Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Matérias

Igrejas brasileiras: confira 5 com arquitetura inesquecível

25/11/2019

Elaboramos uma lista com as igrejas brasileiras que têm arquitetura memorável e importância histórica. Descubra quais são elas.

Quando falamos em estilos arquitetônicos que são marcantes em nosso país, as igrejas brasileiras logo vêm à mente dos amantes das artes. Afinal, a religiosidade sempre esteve presente na nossa história.

Além disso, a adoração a Deus e a diversidade brasileira foram dois pontos culminantes para que os templos fossem erguidos com características peculiares.

Seria impossível listar todas as igrejas brasileiras com arquitetura marcante. Mas selecionamos algumas para homenagear esses símbolos de fé que fazem parte da cultura do nosso país. Confira!

Igrejas brasileiras: 11 exemplares memoráveis de arquitetura e fé

Imponentes, ecléticas, barrocas ou modernistas, as igrejas brasileiras variam de estilo porque carregam o momento arquitetônico de sua época. Conheça algumas e as coloque na sua lista de pontos turísticos para visitar.

1. Mosteiro de São Bento, no Rio de Janeiro (RJ)

Localizado no centro da cidade do Rio de Janeiro, o Mosteiro de São Bento é um dos principais monumentos do estilo maneirista, que foi trazido pelos colonizadores portugueses.

O estilo maneirista está presente no Mosteiro de São Bento (Foto: Museu do Amanhã)

O estilo maneirista está presente no Mosteiro de São Bento (Foto: Museu do Amanhã)

No mosteiro, o maneirismo tem como características principais as fachadas simétricas e o uso de motivos geométricos. Giorgio Vasari, artista que criou e popularizou o termo “maneirismo”, o utilizava como sinônimo de sofisticação.

A talha dourada é o ponto alto da parte interna do Mosteiro de São Bento (Foto: Wikimedia Commons)

A talha dourada é o ponto alto da parte interna do Mosteiro de São Bento (Foto: Wikimedia Commons)

É isso que podemos ver no Mosteiro de São Bento, que também conta com um interior riquíssimo, totalmente forrado com talha dourada.

2. Catedral da Sé, em São Paulo (SP)

A Catedral da Sé está entre os maiores templos neogóticos do mundo (Foto: Webysther Nunes)

A Catedral da Sé está entre os maiores templos neogóticos do mundo (Foto: Webysther Nunes)

A Catedral Metropolitana de São Paulo ou simplesmente Catedral da Sé fica na Praça da Sé, em São Paulo. Começou a ser construída ainda em 1913, sendo arquitetada com um estilo neogótico.

A Catedral da Sé é uma das igrejas brasileiras em estilo neogótico (Foto: Viagem em pauta)

A Catedral da Sé é uma das igrejas brasileiras em estilo neogótico (Foto: Viagem em pauta)

A cúpula da igreja tem um estilo renascentista, mas isso não impede que ela seja classificada como neogótica, já que ocupa a quarta colocação no ranking de maiores templos com esse estilo. A informação é do próprio site da cidade de São Paulo.

3. Igreja Presbiteriana, em Curitiba (PR)

Em 2015, o arquiteto Eduardo Petry projetou a Igreja Presbiteriana, localizada no bairro Fazendinha, na capital paranaense. Isso mostra que não é só a religião católica que tem belos templos, mas também algumas crenças protestantes.

A sustentabilidade é a peça-chave da Igreja Presbiteriana de Curitiba (Foto: Flash Curitiba)

A sustentabilidade é a peça-chave da Igreja Presbiteriana de Curitiba (Foto: Flash Curitiba)

Em entrevista ao jornal Gazeta do Povo, o arquiteto explica que a igreja foi projetada com design arrojado e novos produtos, que oferecem sustentabilidade e garantem o conforto dos fiéis que frequentam os cultos.

4. Catedral Metropolitana de Nossa Senhora Aparecida, em Brasília (DF)

Assinada pelo grande arquiteto Oscar Niemeyer, a Catedral de Brasília foi inaugurada em 1970 na capital federal. Trata-se de um clássico da arquitetura modernista no Brasil.

Vitrais internos da igreja, que homenageia Nossa Senhora Aparecida, impressionam pela grandiosidade (Foto: Curtamais)

Vitrais internos da igreja, que homenageia Nossa Senhora Aparecida, impressionam pela grandiosidade (Foto: Curtamais)

A igreja, que homenageia a nossa santa padroeira, é composta por 16 pilares de concreto, que formam um hiperboloide. Além disso, ela possui vitrais que permitem entrada da luz do sol.

5. Igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto (MG)

Aleijadinho projetou a Igreja de São Francisco de Assis no estilo barroco (Foto: Pinterest)

Aleijadinho projetou a Igreja de São Francisco de Assis no estilo barroco (Foto: Pinterest)

A Igreja de São Francisco de Assis, que é considerada uma das maiores obras de Aleijadinho, fica em Ouro Preto, Minas Gerais.

Com um estilo barroco, não apresenta nenhum descompasso entre arquitetura e ornamentação.

Por falar em ornamentação, a pedra-sabão é o ponto alto da obra. Púlpitos, portas e lavatórios são todos trabalhados no material, sendo considerados as maiores esculturas desse tipo.

6. Igrejinha da Pampulha, em Belo Horizonte (MG)

Marco do modernismo, a Igrejinha da Pampulha é uma das igrejas brasileiras mais famosas no mundo (Foto: Lucianoaniceto)

Marco do modernismo, a Igrejinha da Pampulha é uma das igrejas brasileiras mais famosas no mundo (Foto: Lucianoaniceto)

Um dos pontos turísticos mais famosos da capital mineira, a Igreja de São Francisco de Assis — conhecida popularmente como Igrejinha da Pampulha — é uma das principais obras de Oscar Niemeyer.

O mais interessante é que o local foge totalmente do padrão das igrejas brasileiras que costumamos ver, principalmente das históricas de Minas Gerais, como as de Ouro Preto, dominadas pelo barroco.

A intenção de Oscar Niemeyer era desafiar a monotonia da arquitetura da época. A igreja fez com que o seu nome ficasse conhecido nacionalmente e se tornou um marco da arquitetura moderna no mundo.

Inaugurada em 1943, a obra foi o último prédio a ser construído no Conjunto Arquitetônico da Pampulha, um grupo de monumentos situados ao redor da lagoa de mesmo nome.

O Conjunto Arquitetônico da Pampulha é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Desde 2016, a Igrejinha da Pampulha é um Patrimônio Cultural da Humanidade.

7. Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, em Salvador (BA)

As fitinhas do Senhor do Bonfim enfeitam as grades da igreja (Foto: Jackson Rapkiewicz)

As fitinhas do Senhor do Bonfim enfeitam as grades da igreja (Foto: Jackson Rapkiewicz)

Localizada na Sagrada Colina da Península de Itapagipe, é na Igreja de Nosso Senhor que você consegue as famosas fitinhas do Bonfim.

A grade do local, aliás, é repleta delas. A tradição, que vem desde o início do século XIX, diz que você deve dar três nós e fazer um pedido para cada um deles. Eles serão realizados quando a fita cair pelo desgaste natural — mas isso pode demorar bastante tempo.

Construída entre 1746 e 1754, a igreja nasceu com o objetivo de abrigar a imagem do Nosso Senhor do Bonfim, padroeiro da Bahia. O edifício colonial mistura o estilo neoclássico com a fachada rococó, com duas torres sineiras laterais.

Já o seu interior tem uma imensa riqueza de detalhes: vários painéis de azulejos na sacristia e um belo afresco no teto.

8. Igreja de Nossa Senhora da Candelária, no Rio de Janeiro (RJ)

Uma das igrejas brasileiras mais famosas, a Candelária é marcada por acontecimentos históricos (Foto: Rodrigo Soldon)

Uma das igrejas brasileiras mais famosas, a Candelária é marcada por acontecimentos históricos (Foto: Rodrigo Soldon)

Localizada no centro do Rio de Janeiro, a Igreja de Nossa Senhora da Candelária ficou marcada principalmente por dois momentos históricos: o comício no movimento das Diretas Já e a chacina da Candelária. Apesar disso, até hoje é um monumento extremamente visitado, além de palco de casamentos da sociedade carioca.

A sua construção começou por volta de 1630, como o cumprimento de uma promessa feita pelo casal espanhol Antônio Martins de Palma e Leonor Gonçalves, após sobreviver a um naufrágio. Mas o prédio que conhecemos hoje foi iniciado em 1775 e só foi terminado em 1898.

O seu estilo arquitetônico é um misto de neoclássico e eclético. O riquíssimo interior é todo revestido com mármores em diversas cores, uma composição das duas últimas décadas do século XIX, com portas feitas em bronze e esculturas em relevo do escultor Teixeira Lopes. As pinturas das naves, da cúpula e do teto do altar-mor, de autoria de Zeferino Costa, são da mesma época.

10. Catedral de Olinda, em Olinda (PE)

A Catedral de Olinda é uma das igrejas brasileiras mais antigas (Foto: Delma Paz)

A Catedral de Olinda é uma das igrejas brasileiras mais antigas (Foto: Delma Paz)

Fundada em 1540, a Catedral de São Salvador do Mundo ou Catedral da Sé de Olinda é a maior igreja quinhentista brasileira, a mais antiga da cidade e a terceira mais antiga do país. A sua fachada tem três blocos principais limitados por duas torres laterais.

O seu interior, dividido em três naves, conta com um clerestório de influência romano-gótica e um teto com 24 painéis de ilustrações do Evangelho, como o desterro de Nossa Senhora e a partida do Egito em direção à Canaã.

11. Catedral São Pedro de Alcântara, em Petrópolis (RJ)

O estilo neogótico é marcante na fachada e no interior da Catedral de Petrópolis (Foto: Wikipédia)

O estilo neogótico é marcante na fachada e no interior da Catedral de Petrópolis (Foto: Wikipédia)

A Igreja Matriz de Petrópolis começou a ser construída em 1884, mas foi finalizada apenas em 1969. O estilo neogótico é marcante em todas as suas características, como a cruz latina, os arcos interiores apontados para cima, os vitrais e o mausoléu.

E por falar nisso, o Mausoléu Imperial é um dos grandes atrativos da catedral. Nele, há um sarcófago duplo com os restos mortais do imperador D. Pedro II e da imperatriz D. Teresa Cristina.

11. Igreja Matriz de Nossa Senhora de Lourdes, em Canela (RS)

A Igreja Matriz de Canela é um dos principais pontos turísticos da Serra Gaúcha (Foto: Tiago Fioreze)

A Igreja Matriz de Canela é um dos principais pontos turísticos da Serra Gaúcha (Foto: Tiago Fioreze)

Apesar de ser conhecida como Catedral de Pedra, a Igreja Matriz de Canela não é uma catedral, e sim uma paróquia pertencente à Diocese de Novo Hamburgo. Com estilo gótico inglês, é uma das grandes atrações da Serra Gaúcha.

O estilo gótico é marcado por suas torres altíssimas — a da matriz tem 65 metros de altura, além de um carrilhão de 12 sinos de bronze fabricados na Itália.

O seu interior conta com três painéis, que retratam a Aparição de Nossa Senhora, a Alegoria dos Anjos e a Anunciação. Já no altar, há um quadro da Santa Ceia esculpido especialmente para complementá-lo.

No lado de fora, há um sistema de luzes que, todas as noites, faz um show colorido para moradores e visitantes.

Conhecer a arquitetura das igrejas brasileiras é mergulhar em uma aula de história da arte. Afinal, são encontrados os principais estilos arquitetônicos nessas construções. Não há como negar, independentemente de religião, que essas obras são grandes fontes de inspiração.

Viu como as igrejas brasileiras têm uma arquitetura riquíssima? Para continuar na inspiração eclesiástica, vamos até a Espanha conhecer a Iglesia de Iesu!

Foto de destaque: Assinada por Oscar Niemeyer, a Catedral de Brasília é um clássico da arquitetura modernista (Foto: Florian Knorn)

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *