Menu
Projetos e Obras
Busca

O edifício histórico da Estação da Luz abriga o Museu da Língua Portuguesa (Foto: Thipotato)

Conteúdo Matérias

Museu da Língua Portuguesa está de volta para experiências instigantes

20/10/2021

Saiba tudo sobre o Museu da Língua Portuguesa: qual é a sua história, o que há em seu acervo e como planejar uma visita!

O Museu da Língua Portuguesa foi reinaugurado em julho de 2021, depois de ter sido destruído por um incêndio no final de 2015. A visita é imperdível — certamente um dos melhores programas culturais da cidade de São Paulo.

Portanto, se você não teve a oportunidade de conhecê-lo, agora isso é possível. Localizada no coração da capital paulista, a instituição convida os visitantes a fazerem um mergulho no universo desse idioma falado por mais de 260 milhões de pessoas no mundo.

São diversos conteúdos, apresentados de forma bastante lúdica e interativa, por meio de experiências instigantes. Ficou com vontade de planejar a sua visita? Então, confira tudo o que você precisa saber antes de ir!

Qual é a história do Museu da Língua Portuguesa

Depois de passar por um processo de reconstrução que durou cinco anos, o Museu da Língua Portuguesa abre suas portas mais uma vez. E os objetivos de sua existência continuam a ser os mesmos: valorizar a diversidade do português, reconhecê-lo como elemento fundador da cultura e aproximá-lo dos falantes do idioma.

Por conta dos estragos causados pelo incêndio, o Museu teve que ficar seis anos fechado (Foto: Rovena Rosa)

O triste episódio de incêndio paralisou as atividades da instituição após 10 anos de funcionamento. Nesse período, entre 2006 e 2015, ele recebeu quase 4 milhões de visitantes, que tiveram a oportunidade de participar de diversas exposições, cursos, palestras, debates e apresentações artísticas.

Essas experiências homenagearam grandes escritores, como Clarice Lispector, Machado de Assis, Cora Coralina, Fernando Pessoa, Oswald de Andrade, Jorge Amado, Rubem Braga, Guimarães Rosa, Agustina Bessa-Luís e Gilberto Freyre, além do cantor e compositor Cazuza.

A exposição do Cazuza foi um marco na história do museu, que pela primeira vez reconheceu um músico pelas suas contribuições literárias (Foto: Vania Wolf)

Graças à colaboração entre o poder público e a iniciativa privada, a estrutura do museu foi reconstruída e as tecnologias foram renovadas. Para isso, foi necessário contar com a ajuda não apenas de especialistas em língua portuguesa, como também de museólogos, artistas, sociólogos etc.

Quando história e cultura se reúnem em um único lugar

Antes mesmo de entrar no Museu da Língua Portuguesa, você já experimenta diversas sensações. Isso porque ele está localizado em um ponto muito especial da cidade de São Paulo: a Estação da Luz.

Construída em 1901, ela é considerada patrimônio cultural nacional, estadual e municipal por conta de sua importância.

Torre do Relógio do edifício histórico da Estação da Luz (Foto: Gilberto Marques)

Admirado pela sua beleza arquitetônica, o edifício que abriga a estação serviu de passagem para imigrantes vindos de diversas partes do mundo.

E até hoje continua a ter um caráter cultural muito rico, já que uma quantidade enorme de pessoas passa por lá todos os dias.

Quando estiver na Estação da Luz, você pode reparar que não é difícil ouvir vários sotaques diferentes, de todos os cantos do Brasil.

Até porque ela fica na cidade onde vive a maior população de falantes da língua portuguesa no mundo inteiro!

O que esperar da experiência de visitação

Antes de compartilhar o que o Museu da Língua Portuguesa possui em seu acervo, é importante dizer que os visitantes têm uma verdadeira experiência de imersão no universo desse idioma.

Portanto, se prepare para sair de lá encantado com a riqueza do português, um dos elementos essenciais da nossa identidade cultural. Afinal, é por meio dele que interagimos, criamos e vivemos em sociedade.

A exposição “Grande Sertão: Veredas” (2006-2007) usou materiais de construção para levar o visitante ao contexto retratado pelo autor Guimarães Rosa (Foto: clarissa rossarola)

No total, o museu conta com quatro andares, sendo o primeiro ocupado exclusivamente pelas exposições temporárias. Além de prestar homenagens aos maiores escritores, elas têm o intuito de abordar também outras linguagens artísticas que se relacionam com a língua portuguesa de alguma maneira.

Embora tenha passado por uma renovação, a exposição principal continua com a mesma proposta: promover o aprendizado sobre o português com a ajuda de instalações lúdicas e recursos interativos.

Caso você tenha tido a oportunidade de visitar a instituição antes do incêndio, saiba que a Praça da Língua e o Beco das Palavras foram mantidos.

Há ainda diversas instalações de longa duração que exploram diferentes perspectivas do idioma no cotidiano, a trajetória da língua portuguesa, outras línguas faladas no mundo e como elas contribuíram para a formação do português falado no Brasil.

Tanto adultos quanto crianças podem aprender e se divertir ao mesmo tempo.

A maior parte das instalações do museu convida os visitantes a interagir de variadas maneiras (Foto: Marilane Borges)

A tecnologia está presente por todos os lados por meio de telas, vídeos, sons, luzes e diversos recursos que envolvem o público. Elementos poéticos também marcam presença, provocando diversas emoções nas pessoas.

Os visitantes ainda podem acessar o último andar, ou seja, o terraço do edifício histórico da Estação da Luz. Além de ter vista para o Parque da Luz, é possível admirar a Torre do Relógio.

Vale a pena dizer que, mais do que ter seu conteúdo renovado, o museu passou por um processo de reflexão crítica sobre a sociedade.

Assim, incluiu não apenas os conflitos já existentes, como os sentimentos despertados durante a pandemia. Afinal, sua proposta vai além do simples compartilhamento de conhecimentos a respeito da língua portuguesa.

A instituição pretende ser um espaço acolhedor, que fale sobre as pessoas e crie conexões entre elas por meio de experiências instigantes.

Prédio da Estação da Luz, inspirado na arquitetura inglesa, é projetado pelo britânico Charles Henry Driver, renomado arquiteto de estações ferroviárias (Foto: Jefferson Pancieri)

Como fazer uma visita

O Museu da Língua Portuguesa funciona de terça a domingo, das 9h às 16h30, com permanência permitida até às 18h (horário está sujeito à mudança). Mas não se esqueça de se programar.

Por conta da Covid-19, além de seguir todos os protocolos de segurança sanitária, os visitantes devem comprar as entradas antecipadamente pela internet para datas e horários específicos.

No site do Museu da Língua Portuguesa, é possível encontrar informações sobre quais públicos têm direito à gratuidade e como comprar seu ingresso, entre outros detalhes.

Se você tem interesse por cultura e gostaria de conhecer mais a respeito da diversidade do nosso idioma, não deixe de aproveitar que essa instituição tão querida está de volta.

Quer ter um gostinho dessa experiência? Visite o Museu da Língua Portuguesa sem sair de casa por meio do Google Arts & Culture!

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • José Carlos da Silva says:

    Um belo programa!! Porém, a administração do museu deveria cobrar dos visitantes o cartão de vacina da COVID-19.Uma segurança tanto pros visitantes, como também prós funcionários do museu.Lembrando que a pandemia não acabou. No Rio de janeiro em Todos os lugares é necessário apresentar a carteira de vacinação.Aqui também deveria ser cobrado.. pra segurança de Todos.