Menu
Projetos e Obras
Busca
Degradê

Com ar vintage e natural, o degradê é uma tendência na decoração de interiores (Projeto: Casa Sua [arquitetura de interiores])

Conteúdo Matérias

Degradê: como aplicar esse efeito na decoração de interiores?

17/05/2021

Um toque de cor surpreendente e que remete à natureza. Com um ar de recém-saído dos anos 60, o degradê agora é tendência em design de interiores. Conheça!

Você já deve ter notado como a natureza é uma tendência forte na decoração de interiores. Tons terrosos, plantas e azul-celeste aparecem nas casas e nos apartamentos mais modernos. Com eles, veio também o degradê: uma forma de pintura que lembra o céu, no amanhecer e no pôr do sol.

Com uma forte pegada vintage, estilo década de 1960, o degradê pode trazer o ar livre para dentro de casa. É só escolher as cores certas para isso. No entanto, o efeito também pode ser conquistado com diferentes tons, dando um toque contemporâneo a um ambiente minimalista.

Assim como qualquer elemento decorativo, o importante é que o degradê consiga refletir a personalidade do morador. É por isso que, neste artigo, vamos mostrar a você como implementar esse efeito na decoração de interiores. Confira!

O que é o degradê?

A escolha de algumas pastilhas mais claras fez o degradê entre o azul e o branco
A escolha de algumas pastilhas mais claras fez o degradê entre o azul e o branco (Projeto: Portobello S.A.)

Também chamado de gradiente, o degradê é um efeito de transição suave entre duas ou mais cores. É uma técnica bastante utilizada na arte e na moda, principalmente pela leveza com que essa mudança de tons acontece.

O degradê pode ser feito de diversas formas. Na decoração, o mais comum é o linear — aquele em que a cor é mais escura no topo e clareia pela parede ou vice-versa. Dá a impressão de que você transformou a superfície em uma aquarela.

O mais bacana do degradê é que a padronagem praticamente nunca se repete. Afinal, grande parte dos decoradores faz o efeito manualmente, com porcelanato ou tinta. Então, mesmo que outra pessoa tenha uma parede verde-menta, ela não será igual à sua.

Degradê e ombré

O tipo de degradê mais popular é o ombré, que tem esse efeito esfumado que é muito visto na natureza e dá a impressão de estar sempre a céu aberto.

No entanto, é preciso entender que há diferenças: todo ombré é um tipo de degradê, mas nem todo degradê é um ombré. Entendeu?

O degradê pode ser obtido de outras formas — por exemplo, com listras, manchas, cores bem diferentes e até desenhos.

Como aplicar o degradê no design de interiores?

Veja como esse efeito cromático pode ser explorado para decorar ambientes!

Ouse com o porcelanato

O degradê obtido com porcelanato traz um resultado surpreendente e artístico
O degradê obtido com porcelanato traz um resultado surpreendente e artístico (Projeto: Portobello S.A.)

Para quem prefere algo mais durável, é possível criar um degradê com porcelanato. Nesse caso, o contraste entre uma cor e outra será maior.

No entanto, será como montar um quebra-cabeça e criar um efeito surpreendente, que você não vai encontrar em nenhum outro local.

É importante entender que, justamente pelo encaixe, o efeito não será como o ombré. A sutileza da troca de cores não será tão grande.

Então, vamos trocar a brincadeira e pensar nesse tipo de degradê como o Tetris, aquele jogo em que as peças caem e se encaixam.

Os porcelanatos e as cores aqui se combinam e se coordenam como se já tivessem saído daquela maneira da fábrica.

Outro ponto importante é que, embora seja uma forma de explorar o lado artístico, o encaixe de porcelanato exige técnica. Portanto, conte com mão de obra especializada e de um profissional de arquitetura e design para fazer o degradê.

Analise o uso de tinta

A tinta é o primeiro material no qual pensamos quando nos referimos ao degradê. Ela permite uma personalização infinita — afinal, você escolhe quais cores vai utilizar. Além disso, é uma forma de expressar a sua criatividade e as suas habilidades.

Mas boas tintas podem custar um pouco caro. Além disso, você vai precisar de paciência: o cômodo pode sujar bastante e, por qualquer descuido, há o risco de manchar outras paredes. Por fim, você precisará retocar depois de algum tempo.

Considere o papel de parede

Embora seja um pouco complicado de aplicar, o papel de parede é mais rápido e não faz tanta sujeira. Além disso, é possível optar pela versão autocolante, que você só precisa tirar a proteção e colar na parede.

Mas muitos papéis de parede não são autocolantes. Portanto, é necessário passar cola enquanto os aplica, o que deixa o trabalho mais complicado.

O ideal é que você contrate alguém para fazer a colagem, já que, quando não é feita corretamente, o material pode ficar com bolhas de ar ou um pouco torto.

O problema é que, embora seja mais resistente que a tinta, ele vai se descolar quando entrar em contato com uma parede úmida. Por isso, você precisa tomar cuidado com infiltrações.

Outra desvantagem do papel de parede é que, embora ofereça diversas opções, ele não é personalizável. Então, quem escolhe esse tipo de decoração precisa se contentar com o que está disponível no mercado.

Priorize o minimalismo

Ambientes mais clean, com cores neutras, são os ideais para receber o degradê
Ambientes mais clean, com cores neutras, são os ideais para receber o degradê (Projeto: Casa Sua)

O ideal é que a parede degradê esteja presente em ambientes mais minimalistas, com poucos móveis e objetos de decoração.

Ela provavelmente será o ponto de atenção do local; portanto, é melhor que não fique competindo com outros elementos.

Opte entre claro e escuro

Você está em dúvida se a parte mais escura deve ficar na porção de cima ou de baixo na parede?

Um ponto importante é que o tom mais escuro no topo reduz visualmente o pé-direito e traz sensação de aconchego.

O efeito contrário também acontece: a cor mais escura na parte de baixo alonga o pé-direito e amplia o ambiente.

Escolha os tons

Embora os diferentes tons de azul sejam bastante comuns em degradês (principalmente com o cobalto na parte mais escura), as cores pastel ganham destaque por sua delicadeza e modernidade. Exemplos são o rosa-quartzo e o verde-menta.

Também é possível fazer uma composição com cores diferentes, mas que estejam na mesma família de tonalidades, como azul-cobalto, violeta e rosa.

Já para quem prefere um contraste de cores fortes, o degradê linear se perde. Mas é possível fazer uma transição interessante — pintando de branco metade de uma parede de madeira, por exemplo. O que não pode faltar é o efeito esfumado entre uma cor e outra.

Outros detalhes importantes: quanto mais forte o contraste entre início e fim, mais dramático será o resultado. Além disso, cores frias e neutras costumam proporcionar maior sensação de tranquilidade.

Entenda o círculo cromático

O degradê mais fácil de combinar é aquele que traz variações da mesma cor
O degradê mais fácil de combinar é aquele que traz variações da mesma cor (Projeto: Portobello S.A.)

Outra maneira inteligente de selecionar as cores para o seu degradê é observar o círculo cromático. Assim, você escolhe uma cor-base e os tons que estão dos lados dela, que costumam ser variações.

Por exemplo: as cores complementares do azul são o azul-esverdeado e o azul-arroxeado. Certamente, o resultado em degradê será espetacular.

Tome cuidado na seleção do ambiente

Não há um local específico que pode ou não receber o degradê. Por ser versátil, ele vai do quarto ao banheiro tranquilamente.

O importante, claro, é ter atenção à paleta de cores: um quartinho de bebê, por exemplo, combina mais com tons pastel.

Uma ideia interessante é aproveitar um local que recebe bastante luz natural para criar um degradê que remeta ao pôr do sol.

Analise o fluxo de cores

Decida como será o degradê antes de aplicar o porcelanato, a tinta ou o papel de parede. Você pode, por exemplo, fazer uma edição no computador para entender quais cores combinam com os móveis, onde colocar o tom mais escuro e se a parede escolhida é a ideal para receber o efeito.

Degradê
Quanto mais variações da mesma cor, mais gradação você consegue (Projeto: Portobello S.A.)

Como fazer uma parede degradê?

Aplicar o degradê pode ser o momento de explorar o seu potencial artístico em casa. Então, inspirados no tutorial do site Casa Claudia, vamos aprender como criá-lo usando tinta, de modo a conseguir um efeito ombré.

Reúna o material

Você vai precisar de:

  • 2 ou 3 latas de tinta (quanto mais variações do mesmo tom, mais gradual é o ombré);
  • 3 rolos antirrespingo de 30 cm;
  • lápis, borracha e régua;
  • fita crepe de 16 mm;
  • pincel número 4;
  • fita métrica;
  • 3 bandejas.

Avalie a parede

Antes de fazer o degradê, é essencial limpar a parede. Para isso, passe uma esponja macia e umedecida com água e detergente neutro. Depois, passe um pano limpo e úmido para remover o sabão.

Se a parede apresentar imperfeições, corrija-as e finalize o procedimento lixando a superfície até que ela fique lisa. Por fim, cole fita crepe nas bordas para evitar manchas no rodapé.

Faça a medição

Pegue o lápis, a borracha, a régua e a fita métrica para dividir a parede em três seções. O ideal é que a parte superior seja um pouco maior, principalmente ser for mais clara.

Prepare a tinta

Cada bandeja deve receber uma tonalidade — na maioria dos casos, trabalha-se com uma clara, uma média e uma escura. Se você preferir trabalhar com duas latas de tinta, a cor intermediária pode ser a mistura delas.

Aplique as cores

Cada parte da parede deve receber duas demãos. Enquanto a de cima seca, você aplica a cor seguinte.

Para conseguir o efeito ombré, pegue o pincel ou o rolo e passe-o com movimentos aleatórios na junção das duas cores.

O importante é que o objeto esteja sempre com a cor mais clara. Na junção entre o tom intermediário e o escuro, você vai passar o pincel ou o rolo com o primeiro.

O degradê pode combinar ou até ditar as cores da decoração do ambiente
O degradê pode combinar ou até ditar as cores da decoração do ambiente (Projeto: Portobello S.A.)

Outro fator importante é que a parede precisa estar úmida na hora de fazer o degradê. Por fim, retire o excesso de tinta do rolo ou do pincel para suavizar a junção entre as cores.

Viu como é possível criar um degradê na parede da sua casa? No último ano, a preocupação com ambientes bonitos e inspiradores aumentou bastante — afinal, ficamos muito mais tempo em casa por conta da pandemia. Essa mudança na rotina deixou aflorar diversas tendências que vão continuar em 2021.

Confira agora algumas das tendências de comportamento do mundo pós-pandemia!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *