Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Técnica

Descarte de entulho: garanta a sustentabilidade da sua obra

24/05/2021

Para que as suas obras sejam sustentáveis, o descarte de entulho deve acontecer de forma planejada e organizada. Saiba mais!

O setor de construção civil é um dos mais importantes para a movimentação econômica do Brasil e do mundo. Em contrapartida, é considerado o principal gerador de resíduos sólidos da sociedade. É por isso que o descarte de entulho é um tema que interessa muito a arquitetos e engenheiros.

Fazer o descarte de entulho corretamente é de fundamental importância, tendo em vista que os resíduos sólidos das construções podem levar muitos anos para entrarem em decomposição no meio ambiente.

Garantir obras mais sustentáveis é um desafio para arquitetos e engenheiros. Porém, ainda existem muitas dúvidas sobre o que envolve o descarte de entulho. Portanto, siga a leitura para saber mais!

Afinal, o que é considerado entulho?

O conceito de entulho é definido pela Resolução nº 307/2002 (Foto: Pixabay)
O conceito de entulho é definido pela Resolução nº 307/2002 (Foto: Pixabay)

De acordo com a Resolução nº 307/2002 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), os entulhos são materiais residuais provenientes de construções, reformas, reparos e demolições de obras de construção civil, incluídos os resultantes da preparação e escavação de terrenos.

Em outras palavras, o entulho nada mais é que o lixo gerado em uma obra de construção civil. Tijolos, blocos cerâmicos, latas de tinta vazias, refugos de telhas e revestimentos, tubulações e fios de eletricidade são apenas alguns exemplos.

Quais são as diferentes classificações de entulho?

Os entulhos são classificados em diferentes categorias (Foto: Mabel Amber)
Os entulhos são classificados em diferentes categorias (Foto: Mabel Amber)

Ainda de acordo com a Resolução nº 307/2020, os entulhos podem ser classificados em diferentes categorias. Veja, a seguir, quais são elas.

Classe A

Os entulhos da classe A são aqueles recicláveis e passíveis de reutilização. É o caso das sobras de materiais como tijolos, sacos de cimento e argamassa, placas de porcelanato etc.

Todos esses itens podem ser guardados ou deslocados para serem usados em outras obras e, dessa forma, evitarem perdas.

Classe B

Fazem parte dos entulhos da classe B todos os materiais que são recicláveis. É o caso do vidro, da madeira e de papéis, entre outros.

Classe C

Por sua vez, os entulhos da classe C são aqueles que não podem ser reciclados ou recuperados. É o caso, por exemplo, do isopor.

Classe D

Finalmente, os entulhos da classe D são aqueles que contêm resíduos que podem ser perigosos para o meio ambiente ou prejudicar a saúde das pessoas, como as tintas, os óleos, os solventes e o amianto, entre outros.

O que diz a legislação sobre o descarte de entulho?

Arquitetos e engenheiros são responsáveis pelo correto descarte de entulho (Foto: Freepik)
Arquitetos e engenheiros são responsáveis pelo correto descarte de entulho (Foto: Freepik)

No que se refere ao descarte de entulho, além da Resolução nº 307/2002, temos como uma das principais legislações a Lei nº 12.305/2010.

A Lei nº 12.305/2010 estabelece as competências e responsabilidades atribuídas e compartilhadas entre os geradores, os transportadores e os administradores municipais sobre o descarte de entulho.

Ou seja, além dos agentes públicos, como as prefeituras dos municípios, os responsáveis pelas obras também têm a obrigação de fazer o correto descarte de entulho.

Caso isso não aconteça, podem ser aplicadas multas às empresas, aos arquitetos e engenheiros responsáveis pelas obras.

Além dessas duas legislações principais, o Brasil ainda conta com cinco normas técnicas sobre o descarte de entulho. São elas:

  1. NBR 15.112/2004: regulamenta os resíduos volumosos, áreas de transbordo e triagem;

  2. NBR 15.113/2004: regulamenta os resíduos inertes e aterros;

  3. NBR 15.114/2004: regulamenta as áreas de reciclagem;

  4. NBR 15.115/2004: regulamenta a execução de camadas de pavimentação e procedimentos; e

  5. NBR 15.116/2004: regulamenta a utilização dos resíduos em pavimentação e o preparo de concreto sem função estrutural e requisitos.

Como proceder com o descarte responsável?

Coleta domiciliar convencional ou empresas especializadas podem dar o destino correto ao entulho (Foto: Kelly Lacy)
Coleta domiciliar convencional ou empresas especializadas podem dar o destino correto ao entulho (Foto: Kelly Lacy)

Para que você saiba como desenvolver um projeto de descarte de entulho responsável em sua obra, é possível adotar algumas medidas estratégicas. Confira quais são elas.

Utilize o serviço de coleta domiciliar convencional

Os serviços de coleta domiciliar convencional podem ser usados para o descarte de entulho.

No entanto, há um limite que varia por município, mas que gira em torno de 50 kg de entulhos por dia para cada imóvel.

Além disso, nesse caso, os itens precisam estar fragmentados e acondicionados de forma apropriada.

Descarte os entulhos em ecopontos

Boa parte das principais cidades brasileiras têm ecopontos, que são serviços gratuitos para a entrega voluntária de entulhos.

Nesses locais, os itens são separados e destinados para reciclagem ou descarte ecológico. No entanto, as unidades têm limite diário de recebimento por usuário, que geralmente é de 1 m³ de entulhos.

Contrate transportadoras

Caso seja necessário, você pode contratar transportadoras particulares para fazer coleta, transporte e descarte responsável de entulhos. Para saber quais empresas estão autorizadas a prestar esse serviço em seu município, contate a prefeitura.

Outras medidas podem ser tomadas, mas variam de acordo com o plano de gestão de resíduos da sua cidade. Como as leis mudam de um município para outro, convém consultar a legislação local para não fazer nada em desconformidade.

Quais são os riscos do descarte de entulho incorreto?

Os entulhos contribuem para a criação de mosquitos que causam doenças, como o da dengue (Foto: Pixabay)
Os entulhos contribuem para a criação de mosquitos que causam doenças, como o da dengue (Foto: Pixabay)

O descarte de entulho incorreto pode trazer diversos problemas para a sociedade, em curto, médio e longo prazo. Entre eles, podemos destacar a proliferação de doenças.

Isso porque os entulhos podem acumular água e favorecer a criação de mosquitos transmissores de doenças como a dengue, a chikungunya e a malária.

Além de doenças, o entulho causa problemas urbanos, como a poluição do meio ambiente e a privação de circulação em calçadas e ruas.

No caso de itens com produtos químicos agressivos, o descarte incorreto também pode ser o estopim para desastres naturais.

Como evitar desperdícios em uma obra?

Arquitetos e engenheiros devem fazer um planejamento de obra eficiente (Foto: This is Engineering)
Arquitetos e engenheiros devem fazer um planejamento de obra eficiente (Foto: This is Engineering)

Para que uma obra gere menos entulho, os desperdícios precisam ser evitados. Observe, a seguir, algumas dicas.

Faça um bom planejamento

O arquiteto e o engenheiro responsáveis por uma obra devem atuar juntos no planejamento do projeto e na elaboração de cálculos.

Dessa maneira, é possível saber com mais precisão a quantidade de materiais que será utilizada e evitar compras exageradas.

Use materiais de qualidade

Materiais de qualidade tendem a durar mais tempo e, assim, evitam que reformas sejam necessárias em pouco tempo.

Treine os seus colaboradores

Pedreiros, assentadores e outros profissionais que trabalham no canteiro de obras precisam ser treinados para evitar o desperdício. Eles devem ser orientados a sempre usar os recursos da melhor e mais correta forma.

Mantenha o canteiro de obras organizado

A organização diária do canteiro de obras ajuda a impedir que materiais sejam quebrados, evitando o descarte de mais entulho, garantindo a integridade dos trabalhadores e mantendo o orçamento sob controle.

Reaproveite materiais

As sobras de materiais podem ser reaproveitadas para outras finalidades. Exemplo disso é quando os restos de porcelanatos que revestem os pisos e/ou as paredes são cortados para dar forma às soleiras das portas.

Quais são as técnicas construtivas que menos geram entulho?

Técnicas como a de piso sobre piso geram menos entulho (Foto: Freepik)
Técnicas como a de piso sobre piso geram menos entulho (Imagem meramente ilustrativa: Freepik)

Existem ainda algumas técnicas construtivas que geram menos entulho e podem ser consideradas em suas obras. Veja alguns exemplos.

Construção a seco

Nesse tipo de construção, a argamassa, o cimento e os demais itens úmidos não são aplicados no canteiro de obras. As estruturas da construção a seco são, por exemplo, feitas de placas de gesso, perfis metálicos etc.

Drywall

O drywall é um sistema de construção composto por perfis, lã mineral e gesso. As placas são pré-fabricadas e podem ser fixadas em estruturas de aço galvanizado para a construção de casas e prédios.

Piso sobre piso

colocação de piso sobre piso evita a geração de entulho nas reformas. Afinal, a depender da situação do local, o revestimento que já está assentado não precisa ser retirado para um novo ser colocado em seu lugar.

O descarte de entulho é um assunto muito importante para todos os profissionais da construção civil. É preciso ter consciência e desenvolver as atividades sempre pensando no melhor para o meio ambiente, mas sem comprometer a qualidade das suas obras.

Continue a se informar sobre assuntos interessantes e leia agora o nosso artigo que fala sobre o papel do designer e do arquiteto para a cultura regenerativa.

Foto de destaque: O descarte de entulho correto traz mais sustentabilidade para a sua obra (Foto: Florin Birjoveanu)

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *