Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Matérias

Os melhores destinos para arquitetos na América do Sul

08/08/2018

A arquitetura dos países latinos do hemisfério sul une a herança dos estilos europeus, as inovações tecnológicas e a busca por uma linguagem própria. Veja os destinos que mostram isso e que são imperdíveis para os arquitetos!

Profissionais da área da arquitetura têm benefício duplo ao viajarem para diferentes cidades. Não só tiram proveito dos atrativos de cada região como turistas, como também entram em contato com novas formas, volumes e tipologias construtivas que enriquecem a profissão. Afinal, há lugares que contam histórias e que servem de inspiração para projetos.

Neste post, falaremos sobre os melhores destinos para arquitetos na América do Sul, incluindo países que abrigam monumentos — novos ou antigos — tão importantes quanto os projetos arquitetônicos brasileiros de maior destaque, como o Palácio do Planalto e a Igreja São Francisco de Assis.

Mesmo com tendências sendo lançadas constantemente na Europa, essa parte do continente americano mistura estilos e, principalmente, apresenta novas possibilidades de criação a partir de um território que pode ser considerado centro de experimentações e originalidade.

Tem curiosidade em saber quais são as cidades que selecionamos, bem como as características de seus edifícios, urbanismo e design? Confira a lista agora mesmo!

Buenos Aires, Argentina

Com variedade de lojas, museus, restaurantes, atrações diversas e metrôs, a capital argentina tem regiões que se assemelham a algumas cidades da Europa, como Paris e Barcelona. Também é dividida em bairros, cada um com sua história especial que explica o modo de vida dos cidadãos.

Puerto Madero

É um dos bairros mais visitados da capital argentina e foi instalado em uma antiga área portuária. Ainda é possível visualizar velhos armazéns de tijolos (que guardavam grãos e mercadorias) entre as edificações modernas. Muitos deles tiveram fachadas, vigas e outros elementos revitalizados para preservar a história da região.

Cabe destacar que alguns projetos de Puerto Madero foram concebidos por arquitetos de renome, como Norman Foster e Santiago Calatrava. Vale a pena passear pelo local e observar a variedade de arranha-céus, apartamentos residenciais de luxo e escritórios que se integram à paisagem composta por docas, parques e caminhos largos.

Casa Curutchet

É o único projeto de Le Corbusier na América Latina e foi considerado Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco. Finalizada no ano de 1953, a casa foi construída em concreto armado sobre pilotis circulares e com vigas secundárias.

A obra leva o sobrenome de seu proprietário, o médico Pedro Domingo Curutchet, e foi mais uma oportunidade para o arquiteto testar os “cinco pontos da arquitetura moderna” e seu sistema de medidas conhecido como “modulor”.

Santiago, Chile

Cidade natal de Alejandro Aravena, arquiteto ganhador do Prêmio Pritzker 2016, a capital chilena é um dos núcleos urbanos mais povoados da América Latina e está entre os melhores destinos quando o assunto é arquitetura contemporânea.

Torres Siamesas

Encomendado para abrigar tudo o que estivesse relacionado aos computadores da Universidade Católica de Santiago do Chile, o edifício se divide em “duas cabeças” e sua estrutura traz uma capa de vidro e metal apoiada sobre uma grelha de madeira.

A combinação de três camadas (vidro comum, ar e fibrocimento) garantiu efeito diferenciado à fachada e excelente desempenho termoacústico. Como resultado, a obra dispensa o uso de sistemas de climatização e proporciona maior economia energética.

As torres foram idealizadas por Alejandro Aravena, um profissional que vai além de compor bons projetos porque se propõe a discutir a questão da habitação e o uso dos espaços urbanos.

estúdio MK Inmensamente Exclusivo é parceiro da Portobello e também fez um projeto dentro da Universidade. Trata-se de um ambiente na faculdade de física e matemática.

Museu da Memória

Criação do Estudio America, o Museu da Memória tem volumes simples e bem-definidos. Os apoios nas extremidades permitiram a existência do vão livre que se conecta a um grande pátio.

Tanto a área construída (com treliças metálicas e fechamento translúcido) quanto o entorno trazem espaços generosos para a permanência do público.

Sucre, Bolívia

A primeira capital da Bolívia também está entre os melhores destinos para arquitetos. Foi fundada pelos espanhóis no início do século XVI e sua arquitetura teve influência de vários estilos importados da Europa. Assim como muitas cidades históricas brasileiras, Sucre guarda edifícios bem-preservados que ilustram a mistura de tradições.

Catedral Metropolitana de Sucre

Uma das igrejas mais belas e ornamentadas do país encanta com suas portas de madeira esculpidas à mão. A posição das aldravas em um nível mais alto que o normal chama a atenção. Foi definida dessa forma para permitir que pessoas montadas em cavalos a alcançassem. A catedral tem estilo barroco e apresenta torre com estátuas dos 12 apóstolos.

Casa de la Libertad

Construída em 1700 pela Companhia de Jesus, foi o lugar escolhido para assinar a Declaração de Independência da Bolívia em relação à Espanha (1825). Antes disso, a Casa da Libertação funcionava como uma universidade para jesuítas que buscavam evangelizar nativos da região.

Hoje o local é um museu, mas ainda abriga um grande salão e quartos que circundam um pátio interno. Também tem corredores com vários arcos e colunas, bem como portas feitas de cedro.

Quem visita Sucre ainda deve aproveitar para conferir as criações de Freddy Mamani, construtor e engenheiro que ganhou destaque na Bolívia. Ele busca dar identidade à arquitetura do país utilizando elementos da cultura local e uma estilização que inclui: duplicidade, repetição, círculo, cruz andina e sobreposição de planos.

Cartagena, Colômbia

Banhada pelo Mar do Caribe, essa cidade tem uma das maiores fortificações militares da América do Sul. A riqueza de suas construções é impressa na variedade de estilos, que misturam estruturas muradas com belas casas coloniais.

Castelo de San Felipe

Imponente, a fortaleza cobre o topo da colina de San Lazaro e domina boa parte da paisagem da cidade. Também conhecida como El Castillo de San Felipe de Barajas, foi construída pelos espanhóis no período colonial (1536) e ampliada em 1657.

As enormes estruturas do castelo guardam um complexo labirinto de túneis que se conectam em áreas estratégicas. Sua função era distribuir alimentos e munições, além de proteger a região dos inimigos que chegavam por via terrestre ou marítima.

Museu do Ouro Zenú

O edifício da era colonial traz várias características da arquitetura da época: construção no limite do terreno, cobertura com duas águas e telhas de barro, configuração em sobrado, entre outros detalhes.

museu se localiza na Praça de Bolívar, no centro da Cidade Murada, e abriga vários atrativos para quem gosta de história, design e arquitetura.

Em seu interior há três salões principais, um auditório e uma livraria. As exposições exibem objetos produzidos pelo povo Zenú, incluindo joias, antigas cerâmicas, arte óssea e ferramentas de pedra.

Montevidéu, Uruguai

A capital uruguaia é um lugar especial e capaz de encantar qualquer arquiteto. Ela tem edifícios coloniais e contemporâneos, uma escala urbana reduzida, topografia suave e várias obras com estilo Art Déco.

Catedral de Montevidéu

É o principal templo católico do Uruguai e se localiza no centro histórico da cidade, em frente à Plaza Constitución.

Foi elevada ao título de Catedral Metropolitana de Montevidéu pelo Papa León XIII em 1897, quando deixou de ser Igreja da Imaculada Conceição. A obra expressa o neoclassicismo espanhol e abriga os restos mortais de autoridades militares e eclesiásticas.

Mercado Agrícola

É um centro comercial considerado Patrimônio Histórico Nacional (1999) e especializado no varejo de alimentos frescos e produtos exóticos. Também conhecido como MAM, foi construído entre 1906 e 1912 e já passou por várias reformas.

A estrutura do mercado é composta por ferro e traz detalhes decorativos na fachada, assim como muitos exemplares europeus. Também é possível visualizar quatro torres falsas nos cantos do edifício e se encantar com o belo piso de pedras em seu interior.

Estádio Centenário

O projeto surgiu com a criação de uma comissão administrativa em 1929, um ano antes da primeira Copa do Mundo (sediada no país). Em julho de 1983 o estádio foi declarado Monumento Histórico do Futebol Mundial pela FIFA.

Concebido especialmente para jogos, o espaço tem capacidade para 80 mil pessoas e abriga quatro estandes independentes. As escadas largas favorecem a circulação e permitem rápida evacuação do público.

São tantos destinos para arquitetos que fica difícil escolher qual visitar, concorda? De qualquer forma, toda região tem algo a ensinar para quem trabalha com planejamento de cidades, projetos de edifícios ou desenvolvimento de produtos, então aproveite e explore cada passeio ao máximo!

Se gostou das informações deste artigo, compartilhe-o em suas redes sociais. Quem sabe você não ajuda outros profissionais a decidirem o roteiro da próxima viagem?

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *