Menu
Projetos e Obras
Busca

Portobello Matérias

Grupo de arquitetos em busca de mais inspirações pelas cidades italianas

26/09/2019

Sabemos que a arte está intrinsecamente relacionada ao universo da arquitetura e do design. Assim, a Bienal de Veneza não poderia deixar de ser destino de nossos arquitetos parceiros, para aguçar novos olhares em busca de mais inspirações; acompanhe!

Nosso grupo de arquitetos parceiros, integrantes do programa Portobello+arquitetura, agora deixa a feira de revestimentos Cersaie, em Bolonha, e parte para a outra linda cidade italiana, Veneza, em busca de novas referências na Bienal de Arte. E hoje, mais uma vez, “o céu está tão lindo”. Clima ideal para os arquitetos – em total sintonia e olhares apurados! -, aproveitarem o que há de melhor do evento e, inclusive, dessa cidade que por si só é um palco e tanto para novas inspirações.

Grupo de arquitetos da Portobello+arquitetura: Clay Rodrigues,  Patrícia Furukawa, Sandra Moura, Natássia Cruz, e Márcia Carvalhaes (não participou desta foto)

“Até então eu não conhecia a Bienal. Muito feliz em estar nessa cidade lendária, histórica. A gente entende a arte como uma expressão do momento em que o artista ou que a sociedade está vivendo. É um prazer enorme estar aqui porque tudo o que vi hoje vai me influenciar e endossar ainda mais o meu trabalho” , afirma Natássia Cruz.

Sandra Moura ficou impressionada com a explosão artística de fotografias e vídeos apresentados no Pavilhão do Brasil, criada pelos mineiros Bárbara Wagner e Benjamin de Burca. “Os artistas conseguiram retratar na exposição fotográfica um pouco da população marginalizada brasileira, dos mais jovens, dos negros, travestis e prostitutas. E no filme, exibiram uma performance fantástica com sincronia de movimentos chamada “swingueira”. Isso faz com essa população esquecida seja lembrada de alguma maneira, mostrando para o mundo um trabalho artístico real e verdadeiro”, aponta.

Sandra Moura se encanta com as belezas de Veneza

Sandra Moura se encanta com as belezas de Veneza

Para  Patrícia Furukawa, o mais interessante da Bienal é que além de ela ser um complexo de arte, é uma inspiração tanto nas exposições quanto nas estruturas do local. “O pavilhão dos países nórdicos, por exemplo, é todo em concreto, com grandes folhas de vidro e madeira, deixando a passagem do térreo livre, com estruturas metálicas aparentes e grandes pilares triangulares”, conta.

Quer conferir esse local que inspirou Patrícia? Veja no vídeo abaixo!


Para quem ainda não conhece, a 
Bienal de Veneza é um evento de relevância artística para o mundo inteiro. Foi fundada em 1895 e é considerada uma das instituições culturais mais famosas e prestigiadas. Desde 2008, é presidido por Paolo Baratta. Na divulgação de novas tendências artísticas contemporâneas, a Bienal se exibe em todos os seus setores – arte, arquitetura, cinema, dança, música, teatro – em atividades de exposição, performance, pesquisa e treinamento.

Entrada do Pavilhão do Brasil, na Bienal de Veneza

Entrada do Pavilhão do Brasil, na Bienal de Veneza

Os clássicos revestimentos de Veneza também serviram de inspiração

Os clássicos ladrilhos de Veneza também serviram de inspiração

Arquitetos juntos ao Nicésio Junior, da Portobello Shop de Balneário Camboriú

Arquitetos juntos ao Nicésio Junior (segundo da esquerda), da Portobello Shop de Balneário Camboriú

Amanhã a cobertura do Archtrends continua!

Não deixe de conferir, também, como foi a cobertura exclusiva do grupo da Portobello na Cersaie!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *