Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Matérias

Conheça as últimas tendências do moodboard na arquitetura e inspire-se!

21/08/2020

Os moodboards na arquitetura podem trazer a ideia principal de um projeto para que os seus clientes tenham uma visão de como tudo ficará depois de pronto. Veja!

Você já ouviu falar em moodboard na arquitetura? Esse conceito é cada vez mais utilizado pelos profissionais, que buscam inspiração de forma criativa para os seus projetos. Na Expo Revestir 2020, foram lançados alguns exemplos, criados pela Portobello.

A Portobello promoveu uma apresentação com a designer de produto Caroline Guedes, que explicou mais detalhes sobre o assunto. Nos tópicos a seguir, apontaremos os principais pontos apresentados, para que você conheça as últimas tendências do moodboard na arquitetura. Também apresentaremos exemplos com revestimentos da nova coleção Unlimited. Acompanhe!

O que é moodboard na arquitetura?

O moodboard pode ser criado em uma parede ou superfície plana (Foto: Pexels)

O moodboard pode ser criado em uma parede ou superfície plana (Foto: Pexels)

O moodboard na arquitetura pode ser definido como uma ferramenta de referências, um painel de inspiração ou compilação de materiais, cores e elementos que mostram um estilo ou projeto. A ideia é que ele seja utilizado para que os profissionais tenham inspirações para comporem os seus projetos.

Vale lembrar que o moodboard não é usado apenas na arquitetura, mas também em diversas outras áreas, como na moda, no design gráfico, na publicidade etc. Cada qual, obviamente, com as suas características predominantes do setor.

Na Portobello, essa ferramenta é muito utilizada para fazer combinações e exercícios de composição de produtos. São realizados exercícios para visualizar como um lançamento combina com outros itens que já existem em nosso portfólio, por exemplo.

Geralmente, os moodboards que produzidos são no estilo flat lay, que consistem na disposição dos produtos em uma superfície plana. De tal maneira, as fotos sendo tiradas de cima, em um ângulo que mostre toda a composição criada.

Formas variadas de moodboard

Existem diversas outras formas de fazer o moodboard, como na parede, em murais, em cima de uma mesa etc. Vale lembrar ainda que as composições podem ser produzidas de forma física ou digital.

No caso da versão digital, você pode usar softwares de edição de imagens e fazer composições, para testar combinações de cores e elementos que aplicará em um projeto, por exemplo.

Como os moodboards ajudam na construção dos projetos?

O moodboard ajuda a passar a ideia inicial de um projeto aos clientes (Foto: Portobello)

O moodboard ajuda a passar a ideia inicial de um projeto aos clientes (Foto: Portobello)

Os moodboards na arquitetura ajudam os arquitetos a construírem novos projetos e também para mostrar aos clientes, para que eles também possam contribuir com novas ideias.

Na imagem acima, vemos um moodboard  que é usado como inspiração para a criação de um ambiente. Assim, é possível testar a harmonização do ambiente, colocar ou retirar elementos etc. A comunicação com o cliente fica mais acessível e o conceito é criado. Dessa forma, evita-se ainda as modificações e refações no final do projeto, tendo em vista que as ideias serão testadas com antecedência.

Afinal, como desenvolver um moodboard na arquitetura?

Veja, a seguir, um passo a passo sobre como criar um moodboard na arquitetura e ter mais resultados positivos em seus projetos, ao usar essa estratégia.

Tenha um elemento como ponto de partida

Um objeto pode ser usado como ponto de partida para a construção de um moodboard na arquitetura (Foto: Portobello)

Um objeto pode ser usado como ponto de partida para a construção de um moodboard na arquitetura (Foto: Portobello)

Para dar partida ao moodboard é interessante ter um elemento que sirva de conexão para os outros. No exemplo da imagem acima, o ponto de partido é um livro, cuja capa traz cores como o preto, o amarelo e o cinza.

No exemplo acima, a harmonia entre as cores presentes na capa do livro inspirou a criação do moodboard, que traz outros elementos com essas tonalidades e texturas. Assim, a ideia é ampliada, criando uma composição que, mais adiante, pode servir como mote para o projeto que você está desenvolvendo.

Outra ideia interessante para usar como ponto de partida são as palavras-chave. No exemplo da imagem acima, poderiam ser utilizados termos como criatividade, home office, amarelo, preto, aconchego, entre outros.

O objetivo é que essas palavras guiem a composição do moodboard, para que você possa buscar objetos e elementos que se encaixem de maneira harmoniosa no conceito. Lembre-se que o todo deve contar uma história para quem o visualiza.

Defina um fundo

O fundo escuro dá um tom dramático ao moodboard (Foto: Portobello)

O fundo escuro dá um tom dramático ao moodboard (Foto: Portobello)

O fundo do moodboard pode ser mais neutro, possibilitando que os elementos presentes se destaquem. Tudo depende da ideia que você quer o seu painel transmita.

Um moodboard com fundo branco, por exemplo, é clean e minimalista. Já o escuro é mais dramático, como no caso da imagem acima.

Na montagem, podem ser usados panos, tapetes, toalhas de mesa, peças de porcelanato etc.

Trabalhe com a sobreposição

Elementos sobrepostos otimizam o espaço no moodboard (Foto: Portobello)

Elementos sobrepostos otimizam o espaço no moodboard (Foto: Portobello)

A sobreposição garante um efeito de profundidade ao moodboard. É preciso ter cuidado, no entanto, para que um item não sobreponha outro que já contenha algum tipo de informação, como uma estampa.

Os produtos que ficam por baixo também podem ajudar a dar destaque para os que estão por cima, servindo como uma espécie de moldura. A sobreposição também contribui para que mais materiais sejam mostrados, sem ocupar muito espaço.

Na imagem acima, a técnica da sobreposição é trabalhada com peças de cores diferentes uma sobre as outras. O mesmo pode ser visto nas tábuas de cozinha e os livros de receitas. Assim, mais elementos foram mostrados em menos espaço.

Use as cores com estratégia

Mais de uma tonalidade da mesma cor pode ser utilizada ao criar um moodboard na arquitetura (Foto: Portobello)

Mais de uma tonalidade da mesma cor pode ser utilizada ao criar um moodboard na arquitetura (Foto: Portobello)

As cores têm grande influência em um moodboard na arquitetura. São elas que definem se o  projeto transmite uma sensação de calma, elegância, sobriedade, bem como tem outras características.

Amostras e catálogos de tintas, uma cartela pantone, pedaços de papel ou tecidos, entre outros itens contribuem podem ser usados para fazer essas combinações. O exemplo acima traz combinações em tonalidades de azul e cinza com o branco.

A organização dos objetos deve ser feita com cuidado (Foto: Portobello)

A organização dos objetos deve ser feita com cuidado (Foto: Portobello)

Use textos e imagens

Textos e imagens podem contribuir para a criação do seu moodboard (Foto: Portobello)

Textos e imagens podem contribuir para a criação do seu moodboard (Foto: Portobello)

O moodboard é algo muito visual. De tal maneira, uma forma interessante de trabalhá-lo é adicionando algum texto à composição. Para isso, você pode usar letreiros, livros, revistas, storytellings, entre outros materiais textuais. Também pode adicionar termos escritos que remetam às palavras-chave, anteriormente escolhidas.

Colocar imagens no moodboard também é uma maneira interessante de deixá-lo ainda mais completo, passando a ideia que você deseja de maneira mais completa. Veja, no exemplo acima, que foi escolhido um quadro com insetos, que ajuda a formar um contexto de natureza.

Como fotografar os moodboards na arquitetura?

Ao criar um moodboard, é interessante que você também pense na fotografia, já que é ela que eternizará a composição e permitirá que a ideia seja enviada aos seus clientes ou publicada em suas redes sociais.

Além disso, também é interessante tirar fotos durante o processo, para ajudar na montagem do moodboard. Essa é uma boa dica para que você veja como tudo ficou sem interferências do ambiente.

Ao fotografar é preciso ter muito cuidado com a iluminação. Você pode montar a composição próximo a uma janela, por exemplo, usando a luz natural. Também prefira fazer fotos durante o dia, já que à noite a luminosidade do ambiente pode ser comprometida.

A posição da câmera também precisa estar sempre reta, acima do projeto. Uma boa dica também é sempre tirar a foto mais de longe, para sobrar uma margem para a edição da fotografia.

A edição também é um fator importante. Nas próprias configurações do celular é possível fazer recortes, mexer na perspectiva, trazer mais cor ou contraste, entre outras opções.

Exemplos de moodboards com produtos Portobello

Veja, a seguir, alguns exemplos de moodboards para arquitetura que foram feitos a partir de combinações de revestimentos da linha Unlimited da Portobello!

Revestimentos da Portobello servem para fazer moodboards (Foto: Portobello)

Revestimentos da Portobello servem para fazer moodboards (Foto: Portobello)

No exemplo acima foram usados os revestimentos Siena Chianti, Zigzag Blush e Cube Rose. Eles ficaram muito harmoniosos e podem servir como inspiração para um projeto de banheiro.

Objetos servem como ponto de partida para moodboards (Foto: Portobello)

Objetos servem como ponto de partida para moodboards (Foto: Portobello)

Aqui, o ponto de partida foi uma blusa de lã, que compõe o moodboard com os revestimentos Travertino Grigio, Zigzag Aquamarine e Chelsea Gray.

A composição de moodboards na arquitetura pode ter sobreposições estratégicas (Foto: Portobello)

A composição de moodboards na arquitetura pode ter sobreposições estratégicas (Foto: Portobello)

Nesse moodboard, os materiais utilizados foram: Araxá, Zigzag Denim, Berliner Zement e Artisan Brick Denim.

O produto Eclipse White serviu como ponto de partida para este moodboard (Foto: Portobello)

O produto Eclipse White serviu como ponto de partida para este moodboard (Foto: Portobello)

Uma xícara de café ajuda a compor a ideia transmitida por esse moodboard, que traz os revestimentos Onyx Unique, Atmosfera Eclipse White e Boreal Natural em sua composição.

Poucos elementos são necessários para criar um bom moodboard na arquitetura (Foto: Portobello)

Poucos elementos são necessários para criar um bom moodboard na arquitetura (Foto: Portobello)

A beleza de um moodboard pode estar na simplicidade. Uma agenda, uma caneta e uma plantinha serviram como base para essa bela composição que utiliza os revestimentos Siena Pecorino, Cristal Saraceno, Artisan Brick White e Artisan Brick Denim na composição.

Agora que já sabe mais sobre moodboard na arquitetura, convidamos você para fazer composições maravilhosas e compartilhar com a gente, que tal?

Aprenda mais assistindo à live da Caroline Guedes, na íntegra, em nosso IGTV. Veja agora!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *