâmica e metais especializados formam a paleta de materiais, aproveitando os ricos detalhes da área. 

O projeto é em grande parte monocromático, promovendo linhas suaves e limpas e permitindo que o jardim e as passagens verde jade sejam a principal característica do projeto. 

Os elementos voltados para a rua possuem um tijolo de face argilosa de tom semelhante, mas sem o acabamento esmaltado dos tijolos de face interna. 

As proporções dos tijolos são mais longas que a média, com juntas horizontais de argamassa recuadas, enquanto a junta vertical é nivelada para enfatizar a forte sensação de horizontalidade nos materiais. 

Os pisos superiores recuam da linha da rua e são revestidos em alumínio de bronze escuro para fornecer uma distinção material que divide e conecta os diferentes usos.

Detalhes do prédio que cerca o jardim na Oxford Street
(Imagem cortesia: Edmund Sumner)

Os materiais e suas proporções foram selecionados para expressar os usos do edifício. 

A escala do elemento comercial – totalmente alugado para o Facebook para sua sede no Reino Unido – é muito maior, com grandes janelas lineares e painéis de aço inoxidável. 

Em contraste, o elemento residencial tem vidros de tamanho mais adequado e é muito mais tátil e lúdico.

São 160 apartamentos no total, com 50 tipos diferentes, para minimizar a repetição e adicionar uma sensação de singularidade. Os apartamentos têm o seu próprio espaço exterior, seja em forma de varanda ou terraço.

oxford street
Detalhes do prédio que cerca o jardim na Oxford Street
(Imagem cortesia: Edmund Sumner)

Graham Longman, arquiteto da obra, declarou que este projeto é indicativo de uma Londres que está mudando – adaptando-se às pessoas. 

Combinando e expressando com sucesso uma série de usos e valor agregado – não apenas para os usuários finais, mas também para o público em geral, por meio da entrega de um novo espaço acessível em seu coração.

oxford street
Detalhes do prédio que cerca o jardim na Oxford Street
(Imagem cortesia: Edmund Sumner)

Gostaram do projeto? Compartilhe com a gente a sua opinião!

Adoramos as obras que incluem projetos urbanos públicos de permanência, confira outros exemplos nos links a seguir:

Requalificação de espaço urbano em uma vila chinesa

Projeto de bazar no Irã faz releitura da arquitetura do Oriente Médio

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *