Menu
Projetos e Obras
Busca
Maximalismo: na contramão das tendências

Conteúdo Matérias

Maximalismo: na contramão das tendências

30/10/2019

Descubra o maximalismo, o estilo de decoração e arquitetura que leva a exuberância aos limites em um projeto!

Se a união faz a força, ela também é a cara do maximalismo, um estilo de arquitetura e decoração que faz jus ao “quanto mais, melhor”. Sem deixar margem para ambientes vazios, esse décor se propõe a ousar e atingir os limites de um projeto. Em todos os sentidos!

Se você já visitou ou viu fotos ou filmes sobre Las Vegas, sabe que ela brilha 24 horas. Outdoors gigantes, cores intensas e muita informação visual são marcas da cidade das jogatinas. É que ela tem uma pegada muito maximalista. Imagine agora algo semelhante em projetos de residências.

Clássico, gótico, moderno, barroco e futurista se encontram no maximalismo. Descubra neste artigo a história, o conceito e os detalhes desse estilo que vai na contramão das tendências!

O que é o maximalismo?

Peças grandes mesmo em cômodos médios são peculiaridades do estilo

Peças grandes mesmo em cômodos médios são peculiaridades do estilo (Foto: Unsplash)

Maximalismo é um estilo que traz o exuberante e suntuoso na arquitetura e decoração. O movimento é uma oposição clara ao minimalismo, conceito que traz linhas simples e somente o necessário nos espaços.

Neste décor, o mote é aproveitar o espaço entregando-o ainda mais dimensão, por meio de peças, técnicas e artigos de decoração extravagantes. Cores, tamanhos, estilos e tudo o mais para fazer valer o “quanto mais, melhor”.

O estilo maximalista foi bastante impulsionado pelo arquiteto expoente do estilo pós-moderno, Robert Venturi, que cunhou a expressão less is bore — traduzido para o português, “menos é chato”. Ele é conhecido por obras gigantescas, incluindo o projeto que desenvolveu para a casa de sua mãe nos anos 1960.

Além de Robert, o movimento maximalista tomou maiores proporções — redundante falar isso! — nos anos 1970, com grupos de artistas que se opuseram ao minimalismo.

Quais sãs as principais características desse estilo?

O estilo pode seguir com prevalência de detalhes em tom igual e objetos em cores contrastantes

O estilo pode seguir com prevalência de detalhes em tom igual e objetos em cores contrastantes (Foto: Unsplash)

Um local em estilo maximalista é como uma grande obra de arte barroca feita por Aleijadinho, ou seja, uma criação de impacto. Histórias fantásticas e grandes cenários representados com obras e mobiliário tradicionais e modernos, carregados em cores e detalhes que se veem de longe.

A comparação com as obras do escultor, entalhador e arquiteto mineiro não é para menos. O estilo maximalista traz em muitos projetos toques da era barroca, misturadas ao pós-moderno, contemporâneo e clássico, entre outros. Dessa verdadeira miscelânea de linhas arquitetônicas surge a harmonia.

Sofás gigantes, tapetes repletos de detalhes, papéis de parede estampados e cortinas em cores vibrantes são alguns dos artifícios que denotam esse estilo inconfundível.

Como o maximalismo é aplicado em um projeto?

A sobriedade também pode ser uma escolha no maximalismo

A sobriedade também pode ser uma escolha no maximalismo (Foto: Unsplash)

Apesar de o maximalismo ser um estilo que preza pelo exagero sempre, ele não é puramente uma arquitetura e decoração desorganizada. Pelo contrário: o bom gosto, a dosagem ideal, o contraste e a complementação são marcas registradas desse décor.

Paredes

Revestimentos distintos resultam em um visual harmônico e muito elegante

Revestimentos distintos resultam em um visual harmônico e muito elegante (Foto: Josi Barros)

No maximalismo, as paredes podem seguir duas linhas: serem totalmente neutras ou chamativas. No primeiro caso, a neutralidade da cor deve ser preenchida por artigos como quadros e outros objetos. No segundo, cores vivas e papéis de parede estampados ao extremo são utilizados.

Uma alternativa que vai ao encontro deste é o revestimento cerâmico. Essa peça versátil garante um acabamento ainda mais robusto, com efeitos que reproduzem com alta fidelidade da madeira ao mármore.

Cores

As cores não precisam ser necessariamente da mesma paleta, mas podem seguir esse critério. Por exemplo, ao escolher uma parede verde-escuro ou preta, é possível optar por um sofá e outros móveis em cores vibrantes. O resultado será um ambiente muito vivo, que é uma busca constante do maximalismo.

Quadros gigantes são comuns em projetos do tipo

Quadros gigantes são comuns em projetos do tipo (Foto: Unplash)

Artigos

Os artigos de decoração podem ser os mais variados e não devem necessariamente seguir um padrão.

Podem ser usadas peças clássicas, esculturas em mármore, móveis da era barroca e quadros modernos. Plantas gigantes — como cactos e palmeiras — e dezenas de espécies de pequeno porte também são muito bem-vindas nesse estilo.

Ou seja, em cada detalhe mora uma história, uma era e uma viagem ao mundo da arquitetura e decoração. O objetivo é fazer o lugar parecer um verdadeiro antiquário, daqueles em que se acha de tudo, mas o difícil é achar onde cada coisa está.

O maximalismo, que vai na contramão das tendências, prova que a união de estilos pode fazer a diferença em um projeto. Esse décor é ótimo para evidenciar a personalidade dos proprietários do imóvel, já que aumenta até a última potência as opções de decoração. Espaço para se expressar não falta. Basta saber escolher.

Descubra como atingir a tão almejada autenticidade em um projeto, base de uma obra única e inesquecível!

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *