Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Matérias

Loft Made in Brasil – O Brasil está na moda pelas mãos da arquiteta Juliana Pippi.

25/10/2012

Após fazer uma grande pesquisa sobre o que está moda, a arquiteta Juliana Pippi fez uma bela descoberta, em diversos países do mundo o Brasil está na moda. Pensando nisso a arquiteta criou para a Casa Cor SC 2012 o Loft Made in Brasil. Um ambiente projetado para um casal jovem, descolado, antenado com todas as(…)

Após fazer uma grande pesquisa sobre o que está moda, a arquiteta Juliana Pippi fez uma bela descoberta, em diversos países do mundo o Brasil está na moda.

Pensando nisso a arquiteta criou para a Casa Cor SC 2012 o Loft Made in Brasil. Um ambiente projetado para um casal jovem, descolado, antenado com todas as tendências mundiais e que valoriza o design nacional. 

Em uma conversa exclusiva com  a Portobello, Juliana fala sobre o projeto e dá dicas para você que deseja criar um ambiente lindo e descolado como este.

Assista ao vídeo abaixo e confira!

O Loft Made in Brasil  mistura cores, objetos,  materiais e diferentes estilos para criar um estilo único.

No espaço a arquiteta trás peças assinadas por designers nacionais renomados, entre eles Maurício Arruda, representado na peça chamada Cristaleira da Linha José, e o premiado Jader Almeida, designer do Cabideiro Loose, de madeira maciça e que assina mais 6 peças do loft.  A Estante Giral de Sérgio J. Matos e o sofá carbono 103 assinado pelo designer Marcos Ferreira. E obras de artistas plásticos conceituados no mercado  catarinense e nacional como Luciano Martins, Paulo Govêa, Zeca Santos e Lu de Paula, que levaram obras exclusivas para o ambiente. Além do fotógrafo e parceiro da arquiteta, Lio Simas, que está trazendo uma pequena exposição de fotos seqüenciais chamada “unidade” , onde grãos de feijão fazem composições geométricas em preto e branco.

No ambiente chamam a atenção objetos, divisórias e paredes, feitos com madeiras de demolição em contraste com os laqueados coloridos. E a tecnologia de ponta para os eletrônicos que contrastam com caixotes de madeira das estantes e outros objetos de design super criativos feitos materiais reciclados.

 Juliana Pippi escolheu diversos revestimentos cerâmicos da Portobello para o Loft.

Piso ambiente – 

Porcelanato da linha Ecollection Portobello. A reprodução de tábuas da Araucária em um tom claríssimo com nuances de caramelo e café deu origem à nova madeira Portobello. O relevo suave do trabalho manual para transformar as toras em pranchas está impresso nas peças de porcelanato. O resultado é um material riquíssimo e muito sutil, um verdadeiro trabalho de alfaiataria na madeira.

CUMARU GLAM NEGRO 20X120 RET

Piso e parede banheiro – 

Pastilha da linha Artesanal Portobello.

A Coleção de pastilhas de resina e vidro feitas artesanalmente ganha opções diferenciadas para decoração de interiores.

Artesanal Mix reúne em uma cartela de cores sofisticada miscelâneas de cores e materiais, além das pastilhas de vidro e resina, algumas peças de pedra natural complementam a composição.

Artesanal Decor propõe o uso de desenhos inspirados nos antigos mosaicos venezianos em uma versão contemporânea.

Artesanal Petit é a seleção das cores neutras e urbanas da coleção em formato mini. O resultado é uma superfície delicada e sofisticada.

ARTESANAL FLORESTA 32X32 TEL 1,5X1,5

Bancada banheiro – 

Porcelanato da linha Concretíssyma Portobello. O Concretissyma Matiz surgiu de um projeto de colorir o concreto, uma ideia do arquiteto Ruy Ohtake – que aliás faz isso com maestria em suas obras. Os novos tons que variam de intensidade conforme a reação do cimento, da cal e do oxigênio da água durante a cura do concreto têm a sutileza de um trabalho artístico. São peças onde a cor está na medida para dar personalidade, mas não ofuscar nenhuma proposta do projeto.

CONCRETISSYMA ARGENTO 60X120 NAT

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Giovanni de Carvalho Costa says:

    É intensa a expressão de cores e texturas, compondo ambiente estimulante que se dinamiza com os elementos sólidos do mobiliário e equipamentos.Acho que seria intertessante agregar elementos figurativos, em temas naturais ou étnicos para um contraponto com a geometria e configurações abstratas de quadros e superfícies.Penso que também se reforçaria a expressão do contraste de cores dos armários se esses fossem tratados como volumes independentes seguindo a mudança de cor, do tom do caramelo para o verde, evitando o conflito entre superfície e volume.Ambiente alegre, expressivo, que sugere vitalidade e alegria de viver, certamente uma experiência muito feliz para quem o contemple ou vivencie.Parabéns à Portobello e Juliana Pippi!

  • Giovanni de Carvalho Costa says:

    Corrigindo o email enviado em 06.11.2012, o termo”armários” se refere aos volumes em que estão instaladas luminárias.
    Sds.