Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Colunistas

Acervo do Jornal Arquiteto é disponibilizado pelo IAB São Paulo

25/09/2020

A publicação que traduziu a efervescência da arquitetura na década de 1970 foi toda digitalizada e está disponível para pesquisa, além de outros materiais.

Os anos de 1970 foram pulsantes em muitos sentidos. No campo da arquitetura, foi um marco no que diz respeito a visão estratégica de entidades que se organizaram na defesa e divulgação da profissão de arquiteto para além de projetos de habitações de luxo. A principal ferramenta para esse feito foi o Jornal Arquiteto, que tinha como lema firmar a defesa profissional do arquiteto e debater sobre política urbana e urbanismo.  “Foi um feito brilhante para a época”, diz o jornalista Vicente Wissenbach, fundador e editor do jornal que agora está acessível a todos no site do IAB-SP.

O Jornal Arquiteto foi uma importante publicação, editado de 1972 a 1980, com 74 edições abordando diferentes aspectos, temáticas, práticas e atividades dos profissionais. Chegou a rodar até 15 mil exemplares.

A disponibilização do acervo faz parte das ações de valorização, disseminação e difusão do acervo institucional e documental do Instituto de Arquitetos do Brasil-Departamento de São Paulo (IAB-SP) para auxiliar pesquisadores, estudantes, professores e interessados no campo da cultura arquitetônica e urbanística. Também foram disponibilizadas todas as edições dos Boletins do IAB, a documentação completa do Edifício IAB e as documentações, cartazes, catálogos e editais de todas as edições das Bienais Internacionais de Arquitetura de São Paulo (realizadas desde 1973), das Premiações IAB-SP (realizadas desde 1967) e dos Congressos Brasileiros de Arquitetura.

Outra boa notícia é o processo de digitalização das 450 edições da revista Projeto. 

CONTEXTO DA ÉPOCA

“A base do jornal era a divulgação da profissão do arquiteto, que era uma figura emergente, as construtoras não eram obrigadas a contratar”, conta Wissenbach, editor especializado em arquitetura e design, curador e crítico de arquitetura, fundador ainda das revistas Projeto, Design & Interiores e Finestra/Brasil. No contexto daquele momento, o arquiteto era visto como projetista de casas de luxo e poucas edificações tinham a assinatura de arquitetos.

O Jornal do Arquiteto foi uma iniciativa do IAB-SP, em 1972 presidido pelo Paulo Mendes da Rocha, e do Sindicato dos Arquitetos do Estado de São Paulo (SASP), entidades parceiras em tempos de regime militar que, mesmo com o cerceamento dos direitos, conseguiram se estruturar. O IAB também apoiou a criação da Associação Brasileira de Escolas de Arquitetura (ABEA). As três entidades trabalharam juntas na criação da “política do tripé”: o IAB era responsável pela cultura profissional, a ABEA pela formação, e o SASP pelo cuidado com a profissão”, segundo a arquiteta e urbanista Taiana Car Vidotto, cuja pesquisa de mestrado e doutorado a fez mergulhar nas edições do jornal.

O jornal traduziu toda a efervescência dos anos de 1970: criação de escolas, debate sobre autoria de projetos, a primeira Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, congressos. Wissenbach lembra que foi com a realização do 9º Congresso Brasileiro de Arquitetos que o jornal ganhou representatividade e importância nacional. “Tínhamos uma edição diária do jornal, a redação era dentro do local onde acontecia o congresso”, conta em uma conversa on-line promovida pelo IAB-SP e publicada no canal do Youtube da entidade.

 

 

IMPORTANTES NOMES DA CENA ARQUITETÔNICA

A produção do Jornal Arquiteto sucedeu a de relevantes períodos como a revista Acrópole e Habitat, que no início da década de 1970 já haviam encerrado suas atividades. O jornal também precedeu a de outras importantes publicações como a revista Projeto. 

Ao longo dos anos, a equipe editorial a frente de sua produção contou com importantes nomes para a arquitetura e urbanismo nacionais como Fábio Penteado, Vicente Wissenbach, Sérgio Teperman, Ana Maria Dente, Christina de Castro Mello, Helene Afanasieff, Maria Helena Flynn, Haron Cohen, Teru Tamaki, projeto gráfico de Vivaldo Tsukumo e ilustrações de Francisco Caruso, entre muitas outros colaboradores.

Vicente Wissenbach, jornalista e editor especializado em arquitetura e design, curador e crítico de arquitetura, fundador do Jornal Arquiteto e das revistas Projeto, Design & Interiores e Finestra/Brasil (Foto: Mariana Boro)

Vicente Wissenbach, jornalista e editor especializado em arquitetura e design, curador e crítico de arquitetura, fundador do Jornal Arquiteto e das revistas Projeto, Design & Interiores e Finestra/Brasil (Foto: Mariana Boro)

TRANSIÇÃO PARA A REVISTA PROJETO 

A criação da revista Projeto atendeu o crescente pedido dos profissionais pela publicação de projetos de arquitetura no Jornal Arquiteto, o que não era possível segundo conta Wissenbach. Por isso, no quarto ano do jornal foi lançado a revista Projeto em formato de encarte, que durou nove edições, para a publicação somente de projetos. Para a capa do primeiro número foi escolhida uma obra de arquitetura industrial justamente para mostrar as diferentes áreas de atuação do arquiteto. O encarte passou a ser uma revista e se tornou independente depois do encerramento do contrato com o IAB-SP.

#FICAADICA

O IAB-SP tem realizado uma série de lives que vale a pena assistir, com assuntos diversos. Um dos conteúdos é justamente a história do Jornal Arquiteto com participação de Wissenbach, da arquiteta Taiana Car Vidotto, participação especial da arquiteta, pesquisadora e historiadora Maria Helena Flynn, mediada por Mielnik. 

Acesse aqui.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *