Menu
Projetos e Obras
Busca
134813-9-carreiras-em-arquitetura-que-estao-em-alta-no-mercado

Conteúdo Arquitetura

9 carreiras em Arquitetura que estão em alta no mercado

15/11/2017

Já pensou em fazer alguma especialização em arquitetura? Veja nossas dicas das áreas que estão mais em alta agora mesmo!

Com certeza você já pensou em fazer uma especialização, não é? Elas ajudam a definir com que tipo de mercado você quer trabalhar e reduz a concorrência, já que é possível oferecer tipos diversos de serviço ou consultoria.

Listamos aqui algumas das especializações em Arquitetura que estão em alta e podem ser o diferencial dos profissionais neste mercado cada vez mais disputado de hoje em dia.

Preocupações com o meio ambiente, soluções criativas para problemas na cidade ou o uso de tecnologia a fim de otimizar os projetos são os principais pontos que têm revolucionado o mercado e que prometem trazer inovações para a área.

Continue lendo para escolher qual especialidade mais tem a ver com você!

1. Especialista em BIM

Os projetos feitos em BIM (Building Information Modeling) são excelentes para tomar decisões estruturais e de cálculos com maior segurança, já que permitem uma demonstração bastante real do resultado.

Porém, é um trabalho que exige mão de obra especializada, com conhecimento dos softwares específicos. Quem exerce essa função pode trabalhar em diferentes áreas da Arquitetura, por exemplo a modelagem — junto com o designer de projetos 3D — o desenvolvimento de software ou o gerenciamento da obra como um todo.

2. Designer de projetos 3D

É cada vez mais difícil pensar em arquitetura sem levar o modelo 3D em consideração. Começa a ser exigência de alguns clientes e já é implantado em diferentes escritórios para ajudar a vender as ideias.

Aliado ao modelo 3D, existem também os designers de motion graphics, que fazem animações dos projetos. Eles precisam dominar os programas de animação, pós-produção e renderização para entregar uma proposta redonda com tudo o que o cliente precisa.

3. Pesquisador de materiais e técnicas

Como existem diferente maneiras de fazer um mesmo projeto acontecer, cabe a esses profissionais pesquisar e até mesmo desenvolver novos materiais e técnicas que ajudem a resolver problemas, otimizar o tempo, reduzir os gastos e reduzir materiais durante toda a obra e até mesmo depois dela.

 

 

4. Especialista em arquitetura extrema

Esse campo é dedicado ao planejamento de soluções para situações extremas, como áreas alagadas, desertos, lugares atingidos por ondas de calor ou catástrofes naturais. Pode ser uma forma criativa e inteligente de lidar com as drásticas variações climáticas do planeta e ajudar as pessoas em situação de risco.

O setor requer um arquiteto que esteja disposto a experimentar formas alternativas de arquitetura, priorizando materiais baratos ou reutilizados e apostando em novas tecnologias de construção, para propor soluções que atendam às necessidades básicas da população local.

5. Pesquisador e tecnólogo

Com o avanço da tecnologia e da pesquisa, é cada vez mais possível aplicar os conhecimentos de tecnologia da informação no dia a dia dos arquitetos. Essa é uma área em constante expansão e que precisa de profissionais para continuar desenvolvendo soluções tecnológicas que ajudem no planejamento e na execução das obras.

A carreira de pesquisa científica pode acabar levando você para a vida acadêmica, como professor e pesquisador de uma universidade. E, se você se identifica com a função, talvez seja uma boa ideia investir em cursos que aprimorem habilidades em didática ou oratória, por exemplo.

6. Restaurador de Edifícios

É importante preservar a história das cidades por meio da restauração e manutenção dos marcos históricos da arquitetura. Apesar de ser um trabalho um pouco controverso (algumas pessoas enxergam como um atentado ao patrimônio histórico), é necessário para que eles se mantenham de pé.

Quem trabalha nessa área deve se especializar em restauro e buscar manter a integridade da arquitetura original sempre que possível.

Existem dois tipos de restauração: aquela que visa refazer a estrutura antiga de maneira idêntica, com o propósito de eternizar a estética de uma época; e a restauração que aproveita a estrutura anterior para construir algo novo. Esse método se apropria da estética e mantém alguns elementos, mas preenche as lacunas com uma construção nova sem nenhum intuito de mimetização do antigo.

7. Especialista em iluminação

Todo ambiente precisa de luz, seja ele grande ou pequeno, ao ar livre ou fechado. Uma boa solução de iluminação pode mudar um projeto por completo e até mesmo melhorar a saúde física e mental das pessoas.

A luz também pode dar o toque de sofisticação e elegância que o ambiente precisa ou deixá-lo mais simples e agradável para a vivência diária.

A iluminação pode mudar muito a percepção do ambiente, valorizar os móveis e o projeto arquitetônico, além de aspectos imateriais como passar sensação de segurança em ruas antes escuras ou um sentimento de intimidade para lugares iluminados à luz de velas.

8. Urbanista

O desenvolvimento das cidades pede um profissional que entenda de urbanismo e possa projetar esse crescimento da melhor forma. Uma das possibilidades mais interessantes dessa especialidade é pensar no desenvolvimento sustentável das cidades e nas mudanças econômicas e demográficas pelas quais ela passa ao longo dos anos.

Aliada ao planejamento urbano, está a Arquitetura Política. Ela pretende influenciar de maneira positiva a forma como a população cresce dentro da cidade e elaborar critérios para a expansão urbana. Assim, é possível recobrar o papel da Arquitetura na organização física da sociedade.

O urbanista pode trabalhar em conceitos parecidos com os do paisagista, tentando melhorar a qualidade de vida da comunidade e trazendo projetos de bairros ou cidades caminháveis, ambientes mais amigáveis para que a população consiga viver a cidade e não apenas passar por ela.

9. Paisagista

Em um cenário de crescente urbanização, o paisagista e planejador de ambientes segue em outra direção, projetando locais abertos ou ao ar livre.

Em geral, nós valorizamos mais os ambientes fechados e os prédios do que os espaços abertos, porém, é comprovado que as pessoas que moram nas cidades se sentem mais felizes ao visitar lugares públicos arborizados. Eles trazem uma melhora pra saúde da comunidade como um todo e abrem precedentes para eventos e espaços de convívio que não existiriam de outra forma.

Os pontos mais icônicos de grandes cidades, em sua  maioria, têm a ver com espaços verdes ou de convívio entre as pessoas. Detalhes do mobiliário urbano (como bancos, lixeiras, estacionamento para bicicletas, entre outros) fazem a diferença na experiência que se tem da cidade. Esse é um dos fatores mais interessantes nessa área: poder mudar a forma como as pessoas se relacionam com o espaço aberto.

E então, já sabe qual dessas especializações em Arquitetura é mais interessante para você? Se gostou do conteúdo, curta nossa página no Facebook!

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *