Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Colunistas

Efêmera Memória

29/10/2020

Em plena pandemia, tive a notícia que iria apresentar, produzir e codirigir um programa sobre o lado humano da Amazônia. Lembrei de eventos da minha infância que me transportaram para uma realidade até então esquecida.

Eu vivo no presente. Pode parecer uma declaração óbvia, no entanto, conheço muita gente que escolhe passar os dias planejando o futuro ou cultivando uma nostalgia atrelada ao passado.

Sempre tive a memória fraca. Meu irmão, por exemplo, é capaz de dizer a cor da meia que a vizinha estava usando na minha festa de aniversário em 1983, enquanto eu não me recordo nem do nosso endereço naquela época.

O fato é que, apesar de pouco pensar no que já passou, hoje sei que certas memórias ficam ali guardadas em algum lugar no nosso inconsciente. Cabe a nós resgatá-las ou não.

Alguns meses atrás soube que um projeto criado por mim para a TV americana havia sido aprovado. Em plena pandemia, tive a notícia que iria apresentar, produzir e codirigir um programa sobre o lado humano da Amazônia. Logo após assinar o contrato, lembrei de eventos da minha infância que me transportaram para uma realidade até então esquecida. Surpreendentemente, essas recordações me ajudaram a entender o real impacto dessa realização na minha vida.

 

(Foto: Pedro Andrade)

(Foto: Pedro Andrade)

 

Me vi dentro do carro da minha mãe, abrindo o porta-luvas e folheando o antigo Guia 4 Rodas. Por incrível que pareça, quando eu era moleque, a gente dirigia sem GPS. Lembro que indagava quanto tempo levaria da nossa garagem até a Amazônia. Me recordei também de aulas de História onde minha professora lia cartas nas quais exploradores portugueses descreviam o primeiro contato com comunidades indígenas no norte do país. Parte do meu fascínio por narrativas bem elaboradas vem da sorte de ter tido bons professores, que por sua vez, me ensinaram a curtir a arte do aprendizado. Esse acesso à boa educação não deveria ser um privilégio, mas sim, um direito.  

Mais tarde, cogitei ser biólogo e dedicar minha carreira ao estudo da fauna brasileira.

 

 

Acabei escolhendo outros rumos para minha vida: vim para Nova York, me tornei jornalista, viajei o mundo e agora, finalmente, concretizo a antiga meta de explorar a maior floresta tropical do planeta.

Entendo que minha versão dos fatos possa parecer um tanto quanto poetizada, mas a verdade é que toda essa trajetória emocional explica muito do que senti ao longo dessas seis semanas que passei no Mato Grosso e no Pará.

A Amazônia é feita de superlativos e não oferece respostas fáceis.

Em sua extensão encontram-se 20% da água doce no planeta, mais de 250 etnias, pelo menos 80 idiomas, centenas de comunidades isoladas, milhares de espécies de aves, mais de 40 mil espécies vegetais e isso tudo é só o começo.

Com mais ou menos 5 milhões de quilômetros quadrados, a Floresta Amazônica ocupa 60% do território nacional, o que significa que o Brasil é hoje um dos países que mais preserva áreas nativas no mundo, no entanto, paradoxalmente, é também líder global em retrocessos ambientais.

Cheguei em Manaus – minha primeira parada – disposto a ouvir mais do que falar. Em vez de entrevistar líderes políticos, cientistas e professores, fiz questão de conviver com quem sente isso tudo na pele, os locais.

 

(Foto: Pedro Andrade)

(Arquivo: Pedro Andrade)

 

Acompanhei de perto o impacto do coronavírus em comunidades isoladas, a difícil realidade dos ribeirinhos, transformações climáticas assustadoras, o genocídio ambiental causado pelas plantações de soja, o preço do extrativismo desenfreado, o dia a dia de mulheres nascidas na região, a substituição de áreas intocadas por pastos intermináveis (no Pará, por exemplo, estamos falando de 25 cabeças de gado para cada habitante), a luta por iniciativas sustentáveis, a batalha pela sobrevivência de tradições seculares, a generosidade quase ingênua de povos vulneráveis e a ganância sem fim de pessoas dispostas a trocar um dos patrimônios mais valiosos do planeta por grana.

A essa altura do campeonato já sabemos que a Amazônia não é só uma peça fundamental no quebra-cabeça ecológico global, mas também uma verdadeira máquina de fazer dinheiro. Estradas, hidrelétricas, portos, postos de gasolina, fazendas, ouro e muito chão. Se não levarmos em conta as reservas indígenas, espaços já ocupados e terras protegidas, a Amazônia ainda abrange uma área maior que a Alemanha e a França juntas, que basicamente não pertence a ninguém. Este território sem dono é facilmente explorado por grileiros, garimpeiros, seringueiros e outros “eiros”…

 

Foto: Pedro Andrade

Foto: Pedro Andrade

 

O fato é que esse lugar não é ocupado só por plantas e bichos, e aqueles que vivem nessa parte do país precisam de opções sustentáveis para continuar subsistindo dessa terra que os alimentou por tanto tempo. Durante meus dias por lá, tive o privilégio de conhecer pessoas dispostas a compartilhar uma sabedoria que não se ensina na escola. Minha realidade é dividida entre meu apartamento, transportes públicos, escritórios, aviões, hotéis, carros, estúdios, ou seja, ambientes controlados com temperatura previsível e conforto constante. Os habitantes dessa região não podem se dar a esse luxo e, exatamente por isso, sentem de perto tudo aquilo que está acontecendo ao nosso redor. Os rios, as chuvas, as estações, os animais, os sons, os cheiros e as cores… tudo mudou na última década.

Quando nasci, somente 1% do que enxergamos como Amazônia havia sido destruído. Agora, esse número subiu para 20%. Cientistas alertam que, caso chegue a 40%, não haverá mais salvação. A floresta tropical se tornará uma grande savana.

Foto: Pedro Andrade

Foto: Pedro Andrade

Povos indígenas que abrigam esse território há séculos e foram capazes de sobreviver a pragas, genocídios e escravidão, talvez não resistam ao estrago causado por nós.

Busquei projetos sustentáveis (dentre eles, iniciativas geniais lideradas por grandes amigos meus como Oskar Metsavaht, Alex Atala, Marcelo Rosenbaum, Nina Braga do Instituto E e outros), vozes fortes, gestos inspiradores e movimentos revolucionários. Saí de lá encantado, confuso, ainda mais orgulhoso de ser brasileiro e com a exata noção de que ainda falta muito aprendizado para que eu consiga entender um pouco desse lugar tão complexo e singular.

Foto: Pedro Andrade

Foto: Pedro Andrade

Para minha sorte, esse foi apenas o início de uma jornada que com certeza mudará minha vida. Ainda gravo pelo menos mais quatro ou cinco episódios antes da estreia em Março de 2021.

Os olhos do mundo estão voltados para a Amazônia e confesso que, de certa forma, enxergo nesse programa algumas oportunidades: primeiro, a de mostrar de forma digna, responsável e verdadeira o que está em questão quando falamos sobre essa parte essencial do ecossistema global. Segundo, o privilégio de sentir na pele e ver de perto as maravilhas que esse lugar tem para oferecer, antes que seja tarde demais. E, por último, tentar contribuir, ainda que modestamente, para que no futuro a maior floresta tropical do planeta não exista somente na nossa efêmera memória.

Foto: Pedro Andrade

Foto: Pedro Andrade

47 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Romy De Oliveira says:

    Amo tudo que o Pedro faz e tenho certeza que esse trabalho com a Amazônia vai ser maravilhoso estou ansiosa para ver 🥰

  • Marta Mendes says:

    [email protected], é muito top!! Apaixonada por ele e pelo trabalho dele👊🏼❤️

  • Rejane de Almeida says:

    Texto impecável do querido Pedro. Sempre tão talentoso. Amei.

  • Sonia Maria M Heinz says:

    Muito bom . Espero ansiosa pelo projetoAmazônia.

  • Ilma Véras says:

    Texto espetacular e belas fotos!

  • Angela says:

    Dedicação e empenho resume esse trabalho de Pedro Andrade, que os olhos dos brasileiros em especial vejam a riqueza que tem em suas mãos. Parabéns

  • Angela Coimbra says:

    Gostamos de seu trabalho na TV e acredito que este sobre a Amazonia será promissor!

  • Doni Freitas says:

    Fico muito feliz por ter mais uma pessoa ,como vc, de grande expressão no Brasil e nos EUA, e com programas importantes, como Pedro pelo mundo mais,mostrando a nossa, a de todo o mundo querida e importantíssima Amazônia. Peço a vc Pedro, que mostre o mais que vc puder para que o mundo saiba o qto ela é importante é o qto ela está sendo destruída pela ganância desenfrada dos homens que só querem dinheiro e tbm mostrar que, principalmente, a madeira que sai de lá é comprada por todo o mundo e principalmente pelos países desenvolvidos. Esse é um dos motivos que ela está sendo destruída, porque tem quem compra, então todos estamos destruindo-a…Mostre o mais que vc puder, p mundo precisa saber. Obrigado, o mundo te agradece!!!

  • Eduardo Machado says:

    O texto,sempre bem escrito!!!!!!! Gostei muito da relação com a visão de todo o conforto que temos ao nosso redor ,tudo sob o nosso controle ,com a visão deles , habitantes da Amazônia, que sentem na pele tudo que é alterado na natureza. 👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼❤

  • Fernando says:

    Jornalismo histórico. Pedro nos deixará um registro inigualável para as gerações atuais e futuras! Que profissional consciente e sensível. Um privilégio termos nas lembranças de Pedro uma semente para as memórias da Amazônia.

  • Viviane Scardova says:

    Parabéns pelo trabalho Pedro ! Você arrasa sempre! Adoro assistir seus documentários e ler seus textos.

  • Antônio Dionisio Pinto says:

    Excelente trabalho, ótimo texto sobre a Amazônia e desejo sucesso no seu objetivo para que a Amazônia seja preservada.

  • Sérgio Carvalho de Mattos says:

    Pedro, conheci você no Pedro pelo mundo é hoje tenho orgulho de ter um cara tão especial representar nosso povo em outro país. O texto ficou ótimo e tenho certeza que o programa também. Parabéns pelo seu talento e generosidade de nós mostrar tudo isso. Obrigado!

  • Tânia Melgueiro says:

    Como sempre um texto maravilhoso e impecável….esse trabalho será maravilhoso tenho certeza…amo e tenho orgulho de ser norte do nosso país….amo ser da Amazônia…abraço!!!

  • Rosa Moura says:

    Pedro, admiro muito vc e acompanho seu trabalho na GNT- amo Pedro pelo Mundo. Maravilhosa esta primeira impressão do novo programa na Amazônia. Vou aguardar ansiosa. Gratidão por trazer para minha casa conhecimento, cultura e sua simpatia nas ” andanças” por este mundão! Deus o proteja e abençoe. Bjs carinhosos

  • Maria Anita Oliveira says:

    A redação é tão clara e verdadeira que revejo meus olhares e encantamentos sobre a Amazônia no seu texto.

  • Carlos Alberto Pinho dos Santos says:

    Parabéns 👏👏👏👏👏👏☕️
    E neste momento que tenho orgulho de ser brasileiro 🇧🇷💛💚🇧🇷💛💚
    Você é um exemplo de um jornalismo imparcial, aonde o fato prevalece 💯💯💯
    @saquapinho

  • Marisa Moreira says:

    Que belo texto, Pedro! Tenho certeza que sua sensibilidade vai conseguir traduzir essa Amazônia tão misteriosa e complexa. Que seu trabalho possa conscientizar e despertar em todos nós o cuidado por essa floresta viva e pulsante. Conhecê-la, amá-la e preservá-la são indissociáveis. Parabéns, Pedro, parabéns!

  • Candida Dias says:

    Bela introdução. Aguardando pela exibição do programa

  • Sandra R. Bianchi says:

    A sensibilidade e a objetividade de Pedro Andrade diferenciam e apresentam um trabalho único e pessoal, com assinatura.

  • Solange Muller says:

    Adoro seus programas. Viajo com você pelo mundo , já que minha situação financeira não me permite ir a estes lugares pessoalmente. Estou com uma alta espectativa em relação a este projeto seu. Espero que você consiga realmente nos mostrar a verdadeira situação de nossa Amazônia. Pois por aqui o que sabemos é uma ou outra notícia , que logo é defendida por algum grupo que sempre tenta explicar seu lado ganancioso, enganando e nos ludibriando. Aqui no Brasil nenhuma emissora de tv teve a coragem de fazer um projeto deste tipo para não ir contra o interesse dos poderosos. Espero ver o lado lindo , único e humano da Amazônia e também o lado mal intencionado e desprezível do poder dos grandes em seu programa. Não me decepcionei, mostre a verdade, doa a quem doer. Mas não deixe de mostrar o bom e incrível que por lá existe.
    Sua grande fã,
    Solange Muller

  • Marialice Pereira says:

    Pedro, emocionante, ínstigante, sensível ! Aumenta em muito a expectativa pela série. Sucesso!

  • Irene Paes says:

    Gostei quando você escreveu que reconhece que ainda falta muito para entender a complexidade que é a Amazônia. Parabéns pela sua humildade.

  • Ana Maria Paoli Fernandes says:

    Texto maravilhoso e já surpreendente sobre o programa/série que veremos. Esperança de que o Brasil tenha a oportunidade de acompanhar concomitantemente aos USA.
    Parabéns, Pedro, excelente “aperitivo” ao que virá!

  • Heloísa Maia says:

    Texto lindo e emocionante. Pedro mais uma vez abre a sua alma e retrata uma realidade que atinge a todos nós. Parabéns meu amigo ! Muito orgulho de ti !

  • Marcia Regina Brisolla says:

    Com certeza foi uma experiência única e inesquecível na sua vida, assim como foi quando estive na floresta e senti sua grandiosidade. Estou ansiosa para assistir seu programa.
    Obrigada por compartilhar esse conhecimento!

  • Célia Raphael says:

    Parabéns, Pedro.
    Pelo “Ensaio”, deste programa maravilhoso.
    Mostrando Nosso Brasil, que apesar do Homem, continua resistindo.

  • Cristina Paiva Ferreira says:

    Adorei o artigo. Uma visão lúcida e real da Amazônia que nos alerta para a importância da preservação da floresta e dos riscos iminentes.

  • Rita Maria de Carvalho Lino says:

    Fui a Manaus com meu ex-marido, amazonense em 80, fui a codajas de barco, era muito jovem mais foi uma vivência inesquecível. Depois meus filhos já adultos foram com o Pai e passaram por também uma grande aventura pois visitaram as terras da família, na propriedade chamada Acará, um rio nasce e morre! São experiências para levar na mente e no coração! Entendo o seu encanto!

  • Marcos Chein says:

    Parabéns, Pedro! Texto lindo e cheio de verdade! Compartilho muito do seu olhar e da sua percepção sobre o humano na Amazônia, sobre as pessoas protetoras do nosso patrimônio e sobre a resistência diária delas. Muito obrigado , Pedro!

  • Romilda says:

    Parabéns,vc descreve com muita simplicidade uma delicia de ler e aprender.

  • Nana Sarmento says:

    Belíssimo texto. Suas fotos retrataram muito bem o povo ribeirinho. Parabéns pelo trabalho.

  • Linda Verinez says:

    Parabéns pelo belíssimo projeto. Com certeza será sucesso total! Gratidão por essa iniciativa linda! Amazônia/Brasil ❤️

  • José Adelson Mattos Ramos says:

    Parabéns

  • Daisy J de aOliveira says:

    Pedro adorei a prévia do seu programa sobre a Amazônia.Vamos aguardar para adquirir mais conhecimento sobre esse Brasil abençoado!!

  • Maria Aparecida Pereira Messias says:

    Nossa Pedro já aqui na expectativa de poder assistir, não sei como, mas isso não importa agora. Partindo de vc sei que esse documentário vai abalar estruturas (no bom sentido). Acompanho seu trabalho sempre que posso, inclusive tenho foto com vc numa ocasião aqui em Curitiba num lançamento de um livro seu, claro. Minha senha foi quase uma das últimas e fui prá casa muito tarde, mas valeu. Espero um dia nos vermos por aí. Bjs. Cida.

  • Ana Maria Calabria Cardoso says:

    Ah que bacana está trabalhando aqui em minha região Norte. Com certeza vc será outro Pedro, depois desses 5 episódios meu querido.

  • Antonio Raphael Dechichi says:

    Morei e trabalhei por 10 anos na Amazônia nos anos 80s e sei a grande emoção que senti naquela época. A floresta amazônica é um lugar maravilhoso e uma aventura intensa de fauna e flora. Conheci várias tribos indígenas e testemunhei a simplicidade deste povo nativo e fantástico. Fico muito triste que a cobiça do homem está destruindo todo este meio ambiente. parabéns Pedro Andrade pela sua excelente performance. Abraços amigo e que Deus abençoe e proteja as pessoas do bem.

  • Regina da Costa loureiro Fernandes says:

    Sensacional!! Louca pra assistir ao programa! Parabéns Pedro pelo excelente trabalho! Fotos maravilha!!!

  • Solange says:

    Um ótimo texto, trazendo através de seu olhar e sensibilidade, o retrato de um lugar único, com suas riquezas humanas e naturais, bem como, os problemas que lá existem. Parabéns pelo trabalho que estás realizando, com certeza será um excelente programa. Sucesso👏🌞

  • Miriam Marta Costa Padilha says:

    Sempre encantada com sua inteligência, sensibilidade , poder de observação e postura de aprendiz da vida que já tenho visto nas suas apresentações na TV, tudo isto colocado a serviço de seu olhar pessoal sobre a Amazônia, certamente vai nos trazer informação e reflexão de grande qualidade.

  • Antonia Marlúcia da Silva Tavares says:

    Discomplicado e objetivo.Fica mais fácil de assimilar aquilo que nem os próprios brasileiros conhecem.Excelente, vou continuar acompanhando.

  • Rosana Guerra Gonzalez says:

    Bem, como sempre Perfeito! Admiro o trabalho do Pedro, ele tem uma forma singular de se comunicar , tudo que escreve e fala é muito simples de se entender e se torna uma leitura agradável e sempre intetessante. Ansiosa pelo conteúdo completo desse Programa.
    Parabéns Pedro, como tudo Perfeitooo!!!!

  • Letícia says:

    Matéria sensacional!

  • Cibele Milani says:

    Belo texto, adorei. Tenho certeza que esse trabalho irá render frutos para para o Pedro e para a região explorada.

  • Uili Guerreiro Caju says:

    Parabéns ao Pedro por sua habilidade em reportar a Amazônia pela visão de seus nativos/habitantes verdadeiros e não da visão dos exploradores das riquezas minerais da região que buscam quaisquer narrativas que justifiquem a degradação que estão impondo ao ecossistema e por consequência a todas as formas de vida que lá existem.

  • Mª Cecilia S.Franzim says:

    Pedro aguardando ansiosa por detalhes deste paraíso e o que podemos fazer para preservá-lo. Abraço