Menu
Projetos e Obras
Busca

Portobello Entrevistas

Mares não navegados

02/03/2020

Em entrevista exclusiva ao Archtrends, o designer de joias Antonio Bernardo fala sobre a inovadora linha Atmosfera, em parceria com a Portobello.

Inovação é o principal valor da Portobello. O conceito de Inovação Aberta nos leva a cocriar com grandes nomes da arquitetura e do design. Essas colaborações podem ser, inclusive, multidisciplinares. É o caso da mais recente parceria, com o designer de joias carioca Antonio Bernardo. A admiração da Portobello pelo seu trabalho é de longa data, pelo traço autoral e brasileiro.

Após um longo ano de desenvolvimento, que envolveu o uso de tecnologias nunca antes exploradas, lançamos em fevereiro de 2020 a linha Atmosfera, que combina, de maneira pioneira, porcelanato e metal. Confira, em uma entrevista exclusiva, o que Antonio Bernardo e Letícia Silva De Stefano, gerente do seu departamento de desenvolvimento de criação, acharam do processo e do resultado final.

joias antonio bernardo

Eduardo Scoz, gerente de arquitetura e branding da Portobello, conversa com Antonio Bernardo

joias antonio bernardo

Pamela Golin, gerente de produto da Portobello, apresenta a linha Atmosfera para Antonio Bernardo

Archtrends Qual a sua relação com a arquitetura?
Antonio Bernardo Eu me lembro de ir para o colégio de ônibus, quando criança, no Rio de Janeiro. Eram trajetos longos. O Brasil está sempre em construção, tem sempre uma obra perto de você. É raro o lugar que você vá e já esteja tudo pronto. No Rio de Janeiro, estávamos vivendo o momento dos prédios com pilotis. Cada arquiteto se esmerava para fazer um projeto mais interessante com pilotis. Eu acompanhava isso tudo, andando de ônibus. Tinha um prédio que só tinha uma coluna central. Eu ficava encantado com essas coisas, gostava muito. Eu acompanhava, de uma maneira simplória, porque não era por leitura. Mas era meu olhar, o que eu observava nas coisas.

Archtrends E com o design de produto?
Antonio Bernardo Produto também, sempre acompanhei, desde criança. Nos anos 1950 e 1960, o Rio de Janeiro era a capital da República. Todas as embaixadas ficavam no Rio de Janeiro. O pessoal das embaixadas todo ano trocava de carro. Menino tem uma ligação forte com automóvel. E todo ano tinha modelos novos, aqueles rabos de peixe maravilhosos, de filme. Aquelas banheiras enormes. Era um fascínio para mim. Eu ficava pensando por que mudou, agora o farol é deitado, antes o farol era em pé. Coisas da minha cabeça, que eu fico pensando até hoje. Tenho fascínio por muita coisa de design de produto.

Archtrends Você já fez algumas parcerias. Gosta de trabalhar além do universo das joias?
Antonio Bernardo Eu gosto de fazer parcerias porque é um estímulo externo. Temos os nossos estímulos internos, mas quando fazemos uma parceria temos estímulos externos, vamos entrar em contato com algo que não conhecemos. Só conheço eventualmente como consumidor, mas não conheço as entranhas daquele produto. Então para mim é muito interessante. É mais interessante ainda quando de fato é uma parceria. No caso da Portobello, houve uma integração muito grande entre o que eu propus, os desafios dessa proposta e como eles encararam esses desafios. Isso foi muito bacana.

joias antonio bernardo

Eclipse, da linha Atmosfera, parceria da Portobello com Antonio Bernardo

Archtrends O desenvolvimento da linha Atmosfera levou um ano. O seu processo de criação costuma ser longo?
Antonio Bernardo Às vezes eu faço uma parceria e o produto já sai praticamente pronto, mas não foi o caso da Portobello. Foi um ano de desenvolvimento. Eu propus coisas que ainda não haviam sido utilizadas pela empresa. Foi bacana como eles se debruçaram nesse desafio de conseguir realizar o que eu havia concebido. Foi longo porque estávamos caminhando em espaço desconhecido. Quando se está navegando por mares desconhecidos é assim mesmo, vai e volta, vai e volta.

Archtrends Qual a diferença entre criar joias e revestimentos?
Letícia Silva De Stefano Nossa equipe de design passou por todo um processo interno, que depois foi para a Portobello, para a Portobello realizar no contexto deles. Os nossos trabalhos são muito diferentes. É outro dia a dia, outro material, outra escala, outra função. 

Archtrends Como ocorreu o convite da Portobello? Houve um briefing para um produto específico?
Antonio Bernardo Pior é que o convite veio totalmente aberto (risos).
Letícia Silva De Stefano A gente foi conversando e a única coisa que a gente imaginou foi que o metal estivesse presente. Porque o metal é o nosso material. Seria muito interessante juntar o metal e o porcelanato, pois o metal é nosso objeto de trabalho e o porcelanato é o objeto de trabalho da Portobello.

joias antonio bernardo

Antonio Bernardo, Letiěcia Silva De Stefano e a equipe da Portobello

Archtrends O que inspirou a linha Atmosfera?
Antonio Bernardo A Portobello já tinha em seu portfólio um filete de metal. Quando eu vi isso, pensei em desenvolver o metal de outras maneiras, que eles ainda não tinham desenvolvido. A inspiração também foi nosso próprio trabalho com joias. Decidimos que algumas joias nossas teriam a possibilidade de ser utilizadas no material deles. Na realidade, não as joias representadas, mas os raciocínios que utilizamos para fazer as joias. Nós solicitamos que eles olhassem nosso portfólio e selecionassem algumas peças que eles se identificassem.

Archtrends Como foi o processo de desenvolvimento até chegar nos desenhos finais?
Letícia Silva De Stefano Fizemos vários estudos, que foram evoluindo. A gente fez experiências ordenadas, com padronagens e aleatórias. O Antonio pedia para que soltássemos mais a forma, fomos soltando, evoluindo.
Antonio Bernardo O lúdico é uma marca do meu trabalho. Eu não queria ir pela padronagem. Não queria que a parede ficasse tão sólida, eu queria mais fluido. Leve, solto. As minhas joias também são leves. A primeira vez que eu fui visitar a fábrica, observei que tudo era duro, plano e de ângulo reto. Me causou muita impressão. Eu tentei trabalhar isso. Do ângulo reto não conseguimos escapar, mas com os painéis tiramos ele de evidência. Quando eles viram os protótipos que nós fizemos ficaram encantados. 

joias antonio bernardo

Ovni, da linha Atmosfera, parceria da Portobello com Antonio Bernardo

joias antonio bernardo

Lua, da linha Atmosfera, parceria da Portobello com Antonio Bernardo

Archtrends Qual o papel do Antonio na criação?
Antonio Bernardo Hoje em dia, o meu trabalho é mais no desenvolvimento de ideias. Eventualmente eu faço um protótipo. Eu vou soltando várias ideias e a equipe vai trabalhando todas ao mesmo tempo. Tem uma pilha grande de descartados.

Archtrends Qual a sensação ao ver o resultado final? Ficou satisfatório?
Antonio Bernardo O dia que eu fui ver as peças foi emocionante. Vimos no tamanho real, já com inserção de metal. Sugerimos que tivesse duas cores, claro e escuro. O escuro ficou bárbaro. Foi uma parceria em que eles compraram o desafio e se esmeraram para fazer exatamente o que nós tínhamos concebido. Gostaram do projeto e foram fundo. Foi trabalhoso, para eles também. A Portobello não dominava a fabricação desse produto. Quebraram muitas ferramentas.

Archtrends Houve adaptações do que vocês sugeriram?
Letícia Silva De Stefano Nós sugerimos uma calota, com profundida inteiriça. Não foi possível, mas eles sugeriram duas placas. Conseguiram o acabamento, o visual que atingiu o objetivo.
Antonio Bernardo Eles tomaram o desafio para si, se determinaram a conseguir. Descobriram uma maneira de manipular o metal para que ele se conformasse exatamente da maneira que nós havíamos pensado. Eu nunca teria pensado nisso. Isso que foi bacana, porque nós admiramos eles, eles admiraram a gente.

Saiba mais sobre Antonio Bernardo e conheça a linha Atmosfera.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *