Menu
Projetos e Obras
Busca
Mármore Brasileiro - Mont Blanc Portobello

Portobello Matérias

Conheça o novo mármore brasileiro Mont Blanc da Portobello

19/06/2020

Se o mundo valoriza os quartzitos brasileiros, por que a arquitetura nacional também não pode? Conheça o novo mármore brasileiro Mont Blanc!

Escute a versão narrada deste artigo. Aperte o play abaixo, escute o áudio e deixe sua opinião nos comentários!

As pedras brasileiras são valorizadas no mundo inteiro. Feiras de arquitetura e design do mundo inteiro as mostram como soluções inteligentes para revestimentos, fachadas, muros e até detalhes. Foi pensando em valorizar a matéria-prima que a Portobello desenvolveu o novo porcelanato que reproduz mármore brasileiro, o Mont Blanc.

A mais nova linha faz parte da coleção Quartzites, inspirada nos quartzitos brasileiros — rochas duríssimas, de alta resistência mecânica e muita diversidade de cores e desenhos. Os quartzitos conseguem unir os veios evidentes do mármore com a já conhecida dureza do quartzo.

Mármore Brasileiro - Elegante e minimalista, o mármore brasileiro Mont Blanc pode cobrir ambientes inteiros

Elegante e minimalista, o mármore brasileiro Mont Blanc pode cobrir ambientes inteiros (foto: Portobello S.A.)

Mont Blanc é a proposta sustentável que reproduz o já clássico quartzito branco em lastras de porcelanato. Conheça mais sobre essa nova proposta da Portobello, que traz a beleza das pedras brasileiras transportada a tendências do mercado internacional:

Quartzito: beleza e durabilidade na arquitetura

Quartzitos são rochas extremamente duras, de difícil extração, altíssima resistência mecânica e grande diversidade de desenhos e tons. Graças ao avanço tecnológico no campo da mineração, a beleza dessas pedras tem sido cada vez mais revelada.

O tamanho do bloco extraído da pedreira define a medida das peças que serão usadas como revestimento. No entanto, para que haja o máximo de aproveitamento da matéria-prima, o marmorista mede detalhadamente e numera os pedaços que serão cortados.

Extração mais aprofundada e difundida dos quartzitos brasileiros

Os quartzitos brasileiros tiveram a sua extração mais aprofundada e difundida ultimamente graças à tecnologia de maquinário, já que são pedras mais resistentes e, por isso, mais difíceis de retirar do solo. Consequentemente, o beneficiamento tinha um custo muito alto.

De fato, o desenvolvimento tecnológico fez com que o trabalho começasse a valer a pena: a matéria-prima é muito abundante no Brasil, principalmente, em Goiás, na Bahia, em Minas Gerais e no Espírito Santo.

Além da extração, a melhoria tecnológica de corte e o aprimoramento dos marmoristas fizeram com que o quartzito se tornasse um dos tipos de matéria para revestimentos mais interessantes da arquitetura. Isso porque consegue unir a dureza superior do granito com a beleza do mármore. Além disso, sua versatilidade permite aplicação em pisos, paredes, bancadas, móveis e acessórios.

O mundo de olho no quartzito brasileiro

Mármore Brasileiro - O Mont Blanc pode revestir qualquer ambiente interno de uma residência, incluindo cozinhas

O Mont Blanc pode revestir qualquer ambiente interno de uma residência, incluindo cozinhas (foto: Portobello S.A.)

O avanço das tecnologias possibilita que, cada vez mais, a beleza dos quartzitos brasileiros seja valorizada e utilizada no mercado. Feiras e mostras de arquitetura, design e revestimentos internacionais têm explorado muito as pedras brasileiras — algo que não era tão valorizado pelo mercado nacional.

Até mesmo em eventos italianos, em que profissionais brasileiros vão para conhecer o mármore local, o público acabava vendo mais pedras brasileiras. Então, se o mundo está dando valor ao novo mármore brasileiro, porque o mercado nacional não dá?

Mont Blanc: o novo mármore brasileiro

Mármore Brasileiro - Reprodução do mármore brasileiro, Mont Blanc é usado tanto em parede quanto nos detalhes

Reprodução do mármore brasileiro, Mont Blanc é usado tanto em parede quanto nos detalhes (foto: Portobello S.A.)

Nova produção do quartzito brasileiro, a linha Mont Blanc reproduz o mármore de maneira fidedigna, mas sustentável.  O já clássico quartzito branco aparece em peças de grandes formatos e lastras de porcelanato.

O material natural não é um bem renovável, ao contrário do porcelanato, que permite reproduzir diferentes tipos de material para revestimento. A extração da matéria-prima também não é tão agressiva quanto a de outras pedras naturais, como o mármore.

Além disso, o mármore brasileiro Mont Blanc é uma peça bem minimalista: ela tem os veios marcados em tons de branco e nuances quentes de cinza, ora mais quentes e ora mais frios, mas de forma bem sutil. Sua superfície revela a formação da pedra em camadas cruzadas, que podem destacar fragmentos de quartzo em tons suaves quanto o branco compacto.

Formas e aplicações

Mármore Brasileiro - Uso do mármore brasileiro Mont Blanc em pisos e paredes dá a impressão de infinitude da superfície

Uso do mármore brasileiro Mont Blanc em pisos e paredes dá a impressão de infinitude da superfície (foto: Portobello S.A.)

Os diferentes formatos possibilitam inúmeras aplicações para a linha Mont Blanc. Disponível nos tamanhos 20 x 90 cm, 20 cm x 1,20 m, 60 cm x 1,20 m, 90 x 90 cm, 1,20 x 1,20 m e 1,20 x 2,70 m e nos acabamentos natural e polido, o mármore em porcelanato aparece tanto em lastras como em grandes formatos. Sua diversidade de tons possibilita diversas combinações — concreto ou madeira, por exemplo.

Podem ser utilizados em qualquer ambiente comercial leve, residencial e pisos (desde que sejam internos), em todas as áreas dentro de uma casa, piscinas, fachadas e muros. Em ambientes molhados, o mármore brasileiro Mont Blanc com acabamento natural pode ser utilizado no piso. Já nas paredes, a versão polida é liberada.

Já a lastra muda a maneira como uma superfície pode se comportar em um ambiente, já que ela pode revestir móveis, fazer bancadas e detalhes em banheiros, boxes e cabeceiras de camas. O revestimento passa de ser uma peça única para uma superfície contínua.

Outra forma inovadora e sustentável de usar o mármore brasileiro Mont Blanc no formato lastras é em fachadas ventiladas. O uso desse material no lugar do vidro permite uma economia de 20% de energia elétrica, pois aumenta o conforto térmico e, como consequência, diminui o uso de ar-condicionado.

Então, tudo o que o arquiteto ou o cliente final imagina revestir ou fazer com o granito e com o mármore pode ser feito com o porcelanato. O mercado pode abraçar a peça por sua beleza e versatilidade no seu uso. Bancadas, portas, estantes, mesas e todos os detalhes em cômodos, ou seja, tudo o que sua imaginação mandar.

No momento de paginar um ambiente com mais de um formato, todos devem ser do mesmo calibre se a intenção é que as juntas fiquem alinhadas.

Color body

O novo mármore brasileiro Mont Blanc tem a tecnologia exclusiva da Portobello, a color body, que permite que as massas dos produtos esmaltados tenham a mesma cor da estampa do porcelanato, trazendo um acabamento muito mais bonito em cortes especiais.

Essa sincronia entre a cor da superfície e da base diminui a visibilidade de qualquer dano que possa surgir. Além disso, os tons e suas variações são consistentes por todo o revestimento, mas o design da superfície não continua por meio da peça.

Lastras: uma nova forma de pensar arquitetura

Como dito, o novo mármore brasileiro Mont Blanc está disponível de duas formas: em grandes formatos e em lastras. Mas o que diferencia um de outro? É o tamanho: as lastras conseguem ser de tamanhos ainda maiores.  Enquanto os grandes formatos podem chegar a 1,20 × 1,20 m, as lastras medem acima de 1,20 × 2,40 m.

Mármore Brasileiro - Lastras podem cobrir ambientes inteiros ou demarcar parte deles, como o boxe do banheiro

Lastras podem cobrir ambientes inteiros ou demarcar parte deles, como o boxe do banheiro (foto: Portobello S.A.)

As lastras unem a versatilidade do porcelanato com a possibilidade de criar superfícies contínuas, com pouquíssimos espaços de rejunte. O Mont Blanc, por exemplo, pode revestir todo o cômodo, tirando a noção de início e fim. Mas elas também são ótimas para revestir detalhes: uma cabeceira de cama, espaços em paredes, demarcação do boxe, revestimento mobiliário e bancadas de cozinhas e banheiros.  Sua alta resistência a manchas e riscos permite o uso personalizado do produto.

Tecnologia Portobello

A possibilidade de desenvolver lastras no Brasil só aconteceu em 2019, com a inauguração de um forno específico para o produto na fábrica da Portobello, em Tijucas/SC. Antes, a empresa já trabalhava com o produto, mas todos os produtos eram importados da Itália.  O produto chegou ao Brasil em 2013, em placas de 3 x 1m, aparecendo mais como uma apresentação de novas possibilidades em arquitetura do que como um produto para o consumidor final.

Hoje, a Portobello é uma das poucas empresas no mundo a ter um forno capaz de produzir porcelanatos em dimensões de 1,60 m x 3,20 m. Essa tecnologia local permite a produção de lastras com um excelente custo-benefício, o que facilita a popularização do produto entre os clientes.

A produção e popularização de de lastras potencializa a construção de mobiliário em porcelanato, que vão de mesas a bancadas para cozinhas e banheiros usando a arte da porcelanateria.

Transporte e assentamento

Por serem em tamanho bem maior do que o convencional, as lastras do mármore brasileiro Mont Blanc exigem mais cuidado no transporte e armazenamento.  Em alguns casos, o material pode não caber nos elevadores e, portanto, precisa ser transportado por içamento.

Já na hora de assentar, as lastras seguem o mesmo modelo do porcelanato comum, sem complicações. Por fim, o rejunte mais indicado para o revestimento é o epóxi, que é resistente à umidade, abrasão de produtos químicos e circulação intensa.

Como visto, o novo mármore brasileiro Mont Blanc é versátil, minimalista, elegante e com inúmeras possibilidades de utilização. Para oferecer todas essas qualidades à sua obra, visite a linha no site da Portobello.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *