Menu
Projetos e Obras
Busca
arte NFT

Video Machine Hallucinations - Renaissance Dreams (2022), do artista turco Refik Anadol, no pátio do Palazzo Strozzi (Imagem cortesia: Luiza Vegini)

Conteúdo Correspondentes Internacionais

Let’s get digital: NFT e novas realidades da arte digital

05/07/2022

Uma viagem pelo mundo digital, a exposição no Palazzo Strozzi, em Florença, trata da revolução da arte NFT e das novas fronteiras entre o real e o digital

O Palazzo Strozzi, em Florença, apresenta Let’s Get Digital!, um novo projeto de exposição que traz a revolução da arte NFT e as novas fronteiras entre o real e o digital através das obras de artistas internacionais.

Promovida e organizada pela Fundação Palazzo Strozzi e pela Fundação Hillary Merkus Recordati, a exposição possui curadoria de Arturo Galansino, Diretor Geral da Fundação Palazzo Strozzi, e Serena Tabacchi, Diretora do MoCDA – Museu de Arte Digital Contemporânea. A mostra é baseada em uma jornada pelo mundo digital, instalações e experiências multimídias criadas por artistas que expressam as novas e multifacetadas pesquisas da Cryptoart, baseadas no sucesso do NFT – certificados digitais de autenticidade que estão redefinindo os conceitos de singularidade e valor de uma obra de arte. 

Exposição Let’s Get Digital no Palazzo Strozzi em Florença (Imagem cortesia: Luiza Vegini)

Let’s Get Digital! oferece um olhar sobre um movimento em plena evolução e transformação, que, para muitos, é apenas o ponto de partida para uma mistura cada vez mais acelerada de estética e novas tecnologias – uma verdadeira revolução para todo o mundo da arte, digital e além.

Da arte à moda, do mercado de ações aos jogos, termos como blockchain, NFT, criptomoedas e metaverso fazem agora parte do léxico comum – são tópicos essenciais para a decodificação do nosso tempo, mas ainda envoltos em uma aura sombria. 

Todo mundo fala sobre isso, mas poucos sabem de fato do que estão falando. A exibição no Palazzo Strozzi demonstra e esclarece de uma vez por todas como o fenômeno NFT não está destinado apenas a viver nas diversas carteiras digitais ou dentro da tela dos nossos smartphones, mas pode dialogar com a realidade tangível para dar vida a novas experiências imersivas.

Definições dos termos de arte digital
Definições dos termos de arte digital (Imagem cortesia: Luiza Vegini)

A primeira coisa a esclarecer é que a sigla NFT – que significa Non Fungible Token – não se refere à obra de arte em si, mas ao certificado digital atestando um registro público, criptografado e inalterável. 

Quando uma obra de arte digital é registrada no blockchain via NFT falamos de cripto arte. Se já em 1936 o filósofo alemão Walter Benjamin se perguntava sobre a autenticidade da arte, “na era da sua reprodutibilidade técnica”, é natural perguntar o que teria pensado da arte digital, filha da democratização e utilizável em qualquer lugar, por todos, a qualquer hora do dia, através de qualquer dispositivo. Os usos de produtos digitais em massa são impossíveis de conter, os NFTs conseguem reafirmar a originalidade do trabalho único em um mar de réplicas.

Arte digital de Daniel Arsham
Arte digital de Daniel Arsham, exposta no Palazzo Strozzi (Imagem cortesia: Luiza Vegini)

Como sempre no Palazzo Strozzi, uma prévia da exposição já está no pátio, onde o público é chamado a se deixar hipnotizar pelo monumental video wall Machine Hallucinations – Renaissance Dreams (2022), do artista turco Refik Anadol, uma experiência multissensorial em que algoritmos de inteligência artificial criam visões ilusionistas que desafiam nossa noção de realidade. 

Video wall Machine Hallucinations – Renaissance Dreams (2022), do artista turco Refik Anadol, no pátio do Palazzo Strozzi (Imagem cortesia: Luiza Vegini)

Usando aprendizado de máquina, Anadol retrabalha um conjunto de dados de milhares de pinturas renascentistas para mostrar como elas ficariam se vistas coletivamente por uma máquina. O resultado é um paradoxo alucinado de cores e formas em constante mudança, um curto-circuito entre a história da arte e as novas tecnologias. O itinerário nas salas internas segue então com uma série de instalações digitais e experiências multimídia que visam demonstrar a possibilidade de convivência entre a cripto arte e o trabalho físico.

A casa em marte de Krista Kim (Imagem cortesia: Luiza Vegini)

A revolução NFT é frequentemente associada a uma ideia de desmaterialização da arte. De fato, as NFTs surgem principalmente em resposta a um mundo digital baseado em criptomoedas, mas se expandem muito além do metaverso. O valor e a singularidade das obras digitais deram origem a um novo mercado de arte que sai da lógica tradicional, dando vida a novos paradigmas de interação social.

Arte digital exposta no Palazzo Strozzi em Florença (Imagem cortesia: Luiza Vegini)

Let’s Get Digital! estará em exibição no Palazzo Strozzi, Florença, até 31 de julho de 2022.

Gostou do post? Compartilhe com a gente a sua opinião!

Para conferir outras exposições na Itália, acesse:

Mostra em homenagem a Donatello, mestre do Renascimento

As 200 obras-primas do artista Galileo Chini na Villa Bardini

Centro Pecci e a arte contemporânea na Itália

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *