Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Arquitetura

Fotografia para arquitetura: o que é preciso para encantar o consumidor?

16/04/2018

Muito mais do que captar boas imagens, conhecer as melhores estratégias para despertar a atenção do cliente com o seu trabalho é fundamental. Veja, a seguir, a relevância dessa prática e fique de olho nas dicas de ouro que selecionamos!

Na era digital, uma imagem diz muito sobre um produto, seja ele de qualquer segmento. É preciso ter em mente que a fotografia é uma das principais portas de entrada para que pessoas criem interesse no seu trabalho e sintam vontade de entrar em contato com você.

É necessário, então, ficar por dentro das principais técnicas da fotografia para arquitetura e estar pronto para engajar e atrair ainda mais clientes.

Quer saber como isso pode ser feito? Neste texto, vamos ensinar tudo o que você precisa saber.

Entenda o impacto de uma má fotografia

Inicialmente, é preciso lembrar a importância da fotografia para arquitetura. Desde um arquiteto iniciante até uma pessoa que tem 20 anos de mercado, todos devem se fazer a mesma pergunta: qual impressão eu quero passar para o meu cliente? Temos certeza de que a resposta passará perto de: qualidade e excelência do serviço, além de inovação e destaque em meio a inúmeros outros profissionais da área.

As fotografias funcionam justamente como uma maneira de retratar seu estilo, e elas podem ser fiéis ou não, dependendo da qualidade da imagem. Por que não se esforçar ao máximo para que seu cliente tenha uma visão realista do seu trabalho e acredite de verdade nele?

Uma foto malfeita pode afastar clientes, além de passar a impressão de “amadorismo”. É natural que uma pessoa não confie em um profissional que não apresenta bem o seu trabalho. Afinal, quem garante que o projeto é realmente bom?

Estude o assunto

Agora que você sabe um pouco da importância da fotografia para arquitetos, tenha em mente que ela deve ser feita com muita dedicação e responsabilidade. A imagem deve representar o projeto com a maior fidelidade possível. Ou seja, se a foto não sair legal, a impressão das pessoas será de que o seu trabalho não é tão bom assim.

Não adianta ter um ótimo aparelho se você não sabe como usá-lo. Por mais que as câmeras profissionais e até os smartphones do mercado tenham uma qualidade incrível de imagem, é preciso entender e dominar todos os recursos. E quer maneira melhor de aprender do que ler sobre o assunto?

Pesquisar nunca é demais. Existem cursos, tutoriais e artigos, como o nosso, que dão dicas e até ensinam a tirar fotografias dignas de um profissional. Em outras palavras, é possível aprender sem gastar muito dinheiro.

Mesmo que a sua preferência seja contratar um profissional especializado — que é outra opção viável —, é necessário aprender pelo menos o básico para entender de verdade o que está pedindo e ser capaz de avaliar o resultado.

Saiba valorizar os ambientes

O enquadramento é um conceito fundamental. A fotografia para arquitetura que estamos falando hoje, ou seja, aquela focada na divulgação e criação de um portfólio, tem um teor profissional. Sabendo disso, imagens com muito zoom ou fragmentos não são indicadas.

Tenha em mente que você precisa captar o seu projeto de forma simples e objetiva. Ao registrar uma sala de estar, por exemplo, enquadre a câmera para que ela retrate o cômodo de forma ampla e geral. Evite fotografar a área do sofá, depois o móvel da televisão, depois a cortina e assim por diante.

Pense no projeto como um todo e, por fim, se existir algum elemento digno de destaque, volte a ele depois. Não se preocupe: uma boa fotografia pode ressaltar os principais detalhes e pontos fortes do ambiente sem a necessidade de dar zoom ou tirar vários cliques separados.

Uma boa dica para enquadrar é a seguinte: pense naquilo que realmente precisa ser mostrado e o que pode ser deixado de lado. Exibir grandes superfícies vazias de paredes, pisos e tetos costuma prejudicar a qualidade da imagem, a não ser que o revestimento mereça destaque.

Tome cuidado com a luz

A luminosidade é a essência da fotografia, como o próprio nome diz. Insistir no momento errado de iluminação pode estragar a imagem, por mais que ela tenha ficado linda em outros aspectos.

O ideal é utilizar o máximo possível de luz natural. Isso é muito bom, pois o cliente, além de visualizar o seu projeto, terá uma visão mais aconchegante e real do produto final. Tome cuidado, porém, com momentos do dia em que o sol está forte: ele pode deixar o visual “estourado” e estragar tudo. Preste atenção no equilíbrio entre a luz que vem de fora e a do espaço interno, para que uma não ofusque a outra.

Mas também é interessante registrar o mesmo ambiente em vários horários diferentes. Isso faz com que as pessoas tenham uma noção de como aquele lugar fica durante a manhã, a tarde e a noite, por exemplo.

Tome cuidado, também, com a previsão do tempo. Se o dia prometer chuva, saiba que a luminosidade pode ficar comprometida. É sempre bom se planejar.

Por fim, fique de olho nos materiais e texturas do cômodo em questão. Alguns podem reagir de maneira diferente à luminosidade da imagem dependendo da hora do dia. Nesse caso, será necessário analisar o momento ideal de fazer o clique.

Tenha um bom equipamento em mãos

Ainda que smartphones tenham atualmente uma qualidade incrível de imagem, a fotografia profissional demanda alguns equipamentos mais avançados. Isso não acontece apenas em razão da qualidade, mas também por causa de algumas ferramentas que só uma câmera vai ter.

Foco, profundidade de campo, lente, resposta às condições externas, controle de abertura do obturador e a velocidade de exposição são alguns dos recursos que uma boa câmera disponibiliza, mesmo que seja semiprofissional. Eles farão toda a diferença na fotografia para arquitetura, então vale muito a pena investir em um equipamento apropriado.

Além disso, existem produtos complementares que devem ser adquiridos. O tripé talvez seja o principal deles, já que é o responsável por deixar a imagem focada e sem tremores.

É interessante também comprar pelo menos mais um tipo de lente que atenda alguma necessidade específica (existem vários modelos no mercado), além de aparatos de luz. Afinal, não dá para confiar sempre na luminosidade natural e, em vários casos, a fotografia pode ficar prejudicada caso você não tenha painéis ou rebatedores, por exemplo.

Mesmo que o investimento valha a pena, sempre existe a possibilidade de contratar profissionais especializados na área. É só pensar no que funcionará melhor para você e colocar a mão na massa.

Acompanhe outros arquitetos para se inspirar

Inspiração é fundamental para aprimorar suas habilidades e criatividade. Ao entrar em contato com imagens de outros arquitetos, você terá uma noção das tendências atuais em relação à fotografia, conhecerá novos ângulos, descobrirá dicas e ainda terá a possibilidade de trocar ideias com outras pessoas que têm a mesma realidade da sua.

No Archtrends Portobello, por exemplo, é possível entrar em contato com centenas de projetos de arquitetos ao redor de todo o Brasil. Essa troca de conhecimento é uma ajuda e tanto para que a sua fotografia fique melhor e mais profissional a cada dia!

E aí, conseguiu entender um pouco sobre a prática da fotografia para arquitetura? Depois de compreender esses conceitos básicos, venha ver que uma imagem também pode ser um ótimo objeto decorativo.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *