Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Entrevistas

Para Camila Paganelli, arquiteta da nova geração, “o futuro será personalizado”

06/01/2020

Dona de uma determinação ímpar, a profissional formada em 2017 avalia a arquitetura do amanhã e mostra, com seus próprios projetos, como moldar espaços às personalidades dos clientes.

Ano de 2020 chegou e a nova geração de arquitetos de interiores está como? Bem otimista com as tendências que estão por vir! É o caso da catarinense Camila Paganelli. Ela tem apenas dois anos de formação, mas apesar disso, possui uma notória experiência em arquitetura de interiores e já pode prever: “o futuro será personalizado”.  

Ela enxerga os avanços da tecnologia como um forte aliado do setor por viabilizar infinitas possibilidades ao projeto e ajudar na personalização dos ambientes de acordo com a identidade dos clientes, a exemplo das novas máquinas que facilitam cortes especiais e dos revestimentos com grandes formatos.

Por outro lado, faz o alerta: “ainda consumimos muitos produtos fabricados em série, e nos comportamos como se fôssemos ‘em série’  também. É preciso aumentar a consciência de que somos únicos! Temos necessidades, gostos, hobbies, personalidades diferentes. Isso deve ser determinante nas nossas escolhas”, faz questão de frisar.

Da geração “Z” (nativa digital) e de olho no amanhã, Camila afirma que a sustentabilidade será a premissa para a realização de todo projeto arquitetônico e de interiores. “Praticamente o meio ambiente será nosso principal cliente. É possível constatar isso devido ao processo de mudança (mesmo que lento) na mentalidade das pessoas, que estão preferindo o durável ao descartável”.

Na sua área de atuação, ela vê esse processo de amadurecimento acontecendo quando percebe clientes valorizando cada vez mais seus espaços ao solicitar um projeto eco-friendly, confortável, funcional e, acima de tudo, que tenha sua identidade, seja ele comercial ou residencial. “As mídias sociais ajudaram a eclodir essa tendência. Hoje os ambientes são muito instagramáveis e, por meio da arquitetura, acabam sendo divulgados, coisa que não acontecia antes”, avalia.

Para exemplificar como acontece a personalização dos espaços com a aplicação de revestimentos, ela seleciona alguns de seus projetos. Confira a seguir.


Cozinha
– “Nesta cozinha, o cliente buscava um ambiente como uma obra de arte em movimento, algo admirável. Quando nas minhas pesquisas vi o Tangram, da Portobello, logo soube que ele seria o escolhido. A paginação do revestimento é única, traz esse jogo de luz e sombra que se altera ao longo do dia e, além disso, consegue se manter atemporal. Foi a combinação perfeita para o apartamento e como o cliente esperava”.

Lavabo –  “Foi até um pouco engraçado porque o cliente gosta de cinza, mas sua esposa não. Quando soube que o lavabo seria usado só por ele, já sabia qual material utilizar, mas não queria que ficasse monótono. Então a Portobello Shop  me apresentou o corte Tiffany da linha Brasilia Concreto. Foi amor à primeira vista, tanto para mim quanto para o cliente. Trabalhei a paginação mais solta e criei um mosaico único. Assim, conseguimos trabalhar o cinza tão desejado por ele e em diferentes texturas: piso, mosaico, pintura e efeito marmorato”.

nova geração de arquitetos

Varanda –  “O objetivo era criar um espaço de estar, descanso e contemplação. A churrasqueira já havia sido demolida e ficou o duto no meio da sala, então os clientes quiseram destacar ele com algum revestimento que fizesse jogo de luz e sombra. O Vic Cristal caiu como uma luva. Acho que todo profissional se realiza quando o cliente opta por um lançamento. Achei o Vic na Expo Revestir e amei as nuances dele que, dependendo da luz ou do ângulo de visão, uma parte se destaca mais que a outra. Sensacional!”

nova geração de arquitetos

Área de serviço –  “Os clientes não queriam algo cansativo nem aquele básico todo branco como se vê por aí. Então trabalhando a personalização, mesclamos na parede o Cetim Bianco superneutro com um corte especial do Karst Off White, em faixas de 10cm. O resultado surpreendeu a todos, e a lavanderia não passa mais despercebida”.

nova geração de arquitetos

Banheiro de menina – “Logo na primeira visita à loja Portobello Shop com o cliente, ele bateu o olho no Paysage e já sabia que a esposa ia amar, e eu tinha que usar em algum lugar do projeto. Decidimos usar no banheiro da filha, que adora tons de azul e verde, nada óbvio. Com o objetivo de destacar esse porcelanato, utilizamos o Barcelona Cristal acetinado em todo o resto do ambiente, assim o polimento do revestimento também seria destacado. E o toque final foi o móvel em MDF rosa quase nude, que se opõe ao verde e cria essa combinação perfeita”.

nova geração de arquitetos

Camila abraça Belo, mascote da Portobello (Foto: acervo pessoal)

A arquiteta nasceu em Balneário Camboriú (SC) e atualmente possui escritório que leva o seu nome em Itajaí (SC) – Camila Paganelli Arquitetura -, onde também divide o espaço com mais dois colegas arquitetos. Antes mesmo de se formar, tratou de criar seu perfil no Instagram Profissional para começar a passar credibilidade a possíveis clientes e divulgar seu portfólio de projetos. “Foi uma maneira de mostrar para as pessoas que, apesar de ser nova na área, sou determinada e tenho expertise. Nas imagens de obras, inclusive, eu relato os problemas e aponto soluções. O público adora”, confessa.

Essa determinação com os trabalhos acontece desde pequena. Em relação a isso, relembrando seu passado não tão distante, ela conta sobre sua maior referência profissional: seu pai. “Comecei a trabalhar na marcenaria dele em Itapema (SC) quando tinha 15 anos. Amava vê-lo fazer os projetos à mão quando era criança, ficava fascinada”. Foi ali que começou a desenvolver os interiores, passando as plantas baixas para o computador, criando banheiro, quarto… E assim foi até o dia que teve de escolher a faculdade. Experimentou primeiro a faculdade de Música, mas logo em seguida optou pela Arquitetura. Formou-se em 2017 pela Univali – Campus Balneário Camboriú.

Hoje sua maior paixão é interiores (influência da marcenaria do pai falou mais alto!) tanto na área comercial quanto residencial, mas também trabalha com fachadas e projeto arquitetônico. “Acredito que quando nos cercamos de coisas bonitas, nos sentimos confortáveis e seguros, e isso nos torna pessoas mais felizes”, conclui.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *