Menu
Projetos e Obras
Busca

Conteúdo Arquitetura

Bauhaus Arquitetura: verdadeiras obras de arte em Tel Aviv

07/10/2019

Quer saber como Tel Aviv tem se destacado como um importante centro da bauhaus arquitetura?

Estilo decorativo que completa um centenário, em 2019, o Bauhaus (ou Staatliches-Bauhaus) é uma escola de design, artes plásticas e arquitetura concebida por Walter Gropius. E, ainda que a sua vanguarda seja alemã, vale destacar algo curioso: a relevância da Bauhaus arquitetura presente em Tel Aviv.

Vale mencionar o quão jovem é a região, com pouco mais de 100 anos de história, mas que já foi declarada Patrimônio Mundial pela Unesco — justamente, por conta da grande concentração de prédios nesse estilo.

Que tal vermos, então, como a Cidade Branca cresceu ao redor desse estilo tão distinto, e quais são os prédios que não podem faltar na sua visita a Tel Aviv? Confira, logo a seguir!

Qual é a importância de Tel Aviv para a Bauhaus arquitetura?

Assim como Berlim tem as suas belezas arquitetônicas e históricas, muito de suas escolas é exportado para todas as direções. Foi o que ocorreu com a Bauhaus arquitetura em Tel Aviv.

Trata-se da segunda maior cidade de Israel, fundada em 1909 por uma comunidade judaica, localizada na costa mediterrânea do país – e isso tudo em meio a uma proliferação artística inspiradora, como:

  • Modernismo;
  • Pós-modernismo;
  • Arquitetura contemporânea.

E, é claro, a Bauhaus arquitetura, transformando a cidade em uma variada composição de estilos, o que torna os passeios por Tel Aviv muito mais ricos e culturais.

Até por isso, o ano de 2003 significou tanto para a conservação desse centro arquitetônico pluralizado — foi quando a Unesco declarou a cidade como um Patrimônio Mundial.

Agora, se por um lado isso preserva todo o centenário do qual a cidade de Tel Aviv tanto se orgulha — e com motivo —, há também quem quebre a cabeça para idealizar novas maneiras de desenvolver o urbanismo local, tendo em vista que muitas construções devem ser mantidas intocadas.

Enquanto o assunto gira em torno de outras questões, aqueles que procuram por inspirações novas, dentro do amplo repertório de Bauhaus arquitetura da cidade, têm mais é que aproveitar o rico passeio que pode ser feito no litoral mediterrâneo.

Onde encontrar a Bauhaus arquitetura em Tel Aviv?

Com uma das coleções de Bauhaus arquitetura mais ricas do mundo (são mais de 4 mil construções inspiradas nesse estilo), Tel Aviv tem atraído muitos turistas simplesmente por conta dessa beleza imponente que se destaca em passeios pelas suas ruas.

A seguir, confira as principais obras que permanecem vívidas para a apreciação dos visitantes e dos seus moradores!

1. The Crazy House

Há quem jure de pés juntos que o artista catalão, Antonio Gaudi, seja responsável por esse prédio minimamente curioso — mas isso está longe da verdade. Entretanto, é inegável as influências artísticas para a sua composição.

 

The Crazy House, em Tel Aviv (foto Flickr)

The Crazy House, em Tel Aviv (foto Flickr)

O local nasceu da mente criativa do arquiteto francês, e nascido na Síria, Leon Gaignebet. Fundada em 1985, a Crazy House é vista como um dos símbolos da Bauhaus arquitetura na cidade, mas não passou pelas mãos de Gaudi. Por sua vez, foi concebida para ser uma verdadeira conexão entre o mar e o deserto.

E isso é representado nas varandas cândidas do imóvel, que remetem às ondas do oceano, e nas esculturas e plantas que rementem ao deserto, no outro lado do edifício.

2. The Pagoda House

Pagodas são torres representativas da arquitetura religiosa japonesa — com uso em outras regiões asiáticas, inclusive —, mas ganharam um intercâmbio cultural em 1924, quando o norte-americano Alexander Levy foi a Tel Aviv e desenhou esse projeto arquitetônico.

Não pense, entretanto, que o Japão é a única representação desse projeto. A ideia era transformar a Pagoda House em um elo entre o ocidente e o oriente. E isso consiste na construção de 21 arcos islâmicos complementados por colunas gregas: uma relíquia valiosa para quem deseja fazer um tour pela Bauhaus arquitetura de Tel Aviv.

 

 

The Pagoda House (Foto: AFIPO)

The Pagoda House (Foto: AFIPO)

3. The ugly beach house

Considerada a “ovelha negra” da Bauhaus arquitetura de Tel Aviv, the ugly beach house é o apelido dado à Shared Villa, do arquiteto Tsvi Harel.

Isso porque ela conta com diversas formas geométricas em sua composição, e mais uma série de outras incongruências aparentes, como desníveis, janelas dispostas sem aparente planejamento e uma organização caótica. Algo que quebra, consequentemente, qualquer harmonia que os olhos curiosos busquem ao se deparar com a casa litorânea – mas, que, sem dúvidas, desperta a atenção dos passantes.

 

The ugly beach house (Foto: Happy in Tel-Aviv)

The ugly beach house (Foto: Happy in Tel-Aviv)

4. The Asia house

Mais uma residência que remete à Bauhaus arquitetura e, também, ao extremo oriente. A casa, desenhada pelo arquiteto Moti Ben Chorin em 1979, conta com sete círculos curvilíneos e brancos, dispostos um sobre o outro, o que remonta à escola alemã de design.

The Asia house (Foto: Cosmogeny)

The Asia house (Foto: Cosmogeny)

5. Bauhaus Center

Por fim, temos o Bauhaus Center, uma área que concentra uma enormidade de arquivos sobre a escola alemã Bauhaus. Só que não para por aí: ao redor, existem dezenas de outros imóveis inspirados pelo mesmo movimento.

Com isso, é possível fazer um tour muito mais proveitoso, tendo em vista que o epicentro disso tudo é o próprio Bauhaus Center. Uma verdadeira aula de história!

Vale destacar, inclusive, que a Bauhaus Arquitetura é uma grande inspiração para nós também – e Tel Aviv passa por esse circuito, certamente. Prova disso é a recepção calorosa que uma de nossas iniciativas, o Coletivo Criativo, vai receber na cidade para estudar e conhecer novas tendências do setor, e apreciar um pouco mais toda a arquitetura, design de interiores, engenharia e paisagismo de Tel Aviv.

 

Bauhaus Center (Foto: TripAdvisor)

Bauhaus Center (Foto: TripAdvisor)

E então, deu para sentir toda a inspiração da Bauhaus arquitetura em Tel Aviv? Que tal vermos, agora, como podemos nos inspirar aqui mesmo, no país? Basta seguir com a leitura de outro artigo nosso, explorando a arquitetura barroca e as suas influências no Brasil! Até a próxima!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *