Menu
Projetos e Obras
Busca

Entrada do memorial, quatro letras em hebraico que juntas significam "em memória de" (Foto: Frank Berbers)

Conteúdo Correspondentes Internacionais

Holanda inaugura o Memorial do Holocausto em Amsterdã

27/12/2021

O Memorial do Holocausto, projetado pelo arquiteto Daniel Liebeskind, expõe mais de 100 mil nomes de holandeses que foram vítimas do holocausto.

O Memorial do Holocausto na Holanda, ou também conhecido como Memorial dos Nomes, foi recentemente inaugurado na cidade de Amsterdã pelo rei Willem-Alexander e outras autoridades. O projeto é o primeiro monumento nacional dedicado às vitimas do holocausto e foi projetado pelo arquiteto judeu americano-polonês Daniel Libeskind. 

Entre as vítimas homenageadas, está presente no monumento o nome de Anne Frank, uma das mais conhecidas vítimas do Holocausto. Entre os anos de 1942 e 1944, ela documentou, por meio de um diário, o cotidiano claustrofóbico e silencioso de sua família num esconderijo em Amsterdã, na esperança de não ser capturada pelos nazistas.

Em 1944, a adolescente, sua irmã e seus pais acabaram sendo descobertos no anexo. Anne morreu no campo de concentração de Bergen-Belsen em 1945, mas a história de sua vida percorre o mundo até hoje por meio de seu diário publicado postumamente.

Memorial Holocausto Amsterdã
Monumento em forma de labirinto em meio a um jardim (Foto: Elisa Goudriaan)

O arquiteto Libeskind é filho de sobreviventes do holocausto e também projetou o famoso Museu Judaico em Berlim. Em 2018, ele publicou a proposta de design do projeto para o memorial dos nomes em Amsterdã e finalmente em 2021 este projeto foi executado.

Localizado na rua ‘Weespertraat’ e próximo ao quarteirão cultural judaico, o monumento é formado por várias paredes consolidando quatro letras em hebraico que, juntas, possuem um significado que pode ser traduzido como: “Em memória de”.

Memorial Holocausto Amsterdã
Entrada do memorial, quatro letras em hebraico que juntas significam “em memória de” (Foto: Frank Berbers)
Memorial Holocausto Amsterdã
Entrada do Memorial Nacional do Holocausto em Amsterdã (Foto: Frank Berbers)

Em memória às vítimas, as paredes do monumento foram construídas com tijolos gravados individualmente com o nome, a data de nascimento e a idade de cada um dos mais de 100 mil judeus holandeses que foram assassinados durante a Segunda Guerra Mundial. Além disso, aproximadamente mil tijolos foram inseridos sem gravações para homenagear aqueles que seguem desconhecidos. 

Os muros estão distribuídos em série, criando as quatro letras em hebraico que podem ser lidas de cima. A experiência através da altura do olhar é vista como atravessar um pequeno labirinto dinâmico, aguçando a curiosidade dos visitantes. As paredes possuem em torno de 2 metros de altura e são coroadas por quatro volumes espelhados que refletem o seu entorno, um lindo jardim cheio de árvores.

Memorial Holocausto Amsterdã
Nome, data de nascimento e idade das vítimas foram gravados em cada tijolo do memorial (Foto: Elisa Goudriaan)

Esse projeto foi pensado de forma muito simbólica, cada detalhe há uma homenagem e um significado. Segundo o escritório Studio Libeskind, os materiais utilizados para a construção do memorial também foram escolhidos de acordo com a seguisimbologia:

O tijolo, um material de construção onipresente na arquitetura holandesa e em várias outras cidades da Europa Ocidental, em comparação com as formas geométricas espelhadas em aço, fazem a conexão entre o passado e presente de Amsterdã.

Memorial Holocausto Amsterdã
Dentro do memorial, algumas árvores estão inseridas dentro do labirinto e os espelhos refletem o jardim (Foto: Frank Berbers)

Ao redor das paredes de tijolos estão pedras trituradas, árvores e assentos monolíticos que complementam os ângulos geométricos do memorial, enquanto a borda do local é revestida por sebes e painéis cor de bronze.

Memorial Holocausto Amsterdã
Paredes internas do memorial (Foto: Frank Berbers)
Memorial Holocausto Amsterdã
Elementos geométricos espelhados que coroam as paredes do memorial (Foto: Frank Berbers)

Ao vivenciarmos o dia-a-dia em um país como a Holanda, nos damos conta de que a Segunda Guerra Mundial aconteceu há pouquíssimo tempo, na verdade. 

Uma atrocidade que, para nós brasileiros, parece um pouco distante, já que não experienciamos esse período histórico em específico, aqui temos a oportunidade de conhecer os avós de amigos holandeses que foram crianças / adolescentes durante a segunda guerra e contam inúmeras histórias de como sobreviveram a esse período. 

Na Holanda celebramos todos os anos o Dia Nacional da Memória, que ocorre no dia 4 de maio. É um dia no qual os holandeses homenageiam os soldados e civis que morreram na Segunda Guerra Mundial através de 2 minutos de silêncio às 20 horas. Após isso, as autoridades concluem a cerimônia.

Gostaram desse novo projeto? Compartilhem conosco a sua opinião!

LEIA MAIS : Visite a Berlim da 2ª Guerra por meio da arquitetura e dos pontos turísticos

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *