Menu
Projetos e Obras
Busca

Pavilhão projetado por Gerrit Rietveld (Foto: Ana Luiza Camargo)

Conteúdo Correspondentes Internacionais

Kröller-Müller, mais um museu precioso para você conhecer!

08/12/2021

Localizado em um parque nacional, o museu Kröller-Müller possui uma importante coleção de obras do Van Gogh e instalações de arte a céu aberto.

Kröller-Müller é um museu de arte moderna e contemporânea localizado no Parque Nacional ‘De Hoge Veluwe’ em Otterlo, na Holanda. 

O museu é composto pelo edifício no qual se expõem as pinturas de artistas renomados como Van Gogh e também por um jardim de esculturas no qual estão espalhadas as obras e instalações de diversos artistas. No total, a área do edifício e do jardim atingem cerca de 25 hectares. 

Para acessar o museu, deve-se antes passar pela entrada do parque nacional onde se compram os bilhetes de entrada e se tem acesso a uma bicicleta. A entrada de veículos é limitada por se tratar de uma área de preservação, portanto, quase tudo dentro do parque é conectado com ciclovias e caminhos naturais de terra.

Kröller-Müller
Paisagem do Parque Nacional do Veluwe (Foto: Ana Luiza Camargo)

Ao entrarmos no parque, a floresta é realmente fascinante. Uma verdadeira surpresa por se tratar de uma paisagem tão diversa e por quebrar com alguns dos estereótipos de paisagem típica holandesa como por exemplo: os campos de tulipas com moinhos de vento.

Kröller-Müller
Ciclovias que conectam a entrada do parque ao museu Kröller-Müller (Foto: Ana Luiza Camargo)

O percurso pelo parque das esculturas é muito interessante, as obras se misturam com a natureza. Algumas que estão camufladas pela natureza, instigam o visitante a conferir de perto seus detalhes. Há também as que estão posicionadas de maneira a convidar-nos a interagirmos com elas.

Kröller-Müller
Jardim do museu Kröller-Müller (Foto: Ana Luiza Camargo)
Kröller-Müller
Um anfiteatro encaixado na paisagem do jardim do museu, obra da artista Marta Pan (Foto: Ana Luiza Camargo)
Kröller-Müller
Esculturas espalhadas pelo jardim do museu (Foto: Ana Luiza Camargo)
Kröller-Müller
Esculturas espalhadas pelo jardim do museu, obra do artista Aristide Maillol (Foto: Ana Luiza Camargo)
Kröller-Müller
Obra Palissade do artista Evert Strobos (Foto: Ana Luiza Camargo)
Kröller-Müller
Enorme coleção de esculturas espalhadas pelo jardim do museu (Ana Luiza Camargo)

Na parte externa do museu foi instalado também um pavilhão projetado por Gerrit Rietveld, famoso designer e arquiteto holandês reconhecido por ter participado do movimento De Stijl.

Em meados dos anos 50, Rietveld surpreendeu o mundo internacional das artes e da arquitetura com o projeto desse pavilhão por se tratar de um ícone de jogo entre cheios e vazios e a luz natural. A construção original foi apresentada em um expo-evento e logo, desmontada. Através de iniciativas privadas, puderam reconstruir o pavilhão no jardim das esculturas do museu Kröller-Müller em 1964.

Os elementos horizontais e verticais do pavilhão são construídos com materiais simples. Os elementos são colocados de forma que a arquitetura e as esculturas se reforcem. ‘O espaço vazio e a luz determinam o valor da arquitetura no qual, ao redor e entre as fronteiras, estão lá apenas para definir o espaço’, escreveu Rietveld mais tarde. 

Kröller-Müller
Pavilhão projetado por Gerrit Rietveld (Foto: Ana Luiza Camargo)
Kröller-Müller
Pavilhão projetado por Gerrit Rietveld (Foto: Ana Luiza Camargo)
Kröller-Müller
Esculturas da artista Barbara Hepworth foram instaladas no pavilhão projetado por Rietveld (Foto: Ana Luiza Camargo)

Na parte interior do museu, podemos apreciar outras peças e esculturas de grandes artistas como, por exemplo, o escultor italiano Giacometti.

Kröller-Müller
Obra do artista italiano Giacometti (Ana Luiza Camargo)

O museu também oferece uma preciosa coleção de obras do famoso artista holandês Vincent Van Gogh. Considerada como uma das maiores coleções de obras do artista no mundo (exceto o museu dedicado exclusivamente ao artista em Amsterdã).

A obra ‘Country-road in Provence by night’ foi pintada pelo artista pouco antes de deixar o hospital psiquiátrico de Saint-Remy, na região da Provença na França. Para o artista, os ciprestes são o símbolo máximo da Provença. 

Van Gogh criou essa paisagem fictícia para poder desenhar o cipreste como ele o via, lindo em termos de linhas e proporções como um obelisco egípcio. Assim o descreveu em uma carta enviada ao seu irmão, Theo. 

Kröller-Müller
Cipreste pintado por Van Gogh, obra ‘Country-road in Provence by night’ (Foto: Ana Luiza Camargo)

Incrível poder conhecer um pouco das histórias por trás de algumas das famosas pinturas do artista. O quadro do carteiro é uma das obras mais destacadas do museu.

O homem retratado pelo artista se trata de um carteiro (Joseph Roulin) que trabalhava na estação de Arles, na França. Como Van Gogh frequentava semanalmente o correio para enviar suas obras a seu irmão Theo na Holanda, acabaram se tornando amigos próximos. 

Em uma carta a Theo, ele o descreve como “um homem que não é amargo, nem melancólico, nem perfeito, nem feliz e nem sempre perfeitamente honesto. Mas um sujeito tão bom, tão sábio, tão sentimental e tão fiel”.

Van Gogh pintou diversos retratos de seu amigo Joseph e, posteriormente, também de sua família.

Kröller-Müller
O famoso carteiro pintado por Van Gogh, obra ‘Portrait of Joseph Roulin’ (Foto: Ana Luiza Camargo)

Ao terminar a visita pelo museu, não deixe de pedalar por outras áreas do Parque Nacional e se impressionar ainda mais com a mudança de paisagem e a beleza desse lugar. 

Kröller-Müller
Enorme diversidade de paisagem dentro do Parque Nacional do Veluwe. Na foto, um pequeno deserto de areia (Foto: Ana Luiza Camargo)
Kröller-Müller
‘Heide’ floresce durante o período do verão e enche os campos do parque com essa coloração violeta (Foto: Ana Luiza Camargo)

Visitar o museu Kröller-Müller e o Parque Nacional ‘De Hoge Veluwe’ é um programa imperdível para os amantes da arte, design, arquitetura e natureza, um verdadeiro tesouro escondido no meio da Holanda. 

LEIA TAMBÉM: Château La Coste: um lugar onde arte, arquitetura e vinho andam de mãos dadas

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Rafael Van der Milhomens jales says:

    Obrigado Ana Luiza pelo post tão encorajador. Ja iria visitar o Kroller mês que vem (farei uma imersão em Van Gogh. Estou lendo sua mais recente biografia e sou fã declarado) mas nao sabia do parque. Irei tbm no museu dele, em Zundert e visitarei a cripta dele e seu irmão. Ah, no D’orsay tbm tem obras dele. Espero ve-las tbm. Mais uma vez, obrigado.