Menu
Projetos e Obras
Busca
fachadas modernas

Conteúdo Matérias

Destaque seu projeto com fachadas modernas e encante o cliente

13/04/2018

A parte externa de qualquer construção é a primeira a encher os olhos de qualquer pessoa, certo? Veja, no nosso post de hoje, como usar a criatividade para arrasar na projeção de fachadas apaixonantes!

fachada é a primeira impressão que temos de uma edificação, seja ela residencial ou comercial. É esse elemento que “dá o tom” da construção e instiga a curiosidade sobre seu interior, além de fornecer uma boa noção da qualidade do trabalho do arquiteto.

Portanto, é necessário soltar a criatividade para projetar fachadas modernas e, de fato, encantadoras. Com elas, você estará pronto para surpreender e conquistar o cliente. Quer saber como isso pode ser feito? Não saia daí!

O estilo de decoração

Engana-se quem pensa que um projeto moderno é apenas aquele que se encaixa no movimento modernista. Atualmente, é possível mesclar inúmeros estilos (até mesmo os mais tradicionais) e, com uma nova roupagem, transformá-los.

Existem algumas tendências de decoração que são base para a produção dessas fachadas, e é preciso entender a definição de cada uma delas para desenvolver projetos inovadores com total liberdade e originalidade.

O conceito de vanguarda

O movimento vanguardista foi um dos agentes que permitiram o desenvolvimento e a disseminação das vertentes modernas. A partir do conceito de vanguarda, profissionais foram influenciados a “pensar fora da caixa”, o que fez com que pessoas de diversas áreas além da arquitetura e do urbanismo (como as artes plásticas, a literatura e a moda) pudessem se expressar fora dos padrões estabelecidos na época.

Sua definição vem do francês “avant-garde” que, traduzido para o português, significa algo como “guarda avançada”. Ela faz referência aos soldados do exército que estavam à frente dos demais, ou seja, que trilhavam o caminho antes de todo o resto da tropa.

A metáfora, quando trazida para a realidade das artes — que inclui a arquitetura —, diz que a vanguarda é justamente um movimento no qual os seus participantes visam quebrar padrões da sociedade, experimentar e ousar com novas ideias e explorar áreas incomuns.

Não é difícil associar a ideia de vanguarda aos estilos arquitetônicos modernos. Eles, em sua maioria, são caracterizados por formas inusitadas e inovadoras e pela quebra de tradição.

Modernismo, futurismo e minimalismo

As três vertentes de arquitetura que vamos apresentar agora são baseadas no movimento de vanguarda. Cada uma tem suas particularidades, mas todas fazem parte de um mesmo nicho.

modernismo e o futurismo vieram primeiro. No século XX, principalmente do início até a metade, a arquitetura era muito conservadora e não havia tanta liberdade para ousar nas formas. Isso mudou com a chegada de grandes ícones que não hesitaram em apresentar ao mundo uma nova maneira de construir.

Depois veio o minimalismo, que pode ser considerado um “braço” das duas escolas. Ele é um movimento que surgiu a partir de uma das características de ambas, que é o uso de pouca decoração, porém, que seja funcional e necessária para uma boa qualidade de vida.

Aplicações na prática

Agora que você já conhece os principais pilares e ideais dos estilos que compõem a produção de fachadas modernas, é hora de descobrir quais são as características fundamentais que vão garantir o sucesso do seu projeto. São elas:

  • traços retilíneos e geométricos;
  • uso de janelas grandes, já que a iluminação natural é sempre priorizada;
  • telhado não aparente;
  • variação entre o tamanho dos pés-direitos;
  • quando o projeto não for de apartamentos, priorize casas com mais de um andar, e faça uma espécie de “brincadeira” entre as suas formas;
  • contraste entre cores claras e escuras. De preferência, elas devem seguir uma paleta sóbria — com cinza, marrom, branco ou off-white, por exemplo. Quando existe a vontade de usar qualquer outra tonalidade, é simples: escolha uma variação fechada dela;
  • uso de revestimentos para destacar alguma parte da fachada;
  • ainda que os estilos foquem na estratégia “menos é mais”, as fachadas são bem grandiosas. Isso é feito por meio das janelas, que já citamos, mas também de portas, pilastras, escadas e da garagem, por exemplo;
  • composição de jardins que, em sua maioria, conta com pelo menos uma planta de porte alto ou muito alto.

A escolha dos revestimentos

Os revestimentos devem ser escolhidos com inteligência. Caso contrário, a decoração pode fugir do conceito inicial e se transformar em algo completamente diferente do proposto.

No caso de fachadas modernas, existem alguns revestimentos ideais como a madeira. É fácil perceber isso ao pesquisar outros projetos que seguem o mesmo estilo: quase todos terão pelo menos um detalhe nesse material.

Além das portas, é possível inovar de outras formas com o revestimento, que existe também na alternativa de porcelanato (que é mais barata, sustentável e de fácil manutenção). Uma tendência muito interessante que cresce no mercado é a aplicação da madeira no teto. Já pensou em colocá-la na varanda? O resultado é muito bonito e cumpre com louvor aquele objetivo de realizar contrastes.

Pedras também funcionam, desde que lisas e com um ar sofisticado, e o mármore é a primeira opção que vem à mente. Seu preço, porém, é elevado, então o porcelanato entra novamente como uma boa sugestão.

O cimento queimado é outra tendência que ganhou o mundo da decoração e chegou para ficar. Lembre-se, apenas, de que todas as alternativas de revestimento citadas acima devem ser aplicadas com o objetivo de obter detalhe e contraste.

Inovação como aliada inteligente

É preciso pensar em tendências que não inovem apenas no quesito estético, mas que também cumpram uma responsabilidade maior: a sustentabilidade.

Jardins verticais são ótimas soluções para economizar espaço em imóveis que são cada vez menores e, em consequência disso, perdem área verde e poluem mais o ambiente.

Não se preocupe: não é preciso fazer grandes mudanças no projeto para que os jardins sejam incorporados. As varandas são ótimas opções para aplicá-los, tanto na parede quanto no parapeito, que pode abrigar um minijardim com espécies de cactos e suculentas.

Além disso, eles vão atender também aos desejos estéticos do cliente. Lembra de quando falamos sobre a aplicação de revestimentos como forma de contraste e atenção para uma parte do projeto? Você pode substitui-los por áreas de jardins verticais na parede exterior da casa.

Complete a composição com uma estrutura de madeira que ficará por trás das plantinhas que, além de servir de sustentação para a folhagem, dá um belo toque estético.

E então, está pronto para se aventurar nas fachadas modernas? Se gostou do nosso conteúdo, não deixe de curtir a página da Portobello no Facebook! Acesse www.portobelloshop.com.br e conheça a coleção!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *