Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Tendências

Um pequeno jardim dentro de casa – E por que não?

25/01/2019

Os jardins residenciais são ótimos recursos para adicionar cores, formas e texturas aos ambientes. A vantagem é que podem ser concebidos de diversas maneiras, tanto em áreas amplas quanto em cômodos pequenos. Quer prova disso? Fique conosco e confira!

Quem não gosta da natureza, não é mesmo? Ainda mais se ela puder estar bem pertinho na forma de jardim dentro de casa ou até mesmo nos apartamentos. Porém, antes de fazer a escolha ou montar seu arranjo, veja se a planta é de água ou de terra e como ela deve ser tratada.

É importante saber se as mudas selecionadas podem ou não dividir o mesmo vaso ou jardineira, além de priorizar espécies que se adaptam melhor às condições de luminosidade e ventilação presentes em banheiros, cozinhas, quartos e outros espaços.

Para ajudar você nesse processo, listamos os principais passos que envolvem a montagem de áreas verdes e floridas em ambientes residenciais. Siga a leitura e descubra o tipo de jardim ideal para cada situação!

Dicas de como fazer um jardim dentro de casa

Lavabo com jardim de inverno / Marla Bravim

Costume de muitas gerações, a prática de cultivar plantas em ambientes internos só aumenta. A tendência do momento é ir além do plantio em pequenos vasos distribuídos pelas residências. Em outras palavras, vale usar a criatividade para montar jardins semelhantes àqueles presentes nos quintais.

Há inúmeras possibilidades de projeto para levar mais verde e arranjos coloridos a diferentes cômodos. Independentemente da solução adotada, é crucial ter atenção a detalhes como plantio e processo de manutenção, ou seja, cuidados que garantirão o desenvolvimento adequado das plantas.

Grande parte das espécies cultivadas em casa devem ser colocadas sob a luz do sol, pelo menos, uma vez por semana, por algumas horas. Você deve regá-las apenas quando sentir que a terra está seca. Se possível, converse com o profissional responsável pelo viveiro para obter informações complementares.

Plantas de ambientes internos também necessitam de fertilizantes orgânicos e de cuidados como poda, retirada das folhas e flores mais velhas. O vento em excesso também é um fator decisivo para muitas espécies que, quando colocadas nas varandas de prédios, sofrem com o impacto das rajadas.

Sabendo de tudo isso, você já pode dar início à montagem do jardim dentro de casa. Listamos alguns dos modelos mais comuns para facilitar a escolha.

Minijardim

Banheiro decorado com plantas – Isis Dantas

Como o próprio nome entrega, é um tipo de cultivo realizado em pequenas superfícies ou recipientes. O fato de ocupar pouco espaço faz dele a opção perfeita para cômodos compactos. Os vasos de plástico, concreto ou cerâmica são ideais para montar minijardins.

Basta preencher as vasilhas escolhidas com terra e fazer o plantio de espécies pequenas. Potes de vidro (como os de conserva) e aquários com formatos diferenciados também funcionam. Inclusive, são muito utilizados na composição de terrários que compõem cenários em miniatura.

Uma vantagem do minijardim está na mobilidade que permite levá-lo para qualquer lugar da casa. Assim, sempre que você sentir necessidade, pode trocar o arranjo de lugar. É possível mantê-lo sobre uma mesinha de centro, bancada, prateleira, nicho de parede, piso e até peitoril de janela.

Jardim vertical

Ambiente decorado com lindo jardim vertical – Carolina Drechmer Hoffmann

Também é um modelo que economiza área útil nas residências. Conhecido por alguns como jardim suspenso, seu cultivo ocorre sobre vasos e floreiras dispostas em sentido vertical. A solução é interessante porque, além de levar mais verde para dentro de casa, possibilita dar utilidade a paredes e divisórias vazias.

Para esse tipo de projeto você precisará de diferentes recipientes preenchidos com as espécies selecionadas. Por isso, uma dica para facilitar a montagem é fazer o plantio das mudas com antecedência, a fim de assentá-las em seus devidos lugares e evitar sujeira no momento de instalar o jardim.

As paredes são as áreas preferidas nesses casos porque aceitam ganchos, mão-francesa e outros componentes para a fixação dos vasos. Você pode dispor os recipientes com plantas diretamente na superfície ou apoiá-los sobre longas prateleiras. Para um efeito mais interessante, preencha a parede inteira, do teto ao piso.

Outra opção é prender grades de ferro, painéis de madeira ou treliças metálicas para que sirvam como suporte para as flores e folhagens. Nesse caso, vale até manter mudas de trepadeiras em vasos ao chão para que seus caules se prendam aos componentes que foram fixadas na parede.

Esse tipo de jardim também pode ser adaptado para uma versão móvel. Basta instalá-lo sobre um elemento vertical leve, como um biombo ou escada articulada. Com vasos presos ou apoiados sobre essas estruturas, você conseguirá levar o jardim para qualquer cômodo da casa.

Cabe destacar que os painéis verticais e arranjos que forem equipados com sistema de irrigação por gotejamento devem receber água todos os dias. Caso contrário, é fundamental que o proprietário do projeto tenha o cuidado de fazer a rega constante e adequada às necessidades das plantas.

Jardim de inverno

Jardim de inverno /  Christiani Borsato de Ramos

Esse é o tipo de projeto dos sonhos de quem deseja um jardim dentro de casa. Afinal, diferentemente dos modelos apresentados, ele se destaca por ocupar uma área maior dos pisos internos. Essa característica permite adicionar mais plantas ao conjunto e agrega um aspecto de bosque/floresta ao lar.

Muitas residências são construídas com uma área exclusiva para a instalação de um jardim de inverno. O local costuma ser descoberto, ou seja, tem contato com o ambiente externo ao mesmo tempo em que permanece ligado ao corpo da casa.

É mais fácil cultivar espécies variadas nesses casos, já que a oferta de luz natural, ventilação e umidade é semelhante àquela encontrada na parte de fora. Isso não significa que você deve abrir mão de cuidados especiais, afinal, eles são necessários para garantir a saúde e a beleza das plantas.

Para quem não conta com uma área extra, a solução é buscar ambientes alternativos para instalar o sonhado jardim de inverno. Uma opção interessante é utilizar o vão livre sob as escadas, uma sacada/varanda fechada com vidro ou, ainda, parte do piso de um espaço que divide dois cômodos integrados.

Em todo caso, é importante preparar o chão para receber o projeto e todas as camadas de substrato. Um trabalho de impermeabilização se faz necessário, assim como a criação de bordas que permitam circundar o jardim e conter a terra com as mudas.

Melhores plantas para cultivar dentro de casa

Lavabo projetado por Daniela Abudi Daniel

Plantas alegram e dão vida aos ambientes residenciais por meio de diferentes técnicas de paisagismo. Algumas espécies como véu-de-noiva, asplênio, espadinhas, seguidas da carnívora nepenthes, avenca e minicactos variados, podem ser usadas na montagem de um jardim dentro de casa.

Veja algumas opções que se destacam pela versatilidade e facilidade de cuidado.

Minissamambaia

Essa planta vive em áreas sombreadas e gosta de bastante umidade, o que demanda regas periódicas. Devido à origem tropical, não tolera baixas temperaturas. Seu principal diferencial em relação à samambaia comum são as folhas miúdas que trazem texturas interessantes para a composição.

Callisia

Também conhecida como dinheiro-em-penca, é o tipo de planta que pode ficar dentro ou fora de casa porque resiste bem à sombra, ao sol e ao ar-condicionado. Suas folhas mescladas em tons de verde-claro com nuances roxas ou avermelhadas têm grande valor ornamental.

Figueira-lira

Se adapta bem a condições de pouca luz e precisa apenas de solo úmido e fértil. As folhas são largas, imponentes e circundam os caules que costumam seguir uma linha vertical perfeita. É uma espécie interessante para compor arranjos volumosos.

Zamioculca

Assim como a figueira-lira, gosta de ambientes sombreados e requer cuidados com a rega para obter um solo úmido e adequado ao seu desenvolvimento. Sua utilização funciona em diferentes tipos de jardim dentro de casa, seja com cultivo em pequenos vasos ou grandes floreiras.

Lírio-da-paz

Resiste bem à falta de luz e funciona como filtro de ar, ajudando na remoção de gases nocivos como o formol e o benzeno. O lírio também é conhecido por absorver esporos de fungos. Suas flores brancas com pequenos pontos amarelados embelezam as residências e adicionam informação a arranjos monocromáticos.

Pacová

Também conhecida como Babosa-de-pau, ela gosta de umidade, é sensível ao frio e requer iluminação parcial por, pelo menos, uma parte do dia. Suas folhas brilhantes em tom de verde-escuro se destacam na decoração de interiores e são ideais para adicionar mais cor aos ambientes.

Raphis

É um tipo de palmeira indicada para jardim dentro de casa porque cresce melhor em ambientes com baixa a média luminosidade. Se desenvolve bem mesmo em espaços pequenos, podendo ser cultivada como muda individual ou combinada com vários caules — ótima solução para criar touceiras incríveis!

Gerbera

A gerbera é colorida e alegre porque proporciona flores em diferentes tonalidades: branco, amarelo, laranja, vermelho, rosa-claro, lilás, pink. Também absorve a substância tóxica chamada benzeno e emite mais gás carbônico que as outras espécies. É ótima em locais que sofrem com a poluição dos carros e fumaça de cigarro.

Espada-de-são jorge

Jardim iluminado / Ricardo Alves

É uma planta capaz de purificar o ar de recintos fechados. Além de converter o dióxido de carbono em oxigênio durante a noite, também remove do ambiente alguns elementos prejudiciais à saúde humana. As cores mescladas são o principal destaque da espécie, que cresce em forma de “lança”.

E então, ficou com vontade de testar as soluções em diferentes projetos? Tenha em mente que as plantas trazem cor, animam e refrescam ambientes. Portanto, nada melhor que um belo jardim dentro de casa para transformar espaços monótonos em refúgios mais agradáveis e cheios de estilo.

Se gostou deste artigo, deixe um comentário e compartilhe sua opinião com os outros leitores! Até mais!

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *