Menu
Projetos e Obras
Busca

A eflorescência é uma patologia que pode acometer superfícies de concreto e também revestimentos cerâmicos (Foto: Frank Vincentz)

Conteúdo Matérias

6 perguntas e respostas importantes sobre eflorescência

13/10/2021

Entenda o que é a eflorescência, como ela surge e como lidar com esse problema nos revestimentos cerâmicos!

As manchas brancas que surgem nos revestimentos cerâmicos, na alvenaria e no concreto, entre outros materiais, são conhecidas como eflorescência. 

Nos revestimentos cerâmicos, como o porcelanato, esse fenômeno pode acontecer em qualquer estágio do assentamento. 

A eflorescência não oferece riscos, mas traz um efeito estético pouco agradável. Quer entender melhor? Siga a leitura! 

1. O que é a eflorescência? 

É uma espécie de mancha branca que surge em revestimentos cerâmicos e outras superfícies que tenham cimento.

O agente causador da situação é o carbonato de cálcio — que, no caso dos revestimentos, está presente na base de assentamento (emboço ou contrapiso), nas argamassas colantes e no rejuntamento. 

O fenômeno só acontece caso existam alguns fatores a agir de maneira simultânea: a água, o gradiente hidráulico e os sais solúveis.  

Quando na presença de umidade, o carbonato de cálcio é levado até a superfície do revestimento pela água e, ao entrar em contato com o ar, ele cristaliza.

Assim, quando a umidade evapora, resta apenas o esbranquiçado da eflorescência. 

2. Quais são as causas? 

São muitas as causas da eflorescência. A presença de água é uma das mais comuns, pois acelera o processo. 

Materiais com alto teor de sais solúveis ou excesso de água 

O próprio material usado nas edificações, quando conta com um alto teor de sais solúveis, pode contribuir para a eflorescência. 

Ela também pode ocorrer quando essas matérias-primas são preparadas com excesso de água. Nesses casos, há mais facilidade no transporte de sais até a superfície. 

Ambiente muito abafado e úmido 

Se o local do assentamento for bastante úmido, o problema também pode aparecer em algum momento.

Isso porque a temperatura funciona como um catalisador, fornecendo energia em forma de calor e fazendo com que as reações químicas aconteçam mais rapidamente. 

Areia com impurezas 

A areia usada no preparo do concreto precisa ser comprada com muito cuidado. Afinal, se apresentar impurezas, a mistura pode não ficar suficientemente densa. 

Isso significará um material mais poroso que o ideal, que favorece a infiltração de água e as reações químicas causadoras da eflorescência. 

Rejunte com fissuras 

As fissuras no rejunte funcionam da mesma forma que a areia impura: permitem a passagem de água, de modo a favorecer a reação química causadora da mancha. 

Juntas de dilatação com falhas 

As falhas na selagem das juntas de dilatação ou as selagens comprometidas devido à falta de manutenção podem favorecer o surgimento de infiltrações e causar o problema. 

Essas são as causas mais comuns, embora existam várias outras.

De qualquer forma, o importante é evitar que a superfície tenha contato com a água, pois esse é um dos fatores determinantes para o aparecimento da patologia. 

Enquanto a passagem de água não for cessada, as eflorescências continuarão a surgir.

São muitas as causas da eflorescência, que, embora não traga riscos ao revestimento, deixa o local com uma aparência pouco agradável
São muitas as causas da eflorescência, que, embora não traga riscos ao revestimento, deixa o local com uma aparência pouco agradável

3. Quais são os materiais mais suscetíveis a esse fenômeno? 

A eflorescência pode aparecer em materiais porosos, como os revestimentos cerâmicos e também a argamassa, a pedra, a alvenaria, o concreto e o tijolo. 

Ela acontece apenas quando a água se infiltra no material — que pode ser tanto a usada na construção quanto a vinda de alguma infiltração. Em contato com o ar, as reações químicas começam a acontecer. 

Portanto, se não há água disponível, os sais não serão capazes de se dissolver e a eflorescência não acontecerá.

A eflorescência pode estar presente em revestimentos de pisos e paredes, incluindo fachadas e até mesmo piscinas. 

A pintura também pode sofrer com o problema, que normalmente é causado pela aplicação de tinta na superfície úmida ou sobre reboco não curado. 

Contudo, mesmo após a cura do reboco a eflorescência pode aparecer, caso haja alguma infiltração ou algum vazamento na parede. 

4. Há algum risco? 

Não. A eflorescência não causa nenhum risco aos revestimentos cerâmicos. Também não é uma deficiência do porcelanato, nem da argamassa ou do rejuntamento.

Trata-se de um fenômeno que pode acontecer em qualquer ambiente que tenha cimento (carbonato de cálcio) e água. 

Apesar de não oferecer nenhum risco, há a dimensão estética, que fica deficiente a ponto de incomodar os usuários de um espaço.

A eflorescência pode aparecer em fachadas, pisos, paredes e tetos, além de várias superfícies e materiais, como tijolos e pedras
A eflorescência pode aparecer em fachadas, pisos, paredes e tetos, além de várias superfícies e materiais, como tijolos e pedras (Foto: Frank Vincentz

5. Como limpar? 

A simples lavagem com água pode limpar a eflorescência quando a composição dela for solúvel. 

Para complementar, é possível usar uma lavadora de alta pressão. Nesse caso, o jato deve ter abertura mínima de 40 graus, em forma de leque. 

Contudo, dependendo das condições ambientais, o problema tende a voltar com o tempo. Por outro lado, se não houver água entrando no sistema, os sais devem ser eliminados e acabar desaparecendo. 

Nas pequenas eflorescências, você poderá usar o vinagre branco. 

Eflorescência insolúvel 

Nos casos de eflorescência insolúvel, é preciso fazer uma limpeza diferenciada, com produtos específicos. 

Umedeça a área com eflorescência usando água limpa e, depois, aplique saponáceo cremoso com uma esponja. 

Esfregue até que as manchas brancas desapareçam. Se quiser acelerar o processo, use uma escova com cerdas de nylon. 

Caso o problema continue após esse procedimento, você poderá usar o Cleanmax Multipisos, da Portokoll. Inicie com uma concentração de 1:15 (1 parte do produto para 15 de água). 

Em casos ainda mais persistentes, é possível utilizar concentrações como 1:10 ou 1:5. 

Aplique essa solução diluída na superfície úmida com uma esponja. Esfregue até a eflorescência desaparecer. 

Por fim, deixe o produto agir por mais ou menos 10 minutos, esfregue de novo e enxágue com bastante água. 

Cuidados 

Na hora de fazer a limpeza, é importante tomar algumas precauções, de modo a evitar manchas ou causar mais danos ao seu porcelanato, como:

  • não usar produtos com ácido fluorídrico ou muriático na composição, pois eles causam ataque químico nos revestimentos cerâmicos;
  • sempre fazer a limpeza da eflorescência de grandes áreas com uma equipe especializada; 
  • não fazer a higienização quando a superfície estiver exposta diretamente ao sol; 
  • usar os produtos sempre diluídos em água. 
Até mesmo a pintura pode sofrer com a eflorescência. Isso se deve à aplicação de tinta sobre o reboco não curado ou em superfícies úmidas
Até mesmo a pintura pode sofrer com a eflorescência. Isso se deve à aplicação de tinta sobre o reboco não curado ou em superfícies úmidas (Foto: Reke

6. Como evitar? 

A boa notícia é que você pode evitar que a eflorescência apareça! Para isso, é fundamental seguir alguns cuidados básicos, tanto na especificação quanto na execução da obra. 

Use produtos de qualidade 

Materiais de qualidade são grandes aliados contra a eflorescência, porque eles são isentos de umidade residual. 

Portanto, sempre busque opções de marcas conhecidas e confiáveis no mercado — como a Portobello, no caso dos porcelanatos.

Evite o uso de materiais com teor elevado de sais solúveis 

Existem alguns materiais que possuem baixo teor de hidróxido de cálcio, como é o caso dos cimentos CPIII e CPIV. Com eles, você reduz as chances de a eflorescência acontecer. 

Respeite os prazos de execução das etapas da obra 

Esse é um ponto muito importante, porque garantirá que os materiais não sejam porosos e permeáveis à água. 

Por exemplo, quando a cura do concreto é feita de maneira correta e dentro do prazo estabelecido, dificulta a passagem de água e, consequentemente, o transporte dos sais solúveis. 

Se o prazo não for respeitado, o concreto pode ficar mais poroso, o que aumenta as chances de a eflorescência acontecer. 

Evite a infiltração de água 

A água é um dos principais causadores da eflorescência. Por isso, é importante evitar que ela adentre as superfícies. 

Dessa maneira, uma dica é sempre proteger as alvenarias recém-finalizadas das chuvas. Busque maneiras de reduzir ao máximo a penetração de água. 

Outras dicas 

Além desses pontos, existem outras medidas que podem ajudar a evitar o problema, como:  

  • não assentar o revestimento cerâmico sobre base molhada (não curada); 
  • isolar os pontos de infiltração, caso eles existam; 
  • não pintar a parede com o reboco não curado. 

Agora você já sabe tudo sobre a eflorescência? Então, confira nosso conteúdo que reúne as dicas mais importantes para fazer o assentamento de porcelanato!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *