Menu
Projetos e Obras
Busca

A Pinacoteca do Estado de São Paulo é um exemplo de arquitetura com estilo neoclássico (Foto: Wilfredor)

Conteúdo Matérias

Estilo neoclássico: opulência e austeridade na arquitetura

16/11/2020

O estilo neoclássico surgiu para fazer frente ao barroco e ao rococó. Mas até hoje serve como inspiração para os arquitetos. Saiba mais!

Para quem busca opulência e austeridade na arquitetura e no design de interiores, conhecer mais sobre o estilo neoclássico é quase uma obrigação. Afinal, é isso que o período neoclassicista representa, o que fez com que ele deixasse sua marca na história.

O neoclássico é um estilo que se inspira em estruturas da arquitetura greco-romana, sendo esse um dos principais fatores que fazem com que ele seja visto como opulente e austero. Continue a leitura para saber mais a respeito e ter uma melhor compreensão sobre o assunto!

A origem do estilo neoclássico

Estilo neoclássico
Alexander Pope foi um grande escritor que influenciou o estilo neoclássico (Pintura: Mikael Dahl)

O neoclassicismo foi um período artístico e literário que surgiu nos meados do século XVIII, sendo uma oposição ao barroco e ao rococó.

Os elementos da arquitetura greco-romana, como comentamos, serviram de inspiração. O auge do estilo foi até o século XIX, servindo como guia para as obras arquitetônicas e os demais movimentos artísticos da época.

Na literatura, por exemplo, o movimento neoclassicista se viu muito impulsionado pelo iluminismo, emulando os valores dos autores gregos e romanos. O escritor Alexander Pope foi um dos grandes nomes do cenário literário da época.

Pope escreveu obras como O estupro da fechadura e Um ensaio sobre críticas, além de ter traduzido a Ilíada de Homero. Tais obras representam bem o movimento cultural da época e servem também para nortear a arquitetura.

Isso porque foi a literatura neoclássica que influenciou outros movimentos e artes, tais como a pintura, a música, a moda e, é claro, a arquitetura. Outros autores que retratam bem o gênero em suas obras são Jean-Baptiste Poquelin, Jonathan Swift e Daniel Defoe.

O estilo neoclássico na arquitetura também foi influenciado por conta do maior interesse dos intelectuais da época em obras do passado. O descobrimento das cidades de Pompeia e Herculano, que foram preservadas após a erupção do Vulcão Vesúvio, contribuiu muito para isso.

Na época da descoberta das cidades, foram encontrados diversos painéis, murais e objetos antigos, que haviam sido preservados. Esses itens contribuíram para um desejo de resgate da cultura antiga, mas imprimindo um estilo novo, ou seja, com mesclas da contemporaneidade da época.

Principais características e expoentes do estilo neoclássico

Estilo neoclássico
Exemplos do estilo neoclássico podem ser vistos em projetos como a Academia Imperial de Belas Artes, no Rio de Janeiro (Foto: Rodrigo Soldon)

Na arquitetura, conforme explicamos, as principais características e expoentes são originários do estilo greco-romano. Entre os principais pontos, podemos citar:

  • o uso das ordens Coríntia, Dórica e Jônica, as três principais da arquitetura da antiguidade;
  • presença dos materiais nobres, como pedra, mármore, granito e madeira nas construções;
  • as plantas retangulares, geométricas e simétricas;
  • volumes corpóreos maciços e bem definidos;
  • sistemas construtivos mais simples de usar;
  • formas regulares, geométricas e simétricas;
  • uso de processos técnicos avançados;
  • uso de abóbada de berço ou aresta;
  • o uso da proporção e da simetria;
  • presença de linhas ortogonais;
  • frontões triangulares;
  • uso de cúpulas.

Todos esses elementos faziam frente aos movimentos barroco e rococó, que passaram a ser vistos como muito exagerados e rebuscados. Novas correntes surgiram a partir disso, como o neogótico, o neorenascimento, o neoromânico e o neobarroco.

Obras famosas com o estilo neoclássico

No período em que perdurou, várias obras arquitetônicas foram desenvolvidas com o estilo neoclássico por todo o mundo. Muitas delas servem como referência para os arquitetos até hoje. Veja, a seguir, algumas das mais famosas.

Igreja de la Madeleine

Estilo neoclássico
A Igreja de la Madeleine é um exemplar do estilo neoclássico em Paris (Foto: Pixabay)

Situada perto da Praça da Concórdia, em Paris, a Igreja de la Madeleine foi construída no ano de 1764 por Contant d’Ivry. A obra é famosa por carregar o estilo neoclássico, sendo bastante similar aos templos gregos.

O edifício é formado por 52 colunas coríntias que têm 20 m de altura. Como você pode observar pela foto acima, ela tem um extenso frontão, que apresenta uma representação em alto-relevo do Juízo Final.

Museu Britânico

Estilo neoclássico
O Museu Britânico é conhecido por ser um exemplar do estilo neoclássico na Inglaterra (Foto: Ham)

Na Inglaterra, o estilo neoclássico pode ser visto no famoso Museu Britânico. Toda a obra representa a sociedade inglesa vitoriana, bem como o pensamento político e científico do período neoclassicista.

Desde que foi inaugurado, em 1759, o Museu Britânico recebe milhares de visitantes e também se viu envolto em polêmicas.

Isso porque, no interior da edificação, há peças do Partenon que, segundo o governo grego, foram roubadas pelos ingleses. Inclusive, existe um movimento para recuperar essas obras para a Grécia.

Basílica de São Francisco de Paula

Estilo neoclássico
As colunas da Basílica de São Francisco de Paula caracterizam o estilo neoclássico (Foto: Wikimedia Commons)

Na Itália, uma das principais representações do estilo neoclássico é a Basílica de São Francisco de Paula. Ela fica no lado oeste da Praça do Plebiscito, que é uma das principais da cidade de Nápoles.

As seis colunas e os dois pilares jônicos que a igreja possui são característicos da época neoclassicista.

O planejamento da obra, que foi inaugurada em 1816, foi realizado pelo rei Joachim Murat de Nápoles, que era cunhado de Napoleão.

Palácio Nacional da Ajuda

Estilo neoclássico
As joias da coroa portuguesa serão guardadas no Palácio Nacional da Ajuda, que é um exemplo do neoclássico em Portugal (Foto: jad99)

Portugal também é um país com muitas obras construídas com o estilo neoclássico. Entre elas, destacamos o Palácio Nacional da Ajuda, um monumento nacional português situado em Lisboa.

A construção teve início em 1795 e funcionou como Paço Real para o rei D. Luis I. As esculturas denotam o movimento neoclássico, com suas características marcantes, como as colunas e os volumes maciços.

Em 2018, o palácio passou por reformas, para que possa abrigar as joias da coroa portuguesa.

Casa Rosada

Estilo neoclássico
A sede do governo argentino também tem referências neoclassicistas (Foto: Lars Curfs)

Sede do governo argentino, a Casa Rosada é um exemplo da arquitetura neoclássica na América do Sul. Isso demonstra como o movimento não ficou restrito à Europa. 

A construção se iniciou em 1882, época em que a cultura neoclássica dominava as construções. As cúpulas da edificação, por exemplo, estão entre os elementos que denotam esse estilo.

Mercado Público de Porto Alegre

Estilo neoclássico
O Mercado Público de Porto Alegre tem referências do estilo neoclássico em sua fachada (Foto: Ricardo André Frantz

No Brasil, também é possível encontrar diversos exemplos de obras com referências neoclássicas. Entre elas está o Mercado Público de Porto Alegre, localizado no Centro Histórico da capital gaúcha.

Inaugurado em 1869, o complexo tinha o objetivo de reunir em um só local todo o comércio da cidade. Os elementos do estilo neoclássico são evidentes na fachada, tendo formas simétricas muito bem definidas.

A aplicação do estilo neoclássico na arquitetura contemporânea

contemporâneo
Na contemporaneidade, os elementos do estilo neoclássico servem para dar sofisticação aos projetos (Projeto: Isabella Rebello)

Embora diversos outros estilos arquitetônicos tenham surgido no decorrer dos anos, o neoclássico ainda tem muitos amantes e adeptos. É bastante comum ele ser escolhido por arquitetos que desejam dar um ar mais sofisticado aos seus projetos.

Nas fachadas de casas e edificações, além das colunas, é possível brincar com detalhes rebuscados e aplicações. Na atualidade, muito do que se aplica é o chamado estilo provençal, que teve origem na Europa, quando os camponeses tentavam imitar as edificações na nobreza em suas residências.

colunas
O uso de colunas é uma boa forma de trazer o estilo neoclássico para a decoração dos ambientes (Projeto: Melissa de Castro Lopes)

O estilo neoclássico também pode ser desenvolvido no design de interiores. Exemplo disso pode ser visto na utilização de colunas em halls de entrada, nas cúpulas formadas por lustres ou lâmpadas e na própria pintura.

Em resumo, para aplicar o estilo neoclássico, alguns aspectos precisam ser adotados. São eles:

  • linhas: as linhas dos projetos no estilo neoclássico são arredondadas e retas, complementando umas às outras;
  • objetos: itens de porcelana, esculturas em mármore e quadros com molduras de madeira são muito comuns;
  • móveis: a mobília costuma ser requintada, com gaveteiros, cristaleiras e móveis antigos de madeira;
  • materiais: a madeira, o mármore e o granito são muito presentes nesse tipo de decoração;
  • cores: o estilo neoclássico aposta em cores neutras e tons pastel;
  • iluminação: as cores claras e a luz natural marcam o estilo.

O estilo neoclássico é muito inspirador, concorda? Você pode buscar referências nesse sentido e dar um toque de elegância nas suas obras.

No Brasil, o estilo neoclássico também pode ser visto em algumas obras de São Paulo, como a Pinacoteca. Saiba mais em nosso artigo com lugares incríveis da capital paulista.

Foto de destaque: A Pinacoteca do Estado de São Paulo é um exemplo de arquitetura com estilo neoclássico (Foto: Wilfredor)

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *